CPI da COvid

Prorrogação da CPI da Covid está quase certa, dizem senadores

Senadores contam com o apoio da maioria dos colegas para a prorrogação da CPI da Covid no Senado; serão mais três meses de trabalho.

Estimativa dos parlamentares envolvidos na CPI da Covid é de que já exista um grupo majoritário que defende a ideia de prorrogação da Comissão. Instalada no fim de abril, a CPI terminaria no mês de julho; porém, de acordo com os senadores oposicionistas de um grupo independente, há maioria para a prorrogação dos trabalhos.

A expectativa do grupo é de que pelo menos 35 parlamentares subscrevam o documento que dá prosseguimento à CPI da Covid, o que está de acordo com o regimento interno do Senado, que define a necessidade de um terço dos membros da Casa para que os trabalhos da CPI possam continuar.

O regimento ainda define que, após a assinatura de um terço dos senadores participantes na CPI da Covid em prol da prorrogação, o documento precisa ser enviado para o presidente do Senado, o senador Rodrigo Pacheco, do DEM. Pacheco então oficializa a prorrogação lendo o requerimento em plenário.

É certo que a bancada governista não quer que a CPI da Covid continue, a fim de evitar a fritura de Bolsonaro e de seus aliados desde que foi instaurada em abril. Os governistas já esperam uma pressão maior, após o escândalo da Covaxin se aproximando da alta cúpula do Governo.

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado