Ministério da Saúde da Argentina confirma primeiro caso da varíola dos macacos

Ministério da Saúde da Argentina confirma primeiro caso da varíola dos macacos

O Ministério da Saúde da Argentina confirmou na manhã desta sexta-feira (27.mai.2022) em comunicado o primeiro caso da varíola dos macacos (monkeypox). A informação foi divulgada pelos jornais “Clarín”, “El Litoral” e “Diario Hoy”. No último domingo (22.mai.2022), a pasta havia informado que um morador da província de Buenos Aires entrou em contato com o serviço de saúde com sintomas “compatíveis com o da varíola dos macacos”.

O paciente apresentou pequenas feridas em distintas partes do corpo e febre. Além disso, ele acabou de retornar de uma viagem à Espanha, país que identificou um pequeno surto desta infecção. De acordo com o “Clarín”, ainda são esperados “os resultados do sequenciamento para poder apresentar mais detalhes sobre o tipo de varíola dos macacos” que foi detectado e se é o mesmo em circulação na Europa.

Sem casos no Brasil

A fronteira entre o Brasil e a Bolívia, em Mato Grosso do Sul, está em alerta após um jovem boliviano, de 26 anos, ser isolado na cidade de Santa Cruz de la Sierra, nesta quinta-feira (26.mai.2022), com sintomas parecidos ao da varíola dos macacos. O comunicado foi feito pela Secretária de Saúde de Corumbá, cidade que fica na linha fronteiriça com a Bolívia.

“Recebemos o comunicado da vigilância de fronteira sobre o possível diagnostico de uma doença relacionada a varíola dos macacos, trata-se de um jovem boliviano, que esta em Santa Cruz de la Sierra isolado”, informou o secretário Rogério Leite. Além disso, ainda na terça-feira (24.mai.2022), o Ministério da Saúde do Brasil informou que “instituiu (…) uma Sala de Situação para monitorar o cenário da varíola dos macacos (monkeypox)”.

“A medida inicialmente tem como objetivo elaborar um plano de ação para o rastreamento de casos suspeitos e na definição do diagnóstico clínico e laboratorial para a doença. Até o momento, não há notificação de casos suspeitos da doença no país”, afirmou a pasta.

O ministério disse que “encaminhou a todos os estados o Comunicado de Risco sobre a patologia, com orientações aos profissionais de saúde e informações disponíveis até o momento sobre a doença”. Já a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou uma nota em que recomendou a adoção medidas de proteção em aeroportos para adiar a chegada da doença ao país.

“Considerando-se as formas de transmissão da varíola dos macacos, a Anvisa reforça a importância das medidas de proteção à saúde a serem adotadas em aeroportos e aeronaves”, disse a agência.

“Tais medidas não farmacológicas, como o distanciamento físico sempre que possível, o uso de máscaras de proteção e a higienização frequente das mãos, têm o condão de proteger o indivíduo e a coletividade não apenas contra a Covid-19, mas também contra outras doenças”.

Com informações do Portal G1
Foto: Cynthia S. Goldsmith, Russell Regner/CDC via AP

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.