RN não registra casos de sarampo desde 2020

RN não registra casos de sarampo desde 2020

Após dois anos sem casos autóctones, o Brasil avança na eliminação da doença

Desde 2020, o estado do Rio Grande do Norte não registra nenhum caso de sarampo, um marco significativo para as medidas de controle e redução da doença em todo o Brasil. Na quarta-feira (5.jun.2024), o país celebrou dois anos sem casos autóctones de sarampo, um passo crucial para a retomada da certificação de “país livre de sarampo”. Este título havia sido retirado no ano anterior, após o Brasil deixar de ser considerado uma região endêmica.

O Brasil já havia conquistado o status de país livre do sarampo em 2016. Entretanto, a reintrodução do vírus em 2018, causada pelo intenso fluxo migratório de países vizinhos e pelas baixas coberturas vacinais em diversas localidades, colocou o país em alerta novamente. Desde então, o número de casos tem diminuído significativamente, passando de 20.901 registros em 2019 para apenas 41 em 2022. O último caso confirmado foi em 5 de junho de 2022, no estado do Amapá.

Comissão internacional avalia reversão do status

Em maio deste ano, o Brasil recebeu a visita da Comissão Regional de Monitoramento e Reverificação da Eliminação do Sarampo, Rubéola e Síndrome da Rubéola Congênita na Região das Américas. O objetivo foi continuar o processo de recertificação do Brasil como livre da circulação de sarampo e garantir a sustentabilidade da eliminação da rubéola e da síndrome da rubéola congênita (SRC). A visita contou também com a presença do Secretariado da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

Desafios globais e esforços nacionais

Enquanto o Brasil avança na eliminação do sarampo, o cenário global preocupa. A Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou como “alarmante” o aumento de casos na Europa, com mais de 58 mil infecções em 41 países ao longo de 2023. Este aumento representa uma tendência crescente nos últimos três anos.

Para manter o Brasil livre de sarampo, é crucial alcançar coberturas vacinais homogêneas de pelo menos 95%. “Isso garante a proteção da população contra possíveis casos importados e reduz o risco de reintrodução da doença. Além disso, protege aqueles que não podem se vacinar”, explica Eder Gatti, diretor do Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Gatti também destacou a importância da continuidade da estratégia de microplanejamento, que em 2023 destinou R$ 151 milhões para estados e municípios. Esta metodologia, recomendada pela OMS, envolve diversas atividades focadas na realidade local para fortalecer e ampliar o acesso à vacinação ao longo do ano.

A importância da vacina tríplice viral

A vacina tríplice viral, oferecida no Calendário Nacional de Vacinação, é essencial na luta contra o sarampo. Este imunizante protege também contra a caxumba e a rubéola, doenças altamente infecciosas que já causaram grandes epidemias. O esquema vacinal prevê duas doses para pessoas de 12 meses a 29 anos, e uma dose para adultos de 30 a 59 anos. Em 2023, a cobertura da primeira dose da tríplice viral aumentou de 80,7% em 2022 para 87%, com expectativas de crescimento conforme as atualizações das bases estaduais sejam incorporadas aos dados nacionais.

A retomada da certificação de “país livre de sarampo” é um objetivo palpável para o Brasil, resultado do esforço conjunto de autoridades de saúde, profissionais e da população. Manter altas coberturas vacinais e continuar as estratégias de microplanejamento são fundamentais para garantir a proteção da saúde pública e evitar a reintrodução do sarampo no país.

Foto: Erasmo Salomão/Ministério da Saúde

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Assine nossa Newsletter

Casas Bahia abre vagas para PCD no Nordeste São João em Natal: Edição 2024 será mais modesta, diz prefeito Pesquisa Prefeitura de Natal 2024: Carlos Eduardo lidera levantamento do Instituto Seta MPRN recomenda que governo do RN não aumente salários nem faça concursos para evitar colapso fiscal Midway Mall comemora 19 anos com sorteio de três BYD zero quilômetro e desfile de moda Neoenergia Cosern é criticada por quedas de energia no Réveillon Festival MADA 2023 terá o ‘Baile da Amada’ Cosern é condenada a indenizar cliente por cobrança indevida por falha em medidor Influencer trans Flávia Big Big morre vítima de câncer Ambulância das drogas: Motorista do SAMU preso usava o veículo para transportar e vender maconha e cocaína Prefeitura de Natal lança concurso para procurador Lei Seca: Idoso é preso pela terceira vez dirigindo bêbado em Natal