Olimpíada de Informática: Alunos de Jundiaí vão à final

Fernanda Macedo – com supervisão da Assessoria EAJ

Os estudantes da Escola Agrícola de Jundiaí, Gabriel Sebastião do Nascimento Neto, Miller Matheus Lima Anacleto Rocha e Thiago Vinicius Cardoso Lopes, todos de 16 anos, estão entre os únicos representantes do Rio Grande do Norte na Olimpíada Brasileira de Informática. A disputa tem como objetivo despertar nos alunos a Ciência da Computação por meio de atividades que envolvem desafio, engenhosidade e competição.

A EAJ iniciou com 21 participantes na modalidade Programação, nos níveis P1, com alunos do 1º ano do Curso Técnico em Informática, e do P2, com alunos do 2º e 3º anos. Desses 21, seis avançaram para a segunda fase. No nível P1, apenas três competidores do Rio Grande do Norte avançaram para a segunda fase, dois da Escola Agrícola, Gabriel Sebastião e Miller Mateus Rocha. Foram estes dois os únicos que seguiram para a terceira fase. No nível P2, o competidor Thiago Vinícius, da EAJ, foi selecionado para a fase nacional, contando apenas 19 selecionados em todo Estado. Os participantes ganham certificados de honra ao mérito e medalhas.

A Olimpíada Brasileira de Informática ocorre desde 1999 e desempenha importante papel para os estudantes da área tecnológica, que avança em todo país. É organizada pelo Instituto de Computação da Unicamp, com apoio da Sociedade Brasileira de Computação. Os competidores recebem um caderno de questões e têm um tempo para pensar e escrever suas soluções na linguagem de programação em que mais se sentirem confortáveis e que são aceitas pela Olimpíada, como C, C++, Java, Javascript, Python e Pascal.

Ela é dividida nas fases Local, Regional e Nacional. No nível P2, os melhores competidores são convidados para um curso de uma semana na Unicamp de preparação para a Olimpíada Internacional de Informática e são novamente selecionados para compor a equipe que representa o Brasil.

Para o professor da Escola Agrícola, Josenalde Oliveira, as Olimpíadas devem ser tratadas como instrumento para contribuir para o aprendizado dos estudantes. O professor Josenalde auxilia os alunos na resolução de questões de provas anteriores e com a preparação para o exame, incentivando os estudantes para a competição e dando apoio em todas as suas fases.

A Olimpíada é uma grande oportunidade para os estudantes despertarem ou aperfeiçoarem inúmeras competências. Além disso, grandes empresas de tecnologia têm olheiros nessa competição e dão preferência aos participantes de bom desempenho para estágios ou empregos.

O estudante Miller Rocha afirma que está gostando da experiência, pois o faz ir atrás de mais conteúdo além do passado em aula. Thiago Vinícius também está empolgado e diz que “a experiência até agora tem sido ótima e está resultando em bastante aprendizado, tanto dentro como fora do ‘mundo da programação’, que levarei para o resto da vida”.

.

OBSERVAÇÃO – Querendo ser notificado sobre as atualizações deste jornal digital, deixe um comentário e deixe seu nome e número do zap.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *