Variante Delta na França

França amplia restrições conter variante Delta no país

Para tentar conter a disseminação da variante Delta no território francês, presidente Emmanuel Macron determina que será necessário apresentar um certificado de imunização para entrar em espaços públicos.

O presidente da França, Emmanuel Macron, anunciou que será necessário apresentar um certificado de imunização ou teste negativo de Covid-19 para entrar em bares, restaurantes e cinemas, ou para viajar em trens e aviões. A decisão do presidente fez com que mais de um milhão de franceses marcassem consultas para serem vacinados.

O chefe do principal site de marcaçãoo de consultas disse nesta terça-feira, 13, que o tráfego atingiu um pico após o pronunciamento de Macron na televisão na noite da segunda-feira (12). Foram registrados o pedidos de 20 mil consultas por minuto, um recorde absoluto desde o início da campanha. Até o meio-dia de ontem, 13, 1,3 milhão de pessoas reservaram horários para se vacinar, de acordo com a Rádio França Internacional. No país, é preciso marcar um horário pela internet ou por telefone para ser vacinado.

Macron também anunciou a vacinação obrigatória, a partir de setembro, para os profissionais da saúde, trabalhadores em lares de idosos e outros que trabalham com pessoas vulneráveis. Aqueles que quebrarem a regra “não poderão trabalhar e não serão pagos”, disse o ministro da Saúde, Olivier Véran.

O número de infecções da Covid aumentou consideravelmente na França nas últimas semanas. O país atingiu mais de 4 mil casos nos últimos dias, devido à variante Delta – cepa identificada inicialmente na Índia e mais infecciosa que as demais.

Foto:Fran Boloni/Unsplash

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.