Ministro transmite abraço de Bolsonaro ao RN

Paulo Tarcísio Cavalcanti
Editor

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou nesta sexta-feira, 16, em Natal, ao assinar atos de parceria administrativa com a governadora do RN, Fátima Bezerra (PT), que além dos recursos, trazia o abraço do presidente Jair Bolsonaro ao Rio Grande do Norte e ao Nordeste:
– O presidente Jair Bolsonaro me pediu pessoalmente: vá ao Nordeste, vá ao Rio Grande do Norte. Leve um abraço, leve os meus cumprimentos, leve uma mensagem: esse país precisa ser reconstruído em todas as políticas. A da saúde é uma delas, e talvez a que mais chegue perto do cidadão e a que mais apelo tenha no dia a dia das famílias.

DIVERGÊNCIAS NUMÉRICAS
Afagos políticos à parte, cada lado divulgou do seu jeito o que foi acertado aqui em Natal.
Os números divulgados pelo Ministério da Saúde sobre os resultados das parcerias estabelecidas nesta sexta-feira com o Governo do RN não batem com os que estão sendo anunciados pelo Assecom-RN.
As divergências estão explicitadas, claramente, nos títulos das respectivas reportagens. No portal do Ministério da Saúde, o título afirma: “Saúde libera R$ 84,6 milhões para ampliar assistência no Rio Grande do Norte”. Já o portal do governo do RN traz reportagem com a seguinte manchete: “Governo assina com Ministério da Saúde atos para liberação de R$ 65 milhões”. Confira:

PORTAL DO GOVERNO DO RN

PORTAL DO MINISTÉRIO DA SAÚDE

Essas divergências não ficam somente nos títulos. Nos textos das duas reportagens, surgem novas informações conflitantes quando cada uma procura detalhar onde os recursos serão aplicados. Não adianta aqui citar cada divergência porque a confusão poderá ficar muito maior.
De qualquer forma, imprecisões à parte, o lado positivo da visita do ministro foi a demonstração de que, mesmo sendo fervorosos adversários políticos, autoridades do governo federal e do governo estadual explicitaram a capacidade de ambos os lados em estabelecerem uma relação, não apenas pacífica, mas também, muito civilizada e cordial, quase fraterna.

GRATIDÃO E FRANQUEZA
A governadora Fátima agradeceu a presença do ministro em Natal, trazendo “o primeiro aporte extra de recursos federais para o RN – 65 milhões de reais (na versão do governo do Estado), mas destacou que suas necessidades, ou melhor, as necessidades do Estado são maiores: Chegariam, segundo acrescentou, a 220 milhões de reais.
Com efeito, a forma como os números foram divulgados pelo Ministério da Saúde e pelo governo do RN os tornou tão confusos que eu não me atrevo a detalhá-los aqui. O ideal seria que os dois lados tivessem disponibilizado o teor de cada ato. deixando a critério dos meios de comunicação a definição de como os divulgariam da forma mais clara possível para o seu público alvo. Como isso não ocorreu, vamos aguardar que cada um dos atos sejam divulgados nas próximas horas.

AUSÊNCIA POLITICA
Do ponto de vista político, ficou explicitada a disposição do governo federal de dialogar com os Estados, dando uma pequena – mas, considerável – parcela de contribuição para o enfrentamento da critica situação em que se encontram. Claro, na hora de receber, não poderia ter sido outro o comportamento do RN, através de sua governadora, oferecendo uma recepção bastante acolhedora a seu visitante. O futuro dirá se “a recíproca” é verdadeira na hora em que tiver de oferecer alguma contribuição ao governo federal.
Chamou a atenção a pequena representação política que prestigiou a solenidade principal da agenda do ministro na governadoria. Dos três senadores, só a senadora Zenaide Maia marcou presença. Dos oito deputados federais, só três: Rafael Motta, Benes Leocádio e João Maia; e deputados estaduais, só quadro: o líder do governo, George Soares, Ubaldo Fernandes, Eudiane Macedo e Bernardo Amorim. Prefeitos, cinco: Álvaro Dias, de Natal; Rosalba Ciarlini, de Mossoró, Paulo de Souza, de São Gonçalo do Amarante, Shirley Targino, de Messias Targino e Leonardo Rego, de Pau dos Ferros.
Do secretariado da Governadora Fátima compareceram os da Saúde, Cipriano Maia, da Infraestrutura, Gustavo Coelho, da Sethas, Iris Oliveira, da Segurança Pública, Francisco Araújo, da Administração Penitenciária, Pedro Florêncio, secretaria extraordinária de gestão de projetos (SEGEPRO), Fernando Mineiro, diretor do DER, Manoel Marques, e o presidente da Caern, Sérgio Linhares.

OBSERVAÇÃO – Querendo ser notificado sobre as atualizações deste jornal digital, deixe um comentário com o seu nome e o número do zap.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *