Menino de 11 anos liga para a polícia e pede comida para a família em Minas Gerais

Menino de 11 anos liga para a polícia e pede comida para a família em Minas Gerais

Na última terça-feira (2.ago.2022), uma ligação de um garoto para a Polícia Militar em Minas Gerais chamou a atenção do país inteiro. Uma criança de 11 anos fez a chamada para o 190 e quando questionado sobre a emergência, ele contou que estava com fome e não tinha nada para comer e a família estava passando fome em casa.

Policial: 190, qual que é a emergência?
Miguel Barros: Ô seu policial, aqui, é por causa que aqui em casa não tem nada para gente comer e eu tô com fome. Minha mãe só tem farinha e fubá pra comer.
Policial: Você tem quantos anos?
Miguel Barros: Tenho 11.
Policial: Você mora com quem?
Miguel Barros: Moro com minha mãe só.
Policial: Você, sua mãe… tem mais irmãos?
Miguel Barros: Tenho. Cinco.

O chamado para a polícia foi registrado na cidade de Santa Luzia, na Região da Grande Belo Horizonte, em Minas Gerais. O solicitante de socorro era Miguel Barros, de apenas 11 anos, que decidiu fazer a ligação enquanto via a mãe, Célia Arquimino Barros, de 46 anos, chorar por não ter o que dar para alimentar os filhos.

A casa abriga dona Célia e seis filhos, que estavam, há quatro dias, sendo alimentadas apenas com fubá e água, pois era tudo o que tinha à disposição da família.

O diálogo seguiu…

Policial: “Sua mãe não trabalha, não?”
Miguel Barros: “Não.”
Policial: “E nada para você comer então, desde cedo?”
Miguel Barros: “Não tem nada para comer, desde cedo.”
Policial: “Vou passar a informação aqui para a viatura, para ver o que ela pode fazer, está bom?
Miguel Barros: “Viu.”
Policial: “Tchau.”

Os policiais foram acionados e resolveram ir até o local verificar a situação pessoalmente. Lá, eles encontraram a família de Dona Célia, com filhos entre 9 meses e 17 anos, que sobrevive do auxílio emergencial mais “uma ajuda” que o pai das crianças dá mensalmente, às vezes falha, no valor de R$ 250.

Os militares, que chegaram a suspeitar de uma denúncia de abandono de incapaz ou de maus-tratos, resolveram ajudar quando viram a real situação. Eles se uniram e conseguiram uma cesta básica para a família. Depois que a história ganhou maiores proporções na mídia, ligações oferecendo ajuda não param de chegar. As crianças, com um pouco mais de dignidade, ganharam brinquedos para ser o que são: crianças.

Com informações do Novo Notícias
Foto: Carlayle André/TV Globo

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

É #FAKE que o Midway Mall vai cobrar pelo estacionamento Como consultar valores a receber com o Banco Central Morre Marília Mendonça após acidente aéreo; veja fotos CINCO deputados do RN votam pelo furo do teto de gastos Após rompimento de parceria com o Flow Podcast, hackers invadem iFood, trocam nome de restaurantes e dão apoio a Bolsonaro Azul mira compra da Latam Airlines e visa à criação de gigante sul-americana Homem se dá mal após tentar jogar drogas pela janela em Mossoró Adolescente de 16 anos é suspeito de matar os próprios irmãos, de 2 e 4 anos, no Rio de Janeiro Preço da gasolina sobe 47% em 2021 e já custa R$ 7,29 em Natal após novo reajuste Cidade faz ‘recall’ de vacinação após enfermeira da Cruz Vermelha injetar água e sal na população Mulher dá à luz dentro de elevador de condomínio na Grande Natal Operação Falsos Heróis: Polícia Federal deflagra 2ª fase de operação contra contrabando de cigarros; um policial foi preso e outro afastado