TRE/RN cassa prefeito de Lagoa de Pedras e seu vice e determina novas eleições no município

TRE/RN cassa prefeito de Lagoa de Pedras e seu vice e determina novas eleições no município

Prefeito de Lagoa de Pedras e vice são acusados “de comprar votos por parte da chapa nas eleições municipais que ocorreram em 2020”.

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) não aceitou o recurso e determinou o afastamento imediato de Guilherme Affonso Melo Amancio da Silva e de André Michel Paulo de Andrade dos cargos de prefeito e vice-prefeito, respectivamente, do município de Lagoa de Pedras, na região Agreste do Rio Grande do Norte.

A corte do TRE/RN decidiu pelo afastamento de ambos à unanimidade de votos e em consonância com o parecer da Procuradoria Regional Eleitoral. Além disso, o tribunal também decidiu pela realização de novas eleições no município.

Para o TRE-RN, houve compra de votos por parte da chapa nas eleições de 2020. Guilherme e André já haviam sido cassados em primeira instância, e a nova decisão mantém o afastamento deles dos cargos. A decisão ainda cabe recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Decisão

Para o desembargador Claudio Santos, relator do processo, a sentença proferida pelo juízo da 44ª Zona Eleitoral não merece qualquer reparo, pois foi fundamentada em sólido acervo probatório que converge quanto à ilicitude perpetrada, no caso em questão a compra de votos.

“No caso, os investigados, ora recorrentes, foram condenados ao pagamento de multa no valor de 15.000,00 UFIR, além da cassação dos seus diplomas de Prefeito e Vice-Prefeito do Município de Lagoa de Pedras/RN. Tais condenações não merecem qualquer reparo. (…) Ante o exposto, voto pelo desprovimento do recurso, mantendo-se a sentença recorrida em todos os seus termos. Por conseguinte, determino o afastamento imediato de Guilherme Affonso Melo Amancio da Silva e de André Michel Paulo de Andrade dos cargos de Prefeito e Vice-Prefeito do município de Lagoa de Pedras/RN, respectivamente; assim como a realização de novas eleições naquele município”, destacou o relator em seu voto.

O parecer da Procuradoria Regional Eleitoral também foi no sentido de manter a sentença de primeiro grau. “Os elementos circunstanciais conjugados e concatenados apontam no sentido de que os candidatos efetivamente tinham conhecimento dessa atuação e dela se beneficiaram. O teor dos vídeos e dos áudios apontam no sentido de que havia uma proximidade do chefe da Guarda Municipal com os candidatos, pois eles são mencionados constantemente nos vídeos”, disse o procurador Regional Eleitoral, Rodrigo Telles.

O Por Dentro do RN está à disposição de Guilherme e André para respostas que eles queiram expor.

Foto: Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Assine nossa Newsletter

Neoenergia Cosern é criticada por quedas de energia no Réveillon Festival MADA 2023 terá o ‘Baile da Amada’ Cosern é condenada a indenizar cliente por cobrança indevida por falha em medidor Influencer trans Flávia Big Big morre vítima de câncer Ambulância das drogas: Motorista do SAMU preso usava o veículo para transportar e vender maconha e cocaína Prefeitura de Natal lança concurso para procurador Lei Seca: Idoso é preso pela terceira vez dirigindo bêbado em Natal PRF realizará leilão de veículos retidos no RN Concurso do TJRN tem mais de 54 mil inscrições Prefeito de São José do Campestre é morto a tiros em casa Governo do RN abre concurso para a Polícia Militar Bolsas da Capes e do CNPq: ministro afirma que reajustes devem ocorrer ainda este mês