16,38% para servidor pequeno gera impacto mínimo

Comunicação/SINSP

O impacto financeiro do reajuste salarial em 16,38% aos servidores ativos, aposentados e pensionistas da administração direta do Rio Grande do Norte seria apenas de R$ 3.674.208,45 milhões, por mês, ao estado. São 34.664 servidores mais carentes da base do SINSP que estão sem reajuste desde 2009. Além disso, grande parte dos ativos são pagos com os recursos do Fudeb, logo, o governo não teria impacto direto com o aumento salarial dessa parcela de servidores.

O impacto foi calculado pela Secretaria de Estado da Administração e dos Recursos Humano, após uma solicitação do Sindicato dos Servidores Públicos do Rio Grande do Norte (SINSP/RN).

O Governo do RN fez a opção de reajustar os salários dos Procuradores do Estado e de realizar o aumento do abate teto para os auditores fiscais e delegados de polícia, mas esqueceu e excluiu da correção os servidores que ganham na faixa do salário mínimo e que já não recebem reajuste há quase dez anos.

Segundo as informações concedidas pela SEAD, a estimativa de impacto financeiro total em virtude do reajuste de 16,38% seria de R$ 44.090.501,45, considerando o impacto anual (vantangens + patronal). A categoria conta com 16.619 servidores ativos, 16.940 inativos, além de 1.105 pensionistas.

Veja os números:

Ativo (16.619):
Impacto anual (vantangens + patronal): R$ 20.489.726,11

Inativo (16.940):
Impacto anual (vantangens + patronal): R$ 22.894.111,58

Pensionista (1.105):
R$ 194.420,60

TOTAL: 44.090.501,45

O pleito do SINSP representa sua base, os servidores da administração direta.

OBSERVAÇÃO – Querendo ser notificado sempre que este jornal for atualizado, deixe um comentário com o seu nome e número do zap.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *