Saúde - Por dentro do RN

Saúde

Notícias e dicas sobre saúde.

Minha Escola Nota 10: Sesap e SEEC lançam programa para ampliar cobertura vacinal nas escolas

Minha Escola Nota 10: Sesap e SEEC lançam programa para ampliar cobertura vacinal nas escolas

Com o objetivo de incentivar a vacinação e ampliar a cobertura vacinal de crianças e adolescentes no Rio Grande do Norte, o governo do estado lançou nesta terça-feira (24.mai.2022) o projeto Minha Escola Nota 10. A ação pretende levar, entre maio e julho, atividades de conscientização sobre a importância das imunizações e promover a vacinação no âmbito escolar.

O Minha Escola Nota 10 é uma  parceria entre as secretarias estaduais de saúde pública (Sesap/RN) e educação (SEEC). O secretário de saúde do RN, Cipriano Maia, destacou a importância do projeto. “Precisamos avançar nessa vacinação dos menores de idade e essa ação é primordial na nossa estratégia. As escolas estão em todas as comunidades do estado, próximas as famílias, por isso são o foco desse trabalho”.

Entre as vacinas do calendário infantil em idade escolar estão os reforços da DTP (difteria, tétano e coqueluche) e poliomielite, tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba), influenza, febre amarela, HPV, hepatite e Covid-19.  A cada ano as coberturas vacinais vem caindo em todo o Brasil, o que acaba aumentando o risco de surtos e da introdução de doenças até então erradicadas, como o sarampo. 

De acordo com o Programa Estadual de Imunizações da Sesap, entre os principais problemas para a baixa cobertura vacinal estão a falsa sensação de segurança, dificuldades no acesso aos serviços de saúde (horário, fichas, filas), fake news e medo de reação adversa. 

“As escolas tem essa condição de melhorar o acesso das crianças a esse benefício de proteção, onde os pais estão sobrecarregados e não tem condições de levar os filhos até a vacinação, que é acima de tudo uma proteção coletiva”, comentou a promotora de Justiça Rosane Pessoa Moreno.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Mossoró confirma morte de bebê de 4 meses com suspeita da hepatite misteriosa; é o primeiro caso confirmado no RN

Mossoró confirma morte de bebê de 4 meses com suspeita da hepatite misteriosa; é o primeiro caso confirmado no RN

A hepatite misteriosa está acometendo crianças em, ao menos, 20 países. A doença se manifesta de forma muito severa e não tem relação direta com os vírus conhecidos da enfermidade.

A Secretaria de Saúde do município de Mossoró confirmou, nesta terça-feira (24.mai.2022), a morte do primeiro paciente com suspeita de hepatite aguda de causa desconhecida no Rio Grande do Norte. Ontem, a Secretaria de Estado e Saúde Pública (Sesap/RN) havia comunicado a notificação da suspeita da doença, mas sem detalhes sobre o quadro do paciente.

O óbito aconteceu no dia 17 de maio no Hospital Wilson Rosado. O paciente era um bebê de 4 meses, com família residente na cidade de Serra do Mel, região Oeste do estado. De acordo com Secretaria de Saúde de Mossoró, a criança tinha síndrome de Down, lesão renal e cardiopatia congênita, e havia sido internada no dia 8 de maio com tosse, febre, pneumonia e desconforto respiratório.

A Sesap informou que irá se pronunciar apenas após a conclusão das investigações, que ainda não possuem prazo para serem encerradas. 

A hepatite misteriosa já foi registrada em pelo menos 20 países e se manifesta de forma muito severa, não tendo relação direta com os vírus conhecidos da enfermidade. Em cerca de 10% dos casos foi necessário realizar o transplante de fígado.

Um detalhamento dos sintomas da doença pode ser encontrado no site da Opas.

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Rio Grande do Norte tem mais de 760 mil pessoas com a dose de reforço contra a covid-19 em atraso

Rio Grande do Norte tem mais de 760 mil pessoas com a dose de reforço contra a covid-19 em atraso

No Rio Grande do Norte, 767.796 pessoas estão em atraso para o recebimento da dose de reforço (D3) contra a covid-19. É o que revela o relatório da plataforma RN+Vacina, com dados atualizados das 13h34 dessa segunda-feira (23). A Secretaria Estadual da Saúde Pública (Sesap) reforça a importância da vacinação e pede que os cidadãos cumpram o esquema vacinal em dia.

Nos dados divulgados, a maior parcela do público que está com a dose de reforço em atraso é a de jovens entre 18 e 29 anos, com 251.234 deles enquadrados nessa situação. Na sequência, vêm as pessoas de 30 a 39 anos, com 191.815 atrasados. O estado passou 39 dias sem registro de mortes pela doença, num cenário de queda nos números relacionados ao coronavírus.

A melhora na situação epidemiológica está ligada à vacinação, segundo a Sesap. A pasta reforça, porém, que a população deve se atentar quanto as doses em atraso. “A Sesap, mais uma vez, faz esse apelo para que as pessoas busquem os postos de saúde. Já está mais do que comprovado o quanto a vacina é eficaz e tem nos tirado desse estado de pandemia”, afirmou a coordenadora de vigilância epidemiológica da Sesap, Diana Rêgo.

A segunda dose (D2) também tem atrasados na casa das centenas de milhares. São 257.837 cidadãos que já deveriam ter tomado a D2 e ainda não o fizeram. A faixa etária com maior atraso nesse caso é a de crianças de cinco a 11 anos, com 61.351, seguida da de jovens entre 18 e 29 anos, com 60.304 atrasados.

Dias sem mortes

O Rio Grande do Norte encerrou, nessa segunda-feira (23.mai.2022), uma sequência de 39 dias sem notificação de óbitos confirmados para a covid-19. Os óbitos foram registrados em Angicos e Mossoró. Uma vítima era um adulto que não havia tomado nenhuma dose de vacina contra a doença e a outra, um idoso que havia tomado duas doses e tinha muitas comorbidades, segundo a Sesap.

Foto: Reprodução/Adriano Abreu

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Número de casos de AIDS no RN chega a 6.470 em 10 anos

Número de casos de AIDS no RN chega a 6.470 em 10 anos

Casos de AIDS no RN chegaram a 6.470 em 10 anos, sendo 64 em menores de cinco anos e 1.057 em gestantes; 1.068 crianças foram expostas ao vírus.

O Rio Grande do Norte, entre 2011 e 2021, apresentou 6.470 casos de AIDS, sendo 64 casos de AIDS em menores de cinco anos, 1.057 gestantes infectadas pelo HIV, 1.068 crianças expostas ao HIV. O estado teve registrados 6.906 casos de infecção pelo HIV e 1.404 óbitos por AIDS. Os dados são do boletim HIV/AIDS emitido este mês pelo Programa Estadual de IST, AIDS e Hepatites Virais da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap)/RN.

Nesse período, percebe-se um crescimento de 36,8% no registro de casos de AIDS, de 28,8% nos casos de infecção pelo HIV, de 74% no número de casos de gestantes infectadas pelo HIV, de 203,2% na identificação de crianças expostas ao HIV e de 19,4% na ocorrência de óbitos por AIDS.

No entanto, a notificação de casos de AIDS em menores de cinco anos apresentou uma redução de 100%. De acordo com Gislainhy Aline Pires da Silva, responsável técnica do Programa Estadual de IST, AIDS e Hepatites Virais, nos últimos dez anos percebe-se importante variação no número de casos notificados de AIDS no estado. “Entretanto quando comparados os anos de 2011 e 2021, verifica-se um incremento de 36,8% no registro de casos”, disse.

Desses, 6.363 (98,3%) ocorreram em adultos e 107 (1,7%) em crianças. A distribuição dos casos de AIDS por região de saúde de residência mostra que a Região Metropolitana apresentou 56,1% dos casos e o município de Natal concentrou 38,5% do total de casos registrados no estado.

“O Estado vem incansavelmente apoiando as ações de IST’s e monitorando os dados epidemiológicos. É importante destacar corresponsabilização das regionais de saúde e dos municípios na elaboração e desenvolvimento de estratégias de prevenção, tratamento e vigilância do HIV/AIDS, pois os municípios devem facilitar o acesso as testagens rápidas para os usuários”, afirma a responsável técnica do Programa.

A taxa de detecção de AIDS apresentou aumento no período avaliado, passando 15,5 casos por 100 mil habitantes em 2011 para 19,1 casos por 100 mil habitantes em 2021, revelando um acréscimo de 23,3%. Com exceção do Seridó, que teve uma redução de 20%, as demais regiões mostraram aumento na taxa de detecção, com variações de 94,4% no Agreste, de 17,4% no Oeste, de 43,4% no Mato Grande, de 30,7% no Trairi/Potengi, de 56,1% no Alto Oeste, de 9,9% na Região Metropolitana e de 71,9% no Vale do Açu.

Entre 2011 e 2021, foram registrados 4.650 (71,9%) casos de AIDS no RN em homens e 1.820 (28,1%) casos em mulheres. Nos homens, a taxa de detecção passou de 22,7 para 29,5 casos por 100 mil habitantes, representando um aumento de 30%. Entre as mulheres, a taxa passou de 8,7 para 9,3 casos por 100 mil habitantes, revelando um crescimento de 7% nesse grupo.

A maior concentração dos casos, entre 2011 e 2021, foi observada nos indivíduos com idade entre 30 e 39 anos (31,1%). Nos homens, a faixa etária que apresentou maior variação, no período, foi a de 13 a 19 anos (184%) e, nas mulheres, maior crescimento foi observado na faixa etária de 60 anos e mais (150%).

HIV/AIDS em Crianças

No período de 2011 a 2021, das 107 crianças registradas com AIDS (menores de 13 anos), 64 (59,8%) foram diagnosticados antes dos cinco anos de idade . A transmissão vertical é a categoria de exposição predominante com percentuais em torno de 76,6%. A maior ocorrência foi na Região Metropolitana que apresentou 51,4% do total de casos identificados. Os municípios que mostraram maior concentração de casos foram Natal com 41 casos (38,3%), Mossoró com 11 casos (10,3%) e Parnamirim com 10 casos (9,3%).

Foto: Reprodução/Ana Silva/Arquivo TN

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Nutrinim: Jujuba criada por estudantes recupera o paladar de pacientes com câncer

Nutrinim: Jujuba criada por estudantes recupera o paladar de pacientes com câncer

Fabricada a partir de óleos essenciais e glutamato monossódico, a jujuba Nutrinim estimula as glândulas salivares e as papilas gustativas.

O tratamento contra o câncer é doloroso e afeta não apenas a saúde mental, como também provoca efeitos colaterais no corpo. Durante a quimioterapia ou radioterapia – intervenções comumente usadas em pacientes oncológicos, pode haver queda de cabelo, náuseas, fadiga, perda de apetite, feridas na boca, entre outras implicações.

Para reduzir os impactos causados por esses tratamentos e, consequentemente, melhorar a qualidade de vida desses pacientes, os estudantes Gustavo Henrique, Cailany Cavalcante e Marialice Gomes, da escola do Serviço Social da Indústria (SESI) de Natal (RN), e Dailton Lima e Elton Oliveira, do SESI São Gonçalo do mesmo estado, criaram a jujuba Nutrinim.

Fabricada a partir de três princípios ativos: óleo essencial de hortelã pimenta, óleo essencial de tangerina e glutamato monossódico; a jujuba estimula as glândulas salivares e as papilas gustativas da língua. O que promove o descongestionamento das vias aéreas e proporciona, em poucos minutos, o retorno do paladar.

O projeto conquistou uma série de premiações desde a sua criação, entre eles: o primeiro lugar da Olimpíada do Futuro 2020; o primeiro lugar do Prêmio Evolução da Olimpíada do Futuro 2021; o segundo lugar da Feira Ciência Jovem 2021, na Categoria Desenvolvimento Tecnológico; foi finalista da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace) 2022; recebeu credenciamento para o ESI AMLAT 2022, além de conquistas de medalhas individuais dos estudantes.

Como a Nutrinim atua?

Cada componente da jujuba trabalha de uma forma no organismo. O óleo essencial de hortelã pimenta dá a sensação de aumento da temperatura da boca e, com isso, ocorre o estímulo das papilas gustativas da língua e intensifica o processo de salivação. A saliva é uma das responsáveis por manter a saúde bucal, além de facilitar o processo de mastigação e gustação.

Já o glutamato monossódico é a forma mais pura do umami, o quinto sabor básico do paladar. Esse sal estimula alguns receptores específicos da língua. Por sua vez, o óleo essencial de tangerina tem a função de auxiliar na salivação do paciente e na regeneração das células, além de deixar a jujuba mais saborosa.

O estudante Dailton explica que o processo de fabricação não é tão complexo, mas que eles utilizavam o laboratório SESI para produzir as jujubas. “Nós fizemos formas em impressão 3D, utilizando modelagem e despejamos a mistura nessas formas”.

A estudante Cailany explica que os procedimentos de quimioterapia e radioterapia destroem tanto as células malignas quanto as benignas. Dessa forma, a perda do paladar é um fator previsível ao longo do tratamento oncológico, pois os alimentos, quando não perdem o seu gosto por completo, ficam com sabor metálico. O que propicia a desnutrição dos pacientes e reduz as chances de finalização do tratamento.

Marialice destaca que a Nutrinim pode ser usada ao longo do tratamento, mas também como ação preventiva para evitar o avanço a quadros críticos na saúde bucal.

A jujuba pode ajudar em outras patologias

Em parceria com o Hospital Universitário Onofre Lopes, os estudantes vão testar a eficácia da jujuba em pacientes com Síndrome de Sjögren, doença é autoimune, que faz com que o sistema imunológico ataque suas próprias células saudáveis. Nesse caso, as glândulas salivares e lacrimais são as afetadas e, como resultado, a pessoa sofre com secura na boca, nos olhos, além de inflamações.

“Além do tratamento dessa síndrome e de pacientes oncológicos, a Nutrinim deve servir para pessoas que estão com problemas na região bucal devido à perda de células. Se elas forem modificadas ou mortas, a nossa jujuba recupera essas células”, explica Marialice.

Próximas testagens e depósito de patente da Nutrinim

Por ser um medicamento, a jujuba passa por experimentações in vitro (fora do organismo vivo), como teste de tempo de desintegração bucal, aumento agudo do fluxo salivar e testes físico-químicos, que são realizados no laboratório do SESI.

A participação em feiras de ciências deu visibilidade ao projeto e fez com que os estudantes conseguissem mentorias, parcerias com hospitais e laboratórios de universidades públicas, como o Hospital Universitário Onofre Lopes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa).

O protótipo foi submetido ao Comitê de Ética e Pesquisa da UFRN. Após aprovação, os alunos darão início aos estudos multicêntricos in vivo (dentro do ser vivo). Isso significa que serão realizados testes simultâneos em pacientes oncológicos e com Síndrome de Sjögren em diferentes instituições.

Além disso, a equipe já deu início ao processo de registro de patente internacional, para obterem segurança jurídica em relação ao produto, e aguardam o seguimento para terem a jujuba registrada e vigente no mercado farmacêutico, após as devidas testagens.

Cailany conta que sempre recebem mensagens de pessoas pedindo para fazerem uso da jujuba. “Ficamos com o coração na mão, porque temos que respeitar todo esse processo. Acho que vai ser mais gratificante quando começarmos a ver o resultado da Nutrinim realmente no mercado. Ver pessoas tendo suas vidas mudadas com essa jujuba”, declara a jovem.

Participação internacional

Em novembro deste ano, a equipe vai participar do ESI AMLAT 2022, evento do Movimento Internacional para a Recreação Científica e Técnica da América Latina (MILSET AMLAT). Esta edição será realizada na Argentina, com cerca de 350 projetos de países latinos inscritos, além de convidados de outros continentes.

A colocação em segundo lugar na feira Ciência Jovem garantiu a credencial aos estudantes nesse evento internacional. “Nós vamos como feira filiada, como representantes do Brasil da feira Ciência Jovem, sem precisar submeter o trabalho, já temos uma garantia de estarmos na final”, explicou o orientador Diego.

Foto: Divulgação/SESI

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Neurologista alerta que enxaqueca requer tratamento médico

Neurologista alerta que enxaqueca requer tratamento médico

Não se deve usar também o termo enxaqueca como sinônimo de cefaleia, alertou o neurologista Leandro Calia.

No mês de conscientização da cefaleia, o neurologista Leandro Calia, membro da Sociedade Brasileira de Cefaleia (SBC) e do corpo clínico do Hospital Albert Einstein, alertou que as pessoas que costumam ter dores de cabeça, chamadas cefaleia na linguagem médica, devem procurar auxílio médico e não acreditar que a doença não tem tratamento. “Tem controle”, assegurou Calia, em entrevista à Agência Brasil.

O neurologista esclareceu que é denominada cefaleia crônica a cefaleia (dor) que ocorre mais do que 15 dias por mês, há mais de três meses. “Isso se chama cefaleia crônica diária”. Dos quatro tipos de cefaleia crônica diária, os mais frequentes são a enxaqueca crônica e a cefaleia crônica diária do tipo tensional. “Qualquer uma que durar mais de 15 dias por mês, por mais do que três meses”.

Segundo Leandro Calia, a grande diferença entre cefaleias crônicas e cefaleias episódicas é o maior comprometimento na qualidade de vida nas pessoas que têm cefaleias crônicas. Não se deve usar também o termo enxaqueca como sinônimo de cefaleia, alertou o neurologista. “Não é a mesma coisa”.

Disse que a cefaleia pode ser secundária, quando é sintoma de alguma doença, como um tumor, meningite, covid-19, por exemplo. Mas pode ser primária, quando é uma doença por si só, isto é, não tem outra doença causando a dor. “Aí, são centenas de tipos de cefaleia”.

Cefaleias primárias incluem a enxaqueca e cefaleia do tipo tensional, a cefaleia em salva (crises de episódios frequentes). Calia advertiu que a exemplo de outras doenças, como o diabetes, por exemplo, a enxaqueca primária tem tratamento. “Tem controle”, reiterou.

Limitação

De acordo com o especialista, a primeira causa de perda de um dia de trabalho, de estudo ou de qualidade de vida é a enxaqueca, abaixo dos 50 anos de idade. “Não é uma doencinha qualquer. É uma doença que limita muito a qualidade (de vida) das pessoas. Na enxaqueca crônica, a dor perdura durante mais de 15 dias no mês”.

Insistiu que a pessoa que tem enxaqueca não deve lidar a doença como se ela fosse algo banal, simples, uma coisa qualquer ou uma desculpa para não ir ao trabalho. “As pessoas confundem uma dor de cabeça leve com a enxaqueca crônica, que é um inferno”. Informou que só 30% a 40% das pessoas que têm enxaqueca crônica têm carteira assinada, porque não conseguem manter um trabalho com uma dor que dura mais de 15 dias por mês.

A importância da conscientização sobre o assunto pode ser avaliada pelos dados a seguir, indicou Leandro Calia. Somente a enxaqueca acomete 16% das mulheres e entre 4% a 5% dos homens, o que significa que 20% da população mundial têm enxaqueca. Considerando a enxaqueca crônica, que dura mais de 15 dias de dor ao mês, por pelo menos três meses ou mais, o número atinge entre 1% a 2% da população mundial. Isso significa que a cada 100 pessoas, uma ou duas sofrem dessa doença.

Calia afirmou que há uma estigmatização, ou preconceito, em relação à enxaqueca, contra as mulheres, porque a enxaqueca ataca mais a população feminina. Lembrou, ainda, que a primeira causa de incapacitação nas pessoas que deixam de ir trabalhar ou estudar, no mundo, é dor lombar. “Só que dor lombar é uma condição que vem de diversas doenças. Centenas de doenças causam dor lombar em qualquer faixa etária”. A segunda causa é enxaqueca. Mas considerando pessoas abaixo de 50 anos, a enxaqueca passa a ser a primeira causa, com impactos econômicos. “Isso é um problema mundial”.

Tratamento

No Brasil, 2% da população têm enxaqueca crônica, enquanto 20% a 25% têm enxaqueca que não chega a durar 15 dias por mês de dor, há mais de três meses. “Se forem 10 a 12 dias, não é chamada crônica”, advertiu Calia. Para tratar a dor no dia em que ela se apresenta, os especialistas fazem um tratamento de resgate, com analgésico.

Ele explicou, contudo, que “tratar é não ter dor. Tratar a enxaqueca é controlar as crises de dor de cabeça para que elas não ocorram”. A isso se denomina tratamento preventivo. “É o único tratamento que mereceria esse nome”. Tem que tratar para a dor não ocorrer.

“Hoje existem medicamentos injetáveis, administrados em pontos nas regiões frontal, occipital (posterior da cabeça), temporal e posterior do pescoço, que relaxam a musculatura. Dessa forma, impede que os neurotransmissores levem os sinais de dor até o músculo, reduzindo a percepção pelo sistema central”, completou a médica neurologista e neuropediatra, Thais Villa, diretora da Sociedade Brasileira de Cefaleia, e também titular da Academia Brasileira de Neurologia e membro do Conselho Consultivo do Comitê de Cefaleias na Infância e Adolescência da International Headache Society.

Leandro Calia explicou que se a pessoa pode fazer uso de medicamentos injetáveis uma vez por mês para que diminua a frequência de dor. Isso é controle, ou seja, diminuir a frequência de dias com dor, diminuir a duração de cada dor, a intensidade da dor, aumentar o efeito positivo dos remédios analgésicos quando a pessoa está com dor.

“Mesmo quando a gente não consegue zerar a dor, tendo um controle como esse, os pacientes são eternamente gratos. Eles saem do inferno. Hoje existem vários tratamentos”. O grande alerta da conscientização é mostrar às pessoas que não devem cair no pressuposto de que não há tratamento para enxaqueca crônica. “Procura o médico e vai se tratar”, recomendou Calia.

Ansiedade, estresse, depressão, rotina inadequada de sono são algumas condições que podem disparar crises de enxaqueca, que perduram por até 72 horas. Outras causas importantes são insônia, jejum prolongado, pouca ingestão de água, sedentarismo e o consumo em excesso de cafeína e bebidas alcoólicas.

Com informações da Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Varíola do macaco é algo para todo mundo se preocupar, diz Biden

‘Varíola do macaco é algo para todo mundo se preocupar’, diz Biden

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse no domingo (22.mai.2022) que os casos recentes de varíola do macaco identificados na Europa e nos Estados Unidos são algo “para se preocupar”. “Caso se espalhar, teria consequências”, ressaltou, em sua primeira declaração pública sobre a doença.

O presidente estava respondendo a uma pergunta sobre a doença enquanto conversava com repórteres na base aérea de Osan, na Coreia do Sul. Ele visitou as tropas locais antes de decolar para o Japão, em sua primeira visita oficial à Ásia como presidente.

“Ainda não me disseram o nível de exposição à varíola do macaco, mas é algo para todo mundo se preocupar”, afirmou. Ele acrescentou que o trabalho para determinar qual vacina poderia ser eficaz estava em andamento. O assessor de Segurança Nacional americano, Jake Sullivan, disse aos repórteres a bordo do voo para Tóquio que os EUA possuem suprimentos de “uma vacina relevante para tratar a varíola do macaco”. “Temos imunizante disponível para isso”, afirmou. Sullivan também disse que Biden está sendo regularmente atualizado sobre a evolução do surto.

A varíola do macaco raramente é identificada fora da África, mas até sexta-feira, 20, havia 80 casos confirmados no mundo inteiro incluindo ao menos dois nos Estados Unidos e outros 50 casos suspeitos. Embora a doença pertença à mesma família de vírus da varíola, seus sintomas são mais leves. Os infectados geralmente se recuperam em duas a quatro semanas sem hospitalização, mas, em algumas ocasiões, a doença é fatal. Fonte: Associated Press.

Com informações do Estadão Conteúdo
Foto: Reprodução/VisualHunt

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Pandemia criou um novo bilionário a cada 30 horas, aponta Oxfam

Pandemia criou um novo bilionário a cada 30 horas, aponta Oxfam

A pandemia, que fez dispararem as ações das empresas de tecnologia negociadas em bolsa, criou um novo bilionário a cada 30 horas, ou seja, 573 novos ultrarricos, segundo divulgado pela ONG Oxfam no domingo (22.mai.2022), mesmo dia da abertura do Fórum Econômico Mundial, em Davos (Suíça).

Como exposto no relatório intitulado “A necessidade urgente de taxar os ricos”, a Oxfam propõe taxar “urgentemente” as grandes fortunas do planeta e alerta que os mais pobres estão sofrendo cada vez mais com a inflação. “Os bilionários vão a Davos comemorar o incrível aumento de suas fortunas”, disse Gabriela Bucher, diretora-executiva da organização internacional por meio de um comunicado.

Após um hiato de dois anos por causa da pandemia, as elites políticas e econômicas mundiais voltaram a se reunir a partir do domingo (22.mai.2022) na cidade suíça de Davos para o Fórum Econômico Mundial. Segundo a ONG, “a pandemia [de Covid-19] e agora as fortes altas nos preços dos alimentos e da energia têm sido simplesmente um golpe de sorte para eles”.

A Oxfam baseia seus números nas listas e classificação da revista Forbes das pessoas mais ricas do mundo, e em dados do Banco Mundial. O relatório não traz a lista de quem se tornou bilionário há pouco tempo, mas destaca que a riqueza total dos bilionários do mundo é agora equivalente a 13,9% do PIB global.

O relatório também revelou que:

  • A fortuna de cada bilionário aumentou nos primeiros 24 meses da pandemia mais do que em 23 anos;
  • Bilionários dos setores alimentício e de energia viram suas fortunas aumentarem em um bilhão de dólares a cada dois dias. Os preços dos alimentos da energia subiram tanto, que atingiram seu nível mais alto em décadas. Além disso, 62 novos bilionários do setor de alimentos surgiram;
  • A pandemia criou 40 novos bilionários do setor farmacêutico, com corporações como Moderna e Pfizer lucrando com a venda de vacina contra Covid-19, apesar de seu desenvolvimento ter sido apoiado por bilhões de dólares em investimentos públicos
  • A combinação entre a crise da COVID-19, o crescimento da desigualdade e o aumento dos preços dos alimentos pode fazer com que até 263 milhões de pessoas estejam na extrema pobreza em 2022, revertendo décadas de progresso. Tal número equivale a um milhão de pessoas a cada 33 horas.

Inflação

Diante deste aumento da riqueza, 263 milhões de pessoas vão cair na pobreza extrema este ano (um milhão de pessoas a cada 33 horas), segundo suas previsões, devido à inflação em alta em muitas partes do mundo, impulsionada principalmente pelo preços da energia e dos alimentos.

“Estamos revertendo décadas de progresso em matéria de pobreza extrema, com milhões de pessoas que enfrentam custos impossíveis para simplesmente se manter com vida”, disse Bucher. Para fazer frente a este problema, a ONG pede a adoção de medidas fiscais, como a adoção de um imposto de solidariedade único sobre a nova riqueza adquirida pelos bilionários durante a pandemia, com o objetivo de utilizar os recursos obtidos para apoiar os mais pobres e conseguir “uma recuperação justa e sustentável” após a pandemia.

A Oxfam também propõe um imposto temporário sobre os lucros extraordinários obtidos nos últimos anos pelas multinacionais dos setores alimentício, farmacêutico e petroleiro, por exemplo.

Um imposto anual de 2% sobre os milionários e de 5% sobre os bilionários geraria 2,52 bilhões de dólares ao ano, segundo estimativas da organização, um montante que poderia tirar 2,3 bilhões de pessoas da pobreza extrema, distribuir vacinas suficientes para todo o planeta e dotar todos os países pobres de cobertura sanitária.

Com informações da France Presse no Portal G1
Foto: Reprodução

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

SEST SENAT Natal participa de ação do Maio Amarelo

Profissionais estiveram presentes no posto da PRF em Macaíba conscientizando motoristas sobre o cuidado com vidas em trânsito

O SEST SENAT Natal participou, nesta terça-feira (17), de uma ação do Maio Amarelo no Posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Macaíba, na Região Metropolitana de Natal. Na ocasião, as equipes atuaram na conscientização aos motoristas sobre a importância da atenção da sociedade para o alto índice de mortos e feridos no trânsito.

Neste ano, o Maio Amarelo destaca o poder de cada cidadão no cuidado com vidas no trânsito através da campanha “Juntos Salvamos Vidas”, que tem o propósito de alertar a sociedade que tudo o que fizermos pode salvar ou colocar uma vida em risco. A campanha propõe uma reflexão e uma mudança de comportamento em busca de uma vida melhor, mais justa e mais segura para todos.

O SEST SENAT é um dos apoiadores centrais do Maio Amarelo deste ano. O movimento é idealizado pelo Observatório Nacional de Segurança Viária e que também conta com apoio central da Confederação Nacional do Transporte (CNT) e da Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Nordeste – FETRONOR.

Desde o dia 9 de maio, profissionais do SEST SENAT estão participando de ações em que levam conscientização e orientações sobre o papel de cada um para a construção de um trânsito mais seguro.

Fotos: Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Após aumento de 1.431% nos casos, Sesap deve decretar epidemia de dengue e arboviroses no RN nesta quarta-feira (18)

Após aumento de 1.431% de casos, Sesap deve decretar epidemia de dengue e arboviroses no RN nesta quarta-feira (18)

Com a explosão dos casos de dengue, o Rio Grande do Norte deve decretar a epidemia de arboviroses nesta quarta-feira (18.mai.2022), que reúne também a chikungunya e o zika. A informação foi confirmada por Kelly Lima, coordenadora de Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap).

O RN registrou, até 7 de maio, 11.535 casos prováveis de dengue. No mesmo período do ano passado foram registrados 806 casos prováveis, o que representa um aumento de 1.431%. “Pelo estudo que fizemos dos últimos anos, a gente já pode classificar — a partir dos dados epidemiológicos — que o estado está vivenciando uma epidemia não só de dengue, mas de arbovirose”, disse a coordenadora. O Estado tem também 3.397 casos de chikungunya e 708 de Zika em 2022.

Assim, a explosão da doença acende um alerta nas autoridades. “A gente inclusive já está com o ofício pronto para solicitar esse pleito da área técnica, para que consiga trabalhar em ações mais efetivas, uma vez que infelizmente não conseguimos avançar com as ações preventivas que deveriam ter sido desencadeadas pelos municípios”, diz Lima.

As dificuldades, de acordo com a coordenadora, já eram sinalizadas pela Sesap desde 2021, “por todo o estudo que estava sendo feito e por entender que as pessoas estavam retomando as suas saídas de casa, e com essas saídas o cuidado acabava ficando um pouco mais negligenciado”, diz. “Infelizmente, as equipes reduzidas dos municípios fizeram com que eles se voltassem para as questões da Covid-19, e acabou que hoje estamos com essa eclosão no número de as arboviroses”.

Entre as ações que a pasta não avançou como gostaria, estão os mutirões de limpeza e as visitas domiciliares. Um dos motivos, afirma Lima, é uma nota técnica do Ministério da Saúde, lançada no início da pandemia e ainda vigente, que restringe a visitação dos agentes de endemias nas casas.

“Ele fala só de peridomicílio: de visitar só o quintal, não entrar nos domicílios por causa da possibilidade de contágio da covid-19. A intenção do Departamento em Vigilância em Saúde da Sesap era retomar as visitas internas nos municípios, já que a gente observa muitos focos em plantas que estão dentro de casa ou até em vasos sanitários”, explica Kelly.

“Então é toda uma inspeção que deve acontecer nos domicílios por parte dos agentes, para que a gente consiga o controle e a investigação de casos”. Sem conseguir garantir as medidas de prevenção como o esperado, “boa parte” das cidades potiguares solicitaram o carro fumacê. “É a última medida que se espera ser utilizada porque existe um risco da pulverização do veneno do inseticida em todos os domicílios, nas ruas”.

Com o decreto publicado, as tomadas de decisão sobre a epidemia deixam de ser exclusivas da Saúde e são assumidas pelo Governo do Estado. “Essa discussão vai para além da Saúde, tem uma discussão ampliada com todo o Governo ou pelo menos com algumas secretarias chave, como a Secretaria de Educação, de Infraestrutura, de Segurança Pública, a Defesa Civil e outras que possam agregar nas ações de combate ao mosquito nos territórios”, aponta Kelly Lima.

Outro motivo é a facilitação da vinda de insumos do Ministério da Saúde, já que o Rio Grande do Norte possui um déficit no número de kits para a realização de exames de detecção das arboviroses. “Infelizmente o envio dos kits para diagnóstico das arboviroses tem sido de forma incipiente para que a gente consiga responder a grande demanda de exames que estão chegando no LACEN (Laboratório Central de Saúde Pública), já que os municípios fazem a coleta desses exames e a amostra vem todas para o laboratório central”, preocupa-se Kelly.

“Então, devido a essa incipiência, quando a gente decreta a epidemia de dengue, ganha a prioridade para o recebimento desses exames em detrimento de outros estados que não estejam em epidemia”, diz. Segundo a coordenadora, o Ministério da Saúde deveria enviar os insumos em junho. “Mas a gente está prestes a entrar no mês de junho e não temos ainda uma data de quando esse suporte vai chegar para os estados”, comenta.

A Sesap declarou que o teste RT-PCR “talvez chegue semana que vem”. A pasta afirmou que possui dois kits, “mas insuficientes para as amostras que temos na Unidade. O mais crítico é a sorologia de Dengue, por problema de importação dos fornecedores”, informou.

Procurado, o Ministério da Saúde informou que “trabalha sem medir esforços para manter a rede de saúde abastecida com os testes diagnósticos de dengue, zika e chikungunya” e que uma nova remessa dos insumos está prevista para ser entregue até o mês de junho.

“Já os testes moleculares da Fiocruz estão sendo entregues diretamente aos Lacens para reforçar o rastreamento da doença em todo o país”, informou a pasta. O Ministério da Saúde advertiu ainda sobre a necessidade da detecção das doenças. “O diagnóstico laboratorial é importante para locais sem transmissão e para identificar a circulação viral. A partir desse diagnóstico inicial, os demais casos podem ser fechados por critério clínico epidemiológico”.

Epidemia de dengue em Natal

Além do estado, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) já havia reconhecido na quinta-feira (12.mai.2022) que Natal vive uma epidemia de dengue. Entre janeiro e abril deste ano, a capital potiguar teve um aumento de 1.566% nos casos de dengue. De acordo com o Boletim Epidemiológico das Arboviroses publicado no dia 10 de maio pela Secretaria Municipal de Saúde, foram 2.966 casos registrados até o período, contra 192 em 2021.

O decreto da epidemia, porém, não foi publicado até o momento. Segundo a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS) de Natal, Vaneska Gadelha, a publicação no Diário Oficial do Município deve sair ainda hoje ou amanhã em formato retroativo. Ela alegou que o atraso na decretação foi por motivos burocráticos da pasta, mas que já foram resolvidos. Sobre as ações da SMS, Gadelha diz que as unidades de saúde já estão preparadas para atender a população. “Toda a rede já está voltada para esse atendimento, com horário estendido”, afirma a diretora.

Foto: Reprodução/Alex Régis

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério Público do RN dá 30 dias para que situação dos carros fumacê seja regularizada pela Sesap

Ministério Público do RN dá 30 dias para que situação dos carros fumacê seja regularizada pela Sesap

Com o recente avanço da epidemia de dengue no Rio Grande do Norte, o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) pediu que o Governo do Estado regularize, no prazo de 30 dias, o funcionamento da frota de carros de UBV Pesada, conhecidos como carros fumacê. A ação está sendo recomendada pela 62ª Promotoria de Justiça de Natal à Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap).

Um levantamento recente, confirmado pela Sesap, mostrou que, dos 15 carros fumacê que existem no estado, apenas quatro estão em funcionamento. Durante a tramitação de inquérito civil, o MPRN constatou que os veículos estão aguardando reparos em um momento de agravamento do cenário epidemiológico das arboviroses (dengue, zika e chikungunya) em todo o RN. A situação, conforme ressaltou o MPRN, tem impactado os serviços públicos de saúde, com a geração de filas de atendimento nas unidades de saúde e hospitalares, tendo em vista o progressivo índice de adoecimento da população.

A coordenadora de vigilância em saúde da Sesap, Kelly Lima, explicpu a demora em conseguir as peças para o reparo dos veículos. “Já vínhamos com o trâmite do processo licitatório, desde o ano passado. Justamente por existir apenas uma empresa para todo o país, que fornecem essas peças específicas para pulverização do inseticida, só conseguimos concluir no início da semana passada esse processo”, afirma a coordenadora.

Para emitir a recomendação, o MPRN levou em consideração o aumento de casos de arboviroses. De acordo com o boletim epidemiológico da semana 14 (término em 9 de abril), foram notificados no Estado 4.784 casos de dengue; 1.719 casos de chikungunya e 368 casos de zika. O boletim também revelou que a maioria dos municípios potiguares se encontra em situação de alerta ou em situação de risco, com risco iminente de surto das arboviroses em todo o RN.  

O mesmo boletim ainda apontou que Natal, Macaíba, Guamaré, Pedro Avelino, Brejinho, Santo Antônio, Várzea, Montanhas, Serrinha, Lagoa D’Anta, Passa e Fica, Jardim do Seridó, Parelhas ainda fazem uso de operações de UBV para controle de Aedes aegypti, sendo esta uma medida importante para a prevenção e contenção das arboviroses. 

Apenas em Natal, entre os meses de março e abril de 2022, houve um aumento vertiginoso na notificação de casos prováveis das três arboviroses: em março foram notificados 630 casos; em abril, 2.318 casos prováveis.

Prazo

Para atender à recomendação, o Estado terá que concluir um processo de licitação que está em curso para a aquisição de peças visando ao conserto de veículos da frota de carros UBV pesada (carros fumacê) ou adotar quaisquer outras medidas pertinentes que coloquem toda a frota em circulação. 

No mesmo prazo de 30 dias, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap) deverá informar ao MPRN as providências tomadas para cumprir a recomendação, encaminhando a devida documentação comprobatória. Caso contrário, deve apresentar as razões que impedem o atendimento à recomendação, sob pena de serem adotadas as medidas judiciais cabíveis. 

Segundo Kelly Lima, a expectativa da Sesap é que, até quarta-feira da próxima semana (25.mai.2022), as peças para conserto das máquinas de pulverização estejam em transporte. Ainda de acordo com a coordenadora de vigilância, pelo menos nove carros estarão rodando em todo o estado até o fim dessa semana e 15 até o fim do mês. 

Foto: Reprodução/Pedro Trindade/Inter TV Cabugi

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Servidores da saúde de Natal encerram paralisação após 32 dias de greve

Servidores da saúde de Natal encerram paralisação após 32 dias de greve

Os servidores da saúde de Natal que estavam em greve desde o dia 11 de abril decidiram pelo fim do movimento grevista na última sexta-feira (13.mai.2022), um mês e dois dias após o início da paralisação. A decisão foi tomada em assembleia realizada pela categoria em frente a Câmara Municipal após avanço nas negociações com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

A proposta aceita pelos servidores da saúde de Natal é de 24,77% de reajuste salarial para técnicos e 9% para profissionais com nível superior, como enfermeiros, médicos e nutricionistas. Também foi concedido reajuste de 69,66% para auxiliares de saúde e 62,97% para os assistentes.

Segundo os servidores, o movimento foi suspenso, mas segue instalado o “estado de greve”, para observação do cumprimento dos pontos acordados entre as partes.

Está marcada para a primeira quinzena do mês de junho a instalação de uma comissão permanente com representantes dos sindicatos, da Câmara Municipal e da prefeitura de Natal com o objetivo de discutir o pagamento retroativo das gratificações, adicionais de insalubridade, adicionais noturnos, atualização de quinquênios, progressões funcionais e revisão do PCCV.

Foto: Reprodução/Sindsaúde

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Rio Grande do Norte não registra mortes por covid-19 há 30 dias

Rio Grande do Norte não registra mortes por covid-19 há 30 dias

O Rio Grande do Norte não registra mortes por covid-19 há 30 dias, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado neste sábado (14.mai.2022) pela Secretaria de Estado e Saúde Pública (Sesap). Segundo a pasta, o quadro se dá principalmente por conta do avanço da vacinação em todas as faixas etárias. No grupo acima dos 60 anos, por exemplo, a cobertura vacinal atingiu toda a população estimada com as duas doses e está em 90% para a dose de reforço.

Neste sábado, a plataforma Regula RN apontou que dos 67 leitos de UTI reservados para pacientes acometidos pela covid-19, onze estão ocupados. Já dos 88 leitos clínicos disponíveis, cinco estão com pacientes internados. Ao longo da pandemia, o Rio Grande do Norte chegou a abrir 840 leitos de UTI e clínicos nos momentos mais críticos.

“Com o avanço da vacinação conseguimos uma melhora gradativa, tanto na transmissão como nos casos de internação, sendo a maioria dos internados ainda sem seu esquema vacinal completo. Reforçamos a importância da vacina em todos os públicos para continuarmos num cenário confortável e esperançoso”, afirma o secretário de Estado da Saúde Pública, Cipriano Maia. 

Atualmente o RN conta com 2.959.606 pessoas vacinadas com a primeira dose, o que representa 93% da população. Com a segunda dose são 2.669.722, totalizando 84%. Com a terceira dose são 1.535.563, 48% da população. Ao todo, 7.253.122 doses foram aplicadas em todos os municípios 

Desde o início da pandemia, o Rio Grande do Norte registrou 504.270 casos confirmados e 8.196 mortes por covid-19. 

Foto: Reprodução/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

MPRN cobra conserto dos carros fumacê da Sesap; 73% dos veículos estão quebrados

MPRN cobra conserto dos carros fumacê da Sesap; 73% dos veículos estão quebrados

De acordo com a Secretaria de Saúde Pública do RN, dos 15 carros fumacê da Sesap, 11 estão quebrados por falta de peças.

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) recomendou na última sexta-feira (13.mai.2022), à Secretaria de Saúde Pública do RN (Sesap/RN), o conserto da frota de carros fumacê da Sesap. A informação foi publicada no Diário Oficial do Estado deste sábado (14.mai.2022). Dos 15 carros fumacê da Sesap, 11 estão quebrados por falta de peças.

A recomendação é assinada pela Promotora de Justiça Substituta, Raquel Batista de Ataíde Fagundes. No texto, a promotora cita o último boletim epidemiológico da semana 14 — concluído no dia 9 de abril — apontando que no RN foram notificados 4784 casos de dengue, 1719 casos de Chikungunya e 368 casos de Zika.

Como mostrou a Tribuna do Norte, Natal registrou 3,2 mil casos de dengue notificados entre janeiro deste ano e as duas primeiras semanas de maio, de acordo com o Departamento de Vigilância em Saúde (DVS) da capital. Os números representam uma epidemia de dengue, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

No documento, o MP diz que 13 municípios potiguares ainda fazem uso do carro Ultra Baixo Volume (UBV) — nome oficial do fumacê —, para controle do mosquito Aedes aegypti, “sendo esta uma medida importante para a prevenção e contenção das arboviroses”. As cidades são Natal, Macaíba, Guamaré, Pedro Avelino, Brejinho, Santo Antônio, Várzea, Montanhas, Serrinha, Lagoa D’Anta, Passa e Fica, Jardim do Seridó e Parelhas.

Assim, o Ministério Público recomenda ao secretário estadual de Saúde, Cipriano Maia, que adote em até 30 dias as providências administrativas necessárias para regularizar o funcionamento da frota de veículos estaduais. Nesse mesmo prazo, a Saúde deve informar ao MP quais medidas foram tomadas para atender à recomendação. “Caso contrário, deve apresentar as razões que impedem o cumprimento do que foi recomendado, sob pena de serem adotadas medidas judiciais cabíveis”, diz o informe do Diário.

Procurada, a Sesap informou que já tomou conhecimento da recomendação. “Inclusive já estamos em fase da chegada das peças. Já existia uma aquisição em curso, mas devido ao valor ser muito alto demorou para o parecer sair”.

A pasta informou que os municípios não possuem carros fumacê próprios. Portanto, os 15 veículos fumacê da Sesap não atendem todo o Estado. A escolha das 13 cidades que são atendidas pelo UBV foi por meio de “solicitações com critérios mediante o números de casos confirmados”, disse a pasta.

“A gente está esperando que parte das peças já cheguem na terça-feira, e acreditamos que até o final de semana a gente está com nove carros na rua. O restante, até o final do mês estará na rua”, informou Kelly Lima, coordenadora de vigilância em saúde da Sesap.

De acordo com a assessoria da secretaria, o atraso no conserto dos carros se deu, além do valor, pela dificuldade na aquisição. “Só tinha uma empresa no Brasil todo que faz. Está acontecendo em vários estados”. A Sesap informou que o valor total das novas peças era de mais de R$ 1 milhão. “Mas para dar celeridade ao processo, foram priorizadas algumas peças para conseguir colocar os carros na rua e [o custo] ficou em aproximadamente R$ 600 mil”, destacou o órgão.

Epidemia e crise

O avanço da dengue tem sido expressivo, principalmente na capital do Estado. Em Natal, segundo a diretora do DVS, Vaneska Gadelha, um gabinete de crise foi instalado em razão da epidemia para intensificar os trabalhos de combate e tratamento dos focos do mosquito. No âmbito dos trabalhos, explica Gadelha, o Centro de Controle de Zoonoses de Natal (CCZ) identificou, por exemplo, que o descarte irregular de pneus em vias públicas é o principal criadouro para o Aedes aegypti na cidade.

“Os pneus estão se tornando criadouros em potencial disparados em toda a cidade. Há três semanas que nós estamos recolhendo de forma não oficial esse material (a Urbana já recolhe de forma oficial junto a borracharias cadastradas)”, esclarece a diretora do DVS. Segundo ela, uma  força-tarefa entre o CCZ, a Companhia de Serviços Urbanos de Natal (Urbana) e a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur) foi montada para o recolhimento.

Vaneska Gadelha afirma que são quase 3 mil pneus recolhidos por semana. Desses, 60% representam foco positivo para a dengue. Todo o material é levado para um galpão coberto da Urbana, de onde é destinado às empresas produtoras de pneus. “Existe uma lei que responsabiliza as empresas pelo lixo que elas produzem. Portanto, é delas o dever de descartar esses produtos”, esclarece a diretora do DVS.

Mas o material recolhido em vias públicas não é a única preocupação do Departamento de Vigilância em Saúde de Natal. A deficiência em vistorias a residências em alguns bairros de Natal também tem mantido aceso o sinal de alerta do DVS. Isso porque, segundo Vaneska Gadelha, de cada 10 imóveis visitados, 7 apresentam focos do Aedes aegypti. “A deficiência não questão das vistorias se dá pela dificuldade das pessoas em aceitar a visita do agente de endemias. Há também o problema dos imóveis fechados”, afirma.

“Por isso nosso apelo é para que as pessoas deixem os agentes entrarem em suas casas. Se houver dúvidas em relação à identidade desse agente, o morador pode ligar para o CCZ e informar a matrícula do funcionário que receberá uma confirmação”, acrescenta Gadelha.

Sobre os imóveis fechados, a diretora do DVS esclarece que há um esforço para a localização dos donos ou responsáveis a fim de que sejam realizadas as vistorias nesses locais.  “O CCZ está sempre na situação de tentar localizar o dono”, diz.

Com informações da Tribuna do Norte
Foto: Reprodução/Pedro Trindade/Inter TV Cabugi

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério da Saúde cria gabinete para monitorar hepatite misteriosa em crianças no Brasil

Ministério da Saúde cria gabinete para monitorar hepatite misteriosa em crianças no Brasil

Na última atualização realizada pela pasta, já foram registrados 44 casos da hepatite misteriosa em todo o Brasil.

O Ministério da Saúde instalou uma sala de situação para monitorar casos de hepatite aguda infantil de origem desconhecida. Segundo a pasta, a proposta é apoiar a investigação de casos da doença notificados em todo Brasil, além de levantar evidências para identificar possíveis causas para a enfermidade.

Na última atualização realizada pela Secretaria de Vigilância em Saúde do ministério, 44 casos da doença haviam sido notificados no país. Desses, três foram descartados e os demais permanecem em monitoramento. Os casos foram reportados nos estados de São Paulo (14), Minas Gerais (7), Rio de Janeiro (6), Paraná (2), Pernambuco (3), Santa Catarina (3), Rio Grande do Sul (3), Mato Grosso do Sul (2) e Espírito Santo (1).

A sala de situação foi aberta nesta sexta-feira (13.mai.2022), vai funcionar todos os dias da semana e conta com a participação de técnicos da pasta, da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e de especialistas convidados.

Além de monitoramento, a sala vai padronizar informações e orientar os fluxos de notificação e investigação dos casos para todas as secretarias estaduais e municipais de saúde, bem como para os laboratórios centrais e de referência de saúde pública. “O objetivo também é contribuir para o esforço internacional na busca de identificação do agente etiológico responsável pela ocorrência da hepatite aguda de causa ainda desconhecida”, informou o ministério.

No último dia 10 de maio, a pasta participou de reunião com um grupo de especialista junto à Organização Mundial da Saúde (OMS) e representantes de oito países (Reino Unido, Espanha, Estados Unidos, Canadá, França, Portugal, Colômbia e Argentina) nas áreas técnicas de emergências em saúde pública, infectologia, pediatria e epidemiologia, para discutir evidências disponíveis até o momento.

Um dia antes, a pasta publicou uma nota técnica com orientação para secretarias estaduais e municipais de saúde sobre a notificação, a investigação e o fluxo laboratorial de casos prováveis de hepatite aguda de etiologia desconhecida em crianças e adolescentes. Como as evidências sobre a hepatite misteriosa ainda são muito dinâmicas, a sala de situação deve atualizar periodicamente as orientações.

Com informações da Agência Brasil
Foto: Reprodução/Getty Images/Westend61

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Serviço de bordo em voos está de volta, mas Anvisa mantém a obrigatoriedade das máscaras

Serviço de bordo em voos está de volta, mas Anvisa mantém a obrigatoriedade das máscaras

A diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou ontem (12.mai.2022) a flexibilização das medidas sanitárias em aeroportos e aeronaves, com a liberação do retorno do serviço de bordo. De acordo com o órgão, as atualizações foram feitas após a decretação do fim da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN) em decorrência da covid-19.

De acordo com as novas normas, está permitida a volta do serviço de bordo, a retirada da máscara para alimentação e o retorno da capacidade máxima de passageiros no transporte para embarque e desembarque pela área remota.

A obrigatoriedade do uso de máscaras dentro do avião e nas áreas restritas dos aeroportos continua mantida, além do desembarque realizado por fileiras e os procedimentos de limpeza e desinfecção de ambientes e superfícies. O distanciamento físico continua recomendado sempre que possível.

Foto: Ilustração/Azul

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Greve dos profissionais de Saúde de Natal aumenta a espera por ambulâncias do Samu; categoria reivindica melhorias

Greve dos profissionais de Saúde de Natal aumenta a espera por ambulâncias do Samu; categoria reivindica melhorias

A greve dos profissionais de Saúde de Natal tem afetado o funcionamento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). De acordo com a assessoria da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a paralisação trouxe uma redução de 50% no número de ambulâncias circulando. Dos 10 veículos da Unidade de Suporte Básico (USB), cinco estão em circulação. Já para as Unidades de Suporte Avançado (USA), são quatro ambulâncias e duas rodando.

Segundo a SMS, a greve tem causado um atraso. Porém, a pasta atribui a demora também à retenção das macas no Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel. “Se as macas ficam retidas, a ambulância tem que ficar parada, porque não vai andar sem maca. A outra causa é a greve dos enfermeiros e técnicos de enfermagem. Porém, mesmo com a frota que está na ativa, se não fossem as macas paradas, o tempo de espera seria menor, porque teria fluxo. Sem rotatividade, complica ainda mais”, disse a assessoria.

No Walfredo Gurgel, o vaivém de ambulâncias se mantém, sendo a maioria de ambulâncias brancas, que vêm do interior. Assim, para a coordenadora de Pronto-Socorro do hospital, a greve não trouxe consequências graves para o hospital. “O hospital não sente tanto o impacto. Pelo contrário. Como tem um número menor de ambulância circulando, teoricamente vai chegar menos ambulância aqui”, diz Melka Torquato. A diretora do Walfredo, Maria de Fátima Pinheiro, concorda: “as ambulâncias brancas batem recorde. Elas chegam muito mais aqui do que as ambulâncias do Samu. Se só o Samu trouxesse para o Walfredo, a gente diminuiria a superlotação do nosso corredor”, afirma.

A diretora lembra que o tempo de saída para as emergências se mantém em um minuto, quando a equipe é chamada e sai da base. Nesses casos, é acionado o código 3 [o mais grave] para ir até a ocorrência. Porém, com metade das ambulâncias circulando, não dá para suprir toda a demanda, o que causa um atraso para as outras ocorrências. “Se tiver o chamado e não tiver ambulância, é lógico que vai demorar mais”, argumenta Melka Torquato. “O que a população faz? Pega e leva por conta própria. Acontece, vem de carro próprio, porque quer salvar o seu parente”, diz a diretora do Walfredo.

Reivindicação dos profissionais de Saúde

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Rio Grande do Norte (Sindsaúde/RN) afirmou que a entidade não tem uma posição definida no momento. Como as decisões são da categoria, a direção convocará uma assembleia nesta sexta-feira (13.mai.2022).

Porém, sobre os problemas do Samu, o coordenador do Sindsaúde, Flávio Gomes, justificou que não são resultado da paralisação. “Não são problema da greve. São recorrentes na Prefeitura de Natal, mas só aparecem na greve”. O sindicalista criticou o tratamento recebido pela categoria nos dois anos de pandemia e afirmou que a greve é unificada com outros sindicatos.

Além do Sindsaúde, participam o Sindicato dos Enfermeiros (Sindern), dos Odontologistas (Soern) e dos Farmacêuticos (Sinfarn). Os médicos compõem outra categoria, que não aderiu. Gomes disse esperar outro posicionamento da Prefeitura. “Uma proposta digna para o servidor, nada de boca. Queremos compromisso por escrito”, disse o diretor.

As exigências dos profissionais de Saúde de Natal são a garantia do pagamento de insalubridade, gratificações e aumento salarial. A proposta da Prefeitura é de reajuste de 8%, enquanto os profissionais exigem uma reposição dos oito anos sem reajuste. A cobrança principal é para a atualização da data-base.

Os sindicalistas não falam de uma porcentagem específica, entretanto, se baseiam em um estudo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) para justificar a perda do poder de compra do salário mínimo nos últimos anos. Com isso, os vencimentos dos servidores estariam defasados.

Com informações da Tribuna do Norte
Foto: Reprodução/Alex Régis

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Após ação judicial do CRTR16, Mossoró passa a pagar piso salarial atualizado e adicional de insalubridade para Técnicos em Radiologia

Após uma ação judicial movida pelo Conselho Regional de Técnicos em Radiologia da 16ª Região (CRTR16), o município de Mossoró, no Rio Grande do Norte, passou a pagar o piso salarial atualizado e adicional de insalubridade de 40% para os Técnicos em Radiologia que atuam, como determina a Lei 7.394/85, que regula o exercício da profissão. A mudança passou a ser adotada neste mês de abril.

“Para nós, esta é uma grande conquista, já que, infelizmente, em muitos municípios os profissionais não recebem o piso salarial determinado por lei. Apesar da função principal dos conselhos profissionais ser a fiscalização do exercício da profissão, nós também buscamos garantir o efetivo cumprimento dos direitos dos auxiliares, técnicos e tecnólogos em radiologia do Rio Grande do Norte e na Paraíba.”, explicou o Presidente do CRTR16, Fontaine Araújo.

Além do piso salarial e do adicional de insalubridade de 40%, o município está implementando a carga horária de 24h semanais, também determinada pela Lei 7.394/85. “No que tange a carga horária de trabalho, conforme se pode verificar das informações e das folhas de ponto anexado aos autos pela parte ré, fica evidente que os técnicos em radiologia trabalham 30 horas semanais, em desacordo com a carga horária de 24 horas semanais prevista na citada lei.”, explicou o juiz Lauro Henrique Lobo Bandeira em sua sentença.

De acordo com o Técnico em Radiologia José Rodrigues de Sousa, que atua na rede municipal de saúde de Mossoró/RN, o salário-base dos profissionais passou de R$ 1.150,00 para R$ 2.424,00. Para ele, a aprovação da lei representa uma vitória para toda a categoria: “A conquista do piso nacional para os Técnicos em Radiologia do município, através de um processo judicial do CRTR16, concretiza uma luta histórica nossa.”, afirmou.

Foto: Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Programa Viva+RN Via Costeira passa a acontecer de 15 em 15 dias

Programa Viva+RN Via Costeira passa a acontecer de 15 em 15 dias

Neste domingo, 15, será realizada mais uma edição do Programa Viva+RN Via Costeira. O evento passará a acontecer quinzenalmente, com ações integradas voltadas para qualidade de vida, esporte, lazer, educação para o trânsito, ecoturismo, educação ambiental, um espaço de lazer entre outras práticas que promovam a melhoria da qualidade de vida para da população. 

O trecho entre a rotatória do Hotel Serhs e o antigo Vale das Cascatas, no sentido Ponta Negra/Praia do Meio, estará liberado para pedestres entre as 16h e as 19 horas para a realização das atividades.

A programação incluirá apresentação teatral sobre Educação do Trânsito, em alusão ao Maio Amarelo, tenda para cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC), dicas de atividades físicas, orientações para adoção de hábitos saudáveis e participação do projeto “Bora de Bike”, de incentivo ao uso de bicicleta como meio de transporte. 

Mais sobre o Programa Viva+RN Via Costeira

O programa Viva+RN Via Costeira é realizado pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Saúde Pública, que atua através do Programa RN + Saudável e programa Vida no Trânsito em conjunto com o Conselho Estadual de Trânsito (Cetran/RN), Subsecretaria de Esporte e Lazer, Departamento Estadual de Trânsito (Detran/RN), Lei Seca, Comando da Polícia Rodoviária Estadual (CPRE) da Polícia Militar. Contamos também com o apoio  da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) , Unimed, Sterbom entre outras parcerias .

Um espaço de práticas fitness e de práticas integrativas. Venham com suas bikes e tragam suas garrafinhas de água.

Foto: Reprodução

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Natal declara epidemia de dengue após aumento de 1.566% nos casos da doença

Natal declara epidemia de dengue e convoca gabinete de crise após aumento de 1.566% nos casos da doença

Com aumento de 1.566% nos casos, Natal declara epidemia de dengue e convoca gabinete de crise para lidar com o problema.

Entre janeiro e abril deste ano, o município de Natal teve um aumento de 1.566% nos casos de dengue. Nesse cenário, a capital potiguar declarou que vive uma epidemia da doença. A informação foi confirmada pelo departamento de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) à Inter TV Cabugi, nesta quarta-feira (11.mai.2022).

A cidade já teve registro de 2.966 casos neste ano. No mesmo período de 2021 foram 192 pacientes com dengue. Chikungunya, de 39 para 176, e zika, de nove para 13, também tiveram crescimento no número de casos.

Para declarar a situação de epidemia de dengue, o departamento de Vigilância em Saúde leva em consideração três pontos referenciados pelo Ministério da Saúde: a incidência de casos por três semanas consecutivas, a taxa de notificações por 100 mil habitantes e o número crescente de busca e atendimento nos postos de urgências.

Para combater a situação, um gabinete de crise foi instituído e, além da SMS, conta com as participações da Companhia de Serviços Urbanos (Urbana), a Secretaria de Obras e Infraestrutura (Semov), a Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb) e a Secretaria Municipal de Educação (SME).

Foto: Reprodução

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Brasil tem 28 casos confirmados da hepatite desconhecida em crianças

Brasil tem 28 casos confirmados da hepatite desconhecida em crianças

O Ministério da Saúde informou nesta quarta-feira (11.mai.2022) que está monitorando 28 casos suspeitos de um tipo de hepatite aguda infantil de origem até agora desconhecida. São dois no estado do Espírito Santo, quatro em Minas Gerais, três no Paraná, dois em Pernambuco, sete no Rio de Janeiro, dois em Santa Catarina e oito em São Paulo.

“Os casos da hepatite desconhecida seguem em investigação. Os centros de informações estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs) e a Rede Nacional de Vigilância Hospitalar (Renaveh) monitoram qualquer alteração do perfil epidemiológico, bem como casos suspeitos da doença”, disse a pasta em comunicado.

O ministério orientou os profissionais de saúde a notificar imediatamente à autoridade sanitária os casos suspeitos da doença. A hepatite desconhecida está acometendo crianças em, ao menos, 20 países. A doença se manifesta de forma muito severa e não tem relação direta com os vírus conhecidos da enfermidade. Em cerca de 10% dos casos foi necessário realizar o transplante de fígado.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 200 casos, até o último dia 29, haviam sido reportados no mundo, a maioria (163) no Reino Unido. Houve relatos também na Espanha, Israel, Estados Unidos, Dinamarca, Irlanda, Holanda, Itália, Noruega, França, Romênia, Bélgica e Argentina. A doença atinge principalmente crianças de um mês a 16 anos. Até o momento, foi relatada a morte de uma criança.

Em comunicado divulgado em 23 de abril, a OMS disse que não há relação entre a doença e as vacinas utilizadas contra a covid-19. “As hipóteses relacionadas aos efeitos colaterais das vacinas covid-19 não têm sustentação pois a grande maioria das crianças afetadas não recebeu a vacinação contra a covid-19”.

Em nota divulgada no início de abril, a Agência Nacional de Saúde do Reino Unido, país com o maior número de casos relatados, disse também que não há evidências de qualquer ligação da doença com a vacina contra o coronavírus. “A maioria das crianças afetadas tem menos de cinco anos, jovens demais para receber a vacina”.

Sintomas da hepatite desconhecida

De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), braço da OMS nas Américas e Caribe, os pacientes da hepatite aguda apresentaram sintomas gastrointestinais, incluindo dor abdominal, diarreia, vômitos, e icterícia (quando a pele e a parte branca dos olhos ficam amareladas). Não houve registro de febre.

O tratamento atual busca aliviar os sintomas e estabilizar o paciente se o caso for grave. As recomendações de tratamento deverão ser aprimoradas, assim que a origem da infecção for determinada. Os pais devem ficar atentos aos sintomas, como diarreia ou vômito, e aos sinais de icterícia. Nesses casos, deve-se procurar atendimento médico imediatamente.

Um detalhamento dos sintomas da doença pode ser encontrado no site da Opas.

Com informações da Agência Brasil
Foto: Reprodução/Arquivo/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Sesap aplica 1.849 doses da vacina contra a covid-19 na população em situação de rua do RN

Sesap aplica 1.849 doses da vacina contra a covid-19 na população em situação de rua do RN

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) realizou um mutirão para imunizar pessoas em situação de rua por todo o Rio Grande do Norte. Foram aplicadas 1.849 doses de imunizante para covid-19, sendo 751 em Natal, 295 em Mossoró e 157, em Parnamirim, municípios onde mais pessoas foram vacinadas. Os dados foram obtidos nesta quarta-feira (11.mai.2022), por meio da plataforma RN + Vacina.

De acordo com a Sesap/RN, a ação foi realizada em parceria com os municípios. Por se tratar de pessoas sem residência fixa, foi necessário um trabalho de busca ativa para garantir a conclusão do esquema vacinal daqueles que tomaram somente a primeira dose.

Segundo a coordenadora de Vigilância em Saúde da Sesap, Kelly Lima, os resultados alcançados com o mutirão foram muito positivos. Além disso, destacou a coordenadora, tem sido percebido o aumento do número de pessoas em situação de rua após a pandemia da covid-19.

“A ideia é pensarmos uma política que garanta acesso à saúde para além dos imunizantes, de forma contínua, de modo a garantir respostas efetivas aos problemas de saúde a esta população tão vulnerável no nosso Estado”, afirmou.

Foto: Reprodução/Jéssica Cavalcante/Sesap

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

CCZ de Natal intensifica o uso do carro fumacê para conter o avanço de arboviroses

CCZ de Natal intensifica o uso do carro fumacê para conter o avanço de arboviroses no município

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS/Natal), através do Centro de Controle de Zoonoses, tem intensificado as ações de combate ao mosquito transmissor de arboviroses (dengue, zika e chikungunya) no município. Além de ampliar as ações educativas e visitas domiciliares, a utilização de UBV portátil e pesada (carro fumacê) vem sendo aplicada em algumas áreas da cidade, como na Zona Oeste, atualmente. Essa modalidade é indicada para localidades onde exista índice de infestação significativo do Aedes aegypti e transmissão da dengue com casos notificados.

Na última segunda-feira (2.mai.2022) o CCZ iniciou um novo ciclo de pulverização em quarteirões-chave dos bairros de Felipe Camarão, Cidade da Esperança, Nossa Senhora de Nazaré e Bom Pastor. O Departamento de Vigilância em Saúde (DVS) esclarece que existem critérios técnicos para a solicitação e aplicação do fumacê, sendo essa uma estratégia intensa de combate aos mosquitos adultos de uma região.

“Vamos cumprir quatro ciclos de aplicação, sempre no início da manhã ou fim da tarde, que é o período de atividade do mosquito. A situação vetorial de adoecimento nesses pontos do Distrito Oeste está elevada, por isso além de contar com o trabalho dos agentes de endemias, iniciamos o carro fumacê. Vale salientar que é muito importante o trabalho em conjunto com a comunidade, uma vez que a UBV elimina mosquitos cortando a cadeia de transmissão e adoecimento, mas não combate os ovos e larvas em água parada”, comenta Vaneska Gadelha, diretora do Departamento de Vigilância em Saúde.

A aplicação do inseticida de maneira espacial é uma forma complementar às demais técnicas de enfrentamento. É necessário manter também as ações de combate e controle para que o fumacê tenha eficácia, tais como: descartar lixo de maneira correta, manter garrafas e potes voltados para baixo, cobrir a caixa d’água, colocar pratos com terra sob o vaso das plantas e eliminação de focos do mosquito.

Foto: Reprodução

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Anvisa aprova uso emergencial do molnupiravir para o tratamento da covid-19

Anvisa aprova uso emergencial do molnupiravir para o tratamento da covid-19

A diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta quarta-feira (4.mai.2022) o uso emergencial do medicamento molnupiravir, da empresa Merck Sharp & Dohme (MSD), para tratamento da covid-19. O molnupiravir é um medicamento antiviral de uso oral que, nos ensaios clínicos, mostrou efeitos benéficos a pacientes adultos leves e moderados, com capacidade de reduzir os casos de hospitalização e mortes.

De uso domiciliar, ele funciona para reduzir as chances do vírus Sars-CoV-2 se multiplicar e se reproduzir no corpo. O medicamento já está em uso em 17 países e foi aprovado pelas agências regulatórias nos Estados Unidos, na Europa, no Japão, no Reino Unido, na Austrália e também pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A diretora Meiruze Freitas, relatora do processo, ressaltou a importância de opções terapêuticas para determinadas condições clínicas, especialmente em indivíduos que, por várias razões, têm alto risco de desenvolver as formas graves de covid-19. A diretora alertou que o molnupiravir não substitui a vacina, que continua sendo a melhor opção para prevenir a doença.

Indicação

De acordo com a Anvisa, o medicamento é indicado para o tratamento da covid-19 em adultos que não requerem oxigênio suplementar, que apresentam risco aumentado de progressão da doença para casos graves e cujas opções alternativas de tratamento aprovadas ou autorizadas pela Anvisa não são acessíveis ou clinicamente adequadas.

O medicamento é de uso adulto, com venda sob prescrição médica, e não é recomendado durante a gravidez, a amamentação e em mulheres que podem engravidar e que não estão usando contraceptivos eficazes. Isso porque estudos de laboratório em animais mostraram que altas doses de molnupiravir podem afetar o crescimento e o desenvolvimento do feto.

O molnupiravir deve ser utilizado durante os cinco primeiros dias após o aparecimento dos sintomas, de modo a evitar o desenvolvimento de uma versão resistente do vírus. Além disso, deve ser limitado a cinco dias consecutivos.

A dosagem em pacientes adultos é de 800 mg (quatro cápsulas de 200 mg) por via oral, a cada 12 horas, e por cinco dias, com ou sem alimentos. O medicamento deve ser utilizado assim que possível após o diagnóstico da doença e dentro de cinco dias do início dos sintomas.

Contraindicações do molnupiravir

A agência reguladora esclarece que o molnupiravir é contraindicado nos seguintes casos:

– para uso em pacientes com menos de 18 anos de idade;
– para uso em mulheres grávidas;
– para início do tratamento em pacientes que necessitam de hospitalização, uma vez que seus benefícios não foram observados em indivíduos quando o tratamento é iniciado após a hospitalização;
– para uso por mais de cinco dias consecutivos;
– para profilaxia pré-exposição ou pós-exposição para prevenção de covid-19.

Prescrição médica

A Anvisa alerta também que o molnupiravir é um medicamento que deve ser usado após a avaliação e a prescrição médica. Requer adequada dispensação farmacêutica, com orientações de que o medicamento é de uso individual e não pode ser repassado a terceiros sem avaliação e prescrição médica.

Com informações da Agência Brasil
Foto: Reprodução/REUTERS/Jennifer Lorenzini

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Hemonorte abre posto para doação de sangue no Partage Norte Shopping, em Natal

Hemonorte abre posto para doação de sangue no Partage Norte Shopping, em Natal

O Hemocentro Dalton Cunha (Hemonorte) abriu nesta terça-feira (3.mai.2022) um posto para doação de sangue no Partage Norte Shopping, na Zona Norte de Natal. O posto funcionará de segunda a sexta das 8h às 11h30 e das 13h às 17h e aos sábados das 8h às 12h, no piso L2 do shopping. A unidade terá a capacidade de coletar mais de 100 bolsas por dia e tem funcionamento previsto até o final do mês de julho.

Para o Diretor Geral do Hemonorte, Rodrigo Villar, “a implantação do posto de coleta na Zona Norte atende a uma solicitação da população que frequenta o local e aos planos de expansão do Hemonorte em descentralizar o atendimento, colocando postos de coleta em locais de grande circulação de pessoas”.

Foto: Divulgação/Helenira Amorim/Cedida

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

MPF emite parecer e reconhece a autonomia da UFRN para exigir o passaporte vacinal

MPF emite parecer e reconhece a autonomia da UFRN para exigir o passaporte vacinal

O Ministério Público Federal (MPF) emitiu um parecer considerando que a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) tem o direito de cobrar a apresentação do passaporte vacinal – comprovando o esquema vacinal completo contra a covid-19 – para que professores e estudantes tenham acesso às suas instalações físicas.

Apesar do parecer do MPF, a UFRN deixou de cobrar o passaporte em abril, após uma liminar expedida por um desembargador do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, em Recife. A UFRN recorreu. Dentro de uma ação aberta na Justiça Federal do Rio Grande do Norte por um aluno e sua mãe, contra o reitor da instituição, o procurador da República Ronaldo Chaves afirmou que a medida adotada pela UFRN está prevista em lei federal e em portaria do conselho administrativo da universidade.

Além disso, apontou que a cobrança do passaporte vacinal tem fundamento na autonomia universitária e em posicionamento do Supremo Tribunal Federal (STF), que reconhece o direito de as universidades determinarem regras para acesso.

Liminar

Os autores do mandado de segurança alegaram que a norma representaria um ato abusivo ou ilegal, praticado pelo reitor, já que desde 28 de março, quando voltaram as aulas presenciais, o estudante estaria impedido de comparecer à universidade. A liminar com o pedido para a dispensa do passaporte vacinal, contudo, já foi negada.

“A exigência de apresentação do comprovante vacinal para acesso aos prédios da UFRN, embora represente pequena limitação ao direito de ir e vir, encontra guarida no direito à saúde e sua disciplina constitucional, bem como nos mencionados princípios da prevenção e da precaução, já que a medida foi adotada para impedir ou obstar a propagação da covid-19, protegendo a todos que frequentam os prédios da instituição”, apontou a decisão judicial.

Para o representante do MPF, o posicionamento deve se manter no julgamento de mérito. O parecer reforça que a segurança e eficácia das vacinas atualmente aplicadas no combate à covid-19 no Brasil já foram atestadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, órgão responsável pela autorização emergencial e registro definitivo desses imunizantes.

O procurador ainda destacou que já tramita na Justiça Federal do Rio Grande do Norte uma ação popular com pedido semelhante ao do mandado de segurança e que também teve a liminar negada.

Foto: Reprodução/Breno Esaki/Secretaria de Saúde

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

USP alerta para alto risco de surgimento de novas variantes da covid-19 nos próximos meses

USP alerta para alto risco de surgimento de novas variantes da covid-19 nos próximos meses

Por mais que o momento seja de relaxamento das medidas de prevenção à covid-19 em todo o mundo, especialistas preveem que novas variantes do coronavírus podem estar por vir nos próximos meses, driblando a capacidade do sistema imune de contê-las. Esta é a conclusão de um estudo feito por pesquisadores do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP, em parceria com o Instituto de Química (IQ) da USP e o Hospital Sírio Libanês.

Publicado na revista Viruses no dia 16 de abril, o estudo traz uma revisão de mais de 150 artigos sobre o sars-cov-2. Foram analisados diversos aspectos do vírus, como seu potencial de mutação, a capacidade de controle do sistema imune, a transmissibilidade e a eficácia das vacinas. “A principal conclusão a que chegamos é que não devemos deixar o vírus circular, porque não sabemos como serão as variantes nos próximos meses”, afirma Cristiane Guzzo, professora do departamento de Microbiologia do ICB e pesquisadora principal do artigo.

USP alerta para alto risco de surgimento de novas variantes da covid-19 nos próximos meses
Foto: Reprodução/Wikimedia Commons

Segundo ela, é um erro acreditar que a pandemia está sob controle e que não se trata mais de uma emergência sanitária, como anunciou o Ministério da Saúde no último dia 18. “Estamos em uma situação confortável para os próximos meses – quando a imunidade criada pelas doses de reforço das vacinas e pelo alto índice de contaminação da Ômicron permanecerá alta. Mas depois a tendência é que as pessoas comecem a se infectar novamente e aí ficaremos sujeitos ao surgimento de variantes ainda mais contagiosas e fortes do que as que conhecemos, o que diminui a eficácia das vacinas. Como não temos como prever como será a evolução da pandemia e como as novas variantes vão se comportar, todo o cuidado ainda precisa ser feito pela sociedade de forma a evitar a circulação do vírus”, destaca.

Novas variantes mais perigosas

No estudo, foi observado que o coronavírus é ainda mais mutável do que se imaginava. Isso porque a proteína Spike, parte superficial do vírus que faz contato com as células humanas, segue evoluindo. “Identificamos em primeira mão que 9,5% das mutações produzidas pelas variantes estão localizadas na região N Terminal (NTD) da proteína. Isso mostra que estas mutações não estão diretamente associadas à interação ao receptor humano ACE2, mas afeta principalmente a capacidade dos anticorpos humanos reconhecerem o vírus”, afirma Cristiane.

Os pesquisadores também constataram um número expressivo de mutações (7,7%) localizadas na região RDB, região que promove a interação com a ACE2. O que faz com que o contato entre vírus e célula humana seja maior e assim as contaminações aumentem.

“A hipótese encontrada é de que a maioria das vacinas tem como princípio o estímulo da produção de anticorpos que inibam a interação entre a proteína Spike ao ACE2, de forma a diminuir a infecção viral. E uma das formas que o vírus encontrou para burlar essa inibição é modificar a região de interação do vírus com a célula humana”, enfatiza.

USP alerta para alto risco de surgimento de novas variantes da covid-19 nos próximos meses
Foto: Reprodução/Flicker

“O vírus vem evoluindo com o objetivo de se manter vivo e para isso ele está se modificando principalmente para burlar a ação dos anticorpos e conseguir infectar o ser humano”, complementa. Foram identificados seis mecanismos que a proteína Spike adquiriu de forma a aumentar a eficiência de transmissão do sars-cov-2. Um deles é o aumento da afinidade do Spike ao ACE2. Um outro é o aumento significativo da quantidade de proteínas Spike na superfície de cada partícula viral.

No artigo, os pesquisadores destacam que outras proteínas do vírus também estão se modificando. Isso ocasiona, por exemplo, o aumento da taxa com que o vírus consegue se multiplicar nas células humanas. “Por esses e outros fatores, o vírus vai aprendendo a driblar a ação dos anticorpos e se adaptar ao ser humano”, acrescenta.

O conjunto de mutações sendo observadas na proteína Spike pode sugerir que o sars-cov-2 possa evoluir para infectar outras células, além das células pulmonares. “O grande medo seria a infecção, por exemplo, de células neurológicas”, afirma Cristiane.

Aumento da transmissão

Além disso, foi observado que o período em que as pessoas começam a transmitir o vírus tem se iniciado cada vez mais cedo conforme o surgimento de novas variantes. antes ainda do início dos sintomas.

“Vimos que 74% das transmissões pela variante Delta foram feitas por assintomáticos. Na variante original, as pessoas começavam a transmitir o vírus um dia antes do início dos sintomas. Já na Delta, isso passou a acontecer com dois dias de antecedência. São detalhes que mostram que o vírus está evoluindo na sua capacidade de se esconder em nosso organismo. O que também pode estar relacionado com o aumento na gravidade dos casos e na taxa de transmissão”, detalha.

“Isso explica por que cada pessoa contaminada com a variante original transmitia o vírus, em média, para duas pessoas. Já na Delta esse número aumentou para cinco e, na Ômicron, a taxa varia entre sete e dez contaminações. Portanto, vale lembrar que as vacinas que temos hoje impedem a mortalidade e os casos graves da doença, mas não conseguem impedir que o vírus circule”, complementa.

“Nosso estudo vai ao encontro daquilo que apontou a Organização Mundial da Saúde (OMS) recentemente, que o coronavírus ainda segue com o status de emergência à saúde pública por conta de sua evolução imprevisível”, afirma Cristiane. “Precisamos tomar as doses de reforço da vacina, evitar aglomerações, manter a utilização das máscaras, a higienização das mãos e manter os ambientes ventilados”, enfatiza.

“Assim, evitamos uma nova onda, postergando o surgimento de novas variantes de preocupação até que possamos descobrir medicamentos eficazes contra a covid-19 e imunizantes, que possam bloquear a infecção e a transmissão viral, além de ativarem a produção de anticorpos que permaneçam por um período mais longo de tempo no corpo humano”.

Com informações do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da Universidade de São Paulo
Foto: Reprodução/Juan Gaertner/Science Photo Library/Getty Images

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Consulplan anula provas para o cargo de farmacêutico do concurso da PMRN e remarca aplicação para o dia 22 de maio

Consulplan anula provas para o cargo de farmacêutico do concurso da PMRN e remarca aplicação para o dia 22 de maio

Prova para farmacêuticos de análises clínicas do concurso da PMRN seria realizada no domingo (1º), mas candidatos encontraram erros.

O Instituto Consulplan, banca organizadora do concurso para oficiais da Saúde na Polícia Militar do Rio Grande do Norte, anulou as provas para o cargo de farmacêutico, realizadas neste domingo (1º.mai.2022), em Natal. Segundo os candidatos, a prova tinha todas as questões voltadas para o cargo de farmacêutico hospitalar, quando o edital previa vaga para farmacêutico de análises clínicas.

Em nota, o Instituto Consulplan afirmou estar “firme no propósito de assegurar a lisura, a legalidade e a isonomia de seus processos” e comunicou a anulação da prova do concurso da PMRN, agendando uma nova aplicação para 22 de maio. “O cronograma para execução das demais etapas deste cargo, bem como demais informações sobre a reaplicação serão divulgados oportunamente na página do Instituto Consulplan”, informou.

Ainda nas redes sociais, outros candidatos reclamaram da nova data e questionaram se a banca ressarciria os custos das pessoas que se deslocaram de outros estados para fazer a prova. “Isso é uma falta de respeito com os candidatos! Vocês vão me ressarcir? Pois vim de Goiás e já gastei dinheiro com duas passagem por causa de uma banca totalmente desorganizada”, reclamou uma candidata.

Ao todo, o concurso oferece 78 vagas para oficiais na área da saúde, com salários iniciais de R$ 9.392,35. As vagas são para médicos, enfermeiros, dentistas, farmacêuticos, psicólogos, fonoaudiólogos, assistentes sociais, fisioterapeutas, nutricionistas, médicos-veterinários e biomédicos.

O concurso acontece 21 anos depois do último. Além da prova objetiva realizada neste domingo (1º.mai.2022), o edital prevê exame de condicionamento físico, prova de títulos, investigação social, inspeção de saúde, exame de avaliação psicológica e entrevista de heteroidentificação.

Procurada sobre o caso, a Polícia Militar apenas replicou a nota da banca organizadora.

Com informações do G1
Foto: Reprodução/PMRN

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério da Saúde aponta que não houve mortes de crianças e adolescentes por efeitos adversos da vacina contra a covid-19

Ministério da Saúde aponta que não houve mortes de crianças e adolescentes por efeitos adversos da vacina contra a covid-19

O último boletim epidemiológico sobre covid-19 do Ministério da Saúde, publicado no dia 26 de abril, informou que nenhuma criança ou adolescente (de 5 a 18 anos) morreu por efeitos adversos da vacina. O ministério investigou 38 óbitos notificados por governos estaduais e municipais.

Em junho de 2021, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a primeira vacina para adolescentes a partir dos 12 anos. Já a vacina para os mais novos, de 5 e 11 anos, foi aprovada em dezembro, mas a aplicação começou apenas em 2022.

O relatório, divulgado inicialmente pelo UOL nesta manhã, aponta que foram registrados 3.463 casos de efeitos adversos pós-vacinação (EAPV) na faixa etária de 5 a menores de 18 anos. Destes, 3.044 (87,9%) foram eventos adversos não graves (EANG) e 419 (12,1%) foram eventos adversos graves (EAG) – 38 (1,1%) casos resultando em morte.

Dos 38 casos, 36 estão relacionados à vacina da Pfizer e dois estão ligados à CoronaVac. A idade média foi de 13 anos, com mesma proporção entre os sexos. O intervalo de tempo entre vacinação e evento adverso foi de 30 dias. Quatro casos ocorreram após 30 dias, “evidenciando uma relação temporal inconsistente de acordo com a classificação de EAPV”, disse o ministério.

Após a investigação dos casos, os 38 óbitos notificados foram avaliados e classificados como:

Reações coincidentes ou inconsistentes: 23
Inclassificáveis devido à necessidade de informações: 13
Dados conflitantes em relação à causalidade: 2

No mesmo boletim, o Ministério da Saúde reforça que as vacinas são seguras e apresentam excelente perfil de risco benefício “já tendo gerado um impacto extremamente positivo na saúde da população brasileira, com a redução expressiva dos casos, internações e óbitos pela doença”.

Com informações do Portal G1
Foto: Reprodução/Sandro Araújo/Agência Saúde do DF

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Com 11,8% de registros, Natal é a segunda capital do Nordeste com maior número de adultos com depressão; Recife lidera

Com 11,8% de registros, Natal é a segunda capital do Nordeste com o maior número de adultos com depressão; Recife lidera

Um levantamento inédito publicado pelo Ministério da Saúde neste mês coloca Natal como a segunda capital do Nordeste com o maior número de pessoas com 18 anos ou mais que relataram um diagnóstico médico por depressão.

A capital potiguar contabiliza 11,8% de registros nessa parcela da população, atrás somente de Recife, com 12,5%, conforme dados tabulados pelo órgão ministerial através da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) – ano base 2021.

Em todo o País, em média 11,3% dos brasileiros relatam um diagnóstico médico de depressão. É um número bem acima da média apontada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para o Brasil, de 5,3%. A pesquisa Vigitel é aplicada todos os anos, e tem como objetivo coletar informações que dizem respeito à saúde nas capitais brasileiras.

Essa é a primeira vez que a pesquisa traz números relacionados à depressão. Entre os sintomas da condição, estão: tristeza persistente, desânimo, baixa autoestima, sentimento de inutilidade, alterações no apetite, ganho ou perda de peso súbita, insônia, excesso de sono e fadiga acentuada.

“A pandemia em si, as questões econômicas, o aumento elevado de desemprego… Todos esses fatores contribuem de forma significativa para o elevado número de diagnósticos na capital potiguar”, avalia o preceptor psicólogo do Instituto Santos Dumont, Robson Rates.

Ele destaca, ainda, que com o teleatendimento em saúde, um número maior de pessoas conseguiu ter acesso direto às equipes médicas. “Temos um aumento significativo desses dados. Mas, com certeza, esses números ainda não demonstram a realidade dos consultórios, pois estão subnotificados. O número real é, provavelmente, muito maior”, reforça.

De acordo com o levantamento, a frequência de adultos que referiram diagnóstico médico de depressão variou entre 7,2% em Belém e 17,5% em Porto Alegre. No sexo masculino, as maiores frequências foram observadas em Porto Alegre (15,7%), Florianópolis (12,9%) e no Rio de Janeiro (11,7%), e as menores em Salvador (4,2%), Rio Branco (4,3%) e Palmas (4,4%). Entre mulheres, o diagnóstico de depressão foi mais frequente em Belo Horizonte (23,0%), Campo Grande (21,3%) e Curitiba (20,9%), e menos frequente em Belém (8,0%), São Luís (9,6%) e Macapá (10,9%).

No conjunto das 27 cidades, a frequência do diagnóstico médico de depressão foi de 11,3%, sendo maior entre as mulheres (14,7%) do que entre os homens (7,3%). Entre os homens, a frequência dessa condição tende a crescer com o aumento da escolaridade. Em Natal, a depressão afeta mais mulheres com 18 anos ou mais (14,6%) do que homens na mesma faixa etária (8,4%).

“As mulheres sofrem mais preconceito social, a sociedade é machista, o índice de desemprego é muito maior entre as mulheres, as grávidas são desligadas do ambiente de trabalho na maioria dos casos. Esses fatores fazem com que as mulheres adoeçam mais”, comenta Robson Rates.

A alteração do comportamento e o consequente isolamento são sinais primários de que alguém está desenvolvendo um quadro depressivo. “Se alguém é introspectivo, pode demonstrar uma alegria repentina que não tinha, por exemplo. Depois, vem a apatia, o isolamento, a desesperança. Nos casos mais graves, leva ao suicídio. A depressão é uma doença sem cura. Apesar disso, tem tratamento. Ele precisa ser psicológico e psiquiátrico, além de outras intervenções como atividades físicas”, adverte o psicólogo.

Ranking percentual de casos de adultos com depressão no Nordeste

Percentual de adultos com 18 anos ou mais que referiram diagnóstico médico de depressão, por sexo, nas capitais do Nordeste:

Recife: 12,5%
Natal: 11,8%
Fortaleza: 11,4%
Maceió: 11,3%
João Pessoa: 11,0%
Aracaju: 10,9%
Teresina: 10,8%
Salvador: 8,0%
São Luís: 8,0%

Foto: Reprodução/G1

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Sesap RN promove Dia D de vacinação contra a gripe e o sarampo no próximo sábado (30)

Sesap/RN promove Dia D de vacinação contra a gripe e o sarampo no próximo sábado (30)

O Rio Grande do Norte realiza no próximo sábado (30.abr.2022) o Dia D de vacinação contra a gripe (Influenza) e sarampo. A data é promovida pela Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap/RN).

Segundo a pasta, os postos de vacinação dos municípios potiguares devem receber no sábado todo o público-alvo das campanhas de vacinação de 2022, iniciada em 4 de abril. A Sesap/RN diz que os números de vacinação estão abaixo do esperado e que a meta é vacinar pelo menos 90% dos grupos prioritários para a gripe e 95% para o sarampo.

Até a manhã desta quarta-feira (27.abr.2022) o Rio Grande do Norte vacinou 127.120 pessoas contra a gripe e 17.096 contra o sarampo. A coordenadora diz que o dia “o dia D que ocorre no sábado, é importante para as pessoas que têm dificuldade em comparecer a um ponto de vacinação durante a semana, procure uma unidade de saúde para receber a dose da vacina e atualizar a caderneta de vacinação”.

A campanha de vacinação segue até 3 de junho vacinando além das crianças de 6 meses a menores de cinco anos, idosos e profissionais de saúde, também: gestantes, puérperas, professores, povos indígenas, pessoas com comorbidades, deficiência permanente, forças de segurança e forças armadas, trabalhadores de transporte coletivo e caminhoneiros, trabalhadores portuários, funcionários e população do sistema de privação de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas.

Foto: Reprodução/Mariana Ramos/Prefeitura do Rio

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Secretaria de Saúde de Natal reconhece epidemia de dengue na capital; casos da doença aumentaram 818% no RN

Secretaria de Saúde de Natal reconhece epidemia de dengue na capital; casos da doença aumentaram 818% no RN

Natal vive uma epidemia de dengue, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. O aumento nos registros de casos da doença, que já chegou a 1.649 notificações em 2022, é suficiente para se caracterizar uma epidemia. O avanço também atinge os demais municípios do Estado.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, os dados apurados até 9 de abril de 2022 indicam aumentos um crescimento de 818% no número de casos de dengue em todo o RN em relação ao ano passado. No caso da zika, o aumento foi de 970% e da chikungunya, 162%.

Em 2021, até a segunda semana de abril, foram registrados 435 casos prováveis de dengue, enquanto em 2022 são 3.995 no mesmo período, em todo o Estado. Os casos prováveis de chikungunya passaram de 570 para 1.494 casos prováveis, enquanto os de zika aumentaram de 39 casos prováveis no ano passado para 321 em 2022.

Em Natal, foram notificados 1.649 casos de arboviroses até o dia 22 de abril, contra 184 no mesmo período de 2021. Os números de dengue foram os que tiveram maior aumento de registros (336,91%), seguidos pelo crescimento nas notificações de zika (266,67%) e chikungunya (75%).

De acordo com a Secretaria de Saúde de Natal (SMS), os bairros de Pajuçara e Lagoa Azul, na zona Norte, bem como Pitimbu, na zona Sul, apresentam a maior incidência de casos. Segundo Vaneska Gadelha, diretora do Departamento de Vigilância em Saúde da SMS, atualmente pode-se dizer que Natal passa por uma epidemia de dengue, conforme definições da vigilância epidemiológica do Ministério da Saúde.

Dessa forma, a epidemia é decretada quando há um aumento significativo de casos acima de três semanas consecutivas dentro de um gráfico chamado diagrama de controle. A cidade do Natal apresenta uma visível tendência de aumento há dez semanas epidemiológicas consecutivas.

“Conseguimos detectar esse quadro por bairros ou por distritos sanitários da cidade. Tivemos uma situação que foi bem específica no bairro de Pitimbu, por exemplo, que houve necessidade de parceria com a Secretaria do Estado de Saúde. Agora, os bairros de Pajuçara e Lagoa Azul também demonstram bastante adoecimento da população”, explica.

Os distritos sanitários Norte I, Sul e Oeste apresentam as maiores incidências de notificações de casos por cada 100 mil habitantes, respectivamente 33,35%, 31,33% e 19,13% do total da cidade. Em Pajuçara, são 306 casos prováveis de acordo com levantamento do Núcleo de Análise de Situação de Risco em Saúde. Os dados compreendem casos notificados até o dia 22 de abril.

No bairro de Lagoa Azul, foram registrados 236 casos prováveis. Em Pitimbu, 158 casos e nos bairros do Planalto e Felipe Camarão, foram 113 e 112. “Vemos que Candelária está apresentando um potencial bastante extensivo para entrar em um processo de epidemia. Também temos Neópolis, onde estamos fazendo uso da UBV portátil para cortar a cadeia de transmissão”, diz a diretora da Secretaria de Saúde.

Esse cenário, aliado a casos de gripe e covid-19, resultou na lotação das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), assim como nos prontos-socorros dos principais hospitais privados de Natal , nas últimas semanas, com serviços sendo suspensos.

Foto: Reprodução/Fre

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Câmara Municipal de Natal debate greve dos profissionais da saúde da capital

Câmara Municipal de Natal debate greve dos profissionais da saúde da capital

A Câmara Municipal de Natal realizou nesta terça-feira (26.abr.2022) uma audiência pública para debater a valorização dos trabalhadores da saúde municipal. A greve dos profissionais da saúde abrange todas as categorias, com exceção dos médicos. A paralisação teve início no último dia 11 de abril em Natal, com apenas 30% dos serviços sendo executados.

A audiência foi proposta pelo vereador Robério Paulino (PSOL). “Essa audiência foi convocada para dar voz às trabalhadoras e trabalhadores da saúde que vivem uma situação delicada devido os atrasos de reajustes e iniciaram uma greve que é justa. São trabalhadores que exercem grande papel para a população, especialmente durante a pandemia quando não puderam parar e ainda ficaram na linha de frente de atendimento”, destacou o parlamentar.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde do Rio Grande do Norte (Sindsaúde/RN), Flávio Gomes, declarou que as categorias aguardam uma proposta consistente da parte do Município, que garanta os direitos dos trabalhadores. “A gente quer o cumprimento da data-base, a atualização salarial. São direitos não cumpridos, como gratificações e insalubridades não pagas. Nos chamaram de heróis na pandemia, mas o principal, que são nossos direitos, sermos valorizados efetivamente enquanto profissionais, não nos é dado”, disse ele.

Os profissionais de diversas áreas da saúde compareceram e participaram da audiência. Luciano Cavalcanti, presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Estado (Sindern), relatou que desde 2014 não há cumprimento da data-base da categoria que envolve quinquênios e progressões de carreira.

“Há casos de insalubridade e gratificações que não são pagas e com servidores buscando há mais de 10 anos esses direitos sem resultados. Sofremos com a falta de condições de trabalho que favorece a insegurança nas unidades de saúde, constantemente alvos de assaltos”, declarou o sindicalista.

Entre outras reivindicações, os trabalhadores também pedem a nomeação dos concursados de 2018. Segundo foi pontuado nos debates, há um déficit de mais de 6 mil profissionais na área, com aprovados no conscurso à espera da convocação, enquanto o Município mantém contratos temporários.

O secretário adjunto da Saúde do Muncípio, Chilon Batista, declarou que até a próxima sexta-feira, a Prefeitura apresentará uma proposta aos trabalhadores em greve. “Entendemos a legitimidade dessa greve dos profissionais da saúde pela reivindicação de direitos. Estamos fazendo levantamentos de impactos financeiros para serem levados à Secretaria de Administração e ao Gabinete de Governo. Amanhã teremos definições dessas propostas para levar ao prefeito e discutiremos com as categorias na sexta-feira”, anunciou o secretário-adjunto.

Foto: Reprodução/Elpídio Júnior

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Médico Glauto Tuquarre morre em voo a caminho da lua de mel nas Maldivas

Médico Glauto Tuquarre morre em voo a caminho da lua de mel nas Maldivas

O médico oncologista Glauto Tuquarre, de 49 anos, morreu em um avião quando viajava para a lua de mel com a esposa, na madrugada desta segunda-feira (25.abr.2022). O avião partiu do Brasil com destino às Maldivas no domingo (24.abr.2022). A suspeita, segundo familiares, é que ele tenha sofrido um infarto.

Glauto Tuquarre e a esposa, a publicitária Lícia Dutra Tuquarre, se casaram no sábado (23.abr.2022), em Teresina (PI). Os dois estavam dentro do avião quando Glauto começou a passar mal. Ele recebeu assistência de médicos que estavam a bordo, mas não resistiu.

O avião pousou em Doha, capital do Catar, por volta das 10h20, horário de Brasília, para uma conexão que já estava prevista para o voo. Familiares e amigos piauienses se mobilizam para ajudar a esposa a trazer o corpo de Doha para o Brasil. Ainda não há detalhes de quando essa transferência deve acontecer.

Com informações do Portal G1
Foto: Reprodução/Redes Sociais

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ubaldo e Herberth recebem presidente da Unimed para explicar fim da assistência para crianças com autismo

Ubaldo e Herberth recebem presidente da Unimed Natal para explicar fim da assistência para crianças com autismo

O deputado estadual Ubaldo Fernandes e o vereador Herberth Sena receberam, na ultima quarta-feira (13.abr.2022), o presidente da Unimed Natal, Fernando Pinto, e o superintendente de Mercado da empresa, Rafael Flores, que deram explicações sobre as recentes medidas que geraram uma série de protestos e críticas na opinião pública.

A reunião ocorreu após os parlamentares terem se pronunciado, em Sessões Plenárias na Câmara Municipal de Natal e Assembleia Legislativa, defendendo a continuidade de tratamentos Denver e ABA para crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA), que realizam essas terapias em domicílio e no âmbito escolar.

“Após ouvir atentamente todas as informações sobre as razões que desencadearam as medidas, reforçamos nossas posturas de representantes públicos em defesa da população potiguar, que espera de nós a defesa de seus interesses. Sugerimos aos representantes do plano de saúde que busquem negociar com os pais das crianças com TEA, assim como clínicas conveniadas e Assistentes Terapêuticos (AT), de modo a chegarmos à melhor solução para todos os envolvidos, principalmente os usuários”, destacam os parlamentares nas redes sociais.

Ubaldo e Herberth reafirmam, diante de todos os movimentos sociais e familiares de crianças com TEA que, mesmo com a garantia de que o serviço não sofrerá descontinuidade, passando a ser ofertado em rede própria e conveniada, que sejam observados todos os casos em que há reconhecidamente necessidade de continuidade de tratamento domiciliar, para que essas crianças possam ter o devido desenvolvimento. “Nossos mandatos continuarão nesta luta em defesa do melhor tratamento para as crianças com TEA de Natal e do RN”, destacam o deputado e o vereador.

Foto: Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Greve de servidores faz com que pacientes reclamem de demora na espera por atendimento na UPA do Pajuçara

Greve de servidores faz com que pacientes reclamem de demora na espera por atendimento na UPA do Pajuçara

Pacientes reclamaram da demora na espera por atendimento na UPA do Pajuçara, na Zona Norte de Natal, na manhã do último sábado (16.abr.2022). Imagens registradas pelos usuários mostram a unidade lotada de pessoas à espera do serviço médico.

De acordo com eles, os servidores afirmaram que a demora ocorreu por causa da falta de pessoal, provocada pela greve da categoria. “Estou esperando desde às 8h. Tem três dias que estou com o braço esquerdo dormente e não sou atendida. Ele só dizem que estão em greve”, disse uma paciente à Inter TV Cabugi.

“Esperei mais de uma hora e meia e não fui atendido, nem passei na triagem. Tem uma mulher que está há mais de duas horas. Estou com dor de barriga, febre, vômito, calafrio. Vou voltar para casa. Não tem o que fazer”, relatou um homem que estava na fila aguardando atendimento na UPA do Pajuçara.

A Secretaria Municipal de Saúde foi procurada pela Inter TV Cabugi, mas não se posicionou sobre o caso até a última atualização desta matéria.

Os servidores da saúde entraram em greve na última segunda-feira (11.abr.2022). Eles pedem reajuste salarial, cumprimento da data-base da categoria, e reclamam de um “desmonte” do hospital municipal, entre outras pautas como o pagamento de gratificações.

Segundo o sindicato, a categoria está sem reajustes há oito anos.

Com informações do Portal G1 RN
Foto: Cedida

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

RN chega a 7 milhões de vacinas aplicadas contra a covid-19

RN chega a 7 milhões de vacinas aplicadas contra a covid-19

O Rio Grande do Norte alcançou ontem (18.abr.20222) a marca de 7 milhões de vacinas aplicadas contra a covid-19 na população. O feito é fruto da parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN), que coordena o processo de distribuição das doses e as estratégias da campanha, e os municípios potiguares, que operam o processo na ponta, com a responsabilidade de aplicar os imunizantes.

A marca chega no momento em que a pandemia da Covid-19 arrefece no estado, com os menores índices de contaminação pelo coronavírus, de internações em leitos de UTI e clínicos e de óbitos pela doença, reforçando a necessidade de toda a população elegível tomar todas as doses dentro do prazo.

“Alcançar as 7 milhões de vacinas aplicadas nos braços dos potiguares é um momento muito importante para nós que estamos nesse esforço desde o início. O crédito desse sucesso é todo dos profissionais de cada sala de vacina do estado, que vem mostrando o tamanho da importância do SUS e a eficácia da vacina”, destacou a coordenadora de Vigilância em Saúde da Sesap, Kelly Lima.

Até o momento, na totalidade do público-alvo da campanha de imunização contra a covid-19 já foram vacinadas com ao menos uma dose 93% das pessoas, tendo 83% recebido as duas e 46% com a dose de reforço. Entre os adultos, que são os que podem tomar as três doses, esses patamares chegam respectivamente a 92%, 87% e 55%.

Já entre os adolescentes, a cobertura encontra-se em 88% para a 1ª dose e 70% para os totalmente vacinados. Para as crianças de 5 a 11 anos, os percentuais estão em 59% na dose inicial e 25% para a 2ª dose.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Marcelo Queiroga detalha motivos para decretar o fim da emergência sanitária no Brasil

Marcelo Queiroga detalha motivos para decretar o fim da emergência sanitária no Brasil

Queiroga garantiu que haverá um período de transição e que, mesmo com o fim da emergência sanitária, “nenhuma política de saúde será interrompida”.

Um dia depois de anunciar em pronunciamento oficial em rádio e TV que o Ministério da Saúde vai declarar o fim da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (Espin) relacionada à covid-19 no Brasil, o ministro Marcelo Queiroga detalhou nesta segunda-feira (18.abr.2022) a decisão da pasta.

“A Covid não acabou e não vai acabar, e nós precisamos conviver com essa doença e com esse vírus. Felizmente, parece que o vírus tem perdido a força, tem perdido a letalidade, e cada dia nós vislumbramos um período pós-pandêmico mais próximo de todo mundo”, disse o ministro em entrevista coletiva.

O ministro garantiu que haverá um período de transição, e que mesmo com o fim da emergência sanitária “nenhuma política de saúde será interrompida”.

Queiroga disse que nos próximos dias uma portaria com os argumentos que fundamentam o fim da emergência sanitária será publicada no Diário Oficial da União. Um deles é a queda expressiva dos casos e dos óbitos provocados pela covid-19 nos últimos 15 dias.

O ministro destacou a ampla cobertura vacinal da população, com mais de 70% com o esquema vacinal completo com duas doses e mais de 77 milhões de pessoas – 39% da população – já receberam a dose de reforço contra o coronavírus.

Outro aspecto considerado para o fim da emergência sanitária no Brasil é a capacidade do Sistema Único de Saúde (SUS) de atender não só os casos de covid-19, mas também as doenças prevalentes que, segundo o ministro, “foram negligenciadas durante os períodos de picos da covid”. Na lista de justificativas do ministro da Saúde há ainda a capacidade de vigilância epidemiológica e genômica brasileiras.

Impacto

Na prática, a decisão flexibiliza um conjunto de medidas não farmacológicas, como uso de máscaras, tomadas desde o início da pandemia para a prevenção da covid-19. A partir da publicação da portaria, também serão alterados critérios que facilitam a compra de insumos médicos sem licitação.

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, lembrou que normas editadas durante a pandemia tiveram sua validade vinculada à duração da Espin. “Todas as flexibilizações de contratação, agilidade para fazer compra de vacina, não decorrem de poderes especificamente da Espin, mas de leis editadas que tiveram posteriormente sua validade vinculada à vigência da Espin”, disse.

O número dois da Saúde acrescentou que a declaração do fim da emergência sanitária no Brasil tem dois pilares. A transição para adaptação de normas e leis à nova realidade, e a continuidade do monitoramento da situação epidemiológica, em conjunto com entes da federação.

CoronaVac

Durante a coletiva autoridades do Ministério da Saúde esclareceram que a pasta já pediu à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que mantenha por até 365 dias a autorização de uso emergencial de insumos usados no enfrentamento à covid, como a vacina CoronaVac.

Histórico

O estado de emergência foi decretado pelo governo federal em fevereiro de 2020, antes da confirmação do primeiro caso de covid-19 no país. A portaria diminuiu a burocracia para enfrentar a doença e permitiu, entre outras coisas, que a Secretaria de Vigilância em Saúde fizesse a contratação temporária de profissionais para a atuar na linha de frente de combate à covid-19, aquisição de bens e contratação de serviços.

Com informações da Agência Brasil
Foto: © Marcelo Camargo/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Exame ginecológico e orientação nutricional são oferecidos gratuitamente em Faculdade

Os projetos dos cursos de Enfermagem e Nutrição da Estácio estão com vagas abertas para as demandas de exame preventivo (também conhecido como exame de Papanicolau) e também consulta para orientação nutricional. O serviço é gratuito e aberto à população em geral com atendimentos na unidade da Estácio em Ponta Negra.

Sobre o exame ginecológico, a enfermeira e professora Karoline Mirapalheta explica que é recomendado para mulheres de 25 a 64 anos, ou que já tenham vida sexual ativa. O preventivo será realizado no consultório de Enfermagem da Estácio Ponta Negra pelos estudantes, com a supervisão de professores ligados ao curso. O agendamento acontece até o próximo dia 20 e, para se inscrever, as interessadas devem entrar em contato pelo número 98148.3228.

Já o ambulatório de Nutrição da Estácio está com inscrições abertas para atendimentos presenciais para a população de todas as idades, incluindo pessoas com doenças crônicas não transmissíveis (obesidade, hipertensão, diabetes), idosos, atletas e desportistas. A ação é uma oportunidade de contribuir com a saúde da comunidade enquanto proporciona experiência e aprendizado para os estudantes concluintes do curso de Nutrição.

Para Rodrigo Ruegg, professor de Nutrição e coordenador do ambulatório, a orientação profissional para uma boa alimentação tem sido uma demanda crescente devido ao aumento do sedentarismo e o consumo de alimentos ultraprocessados entre os brasileiros neste período de pandemia. Segundo publicação do Instituto de Estudos para Políticas de Saúde (IEPS), a falta de atividade física cresceu 15%; o consumo de álcool, 21%; e a ingestão de ultraprocessados, 12,2%.

Para realizar um agendamento, quem desejar orientação nutricional deve entrar em contato pelo e-mail [email protected] solicitando vaga. Os atendimentos acontecem nas segundas, terças e quintas-feiras, das 13h às 17h. A unidade Ponta Negra da Estácio fica localizada na Rua Dr. Hernani Gomes, 90, próximo ao Banco do Brasil.

SERVIÇO

Exame ginecológico Papanicolau
Inscrições até 20 de abril
Contato: 98148.3228

Orientação nutricional
Para todas as idades
Atendimentos nas segundas, terças e quintas-feiras, das 13h às 17h
Contato: [email protected]

Foto: Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ubaldo Fernandes declara que 'outdoor presta contas do mandato com amparo na lei'

Ubaldo exige iniciativas contra a suspensão da assistência a autistas no Rio Grande do norte

Usando o horário destinado às lideranças da Assembleia Legislativa, na sessão desta terça-feira (12.abr.2022), o deputado Ubaldo Fernandes (PSDB) criticou a Unimed Natal e planos de saúde pela suspensão do atendimento domiciliar e escolar de tratamento para pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA). A suspensão ocorre justamente no mês de conscientização sobre o autismo, o Abril Azul.

“É com muita indignação que venho aqui me somar aos familiares e defensores de pessoas com o espectro autista por essa decisão. Chamo a atenção do Ministério Público, Procon Municipal e Estadual para essa situação. E peço que a Unimed reveja e volte atrás dessa decisão”, disse. O parlamentar cobrou respeito à população e classificou a decisão como arbitrária.

“Me somo aos familiares e defensores dos direitos das pessoas com TEA – devido à suspensão, pela Unimed e outros planos de saúde, dos tratamentos “denver” e “aba” – para crianças que realizam essas terapias em domicílio e no âmbito escolar. Chamo atenção do Ministério Público, através da Promotoria de Defesa do Consumidor e da Saúde, e dos Procons Estadual e Municipal que precisam tomar iniciativas. Eu até penso em suspender meu plano da Unimed em respeito às famílias do Rio Grande do Norte que estão passando por essa situação”, cobrou o deputado.

Ubaldo enfatiza que a justificativa que as empresas de saúde estão dando é que os tratamentos não estão no rol da Agência Nacional de Saúde (ANS), mas essas pessoas tinham o direito e não podem perdê-lo. “Inúmeras famílias estão desesperadas, porque algumas – acho que até mesmo a grande maioria – mal podem pagar o plano de saúde e agora têm que desembolsar muito dinheiro para judicializar esses casos e possibilitar os tratamentos, que não podem ser suspensos. A Unimed precisa ter sensibilidade. Chamo atenção aqui da sua diretoria que reveja essa decisão. Cadê o MP e Procons?”, criticou Ubaldo.

“O autismo tem um grande espectro de variedade e diversidade de pessoas e da maneira como o TEA caracteriza suas vidas, todas, sem exceção, têm o direito de ter suas terapias atendidas de acordo com o laudo médico. Diante do exposto, os, pais de crianças autistas, ao lado de movimentos sociais estão fazendo uma série de atos e me somo a essa luta importante. Nosso mandato defende essa bandeira e temos ajudado inclusive entidades sérias que atuam no estado, como a nortear de currais novos que foi reconhecida como de utilidade pública por lei de nossa autoria, e que também receberá recursos de emenda parlamentar do nosso mandato”.

Foto: Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Unidade de saúde de Natal registra confusão com pacientes diabéticos após desabastecimento de insulina

Unidade de saúde de Natal registra confusão com pacientes diabéticos após desabastecimento de insulina

Com o feriadão de Páscoa nesta semana, em Natal, pacientes com diabetes se aglomeraram na unidade do ProSUS para receber o medicamento para a doença nesta terça-feira (12) e, ao chegarem ao local, descobriram que houve o desabastecimento de insulina. A guarda municipal foi acionada ao local.

A convocação foi feita pela própria unidade de saúde, que enviou mensagens os pacientes agendados para os próximos dias para antecipar a busca da insulina. Apesar disso, o medicamento houve o desabastecimento de insulina por volta das 8h30, antes que muitos usuários conseguissem ter acesso. Uma idosa que estava na fila passou mal.

Os pacientes também reclamaram que pessoas teriam furado a fila. As pessoas que chegaram à unidade antes da abertura tinha criado fichas com folhas de cadernos, que foram substituídas depois por fichas distribuídas pelos servidores. “É uma falta de respeito com quem está aqui. Passou gente jovem na frente de idoso, está todo mundo aqui de testemunha. A gente chegou aqui logo cedo, veio se humilhar por um direito que é nosso. Isso é uma falta de respeito com o povo, com quem está com uma doença que mata. Um dia sem insulina é cinco dia a menos de vida. Estou com problema de visão, estou com nódulo na mama, e nada disso é respeitado”, afirmou uma das usuárias.

Segundo a equipe da unidade, 400 insulinas foram distribuídas, mas os servidores não souberam precisar quantos pacientes foram contemplados porque alguns recebem de três a oito unidades para passar o mês. Muitos voltaram para casa sem receber a insulina.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde de Natal confirmou que as insulinas acabaram e disse que já contactou o fornecedor e aguarda a chegada de outro tipo de insulina na unidade. “O motivo da falta também se dá em virtude do aumento na demanda pelos fármacos durante a pandemia, uma vez que as indústrias farmacêuticas não estão conseguindo manter o medicamento a pronta-entrega conforme demanda. A SMS espera normalizar o estoque ainda em abril”, disse.

“A respeito dos usuários acusarem os servidores de beneficiar pessoas na fila de espera dos medicamentos, a SMS/Natal desconhece essa prática e adota o sistema de dispensação através de fichas conforme ordem de chegada dos usuários no ProSUS”.

Do Portal G1 RN
Foto: Cedida

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Unimed Natal suspende atendimento para autistas em casa e na escola

Unimed Natal suspende atendimento para autistas em casa e na escola

No início deste mês, a Unimed Natal suspendeu o tratamento realizado por meio de Assistentes Terapêuticos (AT) em ambiente escolar e domiciliar. A medida afeta cerca de 300 crianças com autismo que precisam do serviço. Por meio de nota, o plano de saúde comunicou que essa aplicação terapêutica não consta no Rol de Procedimento da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Pais se sentem lesados e pretendem judicializar a questão.

Segundo a Unimed Natal, as terapias do tipo AT, diferentemente de outras terapias, não possuem previsão de cobertura contratual por nenhum plano de saúde do país, se forem realizadas em domicílio ou ambiente escolar. Reforçam que sempre prestaram e continuarão prestando atendimento aos mais de mil clientes que realizam tratamento por meio de Terapias Especiais.

“Nossos clientes com atendimento especializado contam com mais de dez clínicas credenciadas, distribuídas em Natal, Mossoró e outras localidades, oferecendo, nas 200 salas, diferentes tipos de terapias que possuem cobertura conforme o Rol da ANS. É fundamental destacar que a medida tem por objetivo gerar um melhor acompanhamento sobre a qualidade e os resultados das terapias realizadas com os 300 clientes de AT domiciliar/escolar”, informam em nota.

Além disso, ressaltam a criação do Núcleo de Terapias Especiais (NTE) em Natal, localizado na Central de Atendimento da rua Apodi, bairro de Cidade Alta. “Com uma equipe qualificada, o NTE promove e assegura acolhimento personalizado às famílias e aos beneficiários com transtornos do neurodesenvolvimento e síndromes genéticas. Desde seu lançamento, mais de 500 clientes já passaram pela unidade. Em breve, esse atendimento será ampliado e transferido para um novo endereço, integrando-se ao Espaço Viver Bem na avenida Prudente de Morais”.

Segundo o advogado Rafael Azevêdo, atuante no âmbito do direito à saúde, a justificativa da Unimed Natal para descontinuar o tratamento é inconsistente. “Existe uma briga muito grande entre beneficiários e planos de saúde. Os beneficiários entendem que o rol da ANS seria exemplificativo e os planos entendem que ele é taxativo. A imensa maioria dos tribunais e da jurisprudência brasileira entende que o rol é exemplificativo, ou seja, se o tratamento for prescrito pelo médico e o plano cobrir a doença, síndrome ou transtorno, eles são obrigados a cobrir o tratamento como foi indicado mesmo se não estiver listado”, explica.

A suspensão deve afetar cerca de 300 crianças que realizam terapia ABA ou Denver, na casa ou escola, métodos baseados na análise do comportamento. Rafael, que também é pai de autista, comenta que o auxílio terapêutico descontinuado é a própria aplicação da terapia. Dessa forma, afirma que o plano passa a oferecer um tratamento limitado, em descompasso com a prescrição médica, e que vai desconfigurar a razão de ser da terapia.

“Muitas demandas que a criança tem em casa ou na escola não vão poder ser tratadas. Por exemplo, tem criança que se comporta de uma forma na clínica, mas chega em casa e fica se batendo ou mordendo. Tem criança que quando vai para a escola fica saindo da sala porque não consegue ficar sentada ou batendo nos colegas porque não sabe interagir. A aplicação da terapia vai usar os métodos corretos e transformar essa desregulação para que a criança saiba como se socializar e se comportar”, comenta o advogado.

O custo do trabalho dos Assistentes Terapêuticos (AT) é calculado por hora, a depender do quantitativo que for prescrito pelo médico. Geralmente, as terapias ABA e Denver demandam 30 a 40 horas semanais, a serem divididas entre clínica, casa e escola. No mês, o tratamento completo por clínica credenciada sai em torno de R$ 18.000. Caso seja profissional particular, o valor pode subir para R$ 24.000 mensais.

Famílias vão à Justiça para restabelecer serviço

Josiane Batista, 33 anos, descobriu o autismo de seu filho João Lucas quando ele tinha dois anos em consulta com o neuropediatra da criança. “O pai e eu notamos que tinha algo a mais no jeito de João. Começamos a pesquisar e foi quando percebemos que tinham vários pontos dentro do espectro autista. Fomos consultar um especialista e ele já deu o diagnóstico”.

Atualmente, o menino está com seis anos e precisa do acompanhamento escolar de uma AT para facilitar alguns comportamentos de organização e concentração. Segundo Josiane, a suspensão só foi comunicada pela Unimed depois do cancelamento do serviço. “Vamos procurar um advogado e judicializar pois não temos condições financeiras para contratar um serviço privado. Só o atendimento na clínica não é o suficiente, a criança precisa ser acompanhada em outros ambientes como a escola”, diz a mãe.

Do mesmo modo, Diogo Amorim, pai de Caetano, já conta com advogado para dar início ao processo judicial. Seu filho tem apenas três anos mas precisa de uma AT em casa. Pela idade, o menino ainda não tem indicação para a terapia no ambiente escolar. “Hoje, por indicação do médico, além da necessidade de 30 horas semanais de terapia Denver com acompanhamento de Assistente Terapêutica, ele realiza sessões semanais de fonoaudiologia, Terapia Ocupacional e Psicomotricidade”.

Os pais receberam o diagnóstico de Caetano no segundo semestre de 2021 e foi um longo processo. Inicialmente, ele apresentava apenas um atraso de fala considerável, mas com o tempo começaram a perceber alguns outros sinais que indicavam Transtorno do Espectro Autista (TEA). Depois de passar por três médicos, fecharam o diagnóstico.

Para Diogo, também advogado, o atendimento somente no ambiente da clínica não só é insuficiente, mas desvirtua toda a finalidade da intervenção terapêutica, que é baseada nos ambientes naturais da criança (residência e escola). “A Unimed Natal não comunicou a nós, ficamos sabendo através de um comunicado da clínica. Assim que tomamos conhecimento, buscamos informações a respeito pra judicializar. Também nos informamos sobre valores para contratação do serviço privado, porém, além da dificuldade de encontrar ATs, os valores que tivemos informação são bem altos. É um tratamento dispendioso, difícil de arcar sem a cobertura do plano”, relata o pai.

Da Tribuna do Norte
Foto: Arquivo TN

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Anvisa começa a receber informações sobre cigarros eletrônicos

Anvisa começa a receber informações sobre cigarros eletrônicos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) começou nesta segunda-feira (11.abr.2022) a etapa de participação social no processo que analisa o consumo de cigarros eletrônicos. Nesta fase, a Anvisa vai receber evidências técnicas e científicas sobre esses produtos, também conhecidos como Dispositivos Eletrônicos para Fumar (DEF).

O objetivo da agência é reunir informações a favor e contra o uso do cigarro com fundamentação científica, fornecidas por pesquisadores e instituições, para embasar decisões futuras envolvendo a comercialização e o uso desses produtos.

Logo após a abertura do processo pela Anvisa, a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), já se posicionou veementemente contra a liberação dos cigarros eletrônicos. Para a entidade, eles são uma ameaça à saúde pública. O médico pneumologista Paulo Corrêa, coordenador da Comissão de Tabagismo da SBPT, explicou que existe uma falsa crença entre os usuários de que a fumaça não faria mal à saúde, porque seria apenas vapor d’água.

O médico da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia também alertou que os cigarros eletrônicos têm um grande apelo entre os jovens, aumentando o índice de novos fumantes no país. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) também se posicionou contra a liberação dos cigarros eletrônicos, e está promovendo um abaixo-assinado sobre o tema.

Atualmente, a resolução em vigor da Avisa proíbe a importação, comercialização e a veiculação de propaganda desses produtos em todo o país. A coleta de informações da agência sobre os dispositivos eletrônicos para fumar vai até o dia 11 de maio.

Com informações da Agência Brasil
Foto: Divulgação Ministério da Saúde

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Rita Lee está curada do câncer no pulmão

Rita Lee está curada do câncer no pulmão

A cantora e compositora Rita Lee está curada do câncer nos pulmões. As informações foram divulgadas na noite da segunda-feira (11.abr.2022) pelo portal Metrópoles. De acordo com a matéria, os exames indicam que não há mais tumor no pulmão da cantora. Ela stava em tratamento contra a doença desde sua descoberta em maio de 2021.

Segundo a imprensa nacional, Rita Lee havia apelidado o tumor de “Jair”. Ao longo do tratamento, a artista se manteve reclusa da sociedade ao lado do esposo, o músico Roberto de Carvalho. Coube ao marido expor, algumas vezes, fotos e relatos das dificuldades entradas ao longo do tratamento.

A cantora foi diagnosticada com um tumor primário no pulmão esquerdo em maio de 2021.

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Operação Contágios: Polícia Federal investiga grupo suspeito de fraudar auxílio emergencial

Operação Contágios: Polícia Federal investiga grupo suspeito de fraudar auxílio emergencial

A Polícia Federal (PF) deflagrou a Operação Contágios e cumpriu, nesta terça-feira (12.abr.2022), mandados de busca e apreensão contra suspeitos de integrar uma organização criminosa que recebeu ilegalmente R$ 6 milhões em benefícios do auxílio emergencial. O recebimento dos valores, pagos pelo governo a parte da população em razão da pandemia de covid-19, foi conseguido por meio de fraudes.

A Operação Contágios também cumpre determinação judicial de sequestro dos bens dos investigados pela 6ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

A ação é parte da Estratégia Integrada de Atuação contra as Fraudes ao Auxílio Emergencial (Eiafae), da qual participam a PF, o Ministério Público Federal (MPF), a Receita Federal, o Tribunal de Contas da União (TCU), a Caixa, a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Ministério da Cidadania.

Segundo a PF, os objetivos da Estratégia são identificar fraudes massivas, desarticular organizações criminosas e recuperar aos cofres públicos os valores pagos indevidamente.

Com informações da Agência Brasil
Foto: Divulgação/Polícia Federal

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Liminar da Justiça determina que UFRN deixe de exigir passaporte vacinal

Liminar da Justiça determina que UFRN deixe de exigir passaporte vacinal

Uma liminar do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5) determinou que a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) não obrigue a apresentação do passaporte vacinal. O pedido foi concedido pelo desembargador Paulo Roberto de Oliveira Lima, que acatou o pedido do advogado André Santana.

Com a decisão, a universidade deixará de exigir a apresentação do comprovante de vacinação tanto para a circulação de pessoas quanto para a matrícula através da Internet.

Na decisão, o desembargador considerou que “a matéria já foi resolvido em sede de Suprema Corte que deixou assentado somente ser possível a exigência de passaporte sanitário através de lei formal que, no caso, inexiste”. Na decisão, o magistrado considerou ainda que “ninguém é obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei, daí que a exigência combatida é de ilegalidade manifesta”, afirma.

O advogado requerente, André Santana, havia acionado a Justiça Federal no Rio Grande do Norte pedindo a suspensão da obrigatoriedade do passaporte vacinal na UFRN. O documento é obrigatoriedade do passaporte vacinal. Inicialmente, o juiz Janilson Bezerra de Siqueira negou o pedido. Após a derrota, o advogado acionou o TRF-5, buscando reverter a decisão.

“Essa decisão representa a autonomia da magistratura, o respeito pela dignidade da pessoa humana e pela constituição do país, engrandece a representação popular e da advocacia como atividade essencial para realizar a justiça”, afirmou Santana.

Foto: Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministro da Saúde anuncia a doação de 86,7 milhões de doses de vacina contra a covid-19

Ministro da Saúde anuncia a doação de 86,7 milhões de doses de vacina contra a covid-19

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou por meio de sua conta na plataforma Twitter que o Brasil irá contribuir com a doação de 86,7 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 para o consórcio Covax da Gavi.

O consórcio Covax da Gavi reúne países e fabricantes de imunizantes com o objetivo de facilitar a doação de vacinas para crianças contra doenças diversas.

Com informações da Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Professor da UFRN sai de sala após aluno não usar máscara

Professor da UFRN se recusa a dar aula e sai de sala após aluno não usar máscara

O professor da UFRN, Daniel Dantas Lemos, não aceitou o comportamento do aluno e o pediu que se retirasse da sala de aula.

Um professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) se recusou a dar aula após aluno não estar usando máscara em sala de aula. A confusão aconteceu na noite dessa quinta-feira (7.abr.2022) durante uma aula no Departamento de Comunicação Social (Decom).

De acordo com informações dos alunos que estavam presentes, o aluno Marcelo Nascimento não estava usando máscara. O docente da disciplina, Daniel Dantas Lemos, não aceitou esse comportamento e pediu para Marcelo colocar o utensílio. Por conta do episódio, uma discussão aconteceu entre Marcelo e Daniel Dantas Lemos. Logo em seguida, a segurança do Campus foi acionada pelo professor da UFRN.

Desde o dia 06 de abril, o Governo do Estado, por meio do decreto Nº 31.360, tornou flexível o uso da máscara em locais abertos e fechados. Em entrevista concedida à reportagem da Tribuna do Norte no final de março, o reitor Daniel Diniz Melo falou que a UFRN tem autonomia, reconhecida pelo STF, para criar os próprios protocolos.

“O Supremo Tribunal Federal (STF) já reconheceu que as Universidades Federais têm autonomia para exigir seus protocolos e suas exigências. No protocolo atual, nós temos a exigência do passaporte vacinal e do uso de máscaras principalmente como medidas a serem adotados por toda a comunidade”.

Com informações da Tribuna do Norte
Foto: Reprodução

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Polícia Civil divulga foto de falso médico que atuou por um mês em UBS de Ielmo Marinho

Polícia Civil divulga foto de falso médico que atuou por um mês em UBS de Ielmo Marinho

Policiais civis da Delegacia Municipal de Almino Afonso (DM Almino Afonso) divulgaram, nesta quinta-feira (7.abr.2022), a foto de um falso médico suspeito de praticar os crimes de falsidade ideológica, falsa identidade e exercício ilegal da medicina.

O caso ainda está sendo investigado e, segundo os depoimentos, o falso médico atuou, aproximadamente, durante um mês, nos plantões médicos na Unidade Básica de Saúde de Ielmo Marinho (UBS Ielmo Marinho). Ainda segundo as investigações, o suspeito utilizou nome e nº de registro no Conselho Federal de Medicina (CRM) de outro profissiona, que atua no estado de Minas Gerais.

A Polícia Civil informa que as diligências estão em andamento e solicita que a população continue enviando informações, de forma anônima, por meio do Disque Denúncia 181, que possam auxiliar na identificação e posterior localização do suspeito. 

Foto: Reprodução/Polícia Civil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Governo do Estado flexibiliza uso de máscaras no RN

Governo do Estado flexibiliza uso de máscaras no RN

O Governo do Rio Grande do Norte irá publicar novo decreto que flexibilizará o uso de máscaras no RN, tanto em espaços abertos quanto em fechados, conforme recomendação do Comitê Científico de Especialistas da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) que discutiu, na noite da terça-feira (5.abr.2022), o quadro epidemiológico e assistencial, que aponta para um baixo patamar de casos, óbitos e internações no estado.

Previsto para ser publicado em edição extra do Diário Oficial do RN (DOE-RN) desta quarta-feira (6.abr.2022), o novo documento irá suspender o decreto que estaria em vigor até o dia 8 de abril para colocar em vigência as novas medidas, que devem incluir ainda a orientação do uso contínuo de máscara para todas as pessoas que estejam com sintomas gripais e grupos mais vulneráveis à Covid-19, como idosos e imunossuprimidos.

“A ciência sempre vai pautar nossas decisões no que diz respeito à pandemia. Então, continuaremos avançando com a vacinação, quem ainda não tomou as doses recomendadas, complete o seu esquema vacinal!”, lembrou a governadora Fátima Bezerra.

O Comitê discutiu também questões como a manutenção do reforço à campanha de vacinação contra a Covid-19, vigilância de casos e outros pontos. As recomendações completas sobre o fim da exigência do uso de máscaras no RN estão previstas para sem publicadas amanhã.

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil/Ilustração

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Abril Azul: CLIAP promove atividades em celebração ao mês do autismo

Abril Azul: CLIAP promove atividades em celebração ao mês do autismo

Em celebração ao mês de conscientização mundial do autismo, o chamado Abril Azul, a Clínica de Atendimento Personalizado em Terapias Avançadas (CLIAP) tem uma programação especial voltada à sociedade de um modo geral e seus pacientes. Com atividades diferenciadas, o objetivo é proporcionar a compreensão, por experiência pessoal, do que significa ter o Transtorno do Espectro Autista (TEA), bem como capacitar sobre os cuidados com as crianças com autismo no ambiente escolar.

Nesta quinta-feira (7), a Clínica estará aberta para a vivência no Circuito das Sensações. “O objetivo é fazer com que uma pessoa típica, que não tem autismo, experimente um pouco do que uma criança com autismo sente, nos diversos sentidos do corpo, seja audição, tato, visão”, explica Daniel Salustiano, administrador do setor de Análise do Comportamento Aplicada (ABA) da CLIAP. O Circuito estará disponível para entrada no dia no horário, das 9h às 11h, e à tarde, das 14h às 16h.

Já no sábado (9), haverá o encontro do projeto “Escolas Parceiras”, com o tema “Autismo na escola: ações de cuidado e afeto que transformam vidas”. Através de uma palestra, oficina e roda de conversa, o propósito do encontro é auxiliar os profissionais da educação sobre como lidar com os alunos com TEA. Para participação neste encontro é necessário inscrição prévia, disponível através do link: https://forms.gle/SmFjUjggy9ZnNyjw8

Serviço
Evento: Mês de conscientização do Autismo – Cliap Infantil

Dia 09/04 – Encontro do projeto “Escola Parceira”
Horário: das 8h às 12h
Tema: Autismo na escola: ações de cuidado e afeto que transformam vidas

Dia 07/04 – Circuito das sensações
Horário: 09h às 11h e 14h às 16h
Tema: Venha vivenciar um pouco das sensações da pessoa com autismo
Entrada livre

Foto: Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Dezenas de porcos aparecem se alimentando em lixão em João Câmara

Dezenas de porcos aparecem se alimentando em lixão em João Câmara

Um vídeo que viralizou nas redes sociais nos últimos dias mostra dezenas de porcos em um lixão em João Câmara, na região Agreste potiguar. As imagens causaram preocupação entre as autoridades, e levou o Ministério Público do RN (MPRN) a ingressar com uma Ação Civil Pública (ACP) para que a prefeitura do município organize toda a área do lixão, sinalizando e cercando o local, evitando-se a entrada de pessoas não autorizadas, bem como de animais.

De acordo com as informações divulgadas, os porcos eram de uma propriedade privada que fica ao lado do lixão em João Câmara. Parte dos animais foi apreendida.

Segundo o MPRN, após inquérito civil, instaurado pelo órgão ministerial e inspeção no lixão, foi constatada a presença de porcos no local, assim como urubus e outros animais. O órgão informpou que por diversas oportunidades, foram realizadas tentativas por parte do MPRN para solucionar o caso através da Vigilância Sanitária do Município de João Câmara, sem que fosse obtida nenhuma resposta sobre o caso.

Ainda de acordo com o MPRN, a simples existência de animais no lixão, consumindo o lixo humano produzido, já é motivo de preocupação, a ensejar uma medida mais drástica relativa a essa situação. A criação de porcos e outros animais no lixão decorrente da ausência de fiscalização do Município afronta a lei e promove interferência direta não somente sobre a saúde das pessoas que residem nas proximidades do lixão, mas também sobre o meio ambiente e saúde públicas.

Na ACP, o MPRN também requer que a Prefeitura de João Câmara realize limpeza da área (RN 120 que liga João Câmara ao Município de Bento Fernandes); que seja feita a avaliação veterinária nos animais encontrados no lixão, a fim de ser aferida a contaminação da carne, para fins de eventual sacrifício animal, caso seja constatada a inservibilidade da carne para consumo; e a interdição do lixão, com a consequente e imediata retirada de todos os animais do local, sob sob pena de aplicação de multa diária por descumprimento, sem prejuízo de eventuais sanções penais, cíveis e administrativas, caso persista a criação.

Secretaria de Saúde afirma que acionou o MPRN e Idiarn

A Secretaria de Saúde de João Câmara afirmou que a Vigilância Sanitária tentou notificar o proprietário e acionou o Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do Estado (Idiarn) e o Ministério Público. “Nossa vigilância sanitária junto com a secretaria de meio ambiente recolheu os porcos ainda encontrados no local. Esses animais não são consumidos no município, pois conseguimos rastrear os animais que são abatidos no nosso matadouro municipal”, disse o secretário de Saúde Bruno Augusto.

Foto: Reprodução

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Rio Grande do Norte tem mais de 70% dos leitos para a covid-19 disponíveis

Rio Grande do Norte tem mais de 70% dos leitos para a covid-19 disponíveis

O Rio Grande do Norte possui apenas seis pacientes internados em leitos para a covid-19, o que representa 6,74% de ocupação. Os dados são do portal Regula RN, sistema utilizado na administração dos leitos públicos no estado. O índice é o menor desde 8 de maio de 2020.

Nesta terça-feira (5.abr.2022), 63 leitos para a covid-19 estão disponíveis – o que representa 70,79%. Há ainda 18 pacientes não covid-19 ocupando leitos, que representa 20,22%, e dois leitos críticos bloqueados, sendo 2,25%.

Em relação a leitos clínicos, o estado possui 77 disponíveis – ou 71,96%. Entre o número de leitos ocupados, são 10 – o que representa 9,35%. Ocupados não covid-19 são nove, ou 8,41%, além de 11 bloqueados, o que equivale a 10,28%.

Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília/Ilustração

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Anvisa aprova registro definitivo da vacina da Janssen

Anvisa aprova registro definitivo da vacina da Janssen

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o registro definitivo da vacina da Janssen contra a covid-19. A vacina, que já estava aprovada para uso emergencial desde 31 de março de 2021, recebeu nesta terça-feira (5.abr.2022) o registro definitivo.

A Janssen é a última das vacinas aplicadas no Brasil a receber o registro definitivo. Pfizer/BioNTech, AstraZeneca/Oxford e CoronaVac já têm seus registros definitivos aprovados pela Anvisa. A vacina da Janssen, que é de dose única, pode ser aplicada tanto como primeira dose, como dose de reforço.

Responsável pela Gerência-Geral de Medicamentos e Insumos Biológicos da Anvisa, Gustavo Mendes explica que o registro representa o padrão ouro de avaliação de um medicamento.

“É a consolidação da análise dos melhores dados disponíveis e de forma completa, com informações mais robustas dos estudos de qualidade, eficácia e segurança, bem como do plano de mitigação dos riscos e da adoção das medidas de monitoramento. Com o registro, a população recebe um atestado de que o produto passou por exigências comparáveis às das melhores agências reguladoras do mundo”, afirma o especialista.

O imunizante da Janssen é indicado para pessoas com 18 anos de idade ou mais e é aplicado em dose única de 0,5 mililitro (ml). Uma dose de reforço de 0,5 ml pode ser administrada pelo menos dois meses após a primeira dose.

Com informações da Agência Brasil
Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Paciente de 72 anos recebe alta da UTI cinco dias após receber coração novo no RN

Paciente de 72 anos recebe alta da UTI cinco dias após receber coração novo no RN

Um paciente de 72 anos que recebeu um coração novo, recebeu alta da UTI Cardiológica do Hospital Rio Grande e permanece em observação na ala de internação, sendo acompanhando por uma equipe multidisciplinar. Claudionor Ferreira deixou a UTI cinco dias após a cirurgia que marcou o retorno dos transplantes de coração no Rio Grande do Norte após 10 anos de paralisação.

Claudionor Ferreira fazia tratamento para o coração desde 2008 e no último domingo, dia 27 de março, passou por um transplante de urgência, recebendo um novo órgão vindo do município de Mossoró. O procedimento foi realizado no Hospital Rio Grande, em Natal, habilitado pelo Ministério da Saúde.

Foto: Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Observatório da Gestão Estadual em Saúde será realizado com a Fiocruz

Observatório da Gestão Estadual em Saúde será realizado com a Fiocruz

Pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) fizeram visita técnica à sede da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), para atividades relacionadas ao Projeto Observatório da Gestão Estadual em Saúde, o OGE-SUS/RN. A equipe foi recebida entre os dias 30 de março e 1º de abril, pelo secretário Cipriano Maia, a secretária adjunta Lyane Ramalho e técnicos de referência da Sesap.

O Observatório da Gestão Estadual tem como objetivo realizar a análise de aspectos estratégicos do SUS/RN, visando construir cenários de futuro e produzir subsídios para orientar a tomada de decisão e impulsionar o aprimoramento dos processos e práticas de gestão em saúde no Rio Grande do Norte, no período de 2022 a 2024.

Durante a visita, foi apresentado um panorama das atividades que vem sendo desenvolvidas desde dezembro de 2021, quando ocorreu a formalização da parceria, e discussão da agenda de trabalho junto às áreas técnicas da secretaria. Foi programado para o início de junho um seminário para análise do SUS no RN.

Na sexta-feira, a equipe se reuniu com o Secretário de Saúde, Dr. Cipriano Maia de Vasconcelos, e com a Secretária Adjunta, Dra. Lyane Ramalho Cortez, para discutir os próximos passos do projeto, e programar um Seminário que ocorrerá no início de junho, a fim de analisar o SUS no RN.

O Projeto OGE-SUS/RN, coordenado pelos pesquisadores Assis Mafort e André Bonifácio, é fruto da parceria entre a Sesap/RN, a Fiocruz e o Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva – NESC/UFRN, sob a coordenação da professora Lavínia Uchôa.

As metas do projeto estão relacionadas à construção do Painel de Monitoramento da Gestão Estadual, com ênfase nas ações dos Consórcios Interfederativos de Saúde, por meio de indicadores de análise de situação de saúde; à implementação de estratégias de formação/ qualificação e ações de apoio institucional nas regiões de saúde; e ainda, à documentação, padronização, disponibilização dos dados e das informações referentes aos conhecimentos produzidos no OGE (Repositório).

O Observatório da Gestão Estadual é considerado uma importante ferramenta para orientar gestores na tomada de decisão sobre os processos de saúde, e sua implantação demandará envolvimento continuo das equipes gestoras estaduais e instituições de ensino e pesquisa, para disponibilizar informações e empreender reflexões que possam caracterizar o acúmulo de experiências, promovendo a ampliação do conhecimento das práticas e processo da gestão, possibilitando a análise de tendência das mudanças operadas na dinâmica estadual no âmbito do SUS.

Foto: Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

RN está acima da média de cura da tuberculose no Brasil

RN está acima da média de cura da tuberculose no Brasil

“O Rio Grande do Norte alcançou o patamar acima da média da cura da tuberculose no Brasil. Com 71,5% de cura e controle da doença. O resultado faz parte do esforço da Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde Pública junto a todos os munícipios do Rio Grande do Norte que segue o caminho da testagem, tratamento até chegar na cura e controle da doença”, disse a coordenadora de Vigilância em Saúde da Sesap, Kelly Lima, na abertura do Encontro de Planejamento, Monitoramento e Avaliação do Programa Estadual de Controle da Tuberculose.

O evento reuniu representantes de todos os municípios do Rio Grande do Norte para apresentar os dados relevantes da Tuberculose e ocorreu na última quarta-feira (30.mar.2022) no auditório da UNI-RN. Na abertura, estiveram presentes a coordenadora de Vigilância em Saúde, Kelly Lima, a subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica, Diana Rêgo, a enfermeira responsável pelo Programa de Combate à Turbeculose, Valéria de Melo, e Eduardo França Mota, integrante do Programa.

Na ocasião foi apresentado um resumo da imersão do treinamento promovido pela Alosa TB Academy, que ocorreu na Espanha, em que a meta da Organização Mundial da Saúde (OMS) é conseguir erradicar a Tuberculose do mundo até o ano de 2035. O controle se dá através da melhoria do diagnóstico, detecção dos casos e a cura.

Durante a apresentação, a enfermeira Valéria de Melo destacou que o diagnóstico é feito através da busca ativa por pessoas que estão em suspeita da doença nos municípios. “É fundamental o trabalho que vem sendo executado nos municípios de submeter a população aos exames específicos que são rápidos e sensíveis. Quanto mais cedo começar o tratamento, maior é a chance de cura e assim o controle. Cada um de nós é importante, para a construção desses indicadores. Rumo ao fim da tuberculose”, disse.

Mais sobre a tuberculose no Brasil

A tuberculose é a doença que mata a humanidade e é uma das doenças mais antigas, só perdendo em 2020 para a pandemia da covid-19. Hoje o Estado do Rio Grande do Norte tem mantido o ritmo de busca e diagnóstico estimulando a investigação e assim, em 2020 foram notificados 1.447 casos novos, já em 2021, foram registrados 1.206 casos novos de Tuberculose.

“O RN é a sétima incidência do Brasil. Porque achamos e tratamos para que essa linha caia cada vez mais. Nossa investigação da doença chega a 35,6 de incidência e apenas quatro Estados do País mantiveram o ritmo da busca ativa e diagnóstico mesmo com a pandemia”, explica Valéria Melo.

Todo o processo de investigação faz parte dos três pilares de enfrentamento do Plano Nacional de Combate à Tuberculose, que são: Prevenção e cuidado integrado centrados na pessoa com tuberculose, Políticas arrojadas e sistemas de apoio e Intensificação da pesquisa e inovação.

Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Governo Federal dispensa testes contra a covid-19 para quem entra no país

Governo Federal dispensa testes contra a covid-19 para quem entra no país

Portaria interministerial publicada em edição extra do Diário Oficial da União na noite da sexta-feira (1º) dispensa a necessidade de apresentação testes contra a covid-19 para viajantes de procedência internacional, brasileiro ou estrangeiro, desde que apresentem comprovante de vacinação, impresso ou em meio eletrônico.

A medida vale tanto para quem viaja por via aérea como terrestre e aquática. No caso dos viajantes por transporte aéreo, o comprovante de vacinação deve ser apresentado à companhia aérea antes do embarque.

No caso das pessoas que viajam pela via terrestre, o comprovante deverá ser apresentado nos pontos de controle terrestre. Já no caso daqueles que viajam em transporte aquaviário, o comprovante deverá ser apresentado antes do embarque ao operador ou responsável pela embarcação.

Exceções

A legislação esclarece que a apresentação de testes contra a covid-19 ainda será necessária nos casos em que a própria legislação dispensa a apresentação de comprovantes de vacinação para a entrada no país. É o caso de viajantes com condição de saúde que contraindique a vacinação, desde que respaldado por laudo médico, por exemplo.

Também estão dispensados de apresentar comprovante de vacinação para o ingresso no país – desde que apresentem testes para rastreio – pessoas não elegíveis para vacinação em função da idade; e viajantes que entram no país em virtude de questões humanitárias.

Completam esse grupo (pessoas dispensadas de apresentar comprovante de vacinação, mas que precisam apresentar testes, para ingressar no país) pessoas provenientes de países com baixa cobertura vacinal; e brasileiros e estrangeiros residentes em território brasileiro, que não estejam completamente vacinados.

No caso dos viajantes por meio terrestre, a medida inclui – entre os que não precisam apresentar comprovante de vacinação – residentes fronteiriços de cidades gêmeas, mediante apresentação de documentos comprobatórios. Também não precisam apresentar comprovante de vacinação trabalhadores de transporte de cargas, incluídos motorista e ajudante, desde que estes comprovem adotar equipamentos de proteção individual e medidas para mitigação de contágio indicadas pela Anvisa.

De acordo com a portaria publicada ontem, os testes a serem apresentados nessas situações específicas precisam ter “resultado negativo ou não detectável, do tipo teste de antígeno ou laboratorial RT-PCR realizado em um dia antes do momento do embarque”, tendo como referência alguns parâmetros apresentados no anexo da portaria.

A necessidade de apresentar comprovante de vacinação e teste com resultado negativo para a doença estava previsto em normas publicadas anteriormente.

Com informações da Agência Brasil
Foto: Rodrigo Mello Nunes/ iStock

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Vacinação contra a gripe tem início no Brasil

Vacinação contra a gripe tem início no Brasil

Começou ontem (4.abr.2022) a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. A meta do Ministério da Saúde é imunizar cerca de 76,5 milhões de pessoas até o dia 3 de junho, data prevista para encerramento da campanha. Segundo a pasta, 80 milhões de doses da vacina Influenza trivalente, produzidas pelo Instituto Butantan e eficaz contra as cepas H1N1, H3N2 e tipo B, estarão disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS).

Etapas

Para evitar surtos da doença, que pode sobrecarregar os serviços de saúde e até levar à morte, a pasta alerta para a importância da vacinação dos grupos prioritários.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe ocorrerá em duas etapas. Na primeira, de hoje a 2 de maio, serão vacinados idosos com 60 anos ou mais e trabalhadores da saúde. A segunda, que vai de 3 de maio a 3 de junho, tem como público-alvo crianças de 6 meses até 4 anos, 11 meses e 29 dias; gestantes e puérperas; povos indígenas; professores; pessoas com comorbidades; pessoas com deficiência permanente; membros de forças de segurança e salvamento e das Forças Armadas; caminhoneiros e trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso; trabalhadores portuários; funcionários do sistema prisional; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medida socioeducativa e pessoas privadas de liberdade.

No caso das crianças de 6 meses a menores de 5 anos que já receberam ao menos uma dose da vacina influenza ao longo da vida, deve-se considerar o esquema vacinal com apenas uma dose em 2022. Para as crianças que serão vacinadas pela primeira vez, a orientação é agendar a segunda aplicação da vacina contra a gripe para 30 dias após a primeira dose.

Com informações da Agência Brasil
Foto: Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Unimed Natal suspende serviços a clientes no Hospital do Coração

Unimed Natal suspende serviços a clientes no Hospital do Coração

A Unimed Natal anunciou a suspensão de parte dos atendimentos aos clientes no Hospital do Coração. O fim dos serviços ocorrerá a partir do próximo dia 25 de abril. Segundo a operadora, os atendimentos em pronto socorro na especialidade de ortopedia e traumatologia, além de cirurgias de urgência e eletivas de ortopedia e traumatologia, neurocirurgia adulto e pediátrica, hemodinâmica, cirurgias do aparelho digestivo e urologia, assim como os exames eletivos de Patologia Clínica, Raio-x e Ultrassonografia serão descontinuados.

De acordo com a Unimed Natal, não se trata de um descredenciamento do Hospital do Coração, mas de um direcionamento de parte dos serviços para outros hospitais da rede. Segundo a empresa, a alteração não trará prejuízos aos clientes. A Unimed informou que, para o atendimento aos pacientes nessas especialidades, o pronto socorro na especialidade de ortopedia e traumatologia, bem como cirurgia de urgência e eletiva da mesma especialidade, serão ofertados no Hospital Unimed Natal, localizado na avenida Antônio Basílio.

Já sobre os serviços envolvendo cirurgias eletivas de neurocirurgia adulto e pediátrica, Hemodinâmica, Cirurgia do Aparelho Digestivo e Urologia serão ofertados no setor de Urologia e Neurocirurgia Pediátrica Hospital Unimed, além dos demais hospitais da rede credenciada, de acordo com o plano de cada usuário.

A empresa explicou ainda que o Hospital Rio Grande e Casa de Saúde São Lucas farão os atendimentos eletivos de Hemodinâmica.

Por meio de nota, o Hospital do Coração explicou que a decisão para encerrar o atendimento foi da própria Unimed. O hospital explicou que serão mantidos os atendimentos e internações de urgência e emergência para cardiologia, clínica médica, neurocirurgia, hemodinâmica, cirurgia de aparelho digestivo e urologia, além dos exames de urgência e emergência para patologia clínica (laboratório) e exames de imagens.

Foto: Divulgação/Facebook

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Vacinas usadas contra a covid-19 no Brasil elevam proteção contra reinfecções

Vacinas usadas contra a covid-19 no Brasil elevam a proteção contra reinfecções

A imunização com as vacinas contra a covid-19 utilizadas no Brasil aumenta a proteção mesmo nas pessoas que já tiveram casos da doença previamente, mostra um estudo publicado na quinta-feira (31.mar.2022) na revista Lancet por pesquisadores do projeto Vigivac, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). O estudo indica que a vacinação reduz, principalmente, a ocorrência de hospitalizações e óbitos.

Os pesquisadores constataram que a efetividade dos imunizantes contra internação ou morte, 14 ou mais dias após a conclusão do esquema vacinal, foi de 81,3% para a CoronaVac, 89,9% para a AstraZeneca, 57,7% para a Janssen e 89,7% para a Pfizer. Já contra quaisquer casos sintomáticos, foi encontrada uma efetividade de 39,4% para a Coronavac, 56% para a AstraZeneca, 44% para a Janssen e 64,8% para a Pfizer.

“Muitos países recomendam que uma dose é suficiente para indivíduos previamente infectados. Nós constatamos que uma segunda dose de CoronaVac, AstraZeneca e Pfizer garantiu uma proteção adicional significativa contra infecções sintomáticas e casos severos de covid-19”, afirma o artigo, que acrescenta que há uma queda de anticorpos nos nove meses seguintes à recuperação dos pacientes e que uma exposição repetida ao antígeno, por meio da vacinação, é capaz de aumentar a diversidade de anticorpos e a proteção contra variantes.

“Consideradas conjuntamente, essas descobertas podem ajudar a explicar os benefícios adicionais de uma segunda dose entre indivíduos que foram previamente infectados, apesar da resposta imune robusta produzida pela primeira dose”.

Para realizar a pesquisa, os cientistas identificaram cerca de 213 mil pessoas com sintomas que realizaram teste RT-PCR ao menos 90 dias após uma infecção inicial pelo coronavírus e também após o início do programa de vacinação. Nesse universo, foram constatadas 30.910 pessoas com casos confirmados de reinfecções pelo SARS-CoV-2.

A análise teve como base os dados nacionais de notificação, hospitalização e vacinação de covid-19, no período de 24 de fevereiro de 2020 a 11 de novembro de 2021, anterior à chegada da variante Ômicron ao Brasil. O artigo pondera que a metodologia utilizada tem limitações, como a impossibilidade de comparar a efetividade de acordo com a faixa etária, já que a idade média das pessoas analisadas era de 36 anos, com 75% do público em idade inferior a 45 anos.

Outro ponto levantado é que as vacinas foram introduzidas no calendário em períodos diferentes, o que pode fazer com que a efetividade daquelas aplicadas mais cedo saia prejudicada na comparação com as que foram aplicadas mais tarde, uma vez que a imunidade tende a cair com o tempo.

Os pesquisadores também não dispunham de dados sobre qual variante havia causado cada caso, o que também poderia afetar a efetividade, e ponderam ainda que pode haver diferenças na precisão dos testes RT-PCR usados em diferentes partes do país.

A pesquisa contou com financiamento da própria Fiocruz, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) e da empresa JBS. O trabalho também teve o apoio do Instituto de Saúde Carlos III, do Ministério da Ciência e Inovação da Espanha e do Governo da Catalunha.

Com informações da Agência Brasil
Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Baricitinibe Aprovado o primeiro medicamento para o tratamento da covid-19 pelo SUS

Baricitinibe: Aprovado o primeiro medicamento para o tratamento da covid-19 pelo SUS

Pacientes adultos hospitalizados que necessitam de oxigênio por máscara ou cateter nasal por consequência da covid-19 poderão ser tratados com baricitinibe.

O baricitinibe – que passa a ser primeiro para o tratamento da covid-19 incorporado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) – já tem registro no Brasil com indicação para artrite reumatoide ativa moderada a grave e dermatite atópica moderada a grave. A decisão foi publicada por meio da Portaria nº 34/2022 assinada pela Secretaria de Ciência e Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE) no Diário Oficial da União.

O baricitinibe já havia sido aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) como tratamento para casos graves da doença e teve recomendação de incorporação da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec). Durante o processo de análise da Conitec, o tema foi submetido à consulta pública, entre os dias 15 e 24 de março, para contribuições de especialistas e da sociedade em geral.

A recomendação final da comissão, favorável à incorporação, foi tomada em reunião extraordinária, convocada na última quarta-feira (30.mar.2022). Os estudos analisados pela comissão apontam que o uso do medicamento pode contribuir para uma redução significativa de mortes por covid-19 de pacientes adultos hospitalizados e que necessitam de oxigênio por máscara ou cateter nasal, ou que precisam de alto fluxo de oxigênio ou ventilação não invasiva.

O baricitinibe é um medicamento que atua sobre o sistema imune, auxiliando no processo de recuperação de quadros inflamatórios. De forma mais específica, ele diminui a ação da interleucina-6 (IL-6), substância ligada à ocorrência de reações inflamatórias geradas por diversas doenças e se apresenta com níveis elevados em casos mais graves da doença.

Com informações da Agência Brasil
Foto: NIAID

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Estudo aponta que ivermectina não é eficaz para reduzir internações por covid-19

Estudo aponta que ivermectina não é eficaz para reduzir internações por covid-19

A ivermectina não se mostrou eficaz para evitar que pacientes com covid-19 fossem internados, de acordo com o resultado de um grande ensaio clínico publicado nesta quarta-feira (30.mar.2022). A pesquisa envolveu 1.358 pessoas infectadas pelo novo coronavírus de 12 cidades de Minas Gerais. Os resultados foram publicadas no The New England Journal of Medicine.

Pesquisadores realizaram um estudo duplo-cego, com pacientes que tiveram sintomas de covid-19 por até sete dias entre 23 de março de 2021 e 6 de agosto de 2021, principal pico de mortes da pandemia no Brasil. Metade foi aleatoriamente designada para ser medicada com ivermectina (679 pacientes) e outra metade recebeu placebo (679 pacientes).

“O resultado demonstrou que nós não tivemos nenhuma sinalização de benefício da medicação para tratar a covid”, diz o professor da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas) Gilmar Reis, que liderou o estudo. Voluntários que tomaram ivermectina nos primeiros três dias após um teste positivo de coronavírus, inclusive, tiveram resultados piores do que os do grupo placebo. O estudo foi revisado por pares antes de ser publicado no periódico científico.

A ivermectina normalmente é usada como medicamento antiparasitário e demonstrou ter eficácia clínica no tratamento contra oncocercose (infecção por verme), estrongiloidíase (infecção intestinal) e sarna. No início da pandemia, pesquisadores passaram a testar vários medicamentos contra o covid-19 e surgiu a hipótese de que a ivermectina poderia bloquear o coronavírus, o que não se confirmou.

Ideologização

“Vimos grande ideologização da ivermectina no nosso País, e também nos Estados Unidos. Hoje, no Brasil, isso reduziu muito, mas nos Estados Unidos continua muito intensa”, diz o pesquisador. “Então, nós julgamos que tínhamos todos os pressupostos para estudar o medicamento”.

A motivação para ir atrás desses resultados, explica Reis, partiu também de uma inquietação por um remédio para combater a doença. “O mundo está numa corrida contra o tempo na tentativa de encontrar terapêuticas para a covid. Nós entendemos que diante da pandemia, a gente precisava dar respostas rápidas, consistentes e robustas”, explica.

“Para isso, desenvolvemos uma rede de colaboração. Fiz o desenho do protocolo de pesquisa e recebemos as aprovações regulatórias” acrescenta Reis. Conduzido em pacientes da rede pública, o estudo contou com o auxílio de prefeitos e secretários de Saúde. Para dar consistência à parte metodológica, teve apoio ainda de pesquisadores de universidades como a McMaster, do Canadá, e a Stanford, nos Estados Unidos.

Segundo o pesquisador, a expectativa agora é que os resultados obtidos pelo estudo gerem efeitos no tratamento da covid. “Com certeza, em diversas partes do mundo, vão parar de consumir ivermectina”, aponta Reis.

“Agora que as pessoas podem mergulhar nos detalhes e nos dados, esperamos que isso desvie a maioria dos médicos da ivermectina para outras terapias”, disse David Boulware, especialista em doenças infecciosas da Universidade de Minnesota, ao jornal The New York Times.

Do Estadão Conteúdo
Foto: Reprodução

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Fiocruz aponta que SRAG em crianças de 5 a 11 anos aumentou 309% entre fevereiro e março

Fiocruz aponta que SRAG em crianças de 5 a 11 anos aumentou 309% entre fevereiro e março

Os casos de SRAG em crianças continuam em alta, e o aumento da incidência chega a 309% na faixa etária de 5 a 11 anos, se a quarta semana de março for comparada com a primeira de fevereiro. A análise foi divulgada ontem (31.mar.2022) no Boletim InfoGripe, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Os dados mais recentes avaliados pelos pesquisadores são do período de 20 a 26 de março e também mostram um crescimento de 110% na média móvel de casos de SRAG em crianças de 0 a 4 anos, em relação à primeira semana de fevereiro. Na população adulta, a tendência é de queda em todas as faixas etárias.

O aumento de casos da SRAG em crianças de 0 a 4 anos pode estar relacionado ao vírus sincicial respiratório (VSR), segundo o boletim. Já na faixa etária de 5 a 11 anos pode ter havido uma interrupção da queda de infecções pelo SARS-CoV-2 em fevereiro, e um aumento da detecção de outros vírus respiratórios em março.

Crianças de 5 a 11 anos podem ser vacinadas contra a covid-19 desde janeiro, o que reduz o risco de uma infecção evoluir para uma síndrome respiratória grave.

O coordenador do InfoGripe, Marcelo Gomes, acrescenta que o aumento nas duas faixas etárias infantis coincide com o início do ano letivo. Nas faixas etárias adultas, ele avalia que, apesar de o patamar atual de casos de SRAG ser o menor da pandemia, ainda são registrados mais de dois casos por 100 mil habitantes no país.

A Fiocruz informa ainda que sete das 27 unidades federativas apresentam sinal de crescimento na tendência de longo prazo (últimas 6 semanas) de casos de SRAG: Amapá, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Paraíba, Roraima e Sergipe. Esse cenário é registrado em 12 capitais: Aracaju (SE), Boa Vista (RR), Campo Grande (MS), Cuiabá (MT), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), João Pessoa (PB), Macapá (AP), Maceió (AL), Recife (PE), São Paulo (SP) e Vitória (ES).

Foto: José Cruz/Agência Brasil
Com informações da Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministro afirma que Centro Nacional de Tecnologia de Vacinas será independente na produção de imunizantes ainda em 2022

Ministro afirma que Centro Nacional de Tecnologia de Vacinas será independente na produção de imunizantes ainda em 2022

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, falou ontem (28.mar.2022) sobre a capacidade operacional do Centro Nacional de Tecnologia de Vacinas, localizado na cidade de Campinas, em São Paulo, em um dos campi do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM).

Segundo o ministro, o polo de desenvolvimento de vacinas e medicamentos está alinhado às “mais rígidas normas e padrões mundiais”, e será fator crucial na independência na produção de vacinas humanas no Brasil.

Durante pronunciamento em rede nacional de televisão, Pontes explicou que nunca houve vacinas totalmente desenvolvidas por cientistas brasileiros – cenário que deve mudar com os investimentos em laboratórios e em pesquisa que começam a apresentar resultados. “Nossos cientistas finalmente têm condições de produzir, aqui no Brasil, nossas próprias vacinas”, explicou.

Mais cedo, Marcos Pontes afirmou durante palestra dada no 2º Seminário Brasil em Transformação, durante a inauguração da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados da Justiça Militar da União (Enajum), em Brasília, que o centro tornará o Brasil independente em vacinas ainda neste ano.

“A história nos mostra que quando grandes catástrofes atingem a humanidade, grandes superações acontecem também. Principalmente em ciência e tecnologia”, disse o ministro, que frisou que o governo federal realizou “o maior investimento para fabricação de vacinas da nossa história”.

Também foi anunciado que o desenvolvimento de uma vacina de RNA mensageiro de terceira geração contra a covid-19 já está em andamento no Centro Nacional de Tecnologia de Vacinas. “Essa vacina tem tecnologia muito avançada e é capaz de superar muitas que já estão no mercado”, disse o ministro.

Pontes informou que diversos imunizantes serão desenvolvidos no centro, não apenas contra covid-19, mas contra doenças tropicais negligenciadas e contra outras doenças perigosas, que até então não podiam ser estudadas no Brasil por falta de estrutura adequada.

O Centro Nacional de Tecnologia de Vacinas está acoplado ao Sirius, o maior acelerador de elétrons do Hemisfério Sul e o maior laboratório da América Latina.

Em sua fala, Marcos Pontes também fez alusão ao aniversário da decolagem do voo espacial que levou o então astronauta em uma incursão espacial – a única tripulada por um brasileiro na história. A missão, que teve como destino a Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), teve início em 29 de março de 2005. “Acredite na ciência brasileira”, aconselhou o ministro.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Com informações da Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

PL aprovado em Natal determina que equipamentos emissores de radiação ionizante devem ser operados por Técnicos ou Tecnólogos em Radiologia

A Câmara Municipal de Natal aprovou, na última quarta-feira (23), o projeto de lei nº 275/2017, que dispõe sobre os profissionais aptos a operar de forma exclusiva os equipamentos emissores de radiação ionizante no município. A matéria legislativa foi apresentada pela vereadora Ana Paula Protásio em parceria com o Conselho Regional de Técnicos em Radiologia da 16ª Região e também assegura os direitos dos Técnicos e Tecnólogos em Radiologia.

De acordo com o projeto de lei, os equipamentos que emitem radiação ionizante compreendidos nos setores de radiodiagnostico, radioterapia, radioisótopos, industrial e de medicina nuclear devem ser operados exclusivamente por Técnicos e Tecnólogos em Radiologia devidamente habilitados para exercer a profissão. Além disso, também estabelece a obrigatoriedade do uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s).

É uma garantia desses profissionais de que esses equipamentos vão ser manuseados por aqueles que estudaram para isso, que foram treinados. Esse projeto foi uma sugestão de um coletivo de profissionais e, por isso, o trouxemos à Câmara Municipal, para atender os anseios deles. Isso é para que se evite falhas na utilização desses aparelhos, haja visto que esses profissionais são habilitados para essa atividade, então o que o projeto faz é evitar riscos e erros”., afirmou a vereadora Ana Paula.

Outro ponto estabelecido pela matéria legislativa diz respeito ao cumprimento do piso salarial, carga horária e adicional de insalubridade dos profissionais das técnicas radiológicas, de acordo com o que prevê a Lei Federal nº 7.394/85. Deste modo, o salário mínimo dos profissionais que atuam no município de Natal deverá ser equivalente a dois salários mínimos profissionais da região mais o adicional de insalubridade de 40% sobre seu vencimento, em uma jornada de 24 horas semanais.

A radiologia exerce um papel essencial para a população, mas envolve uma série técnicas que devem ser executadas por profissionais qualificados. Caso contrário, poderá oferecer riscos à saúde destes profissionais e da população que utiliza os serviços. Por isso, enxergamos este projeto de lei como de extrema importância, já que garante a aplicação dos direitos dos técnicos e tecnólogos em radiologia, além de destacar que são estes os profissionais competentes para operar os equipamentos que emitem radiação ionizante.”, afirmou o Diretor Presidente do Conselho Regional de Técnicos em Radiologia da 16ª Região, Fontaine Araújo.

A Secretaria Municipal de Saúde, através das áreas competentes de Vigilâncias Epidemiológicas e Sanitárias (COVISA), será responsável pela fiscalização do efetivo cumprimento dos dispositivos da lei. A matéria segue agora para sanção do Poder Executivo.

Foto: Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Casos de dengue no RN aumentam 27% no primeiro trimestre de 2022

Casos de dengue no RN aumentam 27% no primeiro trimestre de 2022

Houve um aumento de 27% no número de casos de dengue no RN nestes primeiros três meses de 2022. É o que aponta o boletim epidemiológico das arboviroses divulgado nesta terça-feira (29.mar.2022) pela Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap).

O crescimento dos números da dengue no RN é em comparação ao mesmo período do ano anterior no estado. Os dados foram contabilizados até o dia 12 de março. Desses, 1.252 foram considerados casos prováveis, além de outros 502 que foram descartados. Segundo a Sesap, um óbito pela doença está em investigação. A incidência apresentada pela doença foi de 35,16 casos prováveis por 100 mil habitantes.

Seis municípios concentram o maior número de casos de dengue no RN

Os municípios que apresentaram maior incidência de dengue foram Passa e Fica, Santo Antônio, Serrinha e Várzea (1ª Região de Saúde) e Jardim do Seridó e Parelhas (4ª Região de Saúde). Tanto a dengue quanto as demais arboviroses registraram aumento de notificações. Outro perfil que se alterou foi em relação à localização dos casos, segundo a Sesap.

“Em 2021, percebemos que as notificações ocorriam muito na Região do Trairi (5ª Região de Saúde), porém, neste ano, as notificações estão maiores na Região Agreste, onde se situa a 1ª Região de Saúde, bem como na Região do Seridó, que corresponde à 4ª Região de Saúde”.

Foto: Reprodução/Internet

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Comissão de PCD e Mobilidade Reduzida da Câmara Municipal de Natal recebe demandas de instituições sociais

Comissão de PCD e Mobilidade Reduzida da Câmara Municipal de Natal recebe demandas de instituições sociais

A Comissão em Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência e Mobilidade Reduzida na Câmara Municipal de Natal, presidida pelo vereador Tércio Tinoco (Sem Partido), se reuniu na manha desta segunda-feira (28.mar.2022). Durante a reunião do colegiado, foram apreciados quatro projetos de lei.

Entre as matérias aprovadas, está o PL 383/202, de autoria do vereador Preto Aquino (PSD), que dispõe sobre o uso de máscaras transparentes na Administração Pública, em decorrência da COVID-19, para facilitar a leitura labial e a comunicação para pessoas com deficiência auditiva. Sobre o projeto, o vereador Herberth Sena (PL) afirmou a importância da aprovação para a população surda do município do Natal. 

Além disso, foram aprovados também o PL 388/2021, de autoria da vereadora Ana Paula (Solidariedade), que institui a implementação do “Programa Educacional para a Prática da Educação Física Adaptada para Estudantes com Deficiência”; o PL 188/2021, de autoria do vereador Raniere Barbosa (AVANTE), que estabelece diretrizes para o aprimoramento da educação especial, por meio das “Rodas de Conversas Integradas”; e o PL 444/2021, de autoria do vereador Tércio Tinoco, que institui alteração na Lei nº 6.507, de 25 de novembro de 2014, solicitando a substituição do termo “Paraolimpíada”, passando a ser utilizado o termo mais adequado, “Paralimpíada”

Também estiveram presentes à reunião, representantes de instituições como Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), Casa de Apoio à Criança com Câncer Durval Paiva, Sociedade Dos Cegos Do Rio Grande Do Norte (Socern), Associação Vidas Positivas (AVIP), Associação dos Deficientes Visuais do RN (ADV-RN) e Sociedade Amigos do Deficiente Físico do RN (Sadef).

O representante da Socern, Aníbal Luís, apontou a remoção das linhas de ônibus que davam acesso ao Centro de Reabilitação Infantil (CRI). “Esperamos receber apoio dos vereadores para que a situação da retirada desses transportes públicos seja revista, pois as crianças e famílias que necessitam acessar o CRI para realizar suas reabilitações não tem condições de andar desde o shopping Midway até o local”, afirmou.

Participaram de forma virtual os vereadores Divaneide Basílio (PT), Pedro Gorki (PCdoB) e Robson Carvalho (PDT).

Foto: Reprodução/Francisco de Assis/Câmara Municipal de Natal

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Greve dos médicos da rede pública do RN começa hoje (28)

Greve dos médicos da rede pública do RN começa hoje (28)

Greve dos médicos visa à inclusão do reajuste de internível de 3% na reestruturação do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) etc.

Os médicos que atuam nos serviços públicos de saúde do Rio Grande do Norte iniciam, nesta segunda-feira (28.mar.2022), a paralisação das atividades por tempo indeterminado. Na semana passada, eles já atuavam em situação de estado de greve e, na quinta-feira (24.mar.2022), decidiram deflagrar oficialmente a greve para o início desta segunda-feira. 

De acordo com o Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed), com a decisão, fica suspensa a realização de consultas ambulatoriais e a realização de cirurgias eletivas. Já o atendimento de urgência sofre redução de 30% no quadro de profissionais. 

Conforme explicou Geraldo Ferreira, presidente do Sinmed, os médicos estão tomando os cuidados para minimizar os transtornos à população que precisa dos serviços de saúde. “Os atendimentos de urgência e emergência serão preservados para que a população não sobre ainda mais, castigada por um governo que não cuida da saúde”, afirmou. 

Ainda segundo o Sinmed, pelo menos 2,5 mil médicos reivindicam a inclusão do reajuste de internível de 3% na reestruturação do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR), paridade salarial entre ativos e aposentados e gratificação por qualificação.

Em assembleia realizada no dia 17 de março, a categoria aprovou a proposta enviada pelo secretário de Saúde, Cipriano Maia, com relação às mudanças no Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) do estado, que previa o escalonamento da implementação do reajuste de internível e a inclusão da gratificação por especialização. 

No entanto, de acordo com o Sinmed, no dia 22 de março, o secretário informou que a inclusão da gratificação havia ficado fora da proposta do Governo do Estado. Por causa disso, nesse mesmo dia, os médicos decidiram aprovar o estado de greve, mas sem paralisação dos atendimentos, com objetivo de pressionar uma negociação por parte da Secretaria de Estado da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap). Passados dois dias, sem receber nenhuma contraproposta da secretaria, os médicos então aprovaram o início da greve com a paralisação nos atendimentos para esta segunda-feira. 

Posicionamento da Sesap

A Sesap informou ao Portal da Tropical que, durante a manhã desta segunda-feira, ainda não foram observadas alterações nos serviços prestados no âmbito da saúde pública do RN. Em nota, a secretaria explicou também que, a respeito da reivindicação dos médicos sobre gratificação de incentivo à qualificação, “a Sesap esclarece que segue a legislação, a qual diz que o pagamento deve ser feito a partir da qualificação superior à exigência do cargo”.

“Ressalte-se ainda que cerca de 10% do quadro de médicos apresentou documentação relativa e o Sindicato dos Médicos não respondeu às convocações para discutir a elaboração do novo Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração, reivindicando mudança após a finalização e aprovação por todas as outras categorias”, ressaltou a Sesap.

Com relação ao internível, a Sesap destacou que, em negociação com o sindicato, foi acertado o reajuste de 2% a partir de abril e um acréscimo de 0,5% a partir de dezembro, levando em conta a paridade entre ativos e inativos.

“Os médicos receberam seguidos reajustes, até 2018, em quatro anos seguidos de aumento, o que não ocorreu com as outras categorias. A gestão da Sesap reforça sua disposição em negociar e manter diálogo com a categoria, reforçando a necessidade de manutenção do melhor atendimento à população”, concluiu em nota. 

Com informações do Portal Tropical
Foto: Reprodução/Letícia França

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Rio Grande do Norte chega ao quarto dia consecutivo sem novas internações por covid-19

Rio Grande do Norte chega ao quarto dia consecutivo sem novas internações por covid-19

O Rio Grande do Norte chegou nesta quinta-feira (24.mar.2022) ao quarto dia consecutivo sem registro de novas internações de pacientes por covid-19. Os dados são do Regula RN, plataforma de regularização de leitos clínicos e críticos do SUS, em todo território potiguar.

Na manhã desta sexta (25.mar.2022) o Rio Grande do Norte registrava taxa de ocupação de leitos críticos de covid de 7,9%, com 10 pessoas internadas com a doença. Outros 15 leitos de UTI covid-19 eram ocupados por pessoas sem a doença. Segundo o governo, esses pacientes não são contabilizados para a taxa de novas internações.

Durante toda a pandemia o Rio Grande do Norte registrou 494.656 casos e covid-19, sendo 351 nas últimas 24 horas. Ao todo, o estado registrou 8.116 mortes por covid-19.

Foto: Reprodução/Ariel Dantas

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério da Saúde recomenda segunda dose de reforço para idosos acima de 80 anos

Ministério da Saúde recomenda segunda dose de reforço para idosos acima de 80 anos

O Ministério da Saúde (MS) recomenda segunda dose de reforço da vacina contra a covid-19 para idosos com mais de 80 anos. A aplicação deve ser feita quatro meses após a primeira dose de reforço e a orientação é que o imunizante seja preferencialmente da Pfizer.

“Ministério da Saúde recomenda a aplicação de uma segunda dose de reforço aos idosos acima de 80 anos. A imunização deve ser feita quatro meses após a primeira dose de reforço e a orientação é que a aplicação seja efetuada, preferencialmente, com a Pfizer”, informou a pasta por meio das redes sociais.

Desde dezembro, o ministério já orientava a aplicação de uma dose de reforço apenas para as pessoas maiores de 18 anos imunossuprimidas. Com a nova informação, a pasta amplia o público-alvo para este novo esquema vacinal. Além da Pfizer, o ministério disse que as vacinas da Janssen e AstraZeneca também podem ser utilizadas na aplicação da segunda dose de reforço, independentemente do imunizante anterior.

A pasta reforça que há doses suficientes da Pfizer para aplicação neste grupo de idosos.

“Janssen e AstraZeneca também podem ser utilizadas no novo reforço, independentemente do imunizante anterior. O MS reforça que há vacinas da Pfizer suficientes para aplicação neste grupo. Vários estados informam que também têm esses imunizantes em estoque”, disse o ministério.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Com informações da Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

RN completa uma semana sem óbitos por covid-19

RN completa uma semana sem óbitos por covid-19

Além de uma semana sem óbitos por covid-19 no RN, Sesap/RN informa que 481.352 potiguares estão curados da doença.

O Rio Grande do Norte completou uma semana sem óbitos por covid-19. O caso é inédito desde o início da pandemia, em março de 2020. Os dados são da Secretaria Estadual de Saúde Pública do RN (Sesap/RN). De acordo com a pasta, na terça-feira (22.mar.2022) eram contabilizados 493.375 casos, ou seja, 754 novos em comparação com o dia anterior, destes, 491 confirmados nas últimas 24 horas.

Ao total, segundo a Sesap-RN, são 494.129 casos totalizados. Já em relação ao óbitos no estado, foram registrados 8.116 no total, sem registro de óbitos nas últimas 24h, pelo sétimo dia seguido. Na terça-feira (21), também eram 8.116 mortes. Óbitos em investigação são 1.578.

Ainda de acordo com o boletim da pasta, recuperados são 481.352. Casos suspeitos somam 632 e descartados são 926.865. Estimativa de casos em acompanhamento: 4.661

Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Média móvel de óbitos caiu 60,4% desde o pico da Ômicron, afirma Ministério da Saúde

Média móvel de óbitos caiu 60,4% desde o pico da Ômicron, afirma Ministério da Saúde

O Brasil registrou queda de 60,4% na média móvel de óbitos por covid-19 desde o pico nas ocorrências causadas pela variante Ômicron. Segundo o Ministério da Saúde, o recuo foi de 895,36, em 18 de fevereiro, para 354,3, registrado na segunda-feira (21). A média móvel de casos caiu 77,7% desde o dia 5 de fevereiro, quando a pandemia atingiu a máxima histórica de casos, registrando média de 183 mil.

De acordo com a pasta, a vacinação contra a covid-19 é a principal responsável pela queda nos registros. Atualmente, 91,38% da população acima de 12 anos está vacinada com a primeira dose (D1) e 85,35% desse mesmo público está imunizada com a dose única ou com a segunda dose (D2).

Pesquisa da Universidade de Oxford indica que a vacinação aumenta em até 100 vezes a imunidade contra a doença. Até o momento, 41% do público vacinável tomou o reforço. Atualmente, 59,4 milhões de brasileiros estão prontos para o recebimento da dose de reforço, mas ainda não voltaram aos postos de vacinação. A mesma pesquisa indica 17,6 milhões de pessoas só receberam a primeira dose.

Vacinação

Ao todo, foram distribuídas 464,8 milhões de vacinas contra a covid-19. Dessas, 391,5 milhões de doses chegaram aos braços dos brasileiros como D1 e D2 – respectivamente 171,8 milhões e 153,7 milhões.

Na etapa da dose de reforço, 63,3 milhões de brasileiros acima de 18 anos, público-alvo dessa estratégia, receberam a proteção. Quanto ao público infantil, 8,9 milhões de crianças entre 5 e 11 anos tomaram a D1.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Com informações da Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Anvisa consulta especialistas sobre vacina para crianças de 3 a 5 anos

Anvisa consulta especialistas sobre vacina para crianças de 3 a 5 anos

A eficácia e a segurança da vacina CoronaVac para crianças de 3 a 5 anos foram debatidas, nesta terça-feira (22.mar.2022), entre técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e especialistas em saúde. A reunião faz parte do processo de avaliação feito pela agência sobre o pedido do Instituto Butantan para que a vacina seja utilizada nesta faixa etária.

As reuniões têm sido adotadas pela Anvisa na avaliação de vacinas para crianças de 3 a 5 anos, a fim de garantir que qualquer autorização para esse público seja concedida dentro do mais alto padrão de segurança possível. A agência informou aos especialistas os dados e resultados apresentados pelo Butantan até o momento.

Participaram representantes da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Hospital Albert Einstein e também da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco).

Na quinta-feira (17.mar.2022) e na sexta-feira (18.mar.2022), a Anvisa enviou exigências técnicas ao Instituto Butantan a respeito da CoronaVac em crianças de 3 a 5 anos. As exigências são requerimentos emitidos pela equipe técnica da agência sobre dados, resultados ou informações que precisam ser complementados pelo laboratório para a conclusão do pedido de indicação solicitado.

“O pedido de exigência é comum nos processos de análise de vacinas e medicamentos. Esse pedido não interrompe a análise pelos técnicos da Agência, que continuam trabalhando no processo. As exigências, porém, suspendem a contagem do prazo de sete dias úteis que a Anvisa tem para avaliar o processo”, informou a Anvisa.

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil/Ilustração
Com informações da Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Médicos do Estado entram em greve

Médicos do Estado entram em greve

Médicos ligados à Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap) decidiram decretar greve em assembleia realizada na noite desta terça-feira (22.mar.2022), no Sindicato dos Médicos do RN (Sinmed/RN), por descumprimento de acordo por parte da secretaria.

A categoria médica reivindica a inclusão do reajuste de internível de 3% na reestruturação do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) – assim como foi concedido a todas as categorias da área da saúde, menos aos médicos e cirurgiões dentistas – paridade salarial entre ativos e aposentados e gratificação por qualificação.

Em assembleia realizada no dia 17 de março, a categoria aprovou a proposta enviada pelo secretário de saúde, Cipriano Maia, com relação às mudanças no PCCR do estado, que previa o escalonamento da implementação do reajuste de internível e a inclusão da gratificação por especialização. Ontem, em reunião com o Sinmed RN, o secretário informou que a inclusão da gratificação havia ficado fora da proposta do governo.

Por este motivo, os médicos aprovaram Estado de Greve, sem paralisação dos atendimentos neste primeiro momento. A mobilização vai funcionar como Operação Padrão, com tempo de atendimento mais prolongado, dando a devida atenção ao paciente, e realização de visitas às unidades de saúde para fiscalização de precariedades que possam prejudicar o atendimento ao paciente. Os profissionais vão realizar os atendimentos com a identificação do movimento de greve, através do uso de coletes.

Na próxima quinta-feira, 24 de março, a categoria realiza nova assembleia de avaliação do movimento de greve e deve votar a paralisação das atividades.

Foto: Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Em Natal, secretaria de Saúde libera a quarta dose da vacina contra a covid-19 para idosos de 60 anos ou mais

Em Natal, secretaria de Saúde libera a quarta dose da vacina contra a covid-19 para idosos de 60 anos ou mais

A partir desta sexta-feira (18.mar.2022), idosos de Natal que tomaram a terceira dose da vacina contra a covid-19 há pelo menos quatro meses podem voltar aos pontos de vacinação para receber a quarta dose (D4). A liberação da quarta dose foi autorizada pela prefeitura da capital, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). O anúncio foi feito nesta sexta-feira.

De acordo com a pasta, as pessoas com 60 anos ou mais se juntam às que possuem doenças imunossupressoras, que são o outro grupo que também já está apto a receber a quarta dose. A prefeitura orienta que para receber qualquer dose dos imunizantes contra a covid, D1, D2, D3 ou D4, é preciso se dirigir a qualquer unidade básica de saúde (UBS) da cidade, ou a pontos extras espalhados por alguns estabelecimentos, presentes na zona Sul, Leste e Norte.

Segundo a gestão municipal, neste final de semana, a feirinha da Árvore de Mirassol vai receber um ponto de vacinação extra que vai funcionar desta sexta (18) ao domingo (20.mar.2022). Também estão disponíveis pontos extras de vacinação nos shoppings Midway Mall, Partage Norte Shopping, Via Direta, Comjol da avenida Roberto Freire e o Ginásio Nélio Dias. Enquanto isso, as UBS funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h.

Confira os horários de atendimento de cada ponto extra:

Feira da árvore de Mirassol: sexta (18) a domingo (20), das 16h às 21h;

Via Direta: segunda a sábado, das 9h às 21h;

Nélio Dias: segunda a sexta, das 08h às 15h, e sábado das 08h às 12h;

Midway Mall: segunda a sábado, das 10h às 17h;

Partage Norte Shopping: segunda a sábado, das 14h às 20h;

Comjol Roberto Freire: segunda a sexta, das 09h às 16h, e sábado das 09h às 14h.

Foto: Valdo Leão/Ilustração

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Marcelo Queiroga discute situação da pandemia no Brasil com presidente do STF

Marcelo Queiroga discute situação da pandemia no Brasil com presidente do STF

Para Marcelo Queiroiga, pandemia no Brasil registra queda do número de casos e do número de óbitos dia após dia.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, se reuniu ontem (17.mar.2022) com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, para tratar da possibilidade de alteração da situação emergencial do país causada pela pandemia de covid-19.

“Hoje nós temos um cenário de desaceleração da covid-19 no Brasil, na maior parte do país e alguns estados e municípios já rumando para situação de controle. Dentro desse contexto que nós discutimos a questão da duração da emergência sanitária de importância nacional”, disse.

Ele acrescentou que, às vezes, as pessoas “confundem em transformar pandemia no Brasil em endemia”. “Não é prerrogativa do ministro transformar pandemia em endemia. O que o ministro faz é, dentro da lei, estabelecer a duração da emergência sanitária de importância nacional em conformidade com o regulamento sanitário internacional”, afirmou.

Queiroga já esteve com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, para esclarecer a intenção do governo de iniciar a transição para a categoria mais branda de emergência sanitária. A medida está em estudo e foi anunciada no início do mês pelo presidente Jair Bolsonaro.

Queiroga explicou que a mudança de classificação terá efeitos nos registros emergenciais de algumas vacinas e de medicamentos para o tratamento de covid-19, que vão precisar ser preservados com a mudança. O advogado-geral da União, Bruno Bianco, também participou da audiência.

Marcelo Queiroga também afirmou que a decisão sobre a reclassificação será tomada com base na análise epidemiológica e avaliação das áreas técnicas do ministério, da Anvisa, dos estados e municípios.

“Nos últimos 15 dias, tivemos uma queda do número de casos e do número de óbitos. Nossa campanha de vacinação é uma das principais do mundo. O Sistema Único de Saúde (SUS) foi fortalecido durante a pandemia no Brasil, com recursos do orçamento”, disse o ministro.

A pandemia de covid-19 foi reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em março de 2020.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Com informações da Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

São Paulo retira a obrigatoriedade de máscara em ambientes fechados, mas mantém uso no transporte público

São Paulo retira a obrigatoriedade de máscara em ambientes fechados, mas mantém uso no transporte público

O uso de máscara, como proteção contra a covid-19, não será mais obrigatório em ambientes fechados em São Paulo. O decreto foi publicado em edição extra e tem efeito imediato. A proteção, no entanto, deve ser mantida no transporte público, inclusive nos locais de acesso, e em unidades médico-hospitalares.

O governador João Doria informou que a decisão de retirar a obrigatoriedade de máscaras em ambientes fechados foi tomada após nota técnica do Comitê Científico demonstrar uma melhora consistente na situação epidemiológica no estado. A flexibilização em ambientes abertos já havia sido autorizada no último dia 9.

Segundo o governo paulista, os especialistas do comitê levaram em consideração o índice de vacinação com duas doses no estado, que atingiu o patamar de 90% do público-alvo, ou seja, acima de 5 anos. A meta percentual é definida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde (MS).

A análise observou que, após 14 dias do feriado de carnaval, houve manutenção da melhora dos indicadores epidemiológicos, indicando queda na transmissão. O governo aponta que, pela sexta semana seguida, foi registrada queda de internações em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e de enfermaria.

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
Com informações da Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministro da Saúde pede ao Senado para rebaixar covid-19 à situação de endemia no Brasil

Ministro da Saúde pede ao Senado para rebaixar covid-19 à situação de endemia no Brasil

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, se reuniu nesta terça-feira (15.mar.2022) com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) para tratar sobre a possibilidade de flexibilização do estado de emergência sanitária do Brasil em relação à covid-19. Queiroga pediu para que a situação possa ser tratada como endemia.

“Diante da sinalização, manifestei ao ministro preocupação com a nova onda do vírus, vista nos últimos dias na China. Mas me comprometi a levar a discussão [de rebaixar a covid-19 à situação de endemia] aos líderes do Senado”, afirmou Pacheco, em uma publicação em uma de suas redes sociais após o encontro com Queiroga.

O ministro já havia se reunido na semana passada com presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) para tratar do mesmo assunto e também deverá ter um encontro com o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Luiz Fux, sobre o tema.

Dados

De acordo com dados da da última sexta-feira (11.mar.2022), divulgados pelo Ministério da Saúde, 91% da população brasileira acima de 12 anos já tomou a primeira dose da vacina contra a covid-19. Desse total, 84,38% completou o esquema vacinal e apenas 36,48% das pessoas acima de 18 anos receberam a dose de reforço.

Nas últimas semanas, alguns municípios e estados – incluindo Natal e o Rio Grande do Norte – revogaram o uso de máscara. A permissão varia de acordo com entes municipais e estaduais, permitindo que a população possa ficar sem utilizar as máscaras em ambientes abertos e/ou fechados.

Desde o início da pandemia, em março de 2020, o Brasil registrou 656 mil mortes causadas pela covid-19, além de 29,4 milhões de infectados.

Foto: Isac Nóbrega/PR

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Brasil já confirmou dois casos da Deltacron, afirma ministro da Saúde

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, confirmou, nesta terça-feira (15), que o Brasil já registra dois casos de pessoas infectadas por uma variante do novo coronavírus, a Deltacron.

A nova cepa combina características genéticas da Ômicron e da Delta e vem sendo monitorada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) desde o início do mês, quando os primeiros casos foram identificados na França.

“Nosso serviço de vigilância genômica já identificou dois casos no Brasil. Um no Amapá, outro no Pará”, disse o ministro a jornalistas, ao chegar ao ministério.

Queiroga destacou que, em um contexto de pandemia, no qual um vírus se espalha com maior facilidade entre a população, se replicando velozmente, as probabilidades dele sofrer mutações aumentam. Segundo ele, isso demonstra a importância da população se vacinar.

“Esta variante [a Deltacron] é considerada de importância e requer o monitoramento”, acrescentou Queiroga, assegurando que, mesmo com a “desaceleração” do surgimento de novos casos da covid-19 em todo o país, as autoridades sanitárias devem continuar vigilantes.

“Tudo que acontece nos outros países, nós observamos. Monitoramos todos os casos, e isto é fruto do fortalecimento da capacidade de vigilância genômica no Brasil – [fruto] dos fortes investimentos que o governo federal fez após a pandemia”, acrescentou o ministro.

De acordo com o Ministério da Saúde, entre a tarde de domingo (13) e o fim da tarde de ontem (14), foram confirmados 11.287 novos casos de covid-19 no país, e 171 mortes em decorrência da doença.

Aos sábados, domingos e segundas-feiras, os números contabilizados tendem a ser menores que os dos demais dias da semana devido à dificuldade das secretarias de saúde dos estados e municípios repassarem informações. Mesmo assim, os resultados gerais indicam uma melhora da situação.

Com este cenário, vários estados e municípios já flexibilizaram medidas de controle sanitário, como a obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção.

“O STF [Supremo Tribunal Federal] delegou a estados e municípios a prerrogativa de, de maneira complementar à União, dispor a respeito do uso de máscaras. Não se trata de obrigar as pessoas a não usar máscaras, mas sim de desobrigar o uso. E isto depende do cenário epidemiológico [local]. É preciso fazer isto de forma inteligente. Por exemplo, mesmo o número de casos estando desacelerando, é recomendável continuarmos usando as máscaras em hospitais. Pessoas imunocomprometidas e indivíduos que passaram por um transplante também”, finalizou o ministro.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Com informações da Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Medicamento que trata Atrofia Espinhal Muscular é incluído no SUS

Medicamento que trata Atrofia Espinhal Muscular é incluído no SUS

O medicamento Risdiplam, para tratamento de Atrofia Muscular Espinhal (AME) tipo I, está incorporado a partir desta segunda-feira (14.mar.2022) ao Sistema Único de Saúde (SUS). A portaria da Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde do Ministério da Saúde, determinando a inclusão do medicamento, está publicada no Diário Oficial da União de hoje.

Segundo Ministério da Saúde, a AME é uma doença genética que interfere na capacidade do corpo de produzir uma proteína considerada essencial para a sobrevivência dos neurônios motores. Sem ela, os neurônios morrem e as pessoas vão perdendo controle e força musculares, ficando incapacitados de se moverem, engolirem ou mesmo respirarem. O quadro é degenerativo e não tem cura.

A Atrofia Muscular Espinhal possui quatro subtipos, distintos conforme a idade de início dos sintomas. O tipo 1 é o mais grave da doença. A sua incidência é de um caso para cada seis a 11 mil nascidos vivos.

Foto: Reprodução/Internet
Com informações da Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Fiocruz avalia retirada de máscaras como 'prematura'

Fiocruz avalia retirada de máscaras como ‘prematura’

Secretarias de Saúde em todo o Brasil começaram a regulamentar a retirada de máscaras para a proteção contra a covid-19.

A retirada de máscaras em locais fechados de forma irrestrita é prematuro, revela boletim do Observatório covid-19, divulgado ontem (11.mar.2022), no Rio de Janeiro, pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Os pesquisadores afirmam que as próximas semanas serão fundamentais para entender a dinâmica de transmissão da doença e que ainda não é possível avaliar o efeito das festas e viagens no período do carnaval.

“Flexibilizar medidas como o distanciamento físico (controlado pelo uso do passaporte vacinal) ou a retirada de máscaras de forma irrestrita colabora para um possível aumento, e não nos protege de uma nova onda”, afirma o boletim. “Atualmente, o ideal é voltarmos ao padrão do início da pandemia, quando recomendávamos fortemente o uso de máscaras, higienização de mãos e evitar as aglomerações”, destaca.

O texto afirma, ainda, que as medidas de mitigação tomadas até então para controlar a pandemia ocorreram de forma tardia, quando as ondas de contágio já haviam se instalado, e não de forma proativa, para impedir que se formassem.

“Isto significa dizer que o custo humano para chegarmos ao patamar atual foi a perda de 650 mil pessoas, desnecessariamente. Dito isso, reforçamos que o relaxamento prematuro das medidas protetivas, assim como não investir na motivação da população sobre a vacinação, significa abandonar a história de tantas vidas perdidas”, destacam os pesquisadores. “Portanto, é importante garantir que as medidas de relaxamento sejam adotadas em tempo oportuno, sob risco de retrocesso nos ganhos obtidos no arrefecimento da pandemia”.

O potencial de transmissibilidade da variante Ômicron, que tem uma capacidade muito maior de escapar dos anticorpos produzidos por infecções ou duas doses das vacinas, ressaltou a importância da dose de reforço para todos os adultos, enfatiza a Fiocruz.

“Durante a onda da Ômicron, os países que têm maiores parcelas da população com dose de reforço apresentaram uma redução substancial das hospitalizações em relação aos casos confirmados de covid-19. No Brasil, a dose de reforço já foi aplicada em 31,2% da população. O esquema em duas doses se encontra em um patamar de 73%. É fundamental, portanto, avançar na cobertura vacinal com as três doses para a população elegível até o momento (adultos acima de 18 anos)”, acrescenta o boletim.

Os pesquisadores citam, também, um estudo recente que sugere que o uso de máscaras deve ser mantido por duas a dez semanas após a meta de cobertura vacinal ser atingida, entre 70% e 90%. Com o surgimento da variante Ômicron e sua maior capacidade de escape dos anticorpos, o boletim afirma que as máscaras ficaram ainda mais importantes.

“A vacinação por si só não é suficiente para controlar a pandemia e prevenir mortes e sofrimento, é fundamental que se mantenha um conjunto de medidas combinadas até que o patamar adequado de cobertura vacinal da população alvo seja alcançado”, acrescenta a publicação.

Casos e óbitos

O cenário atual é de descida nas curvas de casos e óbitos após o pico da variante Ômicron no Brasil. A Fiocruz alerta, porém, que a redução da incidência após o pico sempre ocorre de forma mais lenta que a subida da curva.

O boletim informa, também, que os dados registrados entre 20 de fevereiro e 5 de março mostram uma queda de 48% nos novos casos e de 33% na média móvel de mortes, na comparação com a quinzena anterior. Mesmo assim, ainda são registradas, em média, 570 vítimas de covid-19 no país por dia.

Além da queda nos casos, a Fiocruz mostra que também há uma ligeira redução no índice de positividade dos testes RT-PCR para covid-19. Devido a isso, a expectativa é que as próximas semanas mantenham a redução dos indicadores que mais preocupam a população e os serviços de saúde: a mortalidade e a internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) por covid-19.

Os leitos de unidade de terapia intensiva para pacientes com a doença estão fora da zona de alerta em todas as unidades da federação, exceto Santa Catarina. Isso significa que nenhum outro estado há mais de 60% das vagas ocupadas com pacientes graves. Já no Sistema Único de Saúde catarinense, o percentual está em 79%.

Quarta dose

O boletim ressalta que metade dos óbitos ocorre atualmente em pessoas com no mínimo 78 anos, o que indica sua maior vulnerabilidade às formas graves e fatais da covid-19. Diante disso, os pesquisadores defendem a necessidade de aplicação de uma quarta dose neste grupo, seis meses após a aplicação da dose de reforço.

Além disso, a Fiocruz aponta um crescimento na proporção de crianças com covid-19 em relação ao total de infectados. “A maior vulnerabilidade das crianças, provocada principalmente pela baixa adesão deste grupo à vacinação, compromete igualmente o grupo que se encontra no extremo oposto da pirâmide etária”, dizem os pesquisadores.

O boletim da Fiocruz levantou que 12 estados apresentam mais de 80% da população vacinada com a primeira dose, 15 têm mais de 70% da população com segunda dose e, em 11 estados, a vacinação de terceira dose está acima de 30%. O Piauí é o estado com a vacinação mais avançada em primeira dose com 91%. Já na segunda e na terceira doses, o estado de São Paulo apresenta os maiores percentuais: 82% e 45%.

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
Com informações da Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Secretário de Saúde de Natal diz que espera 'bom senso' após a desobrigação de máscaras na capital

Secretário de Saúde de Natal diz que espera ‘bom senso’ após a desobrigação de máscaras na capital

O secretário de Saúde da Natal, George Antunes, afirmou nesta quinta-feira (10.fev.2022) que a população deverá usar bom senso para definir os locais em que deve continuar usando a proteção. A declaração ocorre após a prefeitura publicar um decreto que torna a opcional do uso de máscara contra covid-19 em locais abertos e fechados.

A declaração do secretário ocorreu em entrevista a um jornal da imprensa local na manhã da quinta-feira. Antunes considera que o bom senso vai determinar se o cidadão deve ou não utilizar a máscara. Para ele, a gestão aposta no bom senso.

O secretário de Saúde da Natal considera ainda que a decisão de acabar a obrigatoriedade do uso da máscara ocorreu diante da redução de índices como a taxa de transmissibilidade, o alto percentual de vacinação da população, e um processo de imunização natural que a população tem conseguido obter após dois anos de exposição ao vírus.

Foto: Elpídio Júnior

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Shoppings de Natal já liberaram a entrada de pessoas sem máscara

Shoppings de Natal já liberaram a entrada de pessoas sem máscara

Os shoppings de Natal já liberaram o acesso dos clientes sem a utilização da máscara facial desde a quarta-feira (9.mar.2022), logo após a publicação do novo decreto da prefeitura de Natal que permitiu que o uso da máscara seja facultativo tanto em ambientes abertos ou fechados. A obrigatoriedade do uso de máscaras ocorria desde março de 2020, quando teve início a pandemia da covid-19.

De acordo com publicações que já circulam nas redes sociais, os principais shoppings de Natal da capital já permitem que os clientes podem entrar sem máscara nos ambientes, seguindo o novo decreto da gestão municipal.

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Anvisa consulta especialistas sobre vacina para crianças de 3 a 5 anos

Metade das crianças de 5 a 11 anos do RN já tomou a primeira dose de vacina contra a covid-19

A campanha de vacinação contra a covid-19 no Rio Grande do Norte alcançou outro importante número nesta quarta-feira (9.mar.2022), dessa vez no grupo das crianças. A cobertura na faixa etária de 5 a 11 anos segue avançando. Iniciada há quase dois meses, a campanha de imunização nesse grupo chegou a 50% com a primeira dose da vacina no braço.

O percentual representa pouco mais de 167 mil crianças das 335 mil estimadas pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) dentro dessa faixa etária. Os números são da plataforma RN + Vacina, plataforma coordenada pela Sesap e alimentada com dados das gestões municipais.

A meta de cobertura apontada pela Sesap é de 301 mil crianças imunizadas. Para os menores de 5 a 11 anos estão disponíveis dois imunizantes – Pfizer e Coronavac -, que possuem dois períodos diferentes para aplicação da segunda dose: oito e quatro semanas, respectivamente. Entre o público de 12 a 17 anos, a cobertura vacinal contra a Covid-19 já chega a 86% para a primeira dose
e 66% com a segunda dose.

A Sesap alerta, assim como vem fazendo desde o início do processo de vacinação, para a necessidade de completar o esquema de imunização dentro do prazo, evitando atrasos.

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil/Ilustração

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

RN alcança 80% da população vacinada com duas doses contra a covid-19

RN alcança 80% da população vacinada com duas doses contra a covid-19

O Rio Grande do Norte alcançou nesta quarta-feira (9.mar.2022) a marca de 80% da população geral com duas doses de vacina contra a covid-19. O percentual representa 2,53 milhões de pessoas que vivem atualmente no RN, de acordo com a estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Chegar a esse patamar de vacinação é muito importante para a campanha como um todo. Porém, é preciso lembrar ainda a importância ainda da dose de reforço para todos os que já estão aptos”, ressaltou Cipriano Maia, titular da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap). De acordo com RN + Vacina, 38% da população geral tomou a dose de reforço no estado. Já levando em consideração apenas a primeira dose, a cobertura da vacinação é de 91% da população total.

Apenas entre os adultos, que é o recorte populacional há mais tempo atendido pela campanha de vacinação, os percentuais de cobertura estão em 92% com a primeira dose, 86% com duas doses e 45% na dose de reforço. A Sesap segue realizando junto aos municípios o trabalho de coordenação e orientação do processo de imunização, além da logística de distribuição imediata das doses que são recebidas no estado.

Foto: Elisa Elsie/Reprodução

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

OMS monitora nova variante que combina Ômicron e Delta, identificada na França, Holanda e Dinamarca

OMS monitora nova variante que combina Ômicron e Delta, identificada na França, Holanda e Dinamarca

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou nesta quarta-feira (9.mar.2022) que está monitorando o surgimento de uma nova variante do coronavírus que combina características genéticas duas outras versões do vírus: Ômicron e Delta. A mistura das duas variantes tem sido chamada informalmente de Deltacron.

A primeira evidência mais sólida de um vírus recombinante Ômicron e Delta foi compartilhada pelo Instituto Pasteur, da França. Eles fizeram o sequenciamento genético completo do vírus para o GISAID, um banco de dados internacional que centraliza as sequências genéticas de todas as variantes do coronavírus.

A diretora técnica da Organização Mundial da Saúde (OMS), Maria Van Kerkhove, disse que a entidade está ciente dessa nova variante, já identificada em três países europeus. “Estamos cientes disso, é uma combinação das variantes Ômicron e Delta. Foi detectada na França, na Holanda e na Dinamarca. Isso era algo esperado dado que há uma intensa circulação dessas variantes”, disse durante coletiva de imprensa da OMS.

Segundo ela, em países da Europa a variante Delta continuava circulando de forma expressiva quando surgiu a variante Ômicron, o que pode explicar essa recombinação. A epidemiologista ponderou que, até o momento, não foi identificada nenhuma severidade maior da infecção pela nova variante, mas que pesquisas e estudos ainda estão em andamento.

Pandemia

Sobre a persistência da pandemia, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, voltou a dizer que ela está longe do fim. “A pandemia está longe de acabar. E ela não vai acabar em nenhum lugar até que ela acabe em todos os lugares”, alertou.

Em janeiro deste ano, após o aumento exponencial de contaminações impulsionado pela variante Ômicron, o dirigente da OMS já havia dito a mesma coisa. Ele também lembrou que, na próxima sexta-feira (11.mar.2022) completará exatamente dois anos em que a epidemia de covid-19 foi descrita como uma pandemia global.

Foto: REUTERS/Denis Balibouse/Direitos Reservados
Com informações da Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

RN vai desobrigar uso de máscaras em ambientes abertos a partir do dia 16 de março

RN vai desobrigar o uso de máscaras em ambientes abertos a partir do dia 16 de março

O Rio Grande do Norte vai desobrigar o uso de máscaras em ambientes abertos a partir do próximo dia 16 de março. A decisão partiu do comitê científico do Rio Grande do Norte, que se reuniu na noite desta segunda-feira (7.mar.2022) e discutiu a situação da pandemia no Estado. A informação foi confirmada pelo secretário de Saúde do estado, Cipriano Maia.

De acordo com o comitê, a liberação das máscaras em ambientes abertos ocorre no momento em que o estado registra o menor índice de transmissibilidade da covid-19 desde o início da pandemia. O avanço da vacinação contra a covid-19 e a queda no número de casos e óbitos nas últimas semanas foram fatores primordiais para a tomada da decisão.

Atualmente, 2.526.783 pessoas estão vacinadas com as duas doses no estado, o equivalente a 79% da população potiguar. Com a primeira dose, são 2.900.148 pessoas imunizadas, o que corresponde a 91%. Segundo o secretário de saúde, o decreto deverá ser publicado no próximo dia 15 de março. O uso de máscaras no Rio Grande do Norte é obrigatório desde o dia 7 de maio de 2020.

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil/Ilustração

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Brasil recebe mais 1,6 milhão de doses pediátricas da Pfizer contra a covid-19

Brasil recebe mais 1,6 milhão de doses pediátricas da Pfizer contra a covid-19

Mais 1,6 milhão de doses pediátricas contra a covid-19 da Pfizer chegaram ao Brasil nesta segunda-feira (7.mar.2022). Segundo o Ministério da Saúde, as vacinas desembarcaram no aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), e serão enviadas aos estados e ao Distrito Federal nos próximos dias.

Até agora, o Ministério da Saúde já distribuiu mais de 20 milhões de doses de vacinas pediátricas para todo o país. Destas, mais de 7,7 milhões já foram aplicadas na população de 5 a 11 anos.

Diferenças

A grande diferença entre a vacina adulta e a vacina pediátrica da farmacêutica, indicada para a faixa etária entre 5 e 11 anos, é a cor do frasco e a dosagem. Para diferenciar os imunizantes e impedir o risco de uma vacina ser confundida com a outra, a Pfizer envasou o conteúdo do imunizante pediátrico em um frasco de cor laranja, diferente da vacina aplicada em adultos, com ampola em cor roxa. Isso facilita a identificação e a correta administração das doses nos postos de vacinação.

Outra diferença é que enquanto a dose do imunizante aplicada na população acima de 12 anos é composta de 30 microgramas, a dose pediátrica contém 10 microgramas.

Esquema vacinal

É importante lembrar ainda que o esquema vacinal não muda para a vacinação de crianças. Segundo a recomendação do Ministério da Saúde, para estar completamente vacinada, a criança precisa receber duas doses do imunizante com intervalo de oito semanas entre elas.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Com informações da Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Pelo terceiro dia consecutivo, RN não registra óbitos por covid-19

Pelo terceiro dia consecutivo, RN não registra óbitos por covid-19

Sesap diz que é a 6ª vez na última semana que não há óbitos por covid-19 em períodos de 24h no Rio Grande do Norte.

Dados da Secretaria de Estado da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap-RN) divulgados nesta segunda-feira (7.mar.2022) mostram os números do coronavírus no estado. Segundo a Sesap-RN, são 480.376 casos totalizados. No domingo (6.mar.2022) eram contabilizados 480.329, ou seja, 47 novos casos em comparação com o dia anterior, destes, 11 confirmados nas últimas 24 horas.

A Sesap-RN apontou que, além de não haver óbitos por covid-19 no sábado (5.mar.2022), no domingo (6) e também nesta segunda-feira (7) no estado, esta é a 6ª vez na última semana que não há óbitos pela doença em períodos de 24h. Já o total de mortes causadas pelo novo coronavírus no RN é de 8.066. Segundo a pasta, óbitos em investigação são 1.565.

Ainda de acordo com a Sesap-RN, são 464.807. Casos suspeitos somam 1.015 e descartados são 909.687, e estimativa de casos em acompanhamento são 6.500.

Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Comitê Científico já avalia desobrigar o uso de máscara em todos os ambientes no RN, diz Cipriano Maia

Comitê Científico já avalia desobrigar o uso de máscara em todos os ambientes no RN, diz Cipriano Maia

O secretário estadual de saúde, Cipriano Maia, declarou que é necessário discutir a desobrigação do uso de máscara no Rio Grande do Norte. De acordo com ele, haverá uma discussão em conjunto com o Comitê Científico para definir a retirada da obrigatoriedade de utilização do equipamento.

A fala foi dada em entrevista ao Bom Dia RN/InterTV Cabugi na manhã desta segunda-feira, 7 de março.

“A gente [vai] começar a discutir a mudança das medidas restritivas, como o uso de máscara em todos os ambientes. Bom destacar: se você está sintomático respiratório, continuar usando máscara em qualquer circunstância, mesmo depois de anunciada a liberação. Então, hoje nós vamos reunir o Comitê Científico – que tem nos orientado desde o início da pandemia, com toda a propriedade, com todas as análises e tendências, com observação do que ocorre no mundo e nos outros estados – para que a gente possa tomar medidas seguras, não adianta estarmos apressados”, disse Cipriano.

Segundo o secretário, a discussão vai se basear na liberação primeiro em ambientes abertos, mas a utilização do material deverá continuar em locais fechados e com aglomeração.

Foto: Divulgação/Governo do RN

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Governo Federal lança Caderneta do Raro, que orienta pessoas com doenças raras

Governo Federal lança Caderneta do Raro, que orienta pessoas com doenças raras

A Caderneta do Raro, como foi batizada, serve para orientar pacientes e familiares que buscam atendimento especializado no SUS.

O governo federal lançou nesta quinta-feira (3.mar.2022) a caderneta do Sistema Único de Saúde (SUS) para pessoas com doenças raras. Estima-se, de acordo com o Ministério da Saúde, que há cerca de 13 milhões de pessoas no Brasil com alguma condição rara de saúde. Em todo o mundo, são cerca de 300 milhões de raros e cerca de 6 mil a 8 mil tipos de doenças diferentes conhecidas. As doenças raras são caracterizadas como condições de saúde, geralmente crônicas, de baixa prevalência na população.

“Essas pessoas com doenças raras apresentam necessidades assistenciais diversas, e que demandam cuidados contínuos de equipes multiprofissionais em todos os níveis de atenção à saúde, além do apoio familiar, tão importante”, disse a secretária de Atenção Especializada do Ministério da Saúde, Maíra Botelho, durante o lançamento da caderneta, em cerimônia no Palácio do Planalto.

O evento contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro, da primeira-dama Michelle Bolsonaro, além de ministros, autoridades e de pessoas com doenças raras. A solenidade também marcou o Dia Mundial das Pessoas com Doenças Raras, celebrado no último dia de fevereiro.

A Caderneta do Raro, como foi batizada, serve para orientar pacientes e familiares que buscam atendimento especializado no SUS. Segundo o Ministério da Saúde, além de trazer os principais sinais e alertas que podem indicar a existência de uma doença rara, o documento traz informações sobre tratamentos e dicas para uma vida mais saudável. Na caderneta, ficarão registradas informações sobre atendimento nos serviços de saúde, de educação e de assistência multidisciplinar, e servirá para o acompanhamento do paciente durante toda a sua vida.

“A Caderneta do Raro é mais uma entrega do Ministério da Saúde para orientar pacientes, seus familiares e cuidadores”, disse a primeira-dama Michelle Bolsonaro, que ajuda a articular, dentro do governo, as pautas das pessoas com doenças raras e com deficiência.

“A minha missão, desde o início, foi contribuir para dar visibilidade às pessoas que vivem com doenças raras. Nesses últimos três anos, temos mudado a realidade dos raros desse país”, acrescentou.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que a pasta investiu, desde 2019, cerca de R$ 3,8 bilhões em recursos para atender, no SUS, pacientes com doenças raras. O dinheiro, de acordo com a pasta, foi empregado no custeio de equipes nos hospitais, triagem neonatal, diagnóstico e novos protocolos para o tratamento das doenças.

Em breve discurso, o presidente Jair Bolsonaro elogiou o trabalho das equipes que atuam nas políticas públicas voltadas às pessoas com doenças raras no país. “Hoje, também me sinto fortalecido em poder colaborar com pessoas portadoras dessas doenças raras. Não existe satisfação maior na vida da gente do que aquela de poder contribuir, colaborar com o seu próximo”, disse.

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
Com informações da Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Especialista aponta que dormir pouco pode gerar ganho de peso

Especialista aponta que dormir pouco pode gerar ganho de peso

Dormir pouco pode gerar ganho de peso, aumento da vontade de comer e diminuição da sensação de saciedade. Segundo alerta do Instituto do Sono, por ocasião do Dia Mundial da Obesidade, celebrado hoje (4.mar.2022), os impactos negativos no organismo decorrentes da falta de sono ocorrem em pessoas de todas as idades, principalmente pela desregulamentação metabólica.

“Tem se comprovado nos últimos anos, cada vez mais, tanto em crianças ou adolescentes quanto em adultos, que dormir pouco tem suas consequências. E uma delas é o ganho de peso”, destaca a especialista em Medicina do Sono e pesquisadora do Instituto do Sono, Érika Treptow.

“Um dos motivos [para o ganho de peso] é que a gente desregula o organismo. Algumas substâncias começam a ser produzidas de maneira que não é o normal. Por exemplo, há uma substância chamada grelina, que está associada à vontade de comer, e ela aumenta bastante [com a falta de sono]. Apenas uma noite que a gente dorme pouco já é o suficiente para aumentar essa substância”, afirma.

Além da elevação da grelina, a falta de sono pode reduzir a produção da leptina, que é o hormônio associado à saciedade, ressalta a pesquisadora. Estudo publicado em 2022 na revista científica JAMA Internal Medicine, mostrou que o aumento de 90 minutos de sono por noite foi capaz de reduzir em 270 Kcal a ingestão calórica diária, o que, a longo prazo, pode resultar em perda de peso significativa.

Segundo a pesquisadora, o sono insuficiente também encurta o jejum que ocorre quando o corpo está adormecido. “Quem acaba dormindo menos tem tempo maior, oportunidade maior, número maior de horas em que pode se alimentar. O dormir menos também dá muito cansaço, então a pessoa tem dificuldade maior de realizar exercícios, por exemplo”.

Mas não é somente dormir pouco que acaba por gerar ganho de peso. O contrário também pode ocorrer. De acordo com Treptow, o excesso de gordura pode atrapalhar o sono. “Quando a gente ganha muito peso, principalmente dependendo do local onde esse peso se acumula, há tendência ao ronco, à apneia do sono e a um sono de pior qualidade”.

Para melhorar o sono, a especialista recomenda, principalmente, a regularidade dos horários de dormir. “Nosso organismo funciona conforme um ritmo e esse ritmo é ditado, principalmente, pelo nosso horário de dormir, de levantar, pelo horário das nossas refeições e pela luminosidade que a gente recebe durante o dia”.

“Todas as células do organismo funcionam conforme esse ritmo. A partir do momento em que eu durmo a cada dia num horário diferente, essa saída do ritmo provoca maior chance de doenças”, ressalta.

Érika Treptow orienta as pessoas a não se alimentarem, ingerirem bebidas alcoólicas ou estimulantes em horário próximo ao de dormir. O indicado é realizar uma refeição leve no período noturno. “As pessoas não devem também levar os problemas para a cama. Uma dica que a gente dá é ter um diário de preocupações, onde a pessoa anota tudo aquilo com que está preocupada, é como se esvaziasse a cabeça e conseguisse ir pra cama dormir”.

De acordo com a pesquisadora, outra dica importante é sair da cama, caso a pessoa acorde no meio da noite e não consiga mais dormir. “Tome um copo d’água, vá ao banheiro e depois você volta a dormir. Porque ficar fritando na cama, como algumas pessoas dizem, também reduz a chance de trazer qualidade boa do sono”.

Um ambiente adequado também é recomendado. O quarto deve ter pouca luminosidade, pouco barulho, uma temperatura boa. “Isso, agora no verão, a gente vê como prejudica para adormecer”.

Foto: Ginecomastia.org/Direitos Reservados
Com informações da Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Pfizer entrega novo lote de vacina pediátrica ao Brasil

Pfizer entrega novo lote de vacina pediátrica ao Brasil

A Pfizer entregou na quinta-feira (3.mar.2022) um novo lote da vacina pediátrica contra a covid-19 fabricada pela Pfizer/BioNTech para imunização de crianças de 5 a 11 anos. O lote contém 1,668 milhão de doses e chegou às 7h45, no Aeroporto de Viracopos, em Campinas.

Além das doses pediátricas, a Pfizer enviou, no mesmo voo, 5.850 doses da doses de vacinas contra a covid-19 destinadas a maiores de 12 anos. Os imunizantes serão distribuídos nos próximos dias.

A dose pediátrica é diferente da vacina aplicada em adultos: a cor do frasco é laranja e a dosagem é menor. A vacina é segura e foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Foto: Myke Sena/MS
Com informações da Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Lei que amplia cobertura de tratamentos em planos de saúde é sancionada

Lei que amplia cobertura de tratamentos em planos de saúde é sancionada

Regras para a incorporação de novos tratamentos pelos planos e seguros de saúde, administrados pela Agência Nacional de Saúde (ANS), estão publicadas no Diário Oficial da União desta sexta-feira (4.mar.2022).

Segundo a Lei 14.307/ 22 sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro, os planos de saúde ficam obrigados a fornecer medicamentos contra o câncer, de uso oral e domiciliar, em conformidade com a prescrição médica, desde que estejam registrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) com uso terapêutico aprovado. A medida também possibilita aos pacientes a continuidade terapêutica domiciliar, sem necessidade de internação hospitalar para o tratamento.

Outra novidade é criação da Comissão de Atualização do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde Suplementar, que tem como objetivo assessorar a ANS na tomada de decisões sobre novas tecnologias e medicamentos, inclusive transplantes e procedimentos de alta complexidade. O grupo deverá apresentar um relatório que considere as evidências científicas sobre a eficácia, acurácia, efetividade e segurança do medicamento, produto ou procedimento analisado.

Vigência

A atualização do rol de procedimentos e eventos em saúde deverá ocorrer em até 180 dias, prorrogáveis por mais 90, quando necessário. O processo deve ser realizado por meio de uma consulta pública no prazo de 20 dias, com a divulgação de relatório preliminar da comissão, e audiência pública no caso de matéria relevante ou quando houver recomendação preliminar de não incorporação por, no mínimo, um terço dos membros da comissão.

Foto: Arquivo/Agência Brasil
Com informações da Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Sogorn aciona secretarias de saúde para resolver falta de obstetras

A Associação de Ginecologia e Obstetrícia do Rio Grande do Norte (Sogorn) aciona os órgãos públicos de saúde estadual e municipal para garantia dos atendimentos às mulheres nas maternidades públicas do RN. Segundo a Sogorn, os serviços de saúde e atendimento de parto e nascimento têm sido prejudicados devido às lacunas nas escalas de obstetrícia.

De acordo com Robinson Dias, obstetra e presidente da Sogorn, com a maior disseminação da variante ômicron e, por isso, mais frequentes ausências de profissionais, o acesso de mulheres ao atendimento de saúde tem sido comprometido, além de prejudicar a atuação profissional com um consequente aumento de demanda por profissional.

“A solução mais adequada é que a gestão tenha prevista uma estratégia emergencial de preenchimento das escalas, como remanejamento de recursos humanos disponíveis, dando resposta à solução do problema e a garantia do acesso e do atendimento”, ressalta Dias.

Em ofício enviado às secretarias municipais e estadual do Rio Grande do Norte, a Sogorn solicita “que sejam revistos com prioridade os normativos reguladores de recursos humanos nas escalas de obstetrícia das maternidades públicas, de forma que permitam que as equipes que compõem tais serviços tenham condições de desempenhar suas funções dentro de um ambiente ético, seguro, com capacidade resolutiva, garantindo a qualidade assistencial e a vida da mulher”.

Foto: Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ocupação de leitos de UTI Covid no RN está abaixo de 40%

O Rio Grande do Norte tem menos de 40% de ocupação nos leitos críticos para tratamento da covid-19. Os dados foram conferidos às 10h30 desta sexta-feira (25.fev.2022), véspera de carnaval, no portal Regula RN, sistema utilizado na administração dos leitos públicos. Segundo o site, o estado tem 37,57% de leitos críticos ocupados e 54,70% disponíveis. Há ainda 5,52% ocupados não covid-19 e 2,21% bloqueados.

Já em relação aos leitos críticos, o RN tem ocupação de 24,54%, e 53,48% disponíveis, além de 9,16% ocupados não covid-19 e12,82% bloqueados. Além disso, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap-RN), o RN está com a menor média diária de solicitações por leitos desde o dia 25 de dezembro do ano passado, com 16 pedidos por dia.

O Regula RN também aponta que a taxa de ocupação nos hospitais do SUS da região Metropolitana é de 43,4%, na região Oeste 32,1%, e na região Seridó 26.7%. Em todo o estado, o índice de ocupação é de 38,4%.

Foto: Assecom Governo do RN

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Marcas do verão: saiba como prevenir os efeitos da alta exposição ao sol

Marcas do verão: saiba como prevenir os efeitos da alta exposição ao sol

O veraneio é um período de intensa movimentação nas praias, piscinas e parques aquáticos com bastante exposição ao sol. Contudo, um momento de diversão pode trazer resultados desagradáveis para a pele – como manchas, espinhas e ressecamento – se não forem tomados os devidos cuidados.

A professora do curso de Estética e Cosmética da Estácio, Micarla Alves, explica que devido ao calor intenso comum da estação, as pessoas transpiram mais e, consequentemente, acontece a perda transepidérmica de água, deixando a pele indefesa.

“A água, além de ser responsável por impedir a desidratação, atua na pele sendo fundamental para protegê-la das agressões externas e, consequentemente, possíveis processos de irritação. Com o calor, transpiramos mais, e com menos água na pele, acabamos com uma pele mais frágil, opaca, sem viço e envelhecida”, esclarece a profissional.

As manchas solares e as de melasma são as mais frequentes durante o verão. Conforme a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o melasma se caracteriza pelo surgimento de manchas escuras na pele e ocorre com mais frequência em mulheres, principalmente na região da face, mas também pode aparecer em áreas como braços, pescoço e colo.

A causa que estimula o surgimento dessa condição é a exposição à luz ultravioleta e, até mesmo, à luz visível. “No verão, as pessoas vão mais às praias, lagoas, piscinas e acabam se expondo ao sol por mais tempo que o comum. Contudo, muitas se esquecem de aplicar o protetor solar adequadamente. Com isso, a produção de melanina é potencializada, em uma tentativa de defesa da pele, ocorrendo uma hiperpigmentação, as famosas manchas de verão”, cita Micarla.

Para evitar estas consequências, a profissional destaca ser preciso ponderar alguns pilares de cuidados. Além da rotina de skincare, com máscaras e cremes que caíram no gosto da população recentemente, Micarla ressalta que o principal tratamento da pele é o preventivo, com ações como evitar exposição excessiva ao sol, aplicar o protetor solar diariamente (renovando a cada 3h para melhores resultados), evitar banhos quentes e hidratar a pele diariamente, especialmente com produtos que possuam ácido hialurônico e oligoelementos, de acordo com cada biotipo de pele.

Sobre os procedimentos estéticos possíveis para amenizar o problema, a profissional explica que atualmente existem milhares de tratamentos anunciados nas mídias, mas o melhor tratamento será feito através de uma boa avaliação profissional, que irá considerar a necessidade e especificidades de cada indivíduo.

Foto: Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Anvisa aprova três produtos à base da Cannabis sativa no Brasil

Anvisa aprova três produtos à base da Cannabis sativa no Brasil

A Agência Nacioanl de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou três produtos à base da Cannabis sativa no Brasil: Canabidiol Belcher 150 mg/mL, Canabidiol Aura Pharma 50 mg/mL, Canabidiol Greencare 23,75 mg/mL.

As regras da Anvisa permitem que produtos à base de Cannabis sativa possam ser comercializados no Brasil, desde que autorizados pelo órgão. Seguindo as normas da Agência, os produtos serão comercializados respeitando o limite de no máximo 0,2% de tetrahidrocanabinol (THC). 

O canabidiol só pode ser utilizado a partir de um determinado tipo de receita médica (tipo B) e somente no caso de esgotamento de outros tratamentos, conforme determina a legislação para o tema. De acordo com o regramento da Anvisa, essas substâncias são produtos, e não medicamentos. Isso porque neste último caso precisa haver estudos clínicos que comprovem a eficácia das substâncias.

Até o momento, argumenta a Anvisa, as pesquisas científicas ainda não desenvolveram métodos para aferir as evidências e informações suficientes para que tais produtos sejam considerados medicamentos. No total, já foram autorizados, 14 fármacos à base de Cannabis sativa no Brasil.

Com informações da Agência Brasil
Foto: Reprodução

Siga o