Sikêra Jr

Caso Sikêra Jr: empresas abandonam publicidade na “TV A Crítica” após ataques homofóbicos de apresentador

Empresas abandonaram publicidade em TV amazonense por causa dos ataques homofóbicos de Sikêra Jr. na emissora. MRV, TIM e Hapvida estão entre as empresas.

Após Sikêra Jr. atacar homossexuais e engajados na causa LGBTQIA+ como “raça desgraçada”, a TV A Crítica, afiliada à RedeTV! No Amazonas, já começa a ver a debandada de patrocinadores que não querem mais vincular suas marcas aos absurdos ditos pelo apresentador do Alerta Nacional. A primeira delas foi a MRV, cujo dono é o mesmo da CNN Brasil e anunciava no programa comandado por Sikêra Jr. no Amazonas. Em nota divulgada, a construtora disse “não querer mais investir no Alerta Nacional e em nenhum outro programa da RedeTV!”.

De acordo com a nota, “a MRV acredita na diversidade e não compactua com qualquer forma de preconceito. O programa Alerta Amazônia/Nacional já não faz mais parte dos nossos planos de mídia”, disse a empresa. Outra marca que não ficou satisfeita com os disparates do apresentador foi a empresa de telefonia italiana Tim, que encerrou o acordo com a emissora ainda na semana passada.

Também em nota publicada, a empresa diz que, “desde a semana passada, realizamos a suspensão da veiculação, que é automática pela plataforma de anúncio, nesse canal. Reforçamos que a Tim mão está ligada a movimentos, nem compactua com disseminação de notícias falsas e discursos de ódio”, disse. A maior empresa de planos de saúde do Norte e Nordeste, a Hapvida, também resolveu não dar continuidade aos acordos publicitários que tinha com Sikêra Jr. e com a TV A Crítica, do Amazonas.

Em nota divulgada, a Hapvida diz “não apoiar forma alguma de preconceito, seja social, de credo, raça, gênero ou orientação sexual”, e diz ainda que, “no momento, estão suspendendo o patrocínio do Alerta Amazonas”, pois “sempre trabalham por uma sociedade mais saudável”, conclui a empresa.

Entenda como Sikêra Jr. culminou na saída de patrocinadores da “TV A Crítica” do Amazonas

Conforme noticiado pelo Por Dentro do RN no sábado, o apresentador do “Alerta Geral”,da TV Amazonas, atacou homossexuais após o comercial em apoio à causa LGBTQIA+ ser aprovado pela rede de fast food Burger King. Ao atacar ações afirmativas para os grupos LGBTQIA+, diz que os defensores da causa são um “bando de raça do cão, tudo maconheiro”.

Ainda de acordo com o apresentador, os representantes do grupo LGBTQIA+ são considerados apenas “homens ou mulheres”; e, quando alguém “se diz mulher e na verdade é homem”, essa pessoa “faz exame de próstata do mesmo jeito porque não tem pra onde ir”.

Meio político reagiu aos ataques homofóbicos do apresentador

O discurso de ódio contra a comunidade LGBTQIA+, proferido por Sikêra Jr. para a audiência da RedeTV amazonense, não passou batido no meio político. A deputada federal do PT do Rio Grande do Norte, Natália Bonavides, anunciou que irá acionar o apresentador do “Alerta Nacional” no Ministério Público Federal.

Para Bonavides, não resta dúvidas de que o “apresentador foi homofóbico em canal aberto. O que ele falou é crime através de qualquer veículo”. A deputada petista ainda chamou atenção para o fato de que um apresentador utilizou uma concessão pública para atacar minorias. “Representaremos ao Ministério Público Federal! LGBTfobia não passará!”, conclui em uma publicação no Twitter.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Cidade faz ‘recall’ de vacinação após enfermeira da Cruz Vermelha injetar água e sal na população Mulher dá à luz dentro de elevador de condomínio na Grande Natal Operação Falsos Heróis: Polícia Federal deflagra 2ª fase de operação contra contrabando de cigarros; um policial foi preso e outro afastado Vulcão Cumbre Vieja em La Palma não dá sinais de abrandamento Cocaína no Ceará tem tudo, menos o princípio ativo da droga Após infecção urinária grave, Olavo de Carvalho é internado novamente em hospital que atende pelo SUS em São Paulo Homem morre após ser picado na boca por cascavel em Mossoró