Tag ministério da saúde - Por dentro do RN

ministério da saúde

Ministério da Saúde promove ação de vacinação contra a covid-19 na região Norte

Ministério da Saúde promove ação de vacinação contra a covid-19 na região Norte

Ação de vacinação ocorre em todas as capitais da região Norte do Brasil; confira os endereços no final da notícia.

O Ministério da Saúde promove, neste sábado (22.jan.2022), uma ação de vacinação contra a covid-19 na região Norte do Brasil. A iniciativa acontece nos sete estados da região, simultaneamente, à partir das 11 horas (horário de Brasília).

Além da estimular a população do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins a completar o ciclo de imunização contra o novo coronavírus, a iniciativa também promoverá a realização de testes como forma de identificar novos casos da doença.

As autoridades sanitárias recomendam que as pessoas com mais de 18 anos de idade que receberam as vacinas da Pfizer, AstraZeneca e CoronaVac tomem uma dose de reforço quatro meses após a última dose do esquema vacinal primário. A vacina a ser utilizada para a dose de reforço deve ser, preferencialmente, da plataforma de RNA mensageiro (Pfizer/Wyeth). Na falta deste imunizante, podem ser usadas as vacinas de vetor viral (Janssen ou AstraZeneca), independentemente do esquema vacinal primário.

Segundo o ministério, a maior região do país em termos territoriais foi escolhida em função de contar com cerca de 15 milhões de pessoas acima de 12 anos aptas a receberem as vacinas e por fazer fronteira com outros países. De acordo com a pasta, aproximadamente 1,8 milhão de pessoas da região podem tomar a dose de reforço ainda este mês.

“Todos nossos esforços estão voltados em ampliar a cobertura da segunda dose e da dose de reforço. Mesmo com a estrutura poderosa do SUS [Sistema Único de Saúde], a região é um desafio por ter dimensões continentais e áreas remotas”, destacou, em nota, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que participará, presencialmente, da mobilização em Manaus, enquanto os secretários nacionais de Saúde representarão a pasta nas outras seis capitais.

O evento acontece nos seguintes endereços:

Belém (PA)
UBS Portal da Amazônia — Rua Osvaldo de Caldas Brito, 39, Jurunas

Boa Vista (RR)
Mini Terminal Luiz Canuto Chaves — Avenida Capitão Ene Garcez, Centro

Macapá (AP)
Espaço da Igreja Jesus de Nazaré — Rua Leopoldo Machado, Jesus de Nazaré

Manaus (AM)
Sambódromo da Arena — Centro de Convenções de Manaus, Avenida Pedro Teixeira, 2565, Bairro Dom Pedro

Palmas (TO)
Espaço Cultural José Gomes Sobrinho — Área Verde 302 Sul, Av. Joaquim Teotônio Segurado, s/n, Plano Diretor Sul

Porto Velho (RO)
Centro de Referência para o Atendimento às Mulheres Vítimas de Violência Doméstica (Creas Mulher) — Rua Venezuela 2360, Embratel

Rio Branco (AC)
Centro de Saúde Barral Y Barral Policlínica – Travessa São Lázaro, s/n, Conjunto Tangará.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Pfizer vai antecipar 600 mil doses da vacina contra a covid-19 para crianças

Pfizer vai antecipar 600 mil doses da vacina contra a covid-19 para crianças

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta segunda-feira (10.jan.2022) ter conseguido antecipar 600 mil doses da vacina da Pfizer contra a covid-19 para crianças. Ao defender a forma como o governo tem conduzido o combate à pandemia, Queiroga disse que a fabricação ou a importação de doses de vacina só podem ser feitas após a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Caso contrário, a situação configuraria crime sanitário, disse o ministro.

“Conseguimos antecipar com a Pfizer mais 600 mil doses da vacina para crianças agora no mês de janeiro. Então serão 4,3 milhões de doses de vacina”, informou Queiroga nesta manhã ao passar pela portaria do ministério.

Segundo ele, o trâmite para aquisição e distribuição de vacinas no país é satisfatório, se comparado a outros países. “A indústria farmacêutica só pode deflagrar produção de doses após o aval da agência regulatória [Anvisa]. Então doses não aprovadas pela agência regulatória não podem adentrar no país, sob pena de caracterizar até mesmo crime sanitário”, argumentou o ministro.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Paul Hennessy / SOPA Images/Sipa USA

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Anvisa aprova e Brasil terá vacina contra a covid-19 com produção 100% nacional

Anvisa aprova e Brasil terá vacina contra a covid-19 com produção 100% nacional

Pela primeira vez desde o início da pandemia, o Brasil terá uma vacina contra a covid-19 com produção 100% nacional.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) da vacina da AstraZeneca contra a covid-19 fabricado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). A aprovação por parte da agência ocorreu nesta sexta-feira (7.jan.2022). O produto é indispensável à produção do imunizante contra a covid-19 da Fiocruz/Oxford/AstraZeneca.

Agora, o Brasil passará a ter, pela primeira vez, uma vacina 100% nacional contra o novo coronavírus, com todas as etapas de produção realizadas no País. As primeiras doses já deverão ser entregues ao Ministério da Saúde em fevereiro. “A previsão é que as primeiras doses do imunizante sejam envasadas ainda em janeiro e entregues ao Ministério da Saúde em fevereiro, assim que forem concluídos os testes de controle de qualidade que ocorrem após o processamento final da vacina”, informou a Fiocruz.

Até então, o “ingrediente” da vacina, o IFA, era importado. No ano passado, a Fiocruz chegou a atrasar a entrega de lotes de vacina por falta do IFA.

Foto: Reuters/Sergio Perez/Direitos Reservados

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério da Saúde detalha vacinação contra a covid-19 para crianças de 5 a 11 anos; prescrição médica está dispensada

Ministério da Saúde detalha vacinação contra a covid-19 para crianças de 5 a 11 anos; prescrição médica está dispensada

O ministério da Saúde divulgou as regras para a vacinação das crianças de 5 a 11 anos. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (5.jan.2022). A pasta dispensou a obrigatoriedade de prescrição médica para a imunização dessa faixa etária. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem cerca de 20,5 milhões de crianças entre 5 e 11 anos.

De acordo com ministério da Saúde, a vacinação se dará da seguinte maneira:

  • a vacinação será feita em ordem decrescente de idade (das crianças mais velhas para as mais novas), com prioridade para quem tem comorbidade ou deficiência permanente;
  • a autorização por escrito só será necessária se não houver pai, mãe ou responsável presente no momento em que a criança for vacinada;
  • o Ministério da Saúde orienta que os pais “procurem a recomendação prévia de um médico antes da imunização” – mas não exigirá prescrição médica para aplicar a vacina;
  • a primeira e a segunda dose serão aplicadas com intervalo de oito semanas.

O responsável pela pasta, Marcelo Queiroga, afirmou que a vacina é segura e falou sobre a eficácia da vacina pediátrica da Pfizer. O imunizante é aplicado em dose menor que a dos adultos. Segundo Queiroga, a vacina já foi testada por agências internacionais.

“Isso foi testado através de ensaios clínicos e já logrou aprovação em agências sanitárias respeitáveis, a exemplo do FDA [agência dos Estados Unidos], da Agência Europeia de Medicamentos, e agora teve o aval da Anvisa. Portanto, a Anvisa atestou a segurança regulatória”, afirmou o ministro.

Foto: Reprodução/Sumaia Villela/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Consulta pública realizada pelo Ministério da Saúde rejeita prescrição médica para vacinar crianças de 5 a 11 anos

Consulta pública realizada pelo Ministério da Saúde rejeita prescrição médica para vacinar crianças de 5 a 11 anos

O resultado da consulta pública realizada pelo Ministério da Saúde sobre a vacinação em crianças de 5 a 11 anos de idade mostrou que a maioria se manifestou contrária à necessidade de apresentar prescrição médica para vacinação, e não concordou com a obrigatoriedade da vacina.

“Tivemos 99.309 pessoas que participaram neste curto intervalo de tempo em que o documento esteve para consulta pública, sendo que a maioria se mostrou concordante com a não compulsoriedade da vacinação e a priorização das crianças com comorbidade. A maioria foi contrária à obrigatoriedade da prescrição médica no ato de vacinação”, anunciou a secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 do Ministério da Saúde, Rosane Leite de Melo.

A secretária informou que a pasta apresentará hoje (5.jan.2022) um documento com o posicionamento a respeito da vacinação de crianças e adolescentes. Disponível por 11 dias, a consulta pública colocou em discussão a inclusão de crianças no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a covid-19.

O ministério tem se posicionado a favor de que a vacinação de crianças de 5 a 11 anos de idade ocorra mediante a apresentação de prescrição médica e o consentimento dos pais.

Rosane Leite de Melo disse que o ministério também deve se posicionar para que a vacinação seja realizada obedecendo a uma ordem. Os primeiros a se vacinar seriam as crianças de 5 a 11 anos de idade com deficiência permanente ou comorbidades e crianças que vivam em lar com pessoas em alto risco para a evolução grave da covid-19.

Na sequência se vacinam as crianças sem comorbidades. Primeiro as de 10 e 11 anos de idade, depois as de 8 e 9 anos de idade, em seguida as de 6 e 7 anos de idade, e, por fim, as de 5 anos de idade.

“Em todos os casos será exigida a prescrição médica e a autorização dos pais ou responsáveis, mediante assinatura de termo de assentimento. As vacinas devem ser aplicadas seguindo fielmente as recomendações da Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária]”, ressaltou a secretária.

A vacinação em crianças de 5 a 11 anos de idade foi liberada pela Anvisa há duas semanas. A agência reguladora autorizou a aplicação da vacina da Pfizer.

Na segunda-feira (3.jan.2022), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que as doses para crianças de 5 a 11 anos de idade devem começar a chegar ao Brasil na segunda quinzena de janeiro. O laboratório Pfizer, fabricante do imunizante, confirmou o prazo previsto pela pasta.

Audiência

Pouco antes do início da audiência, a Anvisa informou ao Ministério da Saúde que não participaria dos debates. No documento enviado ao ministério, a agência disse que já se manifestou a favor da imunização para crianças de 5 a 11 anos de idade e que seu posicionamento é público.

O representante da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Marco Aurélio Sáfadi, defendeu a prioridade na vacinação de crianças na faixa etária proposta. Segundo o médico, os dados mostram que, apesar do número de óbitos de crianças em decorrência da doença seja menor do que em relação a população adulta, as crianças têm mais chances de morrer quando estão internadas. Sáfadi disse que até o momento há o registro de 34 mil hospitalizações nesse grupo e que a taxa de mortalidade para quem foi hospitalizado ficou em torno de 14%.

“A cada 15 crianças hospitalizadas com covid-19, uma delas, infelizmente, acabava sendo vitimada com covid-19. Boa parte das que sobreviveram ficaram com sequelas cognitivas, respiratórias, cardiovasculares, além do impacto que essa doença traz”, disse.

Segundo o médico, os estudos evidenciam que a vacinação para essa faixa traz mais benefícios que riscos, prevenindo as hospitalizações em até 93%.

“Todas as vacinas ate hoje utilizadas realizaram um papel fundamental naquilo que é um objetivo precípuo da vacinação, que é prevenir hospitalizações e complicações da doença. Foi a isso que se propuseram as iniciativas de implantação dos programas de vacinas. Claro que elas reduzem também transmissão e riso de infecção, mas em patamares diferentes”, argumentou.

Contra

O representante da Comissão de Constituição e Justiça (CJJ) da Câmara dos Deputados, o médico imunologista Roberto Zeballos questionou a necessidade de inclusão das crianças nessa faixa etária no Programa Nacional de Imunizações (PNI). Segundo Zeballos, os números da covid-19 mostram que o país já passou pela situação de emergência, o que, segundo ele, não justificaria o uso da vacina, uma vez que os imunizantes foram aprovados pela Anvisa para uso emergencial.

O médico questionou ainda a eficácia da vacina contra a nova variante do coronavírus, a Ômicron. “No presente momento, para o Brasil não existe momento para usar a vacina emergencial. Como é que uma vacina emergencial é dada em uma situação que não tem emergência”, disse.

A médica Roberta Lacerda de Miranda Dantas, que também representou a CCJ da Câmara dos Deputados na audiência, questionou os resultados das pesquisas do uso de imunizantes nas crianças de 5 a 11 anos de idade. De acordo com Roberta, o uso da vacina pode trazer mais riscos que benefícios, com a possibilidade de risco de miocardite, uma das sequelas da doença, para as crianças imunizadas.

“No grupo de crianças que estão entre 5 e 11 anos meninos, a chance de evoluir em miocardite é de 179 a cada milhão de casos”, disse. “Ainda que não se tenha nenhum óbito relatado por miocardite, é importante frisar que esse estudo acompanhou crianças por apenas dois meses”, acrescentou.

A favor

Para a representante da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIM), Isabella de Assis Martins Ballalai, o momento é de vacinação das crianças. A médica disse que mesmo que os números indiquem que a variante Ômicron seja menos letal, não deve ser desprezada.

“A covid-19, graças à vacinação, deixou de ter o impacto de hospitalizações e mortes que teve desde o início da pandemia, e estamos vivendo isso. Mas a gente não pode menosprezar uma nova variante, a Ômicron se mostra com uma incidência menor de hospitalizações e mortes, mas principalmente em pessoas vacinadas. Não é que ela é mais leve e não preocupa”, alertou.

A médica lembrou que as crianças foram muito prejudicadas pela pandemia, com o fechamento das escolas e as medidas de isolamento social.

“Elas ficaram sem escola, não foram vacinados, eles não podiam sair porque nós adultos estávamos morrendo, e agora que nós adultos não morremos mais porque estamos vacinados, nós levamos eles para o parque, para a [vida] social, na nossa flexibilização. Eles não têm direito a vacina?”, questionou.

O médico da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Jose Davi Urbaez Brito, também defendeu a inclusão dessa faixa etária no PNI como prioridade. Brito disse que a faixa etária de 5 a 11 anos de idade foi deixada de lado no planejamento do programa de vacinação, devido ao um “erro” de comparar a evolução da covid-19 em crianças com a evolução nos adultos, e que o certo seria comparar com doenças da própria faixa etária, o que demonstraria a importância da inclusão do grupo no PNI, devido ao caráter de imunização coletiva da vacinação.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério da Saúde anuncia a aplicação da quarta dose da vacina em pacientes com baixa imunidade

Ministério da Saúde anuncia a aplicação da quarta dose da vacina em pacientes com baixa imunidade

O Ministério da Saúde confirmou, através de nota técnica divulgada nesta segunda-feira (20.dez.2021), a aplicação de uma quarta dose em pacientes imunossuprimidos. Com isso, os pacientes com baixa imunidade receberão a quarta dose da vacina. Segundo a pasta, o intervalo também será de quatro meses, contados a partir do primeiro reforço.

Na nota, o ministério também anunciou a redução do prazo mínimo para a aplicação das doses de reforço vacinal contra a covid-19, que passa a ser de quatro meses a partir da aplicação da segunda dose.

De acordo com a pasta, são considerados pacientes imunossuprimidos e aptos a receberem a quarta dose:

  • os portadores de imunodeficiência primária grave;
  • quem está fazendo quimioterapia para câncer;
  • transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) uso de drogas imunossupressoras;
  • pessoas vivendo com HIV/AIDS;
  • pacientes em uso de corticóides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias;
  • pessoas que usam drogas modificadoras da resposta imune (o Ministério da Saúde divulga uma tabela com essas medicações);
  • pacientes com condições auto inflamatórias e doenças intestinais inflamatórias;
  • pacientes em hemodiálise;
  • pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas

A nota técnica foi assinada pela secretária Extraordinária de Enfrentamento á Covid-19 do Ministério da Saúde, Rosana Leite de Melo.

Foto: Ascom/SMS

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério da Saúde divulga comunicado alertando para golpes por e-mail

Ministério da Saúde divulga comunicado alertando para golpes por e-mail

Criminosos virtuais estão utilizando o argumento do envio do certificado de vacinação contra a covid-19 para aplicar golpes por e-mail.

O Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira (15.dez.2021) um comunicado alertando para golpes por e-mail utilizando como gancho o argumento de envio do certificado de vacinação contra a covid-19.

O Ministério ressalta que não disponibiliza esse tipo de comprovação por e-mail para nenhum usuário do Sistema Único de Saúde (SUS). A única forma de obter o certificado de vacinação para a covid-19 é por meio do aplicativo ConecteSUS ou de sua versão web.

Em razão da invasão na base de dados do Ministério da Saúde, o aplicativo ainda não está com a emissão de certificados normalizada. Em nota, a pasta informou que “está agindo para restabelecer o mais rápido possível os sistemas para registro e emissão dos certificados de vacinação”, mas não informou quando o serviço estará disponível novamente.

O aplicativo ConecteSUS pode ser baixado em qualquer loja de app, como Play Store ou Apple Store. Nele, o cidadão que se cadastrar pode acessar os dados de vacinação, incluindo o exigido no contexto da pandemia do novo coronavírus (covid-19) por alguns estabelecimentos. O certificado fica disponível apenas para quem completar o ciclo vacinal.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério da Saúde afirma que recuperação de dados do ConecteSUS foi concluída

Ministério da Saúde afirma que recuperação de dados do ConecteSUS foi concluída

O Ministério da Saúde divulgou nota no início da tarde deste domingo (12) em que afirma que que o processo de recuperação dos registros dos brasileiros vacinados contra a covid-19 foi finalizado, sem perda de informações. “Todos os dados do ConecteSUS foram recuperados com sucesso”, diz a nota.

Segundo a pasta, equipes trabalham para restabelecer o mais rápido possível os sistemas para registro e emissão dos certificados de vacinação. Vários sistemas já foram restabelecidos e a expectativa é que os outros estejam disponíveis para a população ainda nessa semana.

A pasta elaborou uma página com alternativas para a emissão temporária do comprovante de vacinação contra a covid-19.

Entenda o caso

Na madrugada da última sexta-feira (10.dez.2021), o site do Ministério da Saúde e a página e o aplicativo do ConecteSUS, que fornece o Certificado Nacional de Vacinação Covid-19, foram invadidos por hackers. A página do ministério já voltou a funcionar, mas ainda não é possível acessar os dados sobre a vacina contra covid-19.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Leia mais:

Ministério da Saúde diz que ConecteSUS será reestabelecido nesta semana

Ministério da Saúde diz que ConecteSUS será reestabelecido nesta semana

De acordo com uma nota do Ministério da Saúde, vários sistemas do ConecteSUS que foram temporariamente comprometidos com o ataque hacker causado na madrugada desta sexta-feira (10.dez.2021) já foram restabelecidos e a expectativa é que os outros estejam disponíveis para a população nesta semana.

A pasta disse que está atuando com a máxima agilidade para restabelecer os serviços do ConecteSUS. O Ministério da Saúde, inclusive, elaborou uma página com alternativas para a emissão temporária do comprovante de vacinação contra a covid-19.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério da Saúde publica portaria que amplia atendimento a doenças cardíacas

Ministério da Saúde publica portaria que amplia atendimento a doenças cardíacas

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, assinou, na manhã de ontem (7.dez.2021), em evento no Hospital do InCor, na capital paulista, portaria que amplia a Linha de Cuidado do Infarto Agudo do Miocárdio. De acordo com o ministro, o controle epidemiológico da pandemia de covid-19 fez com que as doenças cardíacas voltassem à liderança entre as principais causas de morte entre os brasileiros. Segundo ele, o novo coronavírus impactou, ainda, no aumento desse tipo de enfermidade.

Com a assinatura da portaria, a linha de cuidado de atenção para doenças do coração contempla inovações que já existem, como o tratamento pré-hospitalar. “Já existia, mas não funcionava de maneira adequada. Vamos ampliar em três vezes o investimento em trombolitíco [medicamento para dissolver coágulos]”, esclareceu o ministro.

Além disso, a rapidez no atendimento aos pacientes será priorizada. “Ainda tem pacientes que chegam aos hospitais tardiamente, mesmo que o hospital tenha logística [para atendimento]”, disse. Serão criados novos leitos coronarianos e uma parceria com as universidades públicas vai permitir que especialistas auxiliem, por telecardiologia, os médicos em atendimento.

Outra correção feita pelo ministério foi realinhamento de preços dos materiais usados. “É um dever do ministro corrigir essas distorções e realocar os recursos de maneira apropriada”, disse Queiroga.

O presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Celso Amodeo, avaliou que a portaria “é um marco dentro do atendimento”, disse ele. “O projeto vem para uniformizar o atendimento básico”, acrescentou. O médico explicou que quanto mais precoce a intervenção médica na doença, menor a chance de óbito.

Para o presidente do conselho diretor do InCor, Roberto Kalil Filho, a pandemia foi uma tragédia com milhares de vítimas, mas o infarto também é alta causa de mortes por doenças cardíacas há décadas. “Um programa como este salvará milhares de vidas”, disse.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Pfizer entrega mais 1,5 milhão doses da vacina contra a covid-19 ao Brasil

Pfizer entrega mais 1,5 milhão doses da vacina contra a covid-19 ao Brasil

O país recebeu mais 1,5 milhão de doses do imunizante da Pfizer, que chegaram nesta segunda-feira (6) no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP). De acordo com o Ministério da Saúde, a distribuição será feita de maneira proporcional e igualitária, depois de acordo entre União, estados e municípios.

Nos últimos cinco dias, o Brasil recebeu mais de 10 milhões de doses do imunizante produzido pelo laboratório. Dos mais de 310 milhões de doses aplicadas em todo o país, cerca de 153 milhões são da Pfizer.

O contrato em andamento com a farmacêutica prevê a entrega de 100 milhões de doses. Ao desembarcarem, os imunizantes passam por um processo de checagem de qualidade.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Divulgação/UPS

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério da Saúde já confirmou cinco casos da variante Ômicron no Brasil

Ministério da Saúde já confirmou cinco casos da variante Ômicron no Brasil

O Ministério da Saúde (MS) já confirmou cinco casos da variante Ômicron no Brasil: três estão em São Paulo e dois no Distrito Federal. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (2.dez.2021) pela pasta, que informou que se tratam de quatro homens e uma mulher, todos vacinados contra a covid-19. Segundo o MS, eles estão isolados e pelo menos um apresenta sintomas leves. A maioria está assintomática.

O MS informou ainda que investiga mais oito casos suspeitos da variante Ômicron no Brasil, sendo um em Minas Gerais, um no Rio de Janeiro e seis no Distrito Federal.

Em nota, o ministro Marcelo Queiroga informou que a pasta está atenta a situação: “Hoje, temos uma situação sanitária bem mais equilibrada, mas lidamos com a imprevisibilidade biológica desse vírus, que sofre mutações. A vigilância em saúde está atenta e atuante pra que essas variantes sejam identificadas e pra que se avalie o potencial dessa variante complicar o cenário pandêmico”, afirmou.

Foto: NIAID

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

16 municípios potiguares recebem R$ 4 milhões da Sesap/RN para a prevenção do câncer

16 municípios potiguares recebem R$ 4 milhões da Sesap/RN para a prevenção do câncer

Para fortalecer o acesso às ações integradas para rastreamento, detecção e diagnóstico precoce dos cânceres de mama e colo do útero, a Secretaria de Estado da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap/RN) repassou, no último dia 18 de novembro, o valor de R$ 4.667.846,19. Os recursos foram distribuídos para 16 municípios do Rio Grande do Norte.

Os valores fazem parte do incentivo financeiro do Ministério da Saúde e foram divididos a partir de deliberação entre Sesap/RN e gestões municipais em reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB). Para a distribuição dos recursos a área técnica de Doenças e Agravos Não-Transmissíveis da Sesap realizou consulta aos municípios sobre a execução dos recursos financeiros.

Receberam o incentivo os municípios de Natal, Parnamirim, São Gonçalo do Amarante, Goianinha, São José de Mipibu, Mossoró, Apodi, Ceará- Mirim, João Câmara, Caicó, Currais Novos, Jucurutu, Parelhas, Santa Cruz, Pau dos Ferros e Alexandria.

Através de pactuação entre o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do RN (Cosems-RN) e Sesap, os recursos financeiros foram distribuídos aos municípios que realizam os procedimentos de rastreamento dos cânceres de colo de útero e mama, nos exames citopatológico cérvico-vaginal/microflora-rastreamento e mamografia bilateral de rastreamento. Os demais procedimentos serão custeados com recurso financeiro já existente na Programação Pactuada Integrada de Assistência (PPI).

Foto: Divulgação/Sesap

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Em reunião com municípios potiguares, Governo do RN discute melhorias no financiamento da saúde

Em reunião com municípios potiguares, Governo do RN discute melhorias no financiamento da saúde

A atenção primária é vital para o funcionamento da saúde pública, pois é por meio dela que se faz um acompanhamento mais próximo das pessoas em todos os municípios do Brasil. Por isso, o Governo do RN, por meio da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN), reuniu nesta terça-feira (23.nov.2021) gestores de todos os 167 municípios para discutir o financiamento e a gestão da informação da atenção primária em saúde (APS) por meio do programa Previne Brasil.

O encontro visa fortalecer a estrutura do SUS no Rio Grande do Norte, em uma parceria que envolve Governo/Sesap, Ministério da Saúde e os conselhos estaduais de Saúde e de Secretários Municipais de Saúde (Cosems/RN) e os nacionais de Secretários de Saúde (Conass) e de Secretários Municipais de Saúde (Conasems).

“Toda iniciativa para fortalecer o SUS é importante e terá nosso apoio. Uma atenção primária forte representa uma saúde pública de qualidade para todos e todas, como exemplo temos que saudar todo o trabalho de quem salvou vidas na pandemia e agora está empenhado na vacinação contra a covid-19”, afirmou a governadora Fátima Bezerra, que participou da abertura do evento.

Em reunião com municípios potiguares, Governo do RN discute melhorias no financiamento da saúde
Foto: Divulgação/Pedro Lúcio Carvalho

A oficina é promovida para aprimorar a conexão dos municípios com as ferramentas do Previne, em especial a partir da qualificação das informações de indicadores de saúde inseridas no sistema implantado pelo ministério no fim de 2019. Assim, os municípios obtém repasses que garantem funcionamento de unidades básicas e o programa de Saúde da Família, por exemplo.

“A Sesap/RN está apostando no fortalecimento de uma política de educação permanente da atenção primária e um apoio direto aos municípios por meio das Unidades Regionais de Saúde. O evento de hoje coopera com essa qualificação, que quando ocorre traz uma resolutividade maior, evita agravamento de casos e o encaminhamento para a atenção especializada. É preciso ainda aumentar o financiamento para ampliar o acesso, qualificar a infraestrutura e melhorar as equipes. Vamos sair daqui mais fortalecidos na qualificação do SUS”, destacou o secretário de Estado da Saúde Pública, Cipriano Maia.

Em reunião com municípios potiguares, Governo do RN discute melhorias no financiamento da saúde
Foto: Divulgação/Pedro Lúcio Carvalho

Ao longo do dia, as equipes da Sesap/RN e do Ministério da Saúde e os gestores discutindo as melhorias e trocando informações a respeito de experiências exitosas que já ocorrem no RN. O Previne trabalha com frentes de financiamento por quantidade de pessoas atendidas e também pela qualificação de indicadores relacionados à cobertura de imunização, índices de mortalidade infantil, saúde bucal, saúde da mulher e outros. “Esse é o momento de aprimorar a atenção primária para o momento pós-pandemia, por meio de um trabalho conjunto na troca de informações e experiências”, pontuou Maria Eliza Garcia, presidente do Cosems/RN.

Foto: Divulgação/Pedro Lúcio Carvalho

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Mais de um 1 milhão de doses da vacina da Janssen chegam ao Brasil; contrato prevê 38 milhões até dezembro

Mais de um 1 milhão de doses da vacina da Janssen chegam ao Brasil; contrato prevê 38 milhões até dezembro

O Ministério da Saúde anunciou a chegada de mais 1 milhão de doses da farmacêutica estadunidense Janssen contra a covid-19. O volume é parte do total de 38 milhões de vacinas encomendadas pelo órgão até o fim de 2021. Nos próximos dias, estados e Distrito Federal receberão as remessas.

A programação é que seja feita a entrega de 7,8 milhões em novembro e 28,4 milhões da Janssen em dezembro. Em junho, o Brasil recebeu 1,5 milhão de vacinas. Após doação feita pelos Estados Unidos, o total recebido chega a mais 3 milhões de doses do laboratório.

O ministério informou que foram aplicadas, até o momento, 297,1 milhões de doses contra a covid-19. Mais de 157 milhões de pessoas receberam a primeira dose, o que representa, segundo o órgão, 90% do público-alvo da campanha. Outros 127,9 milhões já completaram o esquema vacinal com duas doses, o equivalente a 72,3% da população a ser atingida.

Para 2022, o governo federal prevê a utilização de 350 milhões de doses.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério da Saúde anuncia segunda dose para quem se imunizou com Janssen

Ministério da Saúde anuncia segunda dose para quem se imunizou com Janssen

As pessoas que tomaram a vacina da Janssen, da farmacêutica Johnson & Johnson, precisarão tomar uma segunda dose do imunizante. O anúncio foi feito nesta terça-feira (16.nov.2021) pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Segundo Queiroga, a aplicação deverá ser feita dois meses após a primeira dose e o reforço para as pessoas que já tomaram o imunizante será feito cinco meses após o esquema vacinal completo.

Ainda de acordo com Queiroga, a quantidade de vacinas da Janssen aplicadas no Brasil foi pequena e há imunizantes suficientes para a segunda dose de todos. “No início, a recomendação era que essa vacina fosse de dose única. Hoje, nós sabemos que é necessária essa proteção adicional. Esses que tomaram a vacina da Janssen vão tomar a segunda dose do mesmo imunizante. “Lá na frente, a sequência é: completou 5 meses da segunda dose, receberá uma dose de reforço, preferencialmente, com a vacina diferente, uma vacinação heteróloga”, explicou o ministro.

Foto: Reprodução/Miva Filho

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

O Ministério da Saúde negocia a compra de 40 milhões de doses da vacina contra covid-19 para imunizar crianças de 5 a 11 anos

Ministério da Saúde negocia 40 milhões de vacinas da Pfizer para imunizar crianças de 5 a 11 anos

O Ministério da Saúde negocia a compra de 40 milhões de doses da vacina contra covid-19 para imunizar crianças de 5 a 11 anos no Brasil. As conversas com a farmacêutica estão em estágio avançado, e ocorrem antes mesmo da autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o uso da vacina na faixa etária. Contudo, os imunizantes só serão entregues com o aval do órgão.

Na sexta-feira (12.nov.2021), a Pfizer protocolou na Anvisa o pedido para o uso da vacina em crianças de 5 a 11 anos. A autorização já foi concedida nos Estados Unidos. Agora, a agência tem prazo de um mês para analisar o pedido.

Foto: Reprodução/Ministério da Saúde

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

SOS de Ponta Ministério da Saúde anuncia investimento de R$ 14 milhões para qualificar atendimentos de urgência

SOS de Ponta: Ministério da Saúde anuncia investimento de R$ 14 milhões para qualificar atendimentos de urgência

O Ministério da Saúde anunciou hoje (18.out.2021) o investimento de R$ 14 milhões na criação de 10 mil vagas para o Programa SOS de Ponta. De acordo com a pasta, o investimento será para à qualificação de profissionais da saúde para realizarem atendimentos de urgência e emergência em suas unidades de saúde.

“Vivemos hoje situação de emergência na saúde pública internacional. Nosso país teve mais de 600 mil óbitos decorrentes da covid-19. A grande lição dessa pandemia é o fortalecimento do sistema de saúde no Brasil”, disse o ministro Marcelo Queiroga durante a cerimônia de lançamento do Programa.

Na avaliação de Queiroga, o sistema de saúde tem, atualmente, “posição confortável” para atender aqueles que, com síndrome respiratória grave, necessitam de unidades de terapia intensiva (UTIs). “Hoje trazemos essa ação SOS de Ponta porque sabemos que, nas urgências e emergências, é que existe o risco maior de morte, e precisamos qualificar melhor aqueles que estão na ponta para atende a essas situações”, considera o ministro.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério anuncia que 300 milhões de doses de vacina foram distribuídas

Ministério anuncia que 300 milhões de doses de vacina foram distribuídas

O Ministério da Saúde anunciou que atingiu a marca de 300 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 distribuídas para todos os estados do país e o Distrito Federal. O anúncio foi feito na noite da última sexta-feira (1), e a pasta classificou a campanha de vacinação contra o novo coronavírus como a maior da história do país.

Segundo a pasta, com a distribuição de 300 milhões de doses, estima-se que mais de 55% da população adulta já recebeu a segunda dose ou dose única da vacina. Além disso, mais de 93% da população adulta foi vacinada com a primeira dose.

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Brasil recebe mais 2 milhões de doses da Pfizer

Brasil recebe mais 2 milhões de doses da Pfizer

O Brasil recebeu mais 2 milhões de doses da vacina da Pfizer contra a covid-19 neste domingo (26), de acordo com o Ministério da Saúde. A pasta informou que o carregamento foi entregue no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), e, de acordo com a pasta, das mais de 287 milhões de doses distribuídas aos estados, 75,9 milhões são da Pfizer.

O vacinômetro do ministério aponta que 229 milhões de doses foram aplicadas em todo o país, sendo que 143,9 milhões foram destinadas para aplicação da primeira dose e 85,2 milhões são de segunda dose ou única.

Foto: Sérgio Bernardo

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Rio Grande do Norte recebe lote com 17.550 doses de vacina da Pfizer

Rio Grande do Norte recebe lote com 17.550 doses de vacina da Pfizer

Mais um lote com vacinas contra a Covid foi recebido pelo Rio Grande do Norte na tarde de ontem (15). 17.550 doses do imunizante da Pfizer chegaram ao estado, e serão destinados para dar continuidade à campanha de vacinação da população. Além disso, há expectativa da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) que chegue ao estado nesta quinta-feira (16) um lote com 28 mil doses de AstraZeneca/Fiocruz, de acordo com sinalização do Ministério da Saúde.

De acordo com a pasta, o carregamento de hoje será destinado para aplicação como segunda dose. A secretaria informou alguns municípios relataram a falta de estoque para concluir o esquema vacinal de quem tomou AstraZeneca. Por isso, houve uma nova orientação da pasta para o retorno ao prazo de 90 dias para a segunda dose.

Ainda de acordo coma Sesap, o RN também aguarda do Ministério da Saúde o envio de um lote com doses que serão utilizadas para o reforço na proteção contra a Covid entre idosos de até 70 anos e imunossuprimidos.

Foto: Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério da Saúde publica nota e desautoriza a vacinação de adolescentes sem comorbidades; Natal já havia suspendido

Ministério da Saúde publica nota e desautoriza a vacinação de adolescentes sem comorbidades; Natal já havia suspendido

O Ministério da Saúde publicou uma nota informativa, na noite desta quarta-feira (15), na qual recomenda a suspensão da vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos sem comorbidades. Segundo o texto, a orientação segue a Organização Mundial da Saúde (OMS) que não recomenda o uso da vacina em jovens com ou sem comorbidades. Ainda de acordo com a nota, os testes de eficácia neste público não é comprovada, além de que os casos cujos quadros evoluem para gravidade em adolescentes são raros.

O documento foi assinado eletronicamente pela secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, Rosana Leite de Melo, e contraria nota do próprio Ministério, do dia 2 de setembro, que orientava a imunização dos jovens entre 12 e 17 anos. Com a nova orientação, a vacinação deve ficar restrita a três perfis específicos: adolescentes com deficiência permanente; adolescentes com comorbidades; e adolescentes que estejam privados de liberdade.

Natal suspendeu vacinação

Natal foi a segunda capital brasileira a suspender a vacinação dos adolescentes sem comorbidades após a publicação de uma nota técnica do Ministério da Saúde. A confirmação foi feita pela Prefeitura da capital potiguar, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), e anunciada no início da manhã de hoje, quando estava marcado o início da imunização de adolescentes com 17 anos sem comorbidades na cidade.

Além de Natal, a primeira capital a também suspender a imunização foi Salvador, que segundo o secretário municipal de Saúde, Léo Prates, a decisão também foi tomada respaldada pela orientação do Ministério. A imunização já havia iniciado na capital da Bahia, em alguns postos e há relatos de pessoas que aguardavam nas filas e foram informadas que a vacinação estava suspensa.

Em Natal, a vacinação segue ocorrendo para adolescentes com comorbidades e o público-geral a partir dos 18 anos.

Foto: Gabriel Moreira/Secom Maceió

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Tibau do Sul busca recursos em Brasília junto ao Ministro da Saúde e parlamentares potiguares

Em busca de mais recursos para o município de Tibau do Sul, a secretária de Saúde, Leide Costa, esteve participando de uma audiência com o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em Brasília, além de visitar os gabinetes do deputado federal, General Girão, do senador Styvenson e da senadora Zenaide. A viagem à capital federal aconteceu nos dias 9 e 10 deste mês.

Na audiência com o Ministro Marcelo Queiroga, Leide Costa solicitou a ampliação, reforma e equipamentos para a Unidade Mista de Saúde do hospital em Tibau do Sul.

Em reunião com o General Girão, a Secretária de Saúde agradeceu a emenda encaminhada, e aprovada para o município, no valor de R$ 100 mil para incremento do Piso da Atenção Básica – PAB. O deputado se prontificou, que ainda este ano, vai conseguir mais emendas para o município. No gabinete do senador Styvenson, foi protocolado uma solicitação de cirurgias oftalmológicas, serão 50 cirurgias de catarata realizadas.

Tibau do Sul busca recursos em Brasília junto ao Ministro da Saúde e parlamentares potiguares

Em reunião com a senadora Zenaide, a Secretária solicitou a construção de uma Unidade Básica de Saúde, no centro de Tibau do Sul. O município já recebeu R$ 500 mil através de emendas enviadas pela Senadora Zenaide, destinadas para Saúde.

Estamos buscando mais recursos para garantir um serviço de Saúde de qualidade para nossa população”, explicou Leide Costa.

Fotos: Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Aplicação da segunda dose já é predominante no Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde

Aplicação da segunda dose já é predominante no Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde

Pela primeira vez desde o início de maio, a aplicação da segunda dose das vacinas contra a Covid-19 foi predominante no Brasil, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Segundo a pasta, é apenas a quarta vez que isso ocorre e a primeira em um contexto de vacinação com a primeira dose avançada no País, o que indica uma nova fase da campanha de imunização.

O ministério explica que, além da entrega de vacinas, o avanço da aplicação da segunda dose de imunizantes contra a Covid-19 no Brasil também envolve uma série de outros fatores: desde a realização de campanhas publicitárias para conscientização até a busca ativa de quem não tiver retornado para completar o esquema vacinal.

Foto: Reprodução/Ascom/Hemoal

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Em depoimento à CPI, motoboy Ivanildo Gonçalves confirma que sacou até R$ 400 mil em dinheiro vivo para a VTCLog; empresa é suspeita de esquema com Ministério da Saúde

Em depoimento à CPI, motoboy Ivanildo Gonçalves confirma que sacou até R$ 400 mil em dinheiro vivo para a VTCLog; empresa é suspeita de esquema com Ministério da Saúde

Durante depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid nesta quarta-feira, 1º de setembro, o motoboy Ivanildo Gonçalves confirmou que fazia saques e pagamentos em dinheiro para a VTCLog. A empresa é suspeita de envolvimento em um esquema de corrupção no Ministério da Saúde.

De acordo com depoimento do entregador, o maior valor retirado de uma só vez foi de R$ 430 mil, saque ocorrido na agência da Caixa, no aeroporto de Brasília. O motoboy afirmou que, quando sobrava dinheiro após os pagamentos, ele devolvia à empresa, e segundo ele, nos últimos meses, os pagamentos que fazia em nome da empresa diminuíram. “Não lembro especificamente, mas mês passado paguei um boleto. Não estava quase tendo boleto para pagar”, afirmou.

De acordo com relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) em posse da CPI que investiga a VTCLog, responsável por fazer a logística com contratos e transportar insumos para o Ministério da Saúde, aparece o nome do motoboy, que foi convocado pela comissão como um “aparente intermediário em esquemas duvidosos da empresa VTCLog.

Ivanildo Gonçalves foi citado em relatório do Coaf, que identificou R$ 4 milhões em saques em espécie para a VTCLog, durante o período de janeiro a julho de 2018. A transportadora entrou na mira da comissão sob suspeita de novas irregularidades depois de relatórios da área técnica do Tribunal de Contas da União (TCU) apontarem o superfaturamento de R$ 16 milhões em contratos com o Ministério da Saúde.

Foto: Reprodução/Agência Senado

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Butantan entrega mais 10 milhões de doses da CoronaVac ao Programa Nacional de Imunizações

Butantan entrega mais 10 milhões de doses da CoronaVac ao Programa Nacional de Imunizações

O Programa Nacional de Imunizações recebeu hoje (30) mais 10 milhões de doses da CoronaVac, desenvolvida em uma parceria entre o Instituto Butantan e o laboratório chinês Sinovac. Essa foi a maior entrega do instituto ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), que tem contratos com o governo federal para o fornecimento total de 100 milhões de doses do imunizante.

Desde janeiro de 2021, o Butantan entregou 92,8 milhões de doses da vacina para serem distribuídas a todo o país pelo Ministério da Saúde, através do Programa Nacional de Imunização (PIN).

O primeiro contrato, que previa a entrega de 46 milhões de doses, foi concluído em maio. Desde então, o Butantan trabalha para fornecer as 54 milhões de doses estipuladas no segundo termo.

Foto: Suamy Beydoun/Estadão Conteúdo

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Adolescentes vacinados contra a Covid-19 chegam a 1 milhão

Adolescentes vacinados contra a Covid-19 chegam a 1 milhão no Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde

Balanço divulgado hoje (28) pelo Ministério da Saúde aponta que, até este sábado, mostra que número de adolescentes vacinados, entre os 12 e 17 anos, ultrapassou as um milhão de doses. Com o avanço da vacinação em adultos no Brasil, estados e municípios já começaram a imunizar o público dessa faixa etária.

A orientação da pasta é que a imunização dos adolescentes só seja iniciada depois que as cidades aplicarem a primeira dose em toda a população adulta. Outra recomendação é que os municípios apliquem a vacina da Pfizer, pois esse é o único imunizante com aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para vacinar esse público.

Segundo o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, até o dia 15 de setembro, o Brasil terá recebido outras 150 milhões de doses para imunizar toda a população adulta e, assim, avançar a vacinação para o público adolescente.

“São mais de 20 milhões de adolescentes entre 12 e 17 anos. Com a chegada de mais doses da Pfizer até o fim de setembro, teremos doses suficientes para distribuir imunizantes e vacinar, não só os adolescentes, mas também aplicar a dose de reforço nas pessoas com mais de 70 anos e imunossuprimidos. Mas é importante que os municípios concluam a vacinação dos adultos com a primeira dose”, disse, em nota, o secretário-executivo.

De acordo com Rodrigo Cruz, entre as razões para a escolha da Pfizer, estão ainda a conclusão das entregas das doses das vacinas CoronaVac e AstraZeneca. A previsão é que o Instituto Butantan conclua a entrega das 100 milhões de doses contratadas da CoronaVac até o fim do mês de agosto. Além disso, as doses da AstraZeneca a serem entregues pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) serão destinadas para a aplicação da segunda dose.

“Há ainda doses da Janssen a serem entregues ao Ministério da Saúde. Só que essas doses estão previstas para chegar em outubro. Dessa forma, as doses que teremos disponíveis para aplicar dose de reforço, bem como aumentar o número de adolescentes vacinados, serão as doses do imunizante da Pfizer”, afirmou o secretário.

Até o momento, o Ministério da Saúde distribuiu mais de 230 milhões de doses de vacina contra a covid-19. Dessas, mais de 187 milhões foram aplicadas, sendo 128,4 milhões em primeira dose, o que corresponde a 79,8 % da população adulta com ao menos uma dose de vacina. A pasta informou ainda que mais de 59 milhões de brasileiros já completaram o esquema vacinal, ou seja, 36,9 % da população-alvo.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Ilustração/Prefeitura de Itapevi

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Queiroga critica exigência de passaporte sanitário para comprovar vacinação

Queiroga critica exigência de passaporte sanitário para comprovar vacinação

Na avaliação do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a exigência de passaporte sanitário que comprove a imunização contra Covid-19 para que pessoas possam acessar determinados eventos ou locais ‘é descabida’. Para Queiroga, o mais importante é garantir a vacinação das pessoas, como vem fazendo o governo federal.

“A Constituição, no artigo 5°, tem como princípio fundamental a liberdade. A vacinação é uma política do governo federal que visa combater o caráter pandêmico da Covid-19. Agora mesmo, nós temos a vacina na primeira dose e na segunda dose. Então eles têm a vacina completa. E aí resolvemos fazer um reforço. Qual é o passaporte? Eu acho uma exigência descabida, na minha opinião. Totalmente descabida”, afirmou o ministro.

As declarações foram dadas durante visita do ministro com o presidente da República da Guiné-Bissau, general Umaro Sissoco Embalô, a uma clínica que trata doentes renais, no Rio de Janeiro. A declaração foi dada na saída do local a jornalistas. Segundo o ministro, o importante é haver protocolos de segurança para a população e realizar campanhas de vacinação.

“Agora no mês de agosto serão distribuídas 80 milhões de doses. No mês de setembro, no mínimo, 60 milhões de doses. No mês de setembro receberemos 50 milhões de doses da vacina Pfizer. Mais de 220 milhões de doses distribuídas à nossa população. Queda de 60% dos casos em dois meses. Queda de 58% dos óbitos em dois meses. Por que nós conseguimos isso? Porque nós atuamos de maneira conjunta com estados e municípios. De tal maneira que essas medidas pontuais que municípios lançam pouco ajudam ao enfrentamento à pandemia da Covid-19”, considerou Queiroga.

Perguntado como fazer para incentivar a população a se vacinar, Queiroga respondeu que uma das formas é aumentar a informação e não através de exigências de um passaporte sanitário.

“A população brasileira quer se vacinar. Uma das maneiras é a imprensa nos ajudar, como tem feito, informando bem a população. Passaporte não ajuda em nada. Tudo que é imposição, que é lei, o Brasil já tem um regulamento sanitário que é um dos mais avançados do mundo. Se você começar a restringir a liberdade das pessoas exigindo passaporte, carimbo, querer impor por lei uso de máscara, para estar multando as pessoas, indústria de multas, nós somos contra isso”, afirmou.

Segundo o ministro, o povo é livre e as pessoas devem fazer as coisas de acordo com sua consciência.

“Eu uso a máscara porque entendo que é importante, não é porque tem uma lei que se você não usar máscara vai lhe multar. A gente tem trabalhado fortemente para que as medidas não-farmacológicas sejam adotadas. Mas o principal aliado para por fim à pandemia é a vacinação. Não tem dúvida disso”, finalizou Queiroga.

Durante a visita, o ministro ofereceu apoio à Guiné-Bissau para implantar por lá a assistência para doentes renais crônicos com equipes, equipamentos e a expertise do SUS.

Com informações da Agência Brasil


Foto: Reprodução

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Rio Grande do Norte registra recorde no recebimento de vacinas pelo Ministério da Saúde; foram 556.020 doses só em agosto

Rio Grande do Norte registra recorde no recebimento de vacinas pelo Ministério da Saúde; foram 556.020 doses só em agosto

Só no mês de agosto, o Rio Grande do Norte registrou recorde no recebimento de vacinas pelo Ministério da Saúde com 556.020 doses.

Desde que os repasses de vacinas pelo Ministério da Saúde foi iniciado pelo Programa Nacional de Imunização (PNI), o mês de agosto bateu recorde no recebimento de imunizantes. Até o último dia 16 de agosto desde ano, o Estado tinha recebido 556.020 doses, número que deve aumentar até o final do mês. Até então, o recorde estava no mês de julho, com 645.790 doses recebidas. Ao todo, o RN já recebeu 3.025.730 doses desde janeiro.

Com o maior número de vacinas, os municípios potiguares têm conseguindo avançar nas campanhas, diminuindo as idades a serem atendidas. 58 entes municipais já vacinando acima dos 18 anos, incluindo Natal. Na região Metropolitana, São Gonçalo do Amarante foi pioneira na imunização a partir dos 18 anos.

Além disso, um município, Baía Formosa, se antecipou e iniciou a vacinação de jovens de 12 a 18 anos, mesmo sem vacinas destinadas a este público, e quebrando acordo firmado com a Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap/RN) e com os demais municípios do Estado.

Foto: Paulo Nascimento/Reprodução

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

4 mil natalenses serão testados

Ministério da Saúde vai testar 4 mil natalenses em pesquisa sobre a Covid-19

Mais de 4 mil testes de Covid-19 serão realizados em natalenses através de uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde, em parceria com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas). A coleta acontece de porta em porta, em 1.050 residências, a partir de hoje (19).

Em Natal, o laboratório DNA Center foi escolhido para fazer a coleta das amostras em 31 localidades. A Pesquisa de Prevalência de Infecção por Covid-19 no Brasil, a PrevCOV, tem o objetivo de estimar o nível de infecção e de imunização ao vírus SARS-CoV-2.

Ao todo, 4 mil pessoas foram selecionadas pela Opas, de acordo com os dados fornecidos pelo IBGE. Elas serão submetidas a um teste sorológico, com coleta de sangue, para diagnóstico do IGG positivo. Isso indica se aquele indivíduo já possui anticorpos contra o coronavírus.

Durante a coleta, os 4 mil natalenses também vão responder a um questionário para saber se já foram diagnosticados ou não com a doença, se já foram vacinados ou não, qual imunizante tomaram, entre outras coisas. A pessoa assina um termo de consentimento e os dados serão mantidos sob sigilo. Cada uma recebe login e senha para acessar um sistema com o resultado do exame, que sai em 30 dias.

O laboratório escolhido, o DNA Center, vai ficar responsável pelo trabalho de coleta, armazenamento e embarque das amostras, que serão analisadas pela Fundação Oswaldo Cruz, a Fiocruz, em São Paulo. Cerca de 20 profissionais do laboratório estarão envolvidos na pesquisa.

A pesquisa será realizada em todo Brasil, com 211 mil pessoas, em 62 mil domicílios de 274 cidades. O trabalho deve durar cerca de dois meses.

O laboratório alerta que as equipes vão estar caracterizadas com a farda que terá o nome da pesquisa, PrevCOV, crachá e jaleco branco do DNA Center. Se os usuários abordados em casa tiverem dúvidas e quiserem confirmar as informações sobre o trabalho da equipe, poderão ligar para a central telefônica do DNA Center, pelo número 4007-2595. O levantamento vai acontecer de segunda a sexta-feira, em horário comercial.

As localidades escolhidas onde as amostras serão colhidas na capital são as seguintes:

Alecrim;
Barro Vermelho;
Bom Pastor;
Candelária;
Cidade Alta;
Cidade da Esperança;
Cidade das Rosas;
Cidade Nova;
Dix Sept Rosado;
Favela Frei Damião;
Felipe Camarão;
Guarapes;
Igapó;
Lagoa Azul;
Lagoa Nova;
Lagoa Seca;
Mãe Luiza;
Neópolis;
N. Sra. da Apresentação;
Nova Descoberta;
Pajuçara;
Petrópolis;
Pitimbú;
Planalto;
Ponta Negra;
Potengi;
Quintas;
Redinha;
Ribeira;
Rocas;
Tirol.

Foto: Joe Raedle/Getty Images/AFP

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

doses da Pfizer/BioNTech

Ministério da Saúde distribui mais 2,2 milhões de doses da Pfizer/BioNTech no decorrer desta semana

O Ministério da Saúde recebeu, nesse domingo (15), mais 2 milhões e 200 mil doses da vacina contra a Covid-19 da Pfizer/BioNTech. As remessas chegaram em dois lotes pelo aeroporto de Viracopos, em Campinas, São Paulo. As unidades serão distribuídas nos próximos dias para todo o país.

Desde o início da campanha de vacinação, o ministério distribuiu mais de 37 milhões e 900 mil doses da farmacêutica para os estados e Distrito Federal. Essa remessa é parte de uma série de entregas de doses da Pfizer/BioNTech ao Brasil nesta semana. Estão previstas para os próximos dias mais 3 milhões e 100 mil doses.

Foto: Reprodução

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Leitos Críticos 80%

Ocupação de leitos críticos no Brasil cai para 80%; é o melhor índice do ano

Pela primeira vez em 2021, os estados brasileiros registraram índice de 80% de ocupação de leitos de UTI e de enfermaria exclusivos para pacientes com a Covid-19. A informação foi divulgada pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira (11). De acordo com a pasta, o número não era atingido desde novembro de 2020.

O ministério considera que o índice de ocupação de 80% significa menos sobrecarregada na rede hospitalar dos estados, que estão registrando menos casos graves ou gravíssimos de covid-19. “O cenário é reflexo do ritmo acelerado de vacinação, prioridade absoluta do Ministério da Saúde”, declarou a pasta.

Foto: Rovena Rosa/ Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Instituto Butantan entrega 2 milhões de doses da CoronaVac

Instituto Butantan entrega 2 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 nesta segunda-feira

Mais 2 milhões de doses da vacina CoronaVac contra a Covid-19 foram entregues nesta segunda-feira (9) pelo Instituto Butantan. A remessa é a primeira a ter sido fabricada a partir dos 12 mil litros de ingrediente farmacêutico ativo (IFA) recebidos da China no último dia 13 de julho.

Com essa entrega, já foram disponibilizadas para o Programa Nacional de Imunizações (PNI) 66,8 milhões de doses da vacina desenvolvida em parceria com o laboratório Sinovac, da China. A previsão do Instituto Butantan é que até o próximo dia 31 sejam finalizadas as as entregas contratadas pelo Ministério da Saúde fornecendo 100 milhões de doses da CoronaVac.

Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

132 mil doses de vacinas no Rio Grande do Norte

Mais de 132 mil doses de vacinas estão previstas até este sábado no Rio Grande do Norte

As vacinas continuam chegando ao Rio Grande do Norte. Nesta sexta-feira (06), o Ministério da Saúde confirmou a entrega de mais 132.520 doses de imunizantes. A informação foi anunciada pela governadora Fátima Bezerra em suas redes sociais. As vacinas vão chegar em três remessas entre esta sexta-feira (06) e o sábado (07), segundo a governadora.

O primeiro lote desembarca no Aeroporto Internacional Aluízio Alves às 16h50 desta sexta-feira. Serão 36.250 doses da AstraZeneca. Neste sábado, às 10h, chegarão 59.670 doses da Pfizer e 1.500 da Janssen. Em seguida, ao meio-dia, o RN receberá mais 35.100 doses da AstraZeneca.

As últimas remessas de imunizantes chegaram ao Rio Grande do Norte na terça-feira (03) e na quarta-feira (04). Os imunizantes foram distribuídos aos municípios nessa quinta-feira (05).

A plataforma RN Mais Vacina mostra que o estado já recebeu, até a manhã desta sexta-feira, mais de 2,8 milhões de doses. Desse total, 2,2 milhões já foram aplicados. O RN tem 1,6 milhão de pessoas que receberam a primeira dose e 640 mil pessoas totalmente vacinadas – com as duas doses ou com dose única.

Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Vacinação no Brasil

Vacinação no Brasil: 49,1% da população do Brasil já está vacinada com pelo menos uma dose

Após 1 ano e 5 meses desde o início da pandemia, vacinação no Brasil chega ao percentual de 49,14% com pelo menos uma dose.

O Brasil atingiu 104.049.682 de pessoas vacinados pelo menos com a primeira dose contra a Covid-19. Com esse número, a vacinação no Brasil alcança 49,14% da população total. Além disso, 43.649.022 pessoas receberam duas doses ou dose única de vacinas anticovid, o que corresponde a 20,61% da população. Os dados foram divulgados na última quinta-feira, 6 de agosto.

Vacinação no Brasil em 24h (5 e 6 de agosto de 2021)

De acordo com dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa junto a secretarias de 26 Estados e Distrito Federal, foram aplicadas 2.209.344 doses de vacinas contra a Covid nas últimas 24 horas. Ao todo, foram administradas 1.344.195 primeiras doses, 838.229 segundas doses e 26.920 doses únicas.

Foto: Divulgação/Ministério da Saúde

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Segunda Dose

Ministro da Saúde faz novo apelo para que brasileiros se imunizem com a segunda dose

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, fez um novo apelo nesta terça-feira (3) para que os brasileiros se imunizem com a segunda dose das vacinas, como forma de garantirem proteção efetiva, inclusive contra o avanço da variante delta da Covid-19. O ministro participou do balanço da ação de vacinação em massa contra a doença, no Complexo da Maré, zona norte do Rio de Janeiro.

“Sistemas de saúde mais consolidados do que o nosso, a exemplo do inglês, não conseguiram conter a propagação comunitária da variante delta. Os Estados Unidos também enfrentam o problema. Nós estamos assistindo, e isso acontece sobretudo com aqueles que não estão vacinados. As nossas vacinas funcionam contra essa variante. Aproveito para lembrar às pessoas que ainda não tomaram a segunda dose que voltem às unidades básicas de saúde. Para ter a proteção, é necessário [tomar] as duas doses”, disse Queiroga.

Foto: Ilustração/Prefeitura de Uberlândia

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

62 mil doses

Governadora anuncia recebimento de 62 mil doses da Pfizer neste sábado; lote será utilizado para a D1

Um novo lote de com 62 mil doses de vacinas da Pfizer contra a Covid-19 deverá chegar ao Rio Grande do Norte neste sábado (31). O anúncio foi feito pela governadora Fátima Bezerra (PT) por meio das redes sociais. Segundo Fátima, o envio das 62 mil doses para o estado foi confirmado pelo Ministério da Saúde.

Os imunizantes chegarão amanhã, às 10h. Ao todo, serão 62.010 doses, destinadas a primeira dose, que serão distribuídas para os municípios do RN. As informações foram divulgadas pelo perfil da governadora no Twitter.

Foto: Sandro Menezes

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Aleitamento Materno

Ministério da Saúde lança campanha para valorizar o aleitamento materno

O Ministério da Saúde lançou nesta quinta-feira (29) uma nova edição da campanha de valorização do aleitamento materno. A iniciativa tem como tema “Todos pela Amamentação: É Proteção para a Vida Inteira” e visa sensibilizar a sociedade sobre a importância dessa prática.



A campanha reafirma a relevância do aleitamento materno durante os dois primeiros anos, ou mais. Nos primeiros seis meses, a recomendação é que o aleitamento materno seja a fonte exclusiva para do bebê. A prática continua importante mesmo no cenário da pandemia de covid-19, diz o Ministério da Saúde, ao ressaltar que o aleitamento materno pode reduzir em até 13% as taxas de mortalidade infantil nos primeiros cinco anos da criança.

Entre 1986 e 2020, essa alternativa como fonte principal de alimentação no primeiro ano de vida passou de 30% para 53,1%. De acordo com dados da Organização Pan-americana da Saúde (Opas), 40% das crianças têm aleitamento materno no mundo. Na América Latina, menos da metade das crianças mamam na primeira hora de vida.

Saúde também lançou campanha de doação para auxiliar o aleitamento materno por parte das mães que não produzem leite o suficiente

Em maio, o Ministério da Saúde já havia lançado a campanha nacional de estímulo à doação de leite materno. Conforme a pasta, essa prática supre apenas 64% do que seria necessário para atender à demanda. O Brasil conta com 222 bancos de leite materno e 220 pontos de coleta.

No ano passado, foram doados 229 mil litros de leite materno por 182 mil mulheres. Esses números marcaram um aumento de 2,7% em relação ao ano anterior.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Terceira Dose da CoronaVac

Ministério da Saúde vai testar terceira dose da CoronaVac

Estudos sobre a terceira dose da CoronaVac serão realizados em 1.200 pessoas e serão feitos em conjunto com a Universidade de Oxford.

O Ministério da Saúde vai realizar um estudo de avaliação da necessidade de uma terceira dose da CoronaVac, produzido no Brasil pelo Instituto Butantan. A informação foi dada ontem (28) pela pasta. No Brasil, cerca de 50 milhões de doses do imunizante já foram aplicadas.

A pesquisa será patrocinada pelo Ministério da Saúde, e vai ser realizada em parceria com a Universidade de Oxford. Os estudos terão início em duas semanas, com 1,2 mil pessoas, a partir dos 18 anos.

“Não temos publicação na literatura detalhada acerca de sua efetividade (da CoronaVac). As respostas precisam ser dadas através de ensaios clínicos”, afirmou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em entrevista em Brasília. Para a pesquisadora Sue Ann Costa Clemens, professora de Oxford e coordenadora do estudo, é preciso saber a duração da proteção de cada vacina.

Segundo ela, para os imunizantes da Pfizer, AstraZeneca e Janssen, já existem publicações demonstrando a duração da proteção de 12 meses. “Em relação à CoronaVac, precisamos avaliar isso. Estudos já mostraram que a proteção começa a cair com 6 meses”, disse.

Um estudo preliminar publicado por cientistas chineses nesta semana mostrou que o nível de anticorpos neutralizantes produzidos pelo organismo após a imunização com CoronaVac caiu após seis meses. Ainda não é possível associar a queda de anticorpos à redução da proteção. O mesmo estudo mostrou que uma terceira dose da CoronaVac é capaz de impulsionar novamente a produção de anticorpos, o que demonstra que a vacina induz boa “memória imunológica”.

Foto: Gustavo Mansur/ Palácio Piratini

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

12 e 17 anos

Ministério da Saúde autoriza a vacinação de adolescentes entre 12 e 17 anos

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou nesta terça-feira (27) a inclusão dos adolescentes entre 12 e 17 anos no Plano Nacional de Imunização (PNI) contra a Covid-19. Segundo o ministro, a inclusão terá início logo após o envio da primeira dose para a vacinação de adultos com mais de 18 anos.

A pasta definiu que os adolescentes com comorbidades terão prioridade na vacinação. A decisão ocorreu após reunião entre o Ministério e representantes dos estados e municípios.

Foto: Cristine Rochol/Secretaria de Saúde de Porto Alegre

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Governadora Fátima Bezerra

Governadora anuncia a chegada de quase 180 mil doses de vacinas ao Estado nesta semana

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, acaba de anunciar em seu Twitter a previsão de chegada de mais 179.600 doses da vacinas ao estado ainda nesta semana. De acordo com a chefe do Executivo estadual, estão previstas, já para esta terça-feira, mais 16.800 de doses da AstraZeneca, 57.700 da CoronaVac e 1.100 da Janssen. A aeronave pousa em São Gonçalo do Amarante ao meio-dia.

Ainda na terça-feira, às 16h50, também está prevista a chegada de mais 69 mil doses da AstraZeneca. Na manhã da quarta-feira, o Rio Grande do Norte recebe mais um lote contendo 35.100 de doses da Pfizer. O anúncio da governadora foi feito após a confirmação de envio por parte do Ministério da Saúde.

Foto: Reprodução/Elisa Elsie/Governo do RN

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Bharat Biotech

Fabricante da Covaxin rompe acordo com empresa do Brasil

A Bharat Biotech, farmacêutica indiana que produz a vacina Covaxin, anunciou a rescisão do seu acordo com a empresa Precisa Medicamentos. O motivo do rompimento não foi informado. Em comunicado, a Bharat informa que “continuará a trabalhar diligentemente” com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pelo imunizante Covaxin.

Também consta, no comunicado, a negativa por parte de Bharat de ter assinado duas cartas que fazem parte do processo administrativo de compra do imunizante e foram enviadas ao Ministério da Saúde. Os documentos foram incluídos no material enviado pela Pasta à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, no Senado.

Em fevereiro, o Ministério da Saúde fechou contrato de compra com a Precisa, que representava a Bharat, para a compra de 20 milhões de doses da vacina. A aquisição do imunizante é alvo de múltiplas investigações por suspeita de irregularidades e corrupção, tendo se tornado alvo da CPI da Covid, da Polícia Federal (PF), do Ministério Público Federal (MPF), da Controladoria-Geral da União (CGU) e do Tribunal de Contas da União (TCU).

O Ministério da Saúde havia se comprometido pagar US$ 15 por dose, sendo a vacina mais cara adquirida pelo Brasil até o momento. O contrato foi suspenso pelo Ministério da Saúde em 29 de junho, após recomendação da CGU. A Anvisa ainda não autorizou o uso emergencial ou definitivo do imunizante.

Foto: Corbis via Getty Images

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Governo federal anuncia recursos para ampliação de equipes de saúde

O Ministério da Saúde anunciou hoje (21) a disponibilização de recursos para a ampliação de equipes e de profissionais de saúde vinculados à atenção primária. O nome é dado à rede de acompanhamento e atendimento formada, por exemplo, pelos postos de saúde e pelas equipes de saúde da família.

De acordo com o ministério, serão liberadas verbas para contratação de 13.415 agentes comunitários de saúde, 1.791 equipes de saúde bucal, 3.374 equipes de saúde da família e 2.477 equipes de atenção primária. A entrada em atuação dos profissionais, contudo, depende dos municípios. Esses precisam atender às exigências do ministério para receber os recursos e viabilizar a contratação dos novos profissionais.

“O Ministério da Saúde está se comprometendo a custear, mas o município precisa implantar. Os recursos começam a ser repassados a partir do momento que as equipes são de fato implantadas. Em alguns casos, os municípios já estavam fazendo e agora entramos com os recursos”, declarou o secretário de Atenção Primária a Saúde do Ministério, Raphael Câmara.

Pandemia

Na entrevista coletiva de anúncio da ampliação das equipes, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, foi questionado sobre a situação das vacinas contra a covid-19 Covaxin e Sputnik V.

A vacina indiana (Covaxin) teve sua contratação pelo ministério suspensa após denúncias, feitas pelo deputado Luís Miranda (DEM-DF) e seu irmão, chefe de importação do Ministério da Saúde, Luís Ricardo Miranda, de superfaturamento e de pressões atípicas para contratação.

Já o imunizante russo (Sputnik V) foi adquirido por uma série de governos estaduais do Nordeste. Nos dois casos, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a importação em caráter excepcional, mas impôs condicionantes.

Queiroga lembrou que a compra da Covaxin está suspensa para análise por recomendação da Controladoria Geral da União (CGU) e disse que a inclusão desse imunizante e da Sputnik V no Programa Nacional de Imunizações (PNI) será analisada.

“É preciso fazer análise de conveniência e oportunidade no momento em que temos mais de 600 milhões de doses de vacinas [compradas]. Se for do desejo dos governadores [do Nordeste] importar, pode importar. Mas para incluir no PNI é necessário que tenhamos os registros da Anvisa”, destacou Queiroga.

Variante delta

O ministro também foi perguntado sobre novas medidas diante do crescimento da variante delta do coronavírus no país. Até semana passada, foram confirmados mais de 100 casos. Hoje o Distrito Federal informou que a variante foi detectada na capital.

“A campanha de vacinação está sendo realizada. Temos adotado estratégias como reforçar vacinas nas regiões de fronteira. O cenário epidemiológico aponta melhora, com diminuição do número de casos e óbitos e internações. Se teve uma variante diagnosticada, resta saber se ela é de importância”, respondeu.

Adolescentes

Questionado sobre o início da vacinação de adolescentes em alguns estados, Marcelo Queiroga disse que a equipe do PNI está estudando a possibilidade e que irá se pronunciar após uma avaliação.

É importante que estados e municípios não se adiantem com a inclusão de públicos que não foram incluídos no PNI”, recomendou.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Governadora anuncia novas doses

Governadora anuncia sinal verde do Ministério da Saúde e RN receberá mais 143.340 doses nesta semana

A governadora do Rio Grande do Norte anunciou, na noite deste domingo, 18, que o Rio Grande do Norte receberá nesta semana mais 143.340 doses de vacinas. A informação foi dada nas redes sociais e, de acordo com a governadora, foi confirmada pelo Ministério da Saúde. Os imunizantes serão designados tanto para a D1 quanto para a D2.

Fátima ainda diz que o Estado receberá doses das vacinas da AstraZeneca, Pfizer e CoronaVac. Por enquanto, ainda não há data definida para a chegada do novo lote: “Logo que tivermos uma data definida volto aqui para informar a vocês”, concluiu a governadora.

Foto: Raiane Miranda/Governo do RN/Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Boas práticas

Ministério da Saúde premia boas práticas no combate à Covid-19

O Ministério da Saúde realizou uma cerimônia, nesta sexta-feira (16) para premiar experiências de boas práticas no combate à covid-19 na atenção primária à saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Denominada “APS Forte no SUS – no combate à Covid-19”, a iniciativa reuniu 1.471 experiências em todo o país, sendo que duas receberam menção honrosa e 19 foram consideradas de excelência.

A iniciativa foi promovida pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) no Brasil e pelo Ministério da Saúde, e tem o propósito de dar visibilidade às boas práticas desenvolvidas pelos profissionais que atuam no SUS.

Entre as ações premiadas, estão o teleatendimento, rastreamento de pacientes contaminados pelo novo coronavírus (Covid-19); uso de rádios comunitárias para combater notícias falsas sobre a pandemia; criação de consultórios móveis para atendimento à grupos vulneráveis, a exemplo de idosos, população de rua e grupos LGBTQIA+, entre outras iniciativas.

Na avaliação do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, os resultados mostram a resposta do SUS aos desafios impostos pela pandemia à manutenção e continuidade dos serviços de atenção primária à saúde.

“A pandemia da Covid-19 mostrou a força dos SUS e dos profissionais que atuam na saúde do Brasil, disso todos nós sabemos. Mas o que precisamos ter sempre em mente são os momentos especiais em que esses profissionais brilharam e foram muito além das expectativas para garantir um atendimento digno, seguro e de qualidade na atenção primária”, afirmou.

A representante da Opas no Brasil, Socorro Gross, afirmou que além do reconhecimento, as experiências podem servir de inspiração para outros municípios que podem adotar as práticas para o atendimento da população.

“Essas experiências compõem um mosaico de boas práticas de atenção primária à saúde da população brasileira. Elas contribuíram para prevenir, proteger e cuidar das pessoas nestes tempos tão difíceis e podem servir de referências para outros municípios. É um laboratório de inovação”, disse.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministro da Saúde promete 100 milhões de doses

Ministro da Saúde promete 100 milhões de doses até agosto

Em reunião virtual com governadores nesta terça-feira (13), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que no mês de julho o Brasil receberá cerca de 41 milhões de doses e, em agosto, a previsão é de 60 milhões. Segundo Queiroga, os imunizantes serão distribuídas de forma igualitária aos Estados. “Até setembro, iremos vacinar toda população maior de 18 anos”, garantiu o ministro.

O anúncio foi feito pelas redes sociais logo após a reunião. No encontro, os governadores pediram o cronograma de vacinação e pleito para a antecipação da segunda dose. Pelo Twitter, Queiroga reforçou que trabalho conjunto e políticas públicas alinhadas são fundamentais para colocarmos fim à pandemia no País. “Com apoio de todos, iremos potencializar ainda mais o andamento da vacinação no Brasil. É o que precisamos agora: prosseguir com a vacinação e retorno seguro às atividades para não retrocedermos”, declarou o ministro.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

kit covid

Ministério da Saúde reconhece ineficácia de ‘kit Covid’

O Ministério da Saúde admitiu em documentos enviados à CPI da Covid essa semana que medicamentos que compõem o chamado “kit Covid”, amplamente defendidos por Jair Bolsonaro, são ineficazes contra o vírus.

“Alguns medicamentos foram testados e não mostraram benefícios clínicos na população de pacientes hospitalizados, não devendo ser utilizados, sendo eles: hidroxicloroquina ou cloroquina, azitromicina, lopinavir/ritonavir, colchicina e plasma convalescente. A ivermectina e a associação de casirivimabe + imdevimabe não possuem evidência que justifiquem seu uso em pacientes hospitalizados, não devendo ser utilizados nessa população”, diz documento.

Os medicamentos para tratamento precoce foram defendidos por apoiadores do governo e indicados pelo aplicativo do Ministério da Saúde, TrateCov, em Manaus (AM) em janeiro, no auge da crise de oxigênio no estado. A plataforma saiu do ar após a pasta alegar invasão hacker.

A CPI apura se a existência de um gabinete paralelo ao Ministério da Saúde influenciou o atraso na compra das vacinas, o favorecimento de laboratórios e a compra de medicamentos do “kit Covid” sem eficácia para o tratamento da doença. Uma primeira lista de testemunhas que são investigadas pela comissão por terem composto este gabinete e insistido no uso dos medicamentos são: o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, o ex-chefe da comunicação do governo, Fábio Wajngarten, as médicas Mayra Pinheiro e Nise Yamaguchi e o ex-chanceler Ernesto Araújo.

Também constam na lista de investigados: o ex-assessor do Ministério da Saúde Elcio Franco, o conselheiro do presidente Arthur Weintraub, o empresário Carlos Wizard, Franciele Fantinato, Helio Neto, Marcellus Campelo, Paulo Marinho Zanotto, Luciano Dias Azevedo e o atual chefe da pasta, Marcelo Queiroga.

Com informações do Congresso em Foco

Foto: Carolina Antunes/PR

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Dose vencida

Ministério da Saúde afirma que ‘nenhuma dose vencida é repassada aos estados’

“Nenhuma dose vencida contra a Covid-19 é repassada aos estados e ao Distrito Federal”. A afirmação é do Ministério da Saúde e foi realizada na última sexta-feira (2). A pasta ainda afirma que o prazo de validade dos imunizantes é rigorosamente acompanhado desde o recebimento até a distribuição, o que permitiria perceber alguma dose vencida. A pasta divulgou as informações após publicação de uma matéria do jornal Folha de São Paulo.

De acordo com a publicação, cerca de 26 mil doses de vacinas da AstraZeneca teriam sido aplicadas após o vencimento em 1.532 municípios. Segundo o ministério, os estados são orientados a distribuírem imediatamente os imunizantes recebidos, sendo obrigação dos gestores locais do Sistema Único de Saúde (SUS) fazer o armazenamento correto e a aplicação das doses dentro do prazo de validade.

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Vacinas Vencidas 2

26 mil brasileiros tomaram vacinas vencidas. Saiba agora se você foi um deles e o que fazer

De acordo com o Ministério da Saúde, 26 mil doses da AstraZeneca foram ministradas com a data de validade expirada. Saiba se você foi um dos que tomaram vacinas vencidas.

De acordo com dados retirados diretamente do banco de dados do Ministério da Saúde, pelo menos 26 mil doses de vacinas vencidas foram aplicadas nos brasileiros. O levantamento foi realizado por uma equipe de pesquisadores e apresentou quase 140 mil doses da AstraZeneca com a data de validade expirada.

Dos oito lotes vencidos que constam no sistema do Ministério da Saúde, 114 mil doses ainda estão disponíveis para aplicação e 26 mil foram utilizadas para ‘imunizar’ a população. De acordo com a pesquisadora Sabine Boettger Righetti, o levantamento foi fruto de um trabalho (de pesquisa e de jornalismo de ciência e de dados) de alta complexidade, que durou duas semanas.

Sabine Boettger alerta que se você foi um dos que tomaram as vacinas vencidas da AstraZeneca, observe o lote no seu CARTÃO DE VACINAÇÃO e descubra se você precisa retornar ao posto de saúde onde recebeu sua dose para mais orientações, pois a dose é considerada inválida.

O que os especialistas dizem sobre tomar vacinas vencidas?

“Quando a vacina é aplicada fora do prazo de validade, é considerado um erro programático e a dose deve ser repetida”, diz Juarez Cunha, presidente da SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações).

A preocupação, de acordo com o especialista, é que a pessoa fique desprotegida. “Não é esperado nenhum outro tipo de reação além das relatadas para os tipos específicos de vacina. A dica é ficar de olho na validade, não só para os imunizantes, mas com qualquer outro produto consumido, como alimentos e remédios”, conclui.

Saiba em quais cidades do Rio Grande do Norte foram aplicadas vacinas vencidas

Cinco cidades potiguares concentram 125 doses de vacinas vencidas aplicadas. São elas Augusto Severo (42), João Câmara (55), Natal (12); Baía Formosa e Mossoró (15 cada uma).

Confira abaixo a lista a galeria completa com as cidades potiguares e os locais de vacinação nos quais foram aplicadas vacinas fora do prazo de validade:

Foto: Reprodução/Reuters/Sergio Perez

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Suspeito de Pedir Propina

Decisão de manter suspeito de pedir propina no cargo foi de Bolsonaro

General Eduardo Pazuello havia pedido a demissão de Roberto Ferreira Dias, suspeito de pedir propina, ainda em outubro de 2020; mas foi barrado por Bolsonaro.

Ao sugerir a demissão de Roberto Ferreira Dias, em outubro do ano passado, o general Eduardo Pazuello esbarrou na negativa de Bolsonaro. A informação foi confirmada pela Folha de São Paulo. Segundo a apuração, Pazuello chegou a enviar o despacho que exonerava Dias do cargo, porém, por pressão de Davi Alcolumbre (DEM-AP), o presidente manteve suspeito de pedir propina no cargo. Alcolumbre não quis comentar a suposta intervenção para manter Dias no cargo.

A exoneração de Roberto Dias só viria acontecer nove meses depois da primeira tentativa, quando explodiu o escândalo de que uma empresa responsável pela venda das vacinas diz ter recebido de Dias a proposta de US$ 1 de propina por dose comercializada. Em troca disso, a empresa fecharia o contrato para a comercialização das doses do imunizante da Oxford/AstraZeneca. Com a revelação, Dias foi exonerado oficialmente ontem, dia 30 de junho.

De acordo com o deputado Luis Miranda, que depôs na CPI da Covid no Senado na última sexta-feira, 25 de junho, o diretor de Logística do Ministério da Saúde era o principal responsável por dar as ordens na pasta. Em entrevista, o deputado diz que “nada acontece no Ministério se o Roberto não quiser”. Além disso, Miranda afirma que a “pressão sofrida” pelo seu irmão também foi “aprovada por Dias”. O deputado conclui que “sem Roberto Dias, ninguém faz nada. Isso é uma das únicas certezas que tenho”.

A suspeita sobre o superfaturamento na compra de vacinas já foi noticiada pelo Por Dentro do RN, quando o irmão do deputado Luis Miranda e servidor do Ministério da Saúde, Luis Ricardo Miranda, disse ter sofrido uma pressão “atípica” para permitir a importação da Covaxin. Em meio aos escândalos que rondam o Governo, Bolsonaro afirmou que “mentiras não vão tirá-lo do Planalto” e disse que a Comissão realizada pelo Senado é formada por “bandidos”.

“Não conseguem nos atingir. Não vai ser com mentiras ou com CPI, integrada por sete bandidos, que vão nos tirar daqui. Temos uma missão pela frente: conduzir o destino da nossa nação e zelar pelo bem-estar e pelo progresso do nosso povo”, disse Bolsonaro a apoiadores em Ponta Porã (MS).

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

US$ 1 por dose

CPI ouvirá representante que recebeu proposta de propina de US$ 1 por dose

Representante da Davati Medical Supply, Luiz Paulo Dominguetti Pereira, diz que diretor Ministério Saúde pediu propina de US$ 1 por dose de vacina

Após a Folha de São Paulo divulgar entrevista com o diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias, na qual ele diz que o representante do Ministério teria pedido propina por vacinas, no valor de US$ 1 por dose, os senadores Omar Aziz e Randolfe Rodrigues divulgaram que irão convocar Dominguetti para depor na CPI da Covid no Senado. O depoimento já foi aprovado pelos outros integrantes da Comissão e está marcado, segundo Omar Aziz, para a próxima sexta-feira (2).

A Folha de São Paulo aponta que o representante da Davati Medical Supply, Luiz Paulo Dominguetti Pereira, tentou negociar cerca de 400 milhões de doses do imunizante produzido pela Oxford e AstraZeneca e teria ouvido do diretor do Ministério da Saúde que, para fechar o contrato, “teria que compor o grupo”. O encontro entre o representante da Davati e o diretor do Ministério teria acontecido em um jantar ainda em 25 de fevereiro, em Brasília. Ao perguntar que tipo de grupo seria esse, teria ouvido de Roberto que se ele “não compusesse o grupo, o acordo não iria pra frente”. Dominguetti diz não ter aceito a proposta.

Roberto Ferreira Dias foi diretamente indicado por Ricardo Barros (PP-RR) ainda durante o governo de Michel Temer. Barros é o atual líder do governo Bolsonaro na Câmara dos Deputados. Dias assumiu a diretoria de Logística do Ministério da Saúde quando Luiz Henrique Mandetta ainda era ministro da Saúde, em 2019.

O Ministério da Saúde informou hoje que irá exonerar Roberto Ferreira Dias. Ontem à noite, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou a decisão de exonerar o diretor de Logística do Ministério após a revelação do escândalo da propina.

Conforme divulgado pelo Por Dentro do RN, o deputado Luis Miranda afirmou em CPI que o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros, também teria facilitado as negociações com laboratório que produz a vacina Covaxin, o indiano Bharat Biotech. A Covaxin está no centro de um escândalo de corrupção, por supostamente ter vendido as doses por um valor 1000% acima do normal.

Foto: Anderson Riedel/PR

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado

Doses da Pfizer

936 mil doses da Pfizer chegam ao Brasil

O domingo começa com uma boa notícia para os brasileiros que esperam o seu momento de se vacinarem. Na manhã de hoje, 27, 936 mil doses de vacinas da Pfizer contra a Covid-19 chegaram ao país. Os imunizantes desembarcaram no aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP) e fazem parte da terceira e última remessa de 2,4 milhões de doses entregues pela farmacêutica ao longo da última semana.

Com essa entrega, são 17 lotes recebidos pelo Brasil através do contrato firmado entre a Pfizer e o governo federal, que prevê mais 100 milhões de doses para o país, com previsão de chegada até dezembro de 2021. No total, o Brasil vai receber 200 milhões de doses do imunizante.

“As unidades serão distribuídas para todo o país nos próximos dias”, afirmou o Ministério da Saúde. Segundo a pasta, já foram distribuídas mais de 129 milhões de doses de vacinas contra a covid-19, e mais de 70 milhões de brasileiros já receberam pelo menos uma dose do imunizante.

Foto: Divulgação/Ministério da Saúde

Ministro lamenta a morte de 500 mil brasileiros pela covid-19

Através de uma nota no Twitter, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, lamentou a morte de meio milhão de brasileiros por conta da covid-19. Queiroga afirmou prestar solidariedade a cada pai, mãe, amigos e parentes, que perderam seus entes queridos: “500 mil vidas perdidas pela pandemia que afeta o nosso Brasil e todo o mundo. Trabalho incansavelmente para vacinar todos os brasileiros no menor tempo possível e mudar esse cenário que nos assola há mais de um ano”, afirmou o ministro.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Governo antecipa chegada de 3 milhões de doses da Janssen, confirma Queiroga

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, confirmou neste sábado (12.06.2021) que 3 milhões de doses da vacina da Janssen serão enviadas ao Brasil de forma antecipada. A previsão inicial é que as doses chegariam entre outubro e dezembro de 2021.

A data de chegada não foi divulgada, mas a previsão é que o imunizante chegue no início da próxima semana. A vacina, que tem apenas uma dose, será utilizada nas capitais.

O anúncio foi feito durante coletiva de imprensa, em que o ministro também explicou sobre a testagem de jogadores para a Copa América, que começa nesse domingo (13.jun).

Chegada da Janssen

A antecipação foi possível depois que o FDA (Food and Drug Administration), agência reguladora dos Estados Unidos, autorizou a utilização de 10 milhões de doses da vacina que foram produzidas na fábrica em Baltimore (Maryland).

A produção da fábrica, operada por um fornecedor da J&J, foi interrompida depois que o FDA detectou mistura de substância das vacinas da Janssen e da AstraZeneca, que também é fabricada no local.

As doses que serão enviadas ao Brasil foram produzidas antes deste problema começar, segundo relatório da agência norte-americana.

O prazo de validade da vacina expira em 27 de junho. O FDA estendeu o prazo em 6 semanas e passou o vencimento para 8 de agosto. Entretanto, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) ainda precisa autorizar a ampliação da validade no Brasil.

Redução de 25% no valor do contrato

Queiroga afirmou que o contrato de compra de 38 milhões de doses da Janssen teve redução de 25% no valor previsto, de R$ 2,1 bilhões, sendo US$ 10 por dose.

O motivo da redução, segundo o ministro, foram revisões feitas pela farmacêutica ao longo do tempo de produção do imunizante.

A medida dará ao Ministério da Saúde uma economia de mais de R$ 480 milhões. O pagamento só será efetuado após a chegada dos imunizantes e serão pagas apenas as doses aplicadas.

Testagem para Copa América

Marcelo Queiroga explicou o protocolo de testagem das delegações que participam da Copa América, que começa nesse domingo (13.jun).

A seleção da Venezuela, que estreia no torneio contra o Brasil no estádio Mané Garrincha em Brasília, teve 12 membros da delegação que testaram positivo para a covid. A equipe está hospedada em um hotel na Asa Norte, na capital federal.

Marcelo Queiroga afirmou que a delegação embarcou de Caracas com todos os testes RT-PCR negativos e, depois que chegaram ao Brasil, testaram positivo.

Estes jogadores e membros da comissão técnica vão cumprir isolamento de 14 dias. Segundo Queiroga, eles só poderão sair do país depois de testarem negativo no exame RT-PCR. Além disso, será feita sequência genômica do exame para saber qual variante foi detectada.

Para o jogo de domingo, a seleção da Venezuela foi autorizada pela Conmebol a convocar novos jogadores, que também só poderão disputar a partida com o teste negativo. Sobre um possível adiamento do jogo de estreia, o ministro disse que essa decisão cabe a Conmebol.

O ministro informou que os testes realizados pela delegação brasileira não deram positivos para a covid. A seleção da Bolívia, que está em Goiânia (GO), já confirmou 4 casos da doença.

Do MSN Notícias
Foto: Walterson Rosa/MS

Fernando Brito-Ministério da Saúde

Ministério da Saúde recebe mais 2,7 milhões de doses de AstraZeneca

Um novo lote com 2,7 milhões de doses da vacina AstraZeneca foi recebido pelo Ministério da Saúde ontem (sexta-feira, 11 de junho). De acordo com a pasta, outras 800 mil doses da CoronaVac também haviam sido entregues pelo instituto Butantan e que serão, em breve, distribuídas através do Plano Nacional de Imunização (PNI).

De acordo com o Ministério, as doses serão distribuídas por todos os estados e o Distrito Federal. O Ministério também informou que espera mais doses para o mês de junho.

Segundo o “Vacinômetro”, cerca de 109,4 milhões de doses de vacina já foram distribuídas, das quais 76,7 milhões foram aplicadas.

O ministro da saúde, Marcelo Queiroga, informou que a expectativa da pasta é que 160 milhões de brasileiros sejam vacinados até dezembro.

Foto: Fernando Brito/Ministério da Saúde

RN é o segundo estado com maior queda no número de casos de coronavírus

O Rio Grande do Norte foi o segundo estado com maior queda no número de casos de coronavírus, segundo análise da Semana Epidemiológica (SE) 22, de 30 de maio a 5 de junho. De acordo com o Ministério da Saúde, as maiores reduções no número de casos foram nos estados do Amapá (-36%) e Rio Grande do Norte (-28%).

O boletim epidemiológico aponta que oito estados tiveram incremento de casos na Semana Epidemiológica 22, sete ficaram estáveis e 11 mais o Distrito Federal tiveram redução. As principais altas se deram em São Paulo (35%) e Roraima (27%).

Durante a SE 22, os novos casos de covid-19 tiveram alta de 3%, o que o Ministério da Saúde considera estabilidade.

Os boletins epidemiológicos do Ministério da Saúde sobre o Coronavírus reúnem a avaliação da pasta sobre a evolução da pandemia, considerando as semanas epidemiológicas, tipo de mediação empregada por autoridades de saúde para essas situações. A semana epidemiológica é um recorte temporal adotado por autoridades de saúde para analisar esses movimentos.

É #FAKE que o Midway Mall vai cobrar pelo estacionamento Como consultar valores a receber com o Banco Central Morre Marília Mendonça após acidente aéreo; veja fotos CINCO deputados do RN votam pelo furo do teto de gastos Após rompimento de parceria com o Flow Podcast, hackers invadem iFood, trocam nome de restaurantes e dão apoio a Bolsonaro Azul mira compra da Latam Airlines e visa à criação de gigante sul-americana Homem se dá mal após tentar jogar drogas pela janela em Mossoró Adolescente de 16 anos é suspeito de matar os próprios irmãos, de 2 e 4 anos, no Rio de Janeiro Preço da gasolina sobe 47% em 2021 e já custa R$ 7,29 em Natal após novo reajuste Cidade faz ‘recall’ de vacinação após enfermeira da Cruz Vermelha injetar água e sal na população Mulher dá à luz dentro de elevador de condomínio na Grande Natal Operação Falsos Heróis: Polícia Federal deflagra 2ª fase de operação contra contrabando de cigarros; um policial foi preso e outro afastado