Ingenuity

Helicóptero Ingenuity realiza seu 7º voo em Marte

Com quase dois quilos, o Ingenuity, da Nasa, subiu aos céus marcianos pela sétima vez no último domingo, 6 de junho. O voo foi o primeiro desde a última anomalia apresentada pela aeronave no último dia 22 de maio e não apresentou mais problemas.

“Sem anomalias em seu sétimo voo, o Ingenuity está íntegro e funcional!”, escreveu o perfil do Twitter do Jet Propulsion Laboratory (JPL), da NASA. O JPL é o laboratório responsável pela operação do Ingenuity no céu marcianos.

Dessa vez, o helicóptero viajou 106 metros ao sul de sua localização anterior, no fundo da cratera Jezero de Marte; e permaneceu no ar por quase 63 segundos, escreveram funcionários do JPL em outro tweet.

A aeronave de asas rotativas, que é movida a energia solar, pousou em um novo campo de aviação, o quarto que atingiu desde o pouso no Planeta Vermelho com o rover Perseverance, também da NASA, em 18 de fevereiro. Em 3 de abril de 2021, ele foi desacoplado da “barriga” do Perseverance e tocou o solo do Planeta Vermelho pela primeira vez.

O marco deu início ao tique-taque do relógio na missão de 30 dias do helicóptero, cujo objetivo era mostrar que era possível levantar voo na atmosfera rarefeita de Marte, que tem por volta de 1% da atmosfera terrestre.

Após continuar íntegro durante a missão de demonstração de tecnologia, realizando cinco voos de sucesso, o Ingenuity teve seus objetivos estendidos e passou a realizar voos de reconhecimento, com o intuito de auxiliar o Perseverance em sua missão.

NEM TUDO SÃO FLORES

O primeiro voo dessa fase prolongada, que ocorreu em 22 de maio, não foi totalmente tranquila: o Ingenuity sofreu uma falha que interrompeu brevemente a transmissão de fotos de sua câmera de navegação para o computador de bordo. Mas o helicóptero conseguiu superar o problema e pousou com segurança perto de seu destino pretendido.

O Perseverance capturou vídeos e áudios dos primeiros cinco voos do Ingenuity; mas o rover, que tem o tamanho de um carro, deixou de registrar esses momentos e passou a se concentrar em sua missão científica, que se dedica a caçar sinais de vida passada em Marte, além de coletar amostras para um futuro retorno à Terra.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.