Em estado de abandono pela prefeitura, orla de Natal sofre com a falta de infraestrutura básica - Por dentro do RN
Em estado de abandono pela prefeitura, orla de Natal sofre com a falta de infraestrutura básica

Em estado de abandono pela prefeitura, orla de Natal sofre com a falta de infraestrutura básica

A orla de Natal tem sofrido com problemas estruturais e de manutenção, o que tem sido alvo de críticas de banhistas locais, trabalhadores e turistas.

As reclamações se estendem da Praia de Ponta Negra, na Zona Sul, à Praia da Redinha, na Zona Norte. Entre elas, estão banheiros sujos e interditados, além da falta de lixeiras e chuveiros públicos. Essa falta de estrutura tem culminado com mau cheiro e sujeira em vários pontos da orla, segundo reclamam os frequentadores.

Para alguns turistas, esses problemas atrapalham uma melhor vivência dos pontos mais conhecidos da cidade. A falta de banheiros, inclusive, é uma das principais reclamações, já que alguns estão interditados e outros praticamente impossibilitados de serem usados devido à sujeira e ao mau cheiro.

“Principalmente a falta de banheiros e lixeiras. Eu acho que deveria, por ser uma cidade turística, ser uma praia bem mais cuidada”, reclama a professora Eliane Carvalho, que realiza atividades físicas no calçadão.

“A pessoa entra aqui, pega uma bactéria, germe, pega tudo aqui. Isso aqui também é culpa da população que faz isso aqui, porque quando chegou não estava assim. Quem foi que fez assim? É uma pergunta pra pessoa que reclama se fazer também”, diz a atendente Fernanda Beatriz.

Mais de R$ 400 mil em manutenção

De acordo com a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur), Natal conta com 14 banheiros na orla urbana – seis conjuntos em Ponta Negra, seis na Praia do Meio e mais dois na Redinha. Até o início de 2020, os banheiros eram operados pela iniciativa privada, mas a empresa decidiu fazer o distrato do acordo após uma sequência de atos de vandalismo, ameaças e até sequestros de zeladores.

Desde então, a estruturas estão sob responsabilidade da prefeitura. Segundo a Semsur, apenas em 2021 mais de R$ 400 mil foram investidos na manutenção dos locais. Antes, o gasto anual era de cerca de R$ 200 mil. Apesar disso, o problema está longe de ser resolvido e os banheiros estão praticamente inutilizáveis.

“Nós somos natalenses, então, pra gente fica uma coisa feia. Quando os turistas vem pra cá, e é a imagem que tem de Natal”, comentou a potiguar Alessandra Monteiro, que é bacharel em Direito.

Em nota, a Semsur disse que está estudando um meio de manter os banheiros funcionando sem que haja ônus aos cofres do município. Enquanto o estudo de otimização não é concluído, a pasta explicou que está buscando uma parceria com os comerciantes para resolver o problema.

Com informações do G1 RN
Foto: Reprodução/Ayrton Freire/Intertv Cabugi

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

É #FAKE que o Midway Mall vai cobrar pelo estacionamento Como consultar valores a receber com o Banco Central Morre Marília Mendonça após acidente aéreo; veja fotos CINCO deputados do RN votam pelo furo do teto de gastos Após rompimento de parceria com o Flow Podcast, hackers invadem iFood, trocam nome de restaurantes e dão apoio a Bolsonaro Azul mira compra da Latam Airlines e visa à criação de gigante sul-americana Homem se dá mal após tentar jogar drogas pela janela em Mossoró Adolescente de 16 anos é suspeito de matar os próprios irmãos, de 2 e 4 anos, no Rio de Janeiro Preço da gasolina sobe 47% em 2021 e já custa R$ 7,29 em Natal após novo reajuste Cidade faz ‘recall’ de vacinação após enfermeira da Cruz Vermelha injetar água e sal na população Mulher dá à luz dentro de elevador de condomínio na Grande Natal Operação Falsos Heróis: Polícia Federal deflagra 2ª fase de operação contra contrabando de cigarros; um policial foi preso e outro afastado