Tag Contrabando de Cigarros - Por dentro do RN

Contrabando de Cigarros

Operação Falsos Heróis - PF prende em Areia Branca ex-funcionário da Capitania dos Portos que contrabandeava cigarros no RN

Operação Falsos Heróis: PF prende em Areia Branca ex-funcionário da Capitania dos Portos que contrabandeava cigarros no RN

A Polícia Federal prendeu na manhã desta quarta-feira (15.dez.2021) um homem de 23 anos acusado de promover a internalização clandestina de cigarros contrabandeados no país. A prisão ocorreu na cidade de Areia Branca, na região Oeste do Rio Grande do Norte. Segundo a PF, ele estava foragido desde a deflagração da segunda fase de Operação Falsos Heróis, ocorrida em outubro deste ano.

O investigado, que é ex-funcionário da Capitania dos Portos, tinha sido preso anteriormente em flagrante, em 13 de setembro, no município de Carnaubais, acusado de transportar mercadorias contrabandeadas na companhia de outros dois homens. O foragido foi conduzido para a Delegacia da PF em Mossoró, e, na sequência, transferido para a Cadeia Pública da cidade, onde permanecerá à disposição da Justiça.

Operação Falsos Herois, fase II

A Operação Falsos Heróis II foi deflagrada pela PF em 26 de outubro de 2021, com o objetivo de investigar as atividades de uma organização criminosa voltada à prática de contrabando de cigarros e produtos falsificados. Foram cumpridos 16 mandados de busca e apreensão e cinco mandados de prisão preventiva expedidos pela 8ª Vara da Justiça Federal do RN, nos municípios de Apodi, Areia Branca, Grossos, Mossoró, Natal e Parnamirim, além da cidade de São Paulo.

Na oportunidade, também foi determinado o sequestro judicial de 21 contas bancárias, bem como a adoção de medidas cautelares diversas de prisão com relação a 11 investigados, incluindo o afastamento da função de dois policiais civis.

O inquérito policial instaurado aponta que a organização criminosa foi investigada suspeita de promover o transporte marítimo de produtos contrabandeados, vindos do Suriname, e internalizados de forma clandestina em pontos da costa potiguar, através dos municípios de Areia Branca, Porto do Mangue e Macau, sendo depois distribuídos para outros estados.

Foto: Reprodução/Polícia Federal/Operação Falsos Heróis

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Operação Falsos Heróis: Polícia Federal deflagra 2ª fase de operação contra contrabando de cigarros; um policial foi preso e outro afastado

Operação Falsos Heróis: Polícia Federal deflagra 2ª fase de operação contra contrabando de cigarros; um policial foi preso e outro afastado

Foi deflagrada na manhã desta terça-feira (26.out.2021) pela Polícia Federal (PF), a segunda fase da Operação Falsos Heróis, que investiga uma organização criminosa voltada ao contrabando de cigarros e produtos falsificados no Rio Grande do Norte. Cerca de 70 policiais federais cumprem 16 mandados de busca e apreensão e 5 de prisão preventiva expedidos pela 8ª Vara da Justiça Federal nos municípios de Apodi, Areia Branca, Grossos, Mossoró, Parnamirim, Natal e São Paulo.

Um policial civil foi preso e outro afastado da função, de acordo com a corporação. A Justiça também determinado o sequestro judicial de 21 contas bancárias, além de medidas cautelares contra 11 investigados – entre elas o afastamento dos dois policiais civis.

Os investigadores afirmam que a organização criminosa investigada é suspeita de transportar produtos contrabandeados vindos principalmente do Suriname, pelo mar. As embarcações usadas pela organização teriam nomes de heróis de histórias em quadrinhos e do cinema, como Thor, Hulk e Capitão América – por isso o nome Operação Falsos Heróis.

Segundo a PF, os produtos são “internalizados” de forma clandestina em pontos da costa potiguar através dos municípios de Areia Branca, Porto do Mangue e Macau, na região da Costa Branca potiguar. Depois, são distribuídos para outros estados brasileiros.

Ainda de acordo com a PF, durante a deflagração da primeira fase da Falsos Heróis, deflagrada em outubro de 2020, foram reunidos elementos que permitiram identificar outros membros da organização criminosa. Desde então, as apurações revelaram que alguns desses indivíduos ascenderam na estrutura hierárquica da organização e continuaram as ações criminosas.

Os alvos da operação são investigados pelos crimes de contrabando qualificado e organização criminosa armada, cujas penas, somadas, podem ultrapassar a 23 anos de prisão.

Foto: Polícia Federal

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Organização criminosa que contrabandeia cigarros no RN é alvo da Polícia Federal; Operação Quinta Coluna foi deflagrada hoje

Organização criminosa que contrabandeia cigarros no RN é alvo da Polícia Federal; Operação Quinta Coluna foi deflagrada hoje

A Operação Quinta Coluna visa desarticular organização criminosa que contrabandeia cigarros no Rio Grande do Norte; ação foi deflagrada pela Polícia Federal, em conjunto com a Polícia Militar.

Visando à desarticulação de uma suposta organização criminosa especializada no contrabando de cigarros importados no Rio Grande do Norte, a Polícia Federal, em conjunto com a Polícia Militar, deflagrou na manhã desta quarta-feira (1º) a Operação Quinta Coluna.

De acordo com as investigações, o grupo seria composto por servidores públicos e particulares; e estaria atuando por meio do contrabando marítimo de cigarros, que chegavam pela região salineira do Rio Grande do Norte. Diante disso, os agentes estão cumprindo cinco mandados de busca e apreensão nos municípios de Natal, Mossoró, Caicó e Guamaré. Os mandados foram expedidos pela 2ª Vara da Justiça Federal do Rio Grande do Norte.

As investigações vinham ocorrendo desde o final do ano passado e foram intensificadas após os desdobramentos de outra operação, a Operação Níquel, que identificou a existência de agentes de segurança pública que estavam envolvidos com um grupo criminoso responsável por contrabandear, transportar, armazenar e comercializar produtos ilícitos no Brasil. A Operação Níquel foi deflagrada, também pela Polícia Federal, em janeiro de 2020.

Com as informações adquiridas nessa operação, a Polícia Federal ampliou o escopo e descobriu que esses agentes estariam sendo beneficiados com informações sigilosas sobre ações de fiscalização, que seriam repassadas para os líderes do grupo, facilitando assim o desembarque, transporte e armazenamento dos cigarros sem que o crime fosse descoberto.

Os indiciados serão ouvidos na sede da Polícia Federal em Natal e na Delegacia de Mossoró, e responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de integrar organização criminosa (artigo 2º da Lei nº 12.850/2013) e contrabando (artigo 334-A do Código Penal), dentre outros em apuração.


O nome da Operação Quinta Coluna é uma alusão a grupos clandestinos que atuam dentro de um país ou região prestes a entrar em guerra (ou já em guerra) com outro, ajudando o inimigo e agindo em favor do grupo rival.

Foto: Reprodução/Polícia Federal

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Morre Marília Mendonça após acidente aéreo; veja fotos CINCO deputados do RN votam pelo furo do teto de gastos Após rompimento de parceria com o Flow Podcast, hackers invadem iFood, trocam nome de restaurantes e dão apoio a Bolsonaro Azul mira compra da Latam Airlines e visa à criação de gigante sul-americana Homem se dá mal após tentar jogar drogas pela janela em Mossoró Adolescente de 16 anos é suspeito de matar os próprios irmãos, de 2 e 4 anos, no Rio de Janeiro Preço da gasolina sobe 47% em 2021 e já custa R$ 7,29 em Natal após novo reajuste Cidade faz ‘recall’ de vacinação após enfermeira da Cruz Vermelha injetar água e sal na população Mulher dá à luz dentro de elevador de condomínio na Grande Natal Operação Falsos Heróis: Polícia Federal deflagra 2ª fase de operação contra contrabando de cigarros; um policial foi preso e outro afastado Vulcão Cumbre Vieja em La Palma não dá sinais de abrandamento Cocaína no Ceará tem tudo, menos o princípio ativo da droga