O Cangaço na Literatura

‘O Cangaço na Literatura’ tem conteúdo rico sobre o cangaço no Brasil

Sergipano Robério Santos é a cabeça por trás d’O Cangaço na Literatura’ e tem três livros publicados sobre a vida dos cangaceiros

Texto por Gustavo Guedes, para o site Por Dentro do RN

Se houver apenas cinco brasileiros que entendam sobre o período do cangaço no Brasil, o professor e escritor sergipano, Robério Santos, é uma delas com certeza. Dono de um canal com quase 260 mil inscritos e com mais de 40 milhões de visualizações, Robério discorre sobre os anos de pólvora e sangue nos rincões do sertão nordestino. O leitor incauto e desatento pode se perguntar: o que faz um tema tão antigo e datado chamar tanta atenção assim?

A resposta, embora simples, não é tão óbvia assim: talvez pelo fato de ter sido professor antes de se tornar escritor e criador de conteúdo para o YouTube.

De um jeito simples e muitas vezes descontraído, Robério se distancia da didática carrancuda e entediante que ainda predomina em grande parte das aulas de História nas escolas brasileiras e consegue atrair uma audiência assídua, para a qual pode explicar sobre os principais acontecimentos, curiosidades e personalidades do período.

Ainda que de maneira leve e informal, mas embasada nas dezenas de livros que servem de base para o seu trabalho, Robério faz questão de mostrar, em cada vídeo, as referências literárias das quais extrai a maioria das informações que transmite para o seu público.

Não importam se são volantes, cangaceiros ou testemunhas vivas dos períodos sombrios que assolaram o Nordeste nos anos 30, o escritor sempre tem alguma história para contar e sempre busca levar em consideração as diversas abordagens sobre o mesmo fato, não deixando que suas visões pessoais atropelem os acontecimentos.

Ora, nada mais justo que deixar as conclusões para o público que assiste aos vídeos e tiram um tempo para acompanhá-los, não é mesmo?

N’O Cangaço na Literatura, as histórias são contadas nos locais onde os fatos ocorreram

Ir até os locais onde os fatos ocorreram é o diferencial do canal ‘O Cangaço na Literatura’. Além de professor, escritor e criador de conteúdo, Robério ainda é o que costumo chamar de andarilho; não no sentido de nômade, mas de alguém que se embrenha pelo sertão percorrendo as trilhas abertas pelos cangaceiros e pelas volantes muitas décadas atrás.

Nininho e Robério, de O Cangaço na Literatura
Foto: Reprodução/Instagram

Sempre acompanhado de seu inseparável companheiro e cinegrafista Nininho, que também mora em Itabaiana, no interior de Sergipe, os inscritos podem ver as paisagens das histórias alternando entre os mandacarus, os xiquexiques, os vilarejos e as cidades visitadas e invadidas por Lampião e seu bando.

Entre os locais visitados, me veio à mente o local onde descansam os restos mortais do cangaceiro Jararaca, em Mossoró. O pernambucano de Buíque, José Leite de Santana, mais conhecido como Jararaca, tombou na cidade potiguar após ser preso pela tentativa frustrada de invasão à cidade. O cangaceiro foi morto após quatro dias detido na cidade do Rio Grande do Norte, e enterrado no cemitério Cemitério São Sebastião, em Mossoró.

Mas as aventuras não param por aí. Um dos meus vídeos favoritos (pode ser assistido acima) é o de quando Nininho e Robério fizeram uma visita noturna à Fazenda Patos, no município de Piranhas, nas Alagoas. No local, o bando do cangaceiro Corisco assassinou o proprietário da fazenda e mais cinco pessoas .

O vídeo, que foi gravado em 2018, voltou à tona em 2021 após os inscritos perceberem uma espécie de vulto branco nas imagens. Na ocasião, sem saber a razão naquele momento, Robério e Nininho correm assustados das ruínas da sede da antiga fazenda.

Focando na abordagem sobrenatural, Robério pega a estrada com o canal ‘Caça-Fantasmas Brasil’

Após os inscritos perceberem figuras estranhas nos vídeos de Robério, o canal iniciou uma expedição conjunta com os fundadores do canal Caça-Fantasmas Brasil, Rosa Maria e João Tocchetto, que procuram explicar fenômenos sobrenaturais também no YouTube.

A expedição começou a ser gravada na cidade de Itabaiana, em Sergipe, onde Robério nasceu e cresceu; e será transmitida nos canais oficiais d’O Cangaço na Literatura e do Caça-Fantasmas Brasil.

Após anos estudando sobre o Cangaço, Robério é autor de três livros sobre o tema

Robério Santos ainda é autor de três livros com a temática do cangaço, sendo eles: ‘As quatro vidas de Volta Seca’, que conta a história do cangaceiro Volta Seca; ‘Zé Baiano’, que conta sobre a vida do também cangaceiro Zé Baiano, conhecido, dentre outras coisas, por ferrar (feito gado!) suas vítimas, principalmente as mulheres, no rosto, nas nádegas e nas partes íntimas.

Por fim, lançado em 2021, o livro ‘Marca’ fala sobre, de acordo com o próprio autor, “do sertão profundo e seus perigos pela ótica de Marca, filha da aristocracia rural que se rebela contra os maus tratos e segue em busca do Padre Cícero para tentar entender os motivos de sua existência“.

O canal ‘O Cangaço na Literatura’ é indicadíssimo para quem, assim como eu, gosta de estudar História de uma maneira dinâmica e divertida. Nota 10!

Sobre Gustavo Guedes, colunista do Por Dentro do RN

Gustavo Guedes escreve texto sobre o Universo Genial

Gustavo Guedes tem 29 anos, é jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Escreve quando quer, o que quer e do jeito que bem entende. Mas se interessa por MúsicaAstronomiaSerpentesAviação e tudo mais que ajude a sair do tédio. Não acredita em signos e não tem muita paciência para quem baseia sua vida em Astrologia. É proibida a reprodução total ou parcial deste texto sem autorização do autor e sem a inserção dos créditos, de acordo com a Lei nº 9610/98.
Gostou do texto? Como estou escrevendo?
Instagram:
 @gustavoguedesv
Twitter: @gstvgds
Tem alguma pauta interessante pra mandar? [email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.