Tag Ômicron - Por dentro do RN

Ômicron

Onze capitais brasileiras já cancelaram festas de rua no Carnaval

Onze capitais brasileiras já cancelaram festas de rua no Carnaval

Pelo menos onze capitais brasileiras já anunciaram o cancelamento do Carnaval em 2022. Recife, Salvador e Rio de Janeiro, que têm histórico de grandes festas, são algumas das que suspenderam os festejos para o próximo ano. A justificativa das administrações é que a não realização dos eventos se dá devido ao avanço da covid-19, com a cepa Ômicron, e da gripe, com a nova variante do vírus Influenza, a H3N2.

A confirmação de que não haverá festas de rua Carnaval ou que a prefeitura não pretende patrocinar o evento já foi dada pelas prefeituras de Belém, Belo Horizonte, Campo Grande, Cuiabá, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Luís. Já em Brasília, Boa Vista, Manaus, Maceió, Natal, Palmas, Porto Alegre, Porto Velho, Rio Branco e São Paulo ainda não há definição sobre os desfiles por parte das prefeituras.

Além das capitais citadas, cidades que têm o histórico de grandes comemorações, como Olinda, em Pernambuco, e Ouro Preto, em Minas Gerais, também anunciaram o cancelamento das festas neste ano.

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Governo do Ceará publica decreto que cancela o Carnaval e reduz a capacidade de eventos privados; medida visa coibir o avanço da Ômicron

Governo do Ceará publica decreto que cancela o Carnaval e reduz a capacidade de eventos privados; medida visa coibir o avanço da Ômicron

Governo do Ceará publicou decreto após o aumento de casos positivos da variante Ômicron no território cearense.

Em transmissão pelas redes sociais, nesta quarta-feira (5.jan.2022), o governador do Ceará, Camilo Santana, ao lado do secretário da Saúde, Marcos Gadelha, anunciou decisão tomada pelo Comitê Estadual de Enfrentamento à Pandemia para frear o avanço dos vírus que acarretam síndrome gripal e ampliar as ações de prevenção e assistência. Estão suspensos todos os eventos de Pré-Carnaval e Carnaval no Ceará.

Outros eventos festivos e sociais (como casamentos, formaturas e coorporativos) podem acontecer apenas com a redução da capacidade de ocupação, para até 250 pessoas em ambientes fechados e 500 pessoas em ambientes abertos. O novo decreto passa a valer a partir desta quinta-feira (6.jan.2022). As medidas vigoram por um mês.

“Foi detectado um aumento das transmissões após as grandes festas, mediante dados que revelam um aumento preocupante dos casos em geral no Ceará. Os indicadores demonstram que precisamos estancar essa velocidade de transmissão da Ômicron e, por isso, o comitê decidiu que ficam suspensos todos os eventos de Carnaval e Pré-Carnaval no Estado do Ceará. Além disso, reduzimos a capacidade de ocupação em festas e eventos sociais para 10% do que era praticado no decreto anterior”, anunciou.

“Então, pelos próximos 30 dias estão autorizados eventos mediante o controle sanitário e a exigência do passaporte vacinal, e com até 250 pessoas em ambientes fechados, e até 500 pessoas em ambientes abertos”, completou.

O anúncio foi feito após reuniões promovidas com a Prefeitura de Fortaleza e suas equipes de saúde na terça-feira (4.jan.2022), e mais duas promovidas nesta quarta-feira (5.jan.2022), com o Comitê Estadual de Enfrentamento à Pandemia do Coronavírus, que reúne 25 entidades e órgãos cearenses, e com cerca de 150 prefeitos do Interior cearense, e seus respectivos secretários de saúde.

“Destacamos a importância das medidas de prevenção, principalmente quanto à atenção básica de saúde e quanto à vacinação, que ajuda muito a proteger a população. O Governo do Estado estará ao lado de todos os municípios, apoiando em tudo aquilo que for possível”, assegurou.

Ao detalhar os dados que levaram à decisão do comitê, Camilo Santana destacou a disseminação da variante Ômicron no Ceará e o aumento dos casos de Influenza, principalmente na Capital. O crescimento de testes positivos foi registrado em todos os seis Centros de Testagem do Ceará (cinco em Fortaleza e um em Juazeiro do Norte).

Como exemplo, ele citou que, de dezembro de 2021 para o início deste ano, no Centro de Testagem para Viajantes do Aeroporto Internacional Pinto Martins a taxa de positividade de testes aumentou em 100 vezes. “Isso acarreta também uma procura pelos serviços de saúde, que também aumentaram muito”, expôs.

O secretário da Saúde do Ceará confirmou que os casos da variante Ômicron têm uma disseminação de alta velocidade, e que o Estado já sinaliza predominância nos novos casos detectados. Somado a isso, há forte aumento de atendimentos para doenças com sintomas respiratórios.

Foto: Reprodução/Governo do Ceará

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Estudos apontam que sistema imunológico de vacinados e reinfectados resiste à Ômicron

Estudos apontam que sistema imunológico de vacinados e reinfectados resiste à Ômicron

Estudos preliminares feitos na África do Sul, nos Países Baixos e Estados Unidos (EUA) revelam que o sistema imunológico dos vacinados ou reinfectados com o SARS-CoV-2 previne casos graves de covid-19. Liderada por especialistas da África do Sul, a pesquisa concluiu que grande parte da resposta de células T, estimuladas pela vacinação ou por infecções anteriores, é mantida na presença da variante Ômicron.

Segundo os pesquisadores, essa pode ser explicação para o menor número de hospitalizações e óbitos do que em outras ondas da doença. Todos os estudos analisaram linfócitos, glóbulos brancos capazes de lembrar um agente patogênico e eliminá-lo do organismo por meses, anos, décadas, ou mesmo ao longo da vida.

A elite desses glóbulos brancos são os chamados “linfócitos assassinos” que identificam as células infectadas e as matam. Isso evita que o vírus prolongue a infecção e cause doença grave. A esse tipo de linfócito, conhecido como CD8, são adicionados os CD4, que ajudam a reativar o sistema imunológico em caso de nova infecção.

As pesquisadoras Catherine Riou e Wendy Burgers, da Universidade da Cidade do Cabo, observaram a resposta de linfócitos T de “memória” (que lembram como combater o vírus) em 90 pessoas inoculadas com as vacinas da Pfizer (duas doses), Johnson & Johnson (uma ou duas doses) ou previamente infectadas.

Os resultados – ainda preliminares por não terem sido analisados por especialistas independentes – revelam que a resposta dos linfócitos à Ômicron tem intensidade entre 70% e 80% em relação às variantes anteriores.

Nos Estados Unidos, a equipe do imunologista Alessandro Sette analisou as células brancas de 86 pessoas vacinadas com Moderna, Pfizer e Janssen. Os resultados, também preliminares, mostram que até 90% da resposta permanece intacta com a Ômicron.

Nos Países Baixos, outro estudo preliminar com 60 profissionais de saúde vacinados com Pfizer, Moderna AstraZeneca ou Janssen revela que a imunidade medida pelos glóbulos brancos contra a Ômicron é tão elevada quanto as outras variantes.

Esses resultados contrastam com os estudos sobre o sistema imunológico realizados até agora, que se concentraram em anticorpos. Essas proteínas são produzidas após a infecção ou vacinação e podem impedir que o vírus entre nas células. Vários estudos mostraram que a eficácia dos anticorpos contra a Ômicron é muito menor do que a registrada com as outras variantes.

Com o grande número de infecções pela variante Ômicron, registrada em muitos países, haverá muitas hospitalizações por curto período de tempo.

Os novos dados parecem confirmar o que está sendo observado em vários países: a Ômicron infecta pessoas vacinadas ou já infectadas, mas tem menos possibilidade de escapar aos leucócitos que ainda são capazes de identificar as células e eliminá-las antes que causem a doença grave.

Isso pode explicar como a África do Sul teve 80% menos de hospitalizações com a Ômicron do que com as cepas anteriores. É, no entanto, muito cedo saber o real impacto da nova variante do SARS-CoV-2 nas hospitalizações e óbitos.

Pulmões

Um grupo de cientistas da Universidade de Hong Kong descobriu que a Ômicron se replica 70 vezes mais rapidamente do que a Delta nas vias áreas humanas, mas é muito mais lenta na infecção do tecido pulmonar, o que pode sugerir menor gravidade da doença.

Segundo os estudos, o SARS-CoV-2 entra nas células que revestem o nariz, a garganta e as vias respiratórias superiores de forma diferente; portanto, apesar de ter sido encontrada em grandes quantidades nas vias respiratórias, a concentração do vírus é menor no tecido pulmonar.

Uma equipe que analisa a Ômicron descobriu uma proteína essencial encontrada nas células do pulmão, chamada TMPRSS2, que impede a nova variante de entrar e infectar as células pulmonares.

Com informações da Agência Brasil

Foto: REUTERS/Dado Ruvic/Direitos Reservados

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Pela primeira vez, Estados Unidos registram mais de 1 milhão de casos diários de covid-19

Pela primeira vez, Estados Unidos registram mais de 1 milhão de casos diários de covid-19

Os Estados Unidos registraram nesta segunda-feira (3.jan.2022) mais de um milhão de casos diários de covid-19 pela primeira vez desde o início da pandemia, conforme dados da plataforma de monitoramento da Universidade Johns Hopkins. O total de 1.083.948 é quase o dobro do recorde anterior de cerca de 590 mil casos estabelecido há apenas quatro dias.

Segundo as autoridades de saúde, atualmente há 103 mil pessoas internadas por conta da doença no país, o maior número em quatro meses. As hospitalizações ocorrem principalmente entre pessoas não vacinadas. De acordo com os dados mais recentes do Centro de Controle de Doenças, até novembro, as taxas de internações eram oito vezes maiores para adultos não imunizados e cerca de dez vezes maiores para crianças com idades entre 12 e 17 anos que não tomaram as doses contra o coronavírus.

O número de pessoas infectadas pode ser ainda maior no país, onde os testes caseiros, cujos resultados não são enviados para as autoridades, tornam-se cada vez mais populares. Ainda assim, é possível que o número da primeira segunda-feira útil de 2022 tenha sido superinflado pelo acúmulo de notificações acumuladas do período das festas de fim de ano.

O aumento de casos diários e internações é impulsionado pela variante Ômicron. Apesar de estudos preliminares apontarem que a nova cepa causa sintomas mais leves, ela se mostra mais transmissível e hospitais já enfrentam desafios para atender a demanda de novos pacientes.

Nesta terça-feira, o presidente Joe Biden e a vice Kamala Harris planejam se reunir com a equipe de enfrentamento ao coronavírus da Casa Branca para discutir um novo plano de ação no país.

Retorno para as aulas

O cenário com mais infecções mudou os planos de distritos escolares que programavam o retorno dos alunos para as aulas nesta segunda-feira, após as festas de fim de ano. Em alguns estados, as aulas vão começar de forma remota, outros vão exigir dos estudantes comprovante de vacinação e até teste com resultado negativo para a Covid-19.

Com informações de O Globo

Foto: Reprodução/Angela Weiss/AFP via Getty Images

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério da Saúde informa que Brasil tem 77 casos confirmados da variante Ômicron

Ministério da Saúde informa que Brasil tem 77 casos confirmados da variante Ômicron

O balanço divulgado nesta terça-feira (28.dez.2021) pelo Ministério da Saúde indica que foram registrados 77 casos no Brasil da nova variante do novo coronavírus, a Ômicron.

As infecções foram registradas em São Paulo (27), em Goiás (22), em Minas Gerais (16), no Rio Grande do Sul (3), no Distrito Federal (1), no Rio de Janeiro (1), no Espírito Santo (1), em Santa Catarina (3) e Ceará (3).

Há ainda, segundo a pasta, 211 casos da variante Ômicron em investigação, sendo 16 no Distrito Federal, 114 em Minas Gerais, 58 em Santa Catarina e 23 no Rio Grande do Sul.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério da Saúde afirma que Brasil tem 32 casos confirmados da variante Ômicron

Ministério da Saúde afirma que Brasil tem 32 casos confirmados da variante Ômicron

Balanço divulgado na quarta-feira (22.dez.2021) pelo Ministério da Saúde indica que foram registrados 32 casos no Brasil da variante Ômicron. As infecções foram registradas em São Paulo (20), em Goiás (4), em Minas Gerais (3), no Distrito Federal (2), no Rio Grande do Sul (1), no Rio de Janeiro (1) e em Santa Catarina (1).

Há ainda, segundo a pasta, 23 casos em investigação, sendo dois em Goiás e 21 no Rio Grande do Sul.

Com informações da Agência Brasil

Foto: NIAID

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Segundo estudo, terceira dose da AstraZeneca protege contra Ômicron

Segundo estudo, terceira dose da AstraZeneca protege contra Ômicron

A farmacêutica AstraZeneca anunciou nesta quinta-feira (23.dez.2021) que a terceira dose de sua vacina aumenta “significativamente” o nível de anticorpos contra a nova variante Ômicron.

Com base em estudo de laboratório da Universidade de Oxford, a AstraZeneca anunciou, em comunicado, que os níveis de anticorpos que neutralizam a Ômicron após uma terceira dose da vacina foram globalmente similares aos níveis alcançados após as duas doses contra a variante Delta.

A farmacêutica anglo-sueca acrescentou que “os níveis observados após uma terceira dose foram maiores do que os anticorpos encontrados em indivíduos que haviam sido previamente infectados e se recuperaram naturalmente” das variantes Alfa, Beta, Delta e linhagens originais do SARS-CoV-2.

A empresa esclareceu que o estudo da terceira dose foi conduzido “de forma independente” por investigadores da Universidade de Oxford, com quem a AstraZeneca desenvolveu a sua vacina. “É muito encorajador ver que as vacinas atuais têm o potencial de proteger contra a Ômicron após uma terceira dose de reforço”, afirmou John Bell, um dos pesquisadores da Universidade de Oxford que conduziram o estudo.

Vários trabalhos recentes, realizados em laboratório, mostram que o nível de anticorpos diminui contra a Ômicron em pessoas vacinadas com os imunizantes da Pfizer/BioNTech, Moderna e ainda mais com a vacina da AstraZeneca ou da chinesa Sinovac.

Paralelamente, a Pfizer e a Moderna também anunciaram recentemente que uma dose de reforço das suas vacinas parece aumentar significativamente a imunidade por anticorpos, mas faltam dados sobre quanto tempo essa proteção dura. Embora os dados iniciais sejam positivos, a AstraZeneca anunciou na terça-feira (21.dez.2021) que está trabalhando com a Universidade de Oxford para produzir uma vacina específica para a Ômicron.

A nova variante já foi detectada em 106 países e já é dominante em vários países, tendo assim superado a Delta. Apesar de ser mais transmissível, a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que ainda não existem dados que permitam concluir que a Ômicron é menos ou mais grave que Delta.

Novos estudos indicam que a Ômicron é mais contagiosa, mas menos perigosa que a Delta. Pesquisas realizadas no Reino Unido, na África do Sul e Escócia revelam que as internações hospitalares de doentes infectados com a variante Ômicron diminuem entre 40% e 45%, em comparação com a Delta.

Apesar de ser necessário maior número de anticorpos para neutralizar a nova variante, a OMS e o regulador europeu de medicamento consideram que as vacinas aprovadas para a covid-19 continuam eficazes contra a doença grave, hospitalizações e morte.

O diretor-geral da OMS alertou nessa quarta-feira (22.dez.2021) sobre a ilusão de que bastaria administrar doses de reforço para sair da pandemia de covid-19. “Nenhum país será capaz de sair da pandemia com doses de reforço e esse reforço não é um sinal verde para comemorar, como já avisamos anteriormente”, disse Tedros Adhanom.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Reuters/Rachel Wisniewski/Direitos Reservados

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério da Saúde confirma 19 casos da variante Ômicron no Brasil e investiga mais sete

Ministério da Saúde confirma 19 casos da variante Ômicron no Brasil e investiga mais sete

O total de casos confirmados da variante Ômicron no Brasil chega a 19, conforme balanço divulgado nesta quarta-feira (15.dez.2021) pelo Ministério da Saúde.

As infecções pela variante Ômicron no Brasil foram registradas em São Paulo (13), no Distrito Federal (2), no Rio Grande do Sul (2) e em Goiás (2). Há ainda, segundo a pasta, sete casos em investigação em Goiás (2) e Minas Gerais (5).

Sem precedentes

Mais cedo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que a variante foi detectada em 77 países e se espalha em um ritmo sem precedentes.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Reprodução/NIAID

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

OMS afirma que Ômicron representa risco global muito alto

OMS afirma que Ômicron representa risco global “muito alto”

A variante Ômicron, que já foi detectada em mais de 60 países, representa risco global “muito alto”, com evidências de que foge à proteção vacinal, mas os dados clínicos sobre sua gravidade continuam limitados, disse a Organização Mundial da Saúde (OMS).

A Ômicron está rodeada de incertezas consideráveis. Detectada pela primeira vez no mês passado na África do Sul e em Hong Kong, ela tem mutações que podem levar à maior transmissibilidade e a mais casos de covid-19, informou a OMS em resumo técnico divulgado nesse domingo (12).

“O risco geral relacionado à nova variante de preocupação Ômicron permanece muito alto por uma série de razões”, disse a entidade, reiterando a avaliação inicial que fez da cepa em 29 de novembro.

“E, em segundo lugar, as evidências preliminares sugerem potencial fuga imunológica humoral contra infecções e altas taxas de transmissão, o que poderia levar a novos surtos com graves conseqüências”, acrescentou a organização, referindo-se à potencial capacidade do vírus de escapar da imunidade proporcionada pelos anticorpos.

A OMS citou algumas evidências preliminares de que o número de pessoas sendo reinfectadas com o vírus aumentou na África do Sul.

Embora as descobertas preliminares na África do Sul sugiram que a Ômicron pode ser menos grave que a variante Delta – atualmente dominante em todo o mundo – e todos os casos relatados na região da Europa tenham sido leves ou assintomáticos, ainda não está claro até que ponto a Ômicron pode ser inerentemente menos virulenta, disse a OMS.

“São necessários mais dados para entender o perfil de gravidade. Mesmo que a gravidade seja potencialmente menor do que para a variante Delta, é esperado que as hospitalizações aumentem como resultado do aumento da transmissão. Mais hospitalizações podem representar um fardo para os sistemas de saúde e levar a mais mortes”.

Mais informações sobre a nova variante são esperadas para as próximas semanas, afirmou a OMS.

Foto: Reprodução

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Reino Unido confirma primeira morte em decorrência da variante Ômicron

Reino Unido confirma primeira morte em decorrência da variante Ômicron

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, disse nesta segunda-feira (13.dez.2021) que ao menos um paciente morreu no país depois de contrair a variante Ômicron do coronavírus. “Infelizmente, foi confirmado agora que ao menos um paciente morreu com a variante Ômicron”, informou Johnson.

“Então, acho que a ideia de que esta é, de alguma maneira, uma versão mais branda do vírus é algo que precisamos deixar de lado e, simplesmente, reconhecer o ritmo intenso com que ela se dissemina entre a população”, complementou o primeiro-ministro.

Ele também impôs restrições mais duras desde que os primeiros casos da variante Ômicron foram detectados no país em 27 de novembro. No domingo (12.dez.2021), Johnson pediu às pessoas que recebam vacinas de reforço. Segundo ele, a medida é para evitar que o sistema de saúde fique sobrecarregado.

De acordo com o secretário britânico da Saúde, Sajid Javid, a Ômicron está se disseminando em um “ritmo fenomenal”. Atualmente, a cepa já representa cerca de 40% das infecções em Londres.

Foto: Reprodução/NIAID

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Variante Ômicron chega a 57 países e OMS alerta para o aumento de hospitalizações

Variante Ômicron chega a 57 países e OMS alerta para o aumento de hospitalizações

A variante Ômicron já foi notificada em 57 países e o número de pacientes que precisarão de internação hospitalar provavelmente aumentará à medida que ela se dissemina, alertou a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta quarta-feira (8.dez.2021). Em seu relatório epidemiológico semanal, a OMS disse que mais dados são necessários para avaliar a gravidade da doença causada pela Ômicron e se suas mutações podem reduzir a proteção da imunidade induzida pelas vacinas.

“Mesmo que a gravidade seja igual, ou possivelmente até menor, que a da variante Delta, é de se esperar que as hospitalizações aumentem se mais pessoas se infectarem e que ocorra um lapso de tempo entre um aumento na incidência de casos e um aumento na incidência de mortes”, afirmou a agência.

No dia 26 de novembro, a OMS declarou a Ômicron, detectada primeiramente no sul da África, como uma “variante preocupante”. Trata-se da quinta variante da SARS-CoV-2 a receber essa designação. O número de casos de covid-19 relatados na África do Sul dobrou na semana encerrada em 5 de novembro, quando passou de 62 mil. Aumentos de incidência “muito grandes” são vistos na Suazilândia, Zimbábue, Moçambique, Namíbia e Lesoto, informou a organização.

A disseminação da Ômicron, somada ao aumento dos exames e às taxas baixas de vacinação, pode ter desempenhado um papel, acrescentou a OMS. “Análises preliminares indicam que as mutações presentes na variante Ômicron podem diminuir a atividade neutralizadora de anticorpos, resultando em uma proteção reduzida da imunidade natural”, disse a OMS sobre o risco de infecção.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Reuters/Sumaya Hisham/Direitos Reservados

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

De acordo com Pfizer e BioNTech, três doses de sua vacina neutralizam a variante Ômicron

De acordo com Pfizer e BioNTech, três doses de sua vacina neutralizam a variante Ômicron

A BioNTech e a Pfizer informaram que estudos preliminares apontaram que três doses de sua vacina contra a covid-19 neutralizam a variante Ômicron. As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (8.dez.2021). De acordo com as empresas, o resultado obtido um mês após a terceira dose é comparável ao observado após duas doses contra a cepa original.

Segundo o comunicado das fabricantes, duas doses da vacina resultaram em anticorpos neutralizantes significativamente mais baixos, porém uma terceira dose aumenta os anticorpos em 25 vezes. As empresas também destacaram que mesmo com a queda dos anticorpos neutralizantes após duas doses, a vacina segue protegendo contra as formas graves da doença.

As marcas também afirmaram que estão monitorando de perto a efetividade da vacina no mundo real contra a variante Ômicron, e vão continuar a coletar mais dados de laboratórios. Além disso, as marcas garantiram que, se necessário, podem entregar uma vacina adaptada para a nova variante em março de 2022.

Foto: Reprodução/Sérgio Bernardo

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Homem de 38 anos é o primeiro com variante Ômicron na Argentina

Homem de 38 anos é o primeiro com variante Ômicron na Argentina

O primeiro caso da variante Ômicron na Argentina foi identificado em um um cidadão que regressou de uma viagem de trabalho à África do Sul, informou o Ministério da Saúde do país. O homem, de 38 anos, já cumpria quarentena após ter regressado ao país em 30 de novembro, de acordo com um comunicado da pasta.

As quatro pessoas com quem esteve em contato também estão em isolamento, apesar de terem recebido resultado negativo nos testes já realizados, segundo a nota.

De acordo com as novas regras anunciadas pelo governo argentino para combater a propagação da variante Ômicron na Argentina, os viajantes que estiveram no continente africano nas últimas semanas são obrigados a cumprir quarentena, devendo fazer um teste PCR para sair do isolamento.

No domingo, 5, a Argentina diagnosticou 1.294 novos casos de covid-19, elevando o total de infectados, desde o início da pandemia, para 5,34 milhões. O país registrou um total de 116,64 mil mortes, incluindo três nas últimas 24 horas.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Juan Mabromata / AFP

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Segundo a OMS, variante Ômicron é bastante infecciosa, mas as pessoas não devem entrar em pânico

Segundo a OMS, variante Ômicron é “bastante infecciosa”, mas as pessoas não devem entrar em pânico

De acordo com a cientista-chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS), Soumya Swaminathan, a nova variante coronavírus, denominada de Ômicron pelo órgão, é muito transmissível, mas que as pessoas não devem entrar em pânico. A afirmação foi dada na conferência Reuters Next, nesta sexta-feira (3.dez.2021).

Segundo ela, a resposta certa a ser dada é estar preparado e ser cauteloso e não entrar em pânico diante da Ômicron. “Até que ponto devemos ficar preocupados? Precisamos estar preparados e cautelosos, não entrar em pânico, porque estamos em uma situação diferente de um ano atrás”, disse Swaminathan.

Ainda de acordo com a cientista, atualmente o mundo está muito mais bem preparado graças ao desenvolvimento das vacinas desde o início da pandemia.

Foto: Ascom/Semop/Ilustração

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Temendo a variante Ômicron, prefeitura de Extremoz cancela festa de réveillon

Temendo a variante Ômicron, prefeitura de Extremoz cancela festa de réveillon

A prefeitura de Extremoz, na Região Metropolitana de Natal, decidiu cancelar a festa de réveillon que ocorreria na virada do ano. Segundo a gestão municipal, o cancelamento ocorre devido o aumento de casos de covid-19 no Estado e também por preocupações com o surgimento da variante Ômicron.

Uma nota oficial da prefeitura de Extremoz informando o cancelamento está prevista para esta sexta-feira (3.dez.2021), mas a Secretaria de Saúde do município antecipou à imprensa na noite da quinta-feira que a festa seria cancelada. “Nossa festa seria um evento grande, então, por causa disso, a Prefeitura decidiu cancelar”, afirmou a Secretaria.

Foto: Reprodução

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério da Saúde já confirmou cinco casos da variante Ômicron no Brasil

Ministério da Saúde já confirmou cinco casos da variante Ômicron no Brasil

O Ministério da Saúde (MS) já confirmou cinco casos da variante Ômicron no Brasil: três estão em São Paulo e dois no Distrito Federal. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (2.dez.2021) pela pasta, que informou que se tratam de quatro homens e uma mulher, todos vacinados contra a covid-19. Segundo o MS, eles estão isolados e pelo menos um apresenta sintomas leves. A maioria está assintomática.

O MS informou ainda que investiga mais oito casos suspeitos da variante Ômicron no Brasil, sendo um em Minas Gerais, um no Rio de Janeiro e seis no Distrito Federal.

Em nota, o ministro Marcelo Queiroga informou que a pasta está atenta a situação: “Hoje, temos uma situação sanitária bem mais equilibrada, mas lidamos com a imprevisibilidade biológica desse vírus, que sofre mutações. A vigilância em saúde está atenta e atuante pra que essas variantes sejam identificadas e pra que se avalie o potencial dessa variante complicar o cenário pandêmico”, afirmou.

Foto: NIAID

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministro da Saúde reconhece seriedade da variante Ômicron e pede que brasileiros mantenham cuidados

Ministro da Saúde reconhece seriedade da variante Ômicron e pede que brasileiros mantenham cuidados

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, reafirmou no último domingo (28.nov.2021) que a principal arma contra a covid-19 é a vacinação. Mais cedo, o ministro realizou uma transmissão ao vivo nas redes sociais durante reunião de trabalho sobre a variante Ômicron do novo coronavírus.

Segundo Queiroga, o cenário epidemiológico no Brasil é de maior tranquilidade em função da campanha de vacinação. Até o momento, foram distribuídas aos estados 372 milhões de doses, sendo que 308 milhões já foram aplicadas na população. “Gostaria de tranquilizar todos os brasileiros, porque os cuidados com essa variante são os mesmos cuidados com as outras variantes. A principal arma que nós temos para enfrentar essas situações é a nossa campanha de imunização”, afirmou.

De acordo com o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, as medidas de proteção contra a covid-19 devem ser mantidas. “É extremamente importante que mantenhamos foco na campanha de vacinação e que mantenhamos as medidas chamadas não farmacológicas [uso de máscaras], evitarmos aglomerações públicas, higienização das mãos, álcool em gel e etiqueta respiratória”, disse.

Na semana passada, o surgimento de uma variante do novo coronavírus foi confirmado em regiões da África. Batizada de variante Ômicron – letra grega correspondente à letra “o” do alfabeto -, a cepa B.1.1.529 foi identificada em Botsuana, país vizinho à África do Sul, em meados de novembro.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a variante pode se tornar responsável pela maior parte de novos registros de infecção pelo novo coronavírus em províncias sul-africanas.

No Brasil, ainda não foi registrado nenhum caso da variante Ômicron. Por medida de precaução, a partir de amanhã (29), o governo federal decidiu restringir e entrada de passageiros oriundos da África do Sul, Botsuana, Lesoto, Namíbia, Zimbábue, Eswatini (ex-Suazilândia), Angola, Malawi, Moçambique e Zâmbia.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

BioNTech afirma que já está trabalhando em vacina para conter a variante Ômicron

BioNTech afirma que já está trabalhando em vacina para conter a variante Ômicron

A BioNTech informou ontem (29.nov.2021) que começou a trabalhar em uma vacina para combater a Ômicron, a nova variante do coronavírus detectada na África do Sul. Ainda não está claro se a empresa terá que retrabalhar a vacina que desenvolveu em parceria com a Pfizer contra a covid-19.

O desenvolvimento de uma vacina adaptada faz parte do procedimento padrão da empresa para novas variantes, disse a BioNTech, que produz imunizantes junto com a Pfizer, em comunicado. “Os primeiros passos para desenvolver uma potencial nova vacina se sobrepõem à pesquisa necessária para avaliar se uma nova dose será necessária”, acrescentou.

A variante Ômicron carrega um risco global muito alto de surtos, alertou hoje a Organização Mundial da Saúde (OMS), conforme mais países relataram casos, o que levou ao fechamento de fronteiras.

A BioNTech disse, na sexta-feira (26.nov.2021), que espera mais dados de laboratório nas próximas duas semanas para ajudar a determinar se há necessidade de uma vacina específica para a Ômicron. Sua rival, a Moderna, informou que está trabalhando em uma reformulação de sua vacina contra a covid-19 para futuras doses de reforço.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Reuters/Kai Pfaffenbach/Direitos Reservados

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Prefeitura de Salvador cancela festa de fim de ano devido à variante Ômicron

Prefeitura de Salvador cancela festa de fim de ano devido à variante Ômicron

Variante Ômicron é considerada uma cepa preocupante em decorrência do seu alto número de mutações.

O prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), anunciou nesta segunda-feira (29.nov.2021) que não haverá mais festa de Réveillon em Salvador. A programação foi cancelada após uma avaliação criteriosa a partir do surgimento da nova variante Ômicron e do aumento de casos de covid-19 em países da Europa.

“Sei da importância do Réveillon de Salvador para a economia, mas seguimos colocando a vida das pessoas em primeiro lugar”, afirmou o gestor municipal por meio das redes sociais. O público estimado no evento era de 250 mil pessoas.

Já em relação ao Carnaval, considerados dos mais tradicionais do Brasil, Bruno afirmou que irá tomar a decisão em conjunto com o governo do estado. “Considerando toda segurança e cautela necessária para o momento”, disse.

Foto: Valter Pontes/Secom/Ilustração

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Especialistas investigam se brasileiro infectado na África do Sul tem a variante Ômicron

Especialistas investigam se brasileiro infectado na África do Sul tem a variante Ômicron

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou neste domingo (28) que um brasileiro com passagem pela África do Sul testou positivo para a covid-19 ao desembarcar no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Não foi confirmado se o passageiro está contaminado pela variante Ômicron.

De acordo com a Anvisa, o passageiro chegou ao país nesse sábado (27), em um voo da Ethiopian Airlines, apresentou um teste negativo feito na origem do voo, conforme determina uma portaria interministerial, e estava assintomático. No entanto, um novo teste PCR, realizado em um laboratório do aeroporto, deu positivo. O cidadão é vacinado contra a covid-19.

Após a identificação, autoridades de saúde foram notificadas pela Agência. “Após a identificação e testagem com resultado positivo para covid-19, o paciente foi colocado em isolamento e já cumpre quarentena residencial. Os órgãos de saúde estadual e municipal passam a fazer o monitoramento do caso. O Ministério da Saúde acompanha o caso”, informou o órgão.

As restrições a viajantes oriundos de países da África começam a valer somente amanhã (29), mas a Anvisa já está atuando diante do risco de transmissão da variante Ômicron.

Na semana passada, o surgimento de uma variante no novo coronavírus foi confirmado em regiões da África. Batizada de Ômicronletra grega correspondente à letra “o” do alfabeto -, a cepa B.1.1.529 foi identificada em Botsuana, país vizinho à África do Sul, em meados de novembro. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a variante pode se tornar responsável pela maior parte de novos registros de infecção pelo novo coronavírus em províncias sul-africanas.

No Brasil, ainda não foi registrado nenhum caso da Ômicron. Por medida de precaução, a partir desta segunda, o governo federal decidiu restringir e entrada de passageiros oriundos da África do Sul, Botsuana, Lesoto, Namíbia, Zimbábue, Eswatini (ex-Suazilândia), Angola, Malawi, Moçambique e Zâmbia.

Foto: Ilustração/NIAID/NIH

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Morre Marília Mendonça após acidente aéreo; veja fotos CINCO deputados do RN votam pelo furo do teto de gastos Após rompimento de parceria com o Flow Podcast, hackers invadem iFood, trocam nome de restaurantes e dão apoio a Bolsonaro Azul mira compra da Latam Airlines e visa à criação de gigante sul-americana Homem se dá mal após tentar jogar drogas pela janela em Mossoró Adolescente de 16 anos é suspeito de matar os próprios irmãos, de 2 e 4 anos, no Rio de Janeiro Preço da gasolina sobe 47% em 2021 e já custa R$ 7,29 em Natal após novo reajuste Cidade faz ‘recall’ de vacinação após enfermeira da Cruz Vermelha injetar água e sal na população Mulher dá à luz dentro de elevador de condomínio na Grande Natal Operação Falsos Heróis: Polícia Federal deflagra 2ª fase de operação contra contrabando de cigarros; um policial foi preso e outro afastado Vulcão Cumbre Vieja em La Palma não dá sinais de abrandamento Cocaína no Ceará tem tudo, menos o princípio ativo da droga