Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte

Professores da rede municipal de Educação mantêm greve em Natal

Professores da Rede Municipal de Natal iniciam greve por tempo indeterminado; categoria cobra reajuste do Piso Salarial

Os professores da Rede Municipal de Natal aprovaram, nesta segunda-feira (28.mar.2022), greve por tempo indeterminado. A categoria cobra o reajuste do Piso Salarial de 2022 e reivindica melhores condições estruturais nas escolas da capital.

A decisão pela greve ocorreu durante Assembleia realizada na manhã desta segunda-feira, no auditório do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (Sinte/RN).

De acordo com o Sinte/RN, o prefeito de Natal, Álvaro Dias, ainda não sinalizou nenhuma possibilidade de diálogo sobre o reajuste de 33,24% no Piso Salarial dos professores. Os problemas estruturais das escolas e a falta de realização de concurso público também foram motivos que levaram à paralisação dos educadores.

“Omisso, o chefe do Executivo municipal se nega a negociar o Piso Salarial 2022 após tentar durante os últimos dois anos dar um calote e não implementar a correção de 2020”, disse, em nota, o Sinte/RN, se referindo também à atualização salarial de 12,84% no ano de 2020, cuja totalidade foi vetada pelo prefeito, mas garantida posteriormente pela Câmara Municipal de Natal que, há algumas semanas, derrubou o veto parcial.

“A falta de estrutura física e sanitária para trabalhar nas escolas e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI), sobretudo após o início da pandemia da covid-19, é outra razão para a deflagração do movimento grevista. Uma outra motivação é a luta em prol da realização de concurso público na Rede Municipal”, acrescentou o Sinte/RN.

Os Professores da Rede Municipal de Natal realizam um protesto em frente à sede da Prefeitura, na Cidade Alta, na tentativa de conseguir um diálogo com o município. A greve ocorre menos de uma semana depois do início do ano letivo da Rede Municipal de Ensino.

Foto: Reprodução/Instagram

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Sindicato dos professores considera insuficiente a proposta de reajuste salarial apresentada

Sindicato dos professores considera insuficiente a proposta de reajuste salarial apresentada

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (Sinte/RN) considerou a proposta inicial para o reajuste salarial dos professores da rede estadual de ensino como insuficiente. A oferta feita pela Secretaria de Estado de Educação e Cultura (SEEC) nesta sexta-feira (4.fez.2022) propõe a implantação de reajuste salarial de 13% para pagamento da primeira parcela do Piso de professores da ativa, aposentados e pensionistas no mês de março.

Sobre o retroativo e os 20,24% restantes, o Governo do Estado afirmou que buscará as condições para aplicar o pagamento para toda categoria bem como implantar o reajuste em sua totalidade ao longo do ano, mas não apresentou datas para a quitação e condicionou este pagamento ao aval da justiça. Segundo o sindicato, o argumento usado é que 2022 é ano eleitoral e que serão necessárias consultas ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) para que haja garantia jurídica em caso de parcelamento após o mês de abril.

O Sinte/RN considerou a proposta insuficiente, “embora signifique o início das negociações com o Governo”, avaliou o sindicato, por meio de nota. A SEEC/RN também propôs a criação de uma mesa permanente de negociação com o sindicato.

Para a coordenadora geral do Sinte/RN, Fátima Cardoso, caso exista a intenção real do Governo do Estado de implantar o piso 2022, o Executivo precisa apresentar um escalonamento de parcelas que abranja o reajuste salarial em sua totalidade e não somente indicar uma data para quitação da parcela inicial. Fátima também reitera que a categoria vai lutar para conquistar o percentual de 33,24%, e afirmou que a criação e manutenção de uma mesa de negociação só é possível se houver elementos de previsão sobre o piso da categoria.

De acordo com o secretário de Educação do Estado, Getúlio Marques, o governo pretende pagar o piso salarial. “É desejo da Governadora que o Piso dos professores seja implantado. Então, buscaremos as formas disso acontecer, de acordo com o limite financeiro do Estado”, afirmou. Segundo o governo, o impacto dos 33,24% na folha do funcionalismo será de R$1.014 bilhões ao ano.

Foto: Lenilton Lima/Sinte-RN

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Em Natal, professores da rede municipal contrariam decisão da justiça e mantêm greve

Em Natal, professores da rede municipal contrariam decisão da justiça e mantêm greve

Os professores da rede municipal de ensino de Natal decidiram manter a greve iniciada em dezembro. Uma decisão judicial do dia 22 de dezembro determinou a suspensão da greve. Além de permanecer com o movimento grevista, a categoria montou um acampamento em frente à sede da Prefeitura do Natal e protestou na manhã desta segunda-feira (27.dez.2021).

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (Sinte/RN), a categoria decidiu recorrer da decisão da justiça. A greve dos professores de Natal foi iniciada no dia 10 de dezembro. Na ocasião, os educadores reclamaram que estão há dois anos sem reajuste.

A Secretaria Municipal de Educação (SME), por sua vez, ofereceu aos professores um reajuste de 6,42% a ser pago de forma imediata, além do retroativo, para os ativos e inativos. A proposta foi recusada pela categoria.

Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Em Natal, professores da rede municipal aprovam indicativo de greve

Em Natal, professores da rede municipal aprovam indicativo de greve

Os professores da rede municipal de Natal aprovaram indicativo de greve para a próxima segunda-feira (6.dez.2021). A decisão foi tomada em uma assembleia presencial promovida na quarta-feira (1º.dez.2021) que reuniu 400 professores no local e cerca de 300 que participaram de forma remota, segundo informações do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (Sinte/RN).

Na reunião, os educadores decidiram que, após o indicativo de greve, a paralisação será deflagrada em mais uma Assembleia, que será realizada na próxima segunda-feira (6.dez.2021), às 14h, em local ainda não definido pelo sindicato.

De acordo com o Sinte/RN, a paralisação ocorre para pressionar a Prefeitura de Natal a garantir a atualização salarial 2020, reivindicada há quase dois anos pela categoria. Os professores também cobram da gestão municipal melhores condições de trabalho, afirmando que há falta de biossegurança nas escolas e Centros Municipais de Educação (CMEIs), bem como problemas na infraestrutura nos prédios.

A Secretaria Municipal de Educação de Natal (SME) ainda não se posicionou sobre a greve.

Foto: Lenilton Lima

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

É #FAKE que o Midway Mall vai cobrar pelo estacionamento Como consultar valores a receber com o Banco Central Morre Marília Mendonça após acidente aéreo; veja fotos CINCO deputados do RN votam pelo furo do teto de gastos Após rompimento de parceria com o Flow Podcast, hackers invadem iFood, trocam nome de restaurantes e dão apoio a Bolsonaro Azul mira compra da Latam Airlines e visa à criação de gigante sul-americana Homem se dá mal após tentar jogar drogas pela janela em Mossoró Adolescente de 16 anos é suspeito de matar os próprios irmãos, de 2 e 4 anos, no Rio de Janeiro Preço da gasolina sobe 47% em 2021 e já custa R$ 7,29 em Natal após novo reajuste Cidade faz ‘recall’ de vacinação após enfermeira da Cruz Vermelha injetar água e sal na população Mulher dá à luz dentro de elevador de condomínio na Grande Natal Operação Falsos Heróis: Polícia Federal deflagra 2ª fase de operação contra contrabando de cigarros; um policial foi preso e outro afastado