Passo da Pátria volta ao foco do Projeto Inarteurbana

Assessoria de Imprensa
do Projeto INarteurnaba

A comunidade do Passo da Pátria volta a ser espaço para intervenção de artistas locais e nacionais, através do projeto INarteurbana, de 12 a 17 de novembro. Durante este período, três artistas realizarão intervenções visuais e compartilham vivências com os moradores da comunidade. Nesta etapa participam do projeto INarte/Residências com os artistas convidados: Cris Rodrigues (São Paulo), Seth (Paris, França), um dos principais nomes da arte urbana francesa, e Gil Leal (Natal).

Na quinta-feira (14), está programada a partir das 18h no Museu Café Filho uma mesa redonda abordando o tema “Projetos de Arte Urbana, Emancipação Social e Desenvolvimento territorial”. O debate terá a participação de Sayonara Pinheiro (artista e coordenadora do INarteurbana), Agathae Montecinos (diretora da Association Pixo), Seth (artista e criador do Back To School) Sunsara (produtora cultural e co-organizadora, junto com Costinha, do Sarau Um Dedo de Prosa & Poesia em Macaíba).

INarteurbana

Idealizado pelas produtoras Agathae Montecinos, Sayonara Pinheiro e Nizia Montecinos, o INarteurbana é um projeto sociocultural e transdisciplinar de ativação de espaços públicos através de ações artísticas.

Através de ações regulares desde 2016, a ação tornou-se um ponto de encontro da cena da arte urbana nacional e internacional, principalmente através de residências artísticas promovidas pontualmente e que contribuem para a vida cultural da cidade e fortificam a relação entre públicos, artistas, agentes e instituições.

Com base no Ponto de Cultura Casa Vermelha, a INarteurbana se instalou no Passo da Pátria, um bairro periférico natalense marcado pelo desenvolvimento de dispositivos de animação e ações artísticas envolvendo artes visuais, artes cênicas, urbanismo tático e bem-estar.

O projeto é uma realização da associação franco-brasileira Pixo, e do ponto de cultura e residência artística Casa Vermelha, com o apoio da Fundação José Augusto, do Governo do Estado do Rio Grande do Norte e da Sherwin Williams.

Passo da Pátria

De acordo com a dissertação de mestrado de Daline Souza, defendida junto a Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da UFRN em 2007, “o espaço operado pelos moradores permite sinalizar para singularidades que permite a identificação de quatro espaços: Pedra do Rosário, Passo, Areado e Pantanal”.

No trabalho “Da Pedra do Rosário ao Pantanal: Espaço e Urbanização no Passo da Pátria”, a pesquisadora avaliou as formas de apropriação desses espaços e o impacto do processo de urbanização da comunidade.

Para isso, levantou dados históricos sobre o local. Em 1870, funcionava na atual comunidade o Porto do Oitizeiro. Era também o Porto da Cidade ou Porto do Paço da Pátria. A denominação surgiu em 1886, homenagem do então presidente da província aos voluntários potiguares que lutaram na Guerra do Paraguai. Passo da Pátria era o nome da cidade paraguaia onde ocorreu uma das batalhas.

Ilustração: Assessoria de Imprensa do Projeto INarteurbana

OBSERVAÇÃO – Querendo ser notificado sempre que este jornal for atualizado, deixe um comentário com o seu nome e número do zap.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *