Serial Killer do DF

Serial killer do DF é procurado por quase 300 policiais

Caçada ao serial killer do DF, Lázaro Barbosa, entra no oitavo dia e mobiliza quase 300 policiais do Distrito Federal e de Goiás.

Foragido após matar quatro pessoas da mesma família, sequestrar outras três para suposto ritual e trocar tiros com policiais na fuga, Lázaro Barbosa de Sousa, de 32 anos, continua sendo caçado por agentes das polícias Civil e Militar do Distrito Federal e de Goiás.

Lázaro é descrito como uma pessoa de altíssima periculosidade, um verdadeiro ‘psicopata’; e possui uma ficha criminal enorme, de acordo com a justiça e com a polícia. Os agentes ainda afirmam que serial killer do DF é caçador, o que facilita sua movimentação por dentro das fazendas e chácaras da região.

De acordo com o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, Lázaro é “mateiro e faz um grande esforço para se esconder da polícia”. O povoado de Edilândia, em Goiás, nas adjacências do Distrito Federal, e regiões vizinhas estão cercados pela polícia. A Polícia Rodoviária Federal e a Polícia Federal estão monitorando as rodovias no intuito de capturar o criminoso.

Além disso, foram disponibilizados cães farejadores e helicópteros das secretarias estaduais de segurança do Distrito Federal e de Goiás. De acordo com o secretário, as chances de captura estão maiores em decorrência do cansaço e da dificuldade que Lázaro tem encontrado para obter alimentos.

De acordo com moradores da região, o serial killer do DF teria sido visto na tarde da última quarta-feira, 16, e provavelmente foi baleado após troca de tiros com um caseiro. As autoridades policiais, todavia, alegam que é improvável que o criminoso tenha sido atingido, pois não há quaisquer vestígios de sangue pela área.

Serial killer do DF matou quatro pessoas

No histórico de crimes atribuídos a Lázaro, o mais recente ocorreu na semana passada, ao invadir uma chácara em Ceilândia, possivelmente para roubar, segundo apontam as investigações. Ele é acusado de ter matado um casal e dois filhos.

Cláudio Vidal de Oliveira, 48 anos, Gustavo Vidal, 21, e Carlos Eduardo Vidal, 15, foram assassinados no local. Os corpos estavam sob folhas para que não fossem vistos pelas buscas aéreas da polícia.

Cleonice Andrade, 43, foi levada como refém e teve o corpo localizado três dias depois, às margens de um córrego, sem roupas. De acordo com a polícia, a vítima foi executada com tiro na nuca.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

É #FAKE que o Midway Mall vai cobrar pelo estacionamento Como consultar valores a receber com o Banco Central Morre Marília Mendonça após acidente aéreo; veja fotos CINCO deputados do RN votam pelo furo do teto de gastos Após rompimento de parceria com o Flow Podcast, hackers invadem iFood, trocam nome de restaurantes e dão apoio a Bolsonaro Azul mira compra da Latam Airlines e visa à criação de gigante sul-americana Homem se dá mal após tentar jogar drogas pela janela em Mossoró Adolescente de 16 anos é suspeito de matar os próprios irmãos, de 2 e 4 anos, no Rio de Janeiro Preço da gasolina sobe 47% em 2021 e já custa R$ 7,29 em Natal após novo reajuste Cidade faz ‘recall’ de vacinação após enfermeira da Cruz Vermelha injetar água e sal na população Mulher dá à luz dentro de elevador de condomínio na Grande Natal Operação Falsos Heróis: Polícia Federal deflagra 2ª fase de operação contra contrabando de cigarros; um policial foi preso e outro afastado