Prefeitura decide analisar propostas para obra da Alexandrino de Alencar com Hermes da Fonseca após reclamações - Por dentro do RN
Prefeitura decide analisar propostas para obra da Alexandrino de Alencar com Hermes da Fonseca após reclamações

Prefeitura decide analisar propostas para obra da Alexandrino de Alencar com Hermes da Fonseca após reclamações

O prefeito Álvaro Dias (PSDB) se reuniu com moradores e empresários da região das avenidas Salgado Filho e Alexandrino de Alencar para analisar os impactos da obra que vai ocorrer no local. A reunião aconteceu na manhã desta quinta-feira (2.jun.2022). De acordo com a prefeitura, o chefe do executivo vai analisar as propostas do grupo e buscar alternativas para a execução do projeto.

Segundo o poder público, a previsão de execução da obra é de nove meses. Segundo o secretário adjunto da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU), Walter Pedro, a ideia das trincheiras é trazer mais fluidez ao trânsito da região, que é um dos mais movimentados da capital.

“O nosso plano de ação foi pensado para impactar minimamente a população e os comerciantes”, falou. O cruzamento entre as avenidas Salgado Filho e Almirante Alexandrino de Alencar, um dos mais movimentados de Natal, será interditado por cerca de nove meses a partir do fim de junho deste ano. O motivo é a construção de uma trincheira na Alexandrino. O túnel passará “por dentro” do cruzamento entre as duas avenidas.

O túnel proposto pela Prefeitura passará “por dentro” do cruzamento entre as duas avenidas. Portanto, o motorista que vem pela Alexandrino passará por baixo da Salgado Filho para seguir pela via, sem semáforos. A ideia é destravar o cruzamento, principalmente para quem vem da Hermes da Fonseca no sentido Arena das Dunas e vice-versa.

O semáforo atual, de três tempos, será substituído por um semáforo de pedestres. A intervenção deve afetar aproximadamente 65 mil motoristas que passam pelo local todos os dias.

O projeto é orçado em R$ 25 milhões oriundos do Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR), com uma contrapartida de R$ 88 mil da Prefeitura de Natal. O plano está em fase de finalização do edital de licitação, de acordo com a Secretaria de Mobilidade Urbana.

A partir da escolha da construtora, a intervenção pode começar entre o fim de junho e o começo de julho, caso seja mantido o cronograma inicial. A previsão inicial é de que a obra seja finalizada em nove meses, isto é, em março de 2023.

“Esse é um projeto antigo, que existe desde 2011 e o prefeito solicitou que a gente retrabalhasse o projeto nessa nova visão de urbanismo, de cidade para as pessoas. Nossa projeção, dependendo do projeto construtivo pode ser de nove meses, a gente vai tentar trabalhar isso para manter esse prazo, mas só vai definir mesmo quando a construtora tiver acesso aos projetos. É ela quem pode definir melhor esse tempo necessário, mas a gente entende que pela complexidade do local, do projeto, a gente consegue fazer dentro do período”, destacou Walter Pedro, em entrevista realizada em abril.

A proposta inicial da Prefeitura de Natal é modificar o tráfego na área. A ideia é que apenas uma das faixas permaneça livre no trecho (tanto na Salgado Filho quanto na Alexandrino de Alencar) e que aos fins de semana e em dias específicos, a região seja totalmente fechada, a exemplo do que aconteceu durante as obras da Copa do Mundo 2014 no entorno da Arena das Dunas. A Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal incentivará o trânsito por vias alternativas e fará desvios para quem precisa passar pelo local.

A proposta inicial tem duas rotas de desvio principais. Para quem vem da Salgado Filho no sentido Petrópolis, a saída será pegar a Avenida Nevaldo Rocha (antiga Bernardo Vieira) à direita, na altura do Midway Mall, seguir pela Avenida Rui Barbosa e ir em direção às ruas que ficam por trás do quartel do Exército, até finalmente seguir caminho pela Avenida Hermes da Fonseca. Atualmente, as ruas que ficam na parte de trás do quartel estão fechadas porque os militares vivem na região. A STTU deve se reunir com o Exército para pedir a liberação das vias, que servirão para dar vazão ao tráfego.

No sentido contrário, para quem vem de Petrópolis em direção ao Midway Mall, por exemplo, o desvio será feito pela Rua Alberto Maranhão. Da via, os motoristas poderão acessar avenidas paralelas à Hermes da Fonseca, como Romualdo Galvão ou Prudente de Morais. “A gente vai começar a conversar com quem vai ser diretamente afetado. Ali na parte do quartel, lojas e serviços. Vamos apresentar essas projeções de desvios”, comenta o secretário adjunto.

O profissional diz ainda que o órgão fará campanhas com os motoristas para incentivar a redistribuição do fluxo. “Isso não vai ser 100% da Salgado Filho com destino Petrópolis porque a gente vai fazer campanhas para dividir o tráfego pela Nevaldo Rocha para fazer esse seguimento de via. Do contrário, o motorista vai entrar ali na Alberto Maranhão e vai poder escolher Prudente de Morais, Romualdo Galvão, cruzar e ir para o seu destino. Aí ele vai escolher entrar na Nevaldo Rocha, Antônio Basílio, Amintas Barros e assim sucessivamente para voltar para o fluxo”, detalha Walter Pedro.

Fluxo

De acordo com a STTU, a perspectiva é de que a obra consiga absorver todo o fluxo de veículos pelos próximos dez anos. Até lá, a projeção é de que o tráfego de veículos no trecho passe dos atuais 65 mil/dia para 95 mil/dia, segundo a pasta.

O adjunto da STTU, Walter Pedro, explica que a escolha se deu pela grande movimentação de carros e pedestres no cruzamento. Além disso, o arquiteto e urbanista diz que o ponto é uma espécie de entroncamento semafórico. A Secretaria de Mobilidade Urbana pontua que será feito um reordenamento nos semáforos da região para aliviar o fluxo de veículos no entorno do cruzamento. “É como se fosse o divisor de redes abaixo, da Salgado Filho sentido Arena das Dunas, e acima, da Hermes da Fonseca vindo para Tirol, Petrópolis”, detalha Walter.

“Além de ser confluência de vários fluxos, demandas vindo das zonas Leste e Sul, precisa-se de muito tempo para dar vazão a quem vem na Hermes da Fonseca e Salgado Filho e quem vem da Alexandrino, o que compromete o circuito de informação de rede para os dois seguimentos de corredores. Por isso cria esse travamento constante. Com a obra, o ‘mergulho’ dos carros vai ser na Alexandrino de Alencar e quando a gente libera a Alexandrino, nós conseguimos redistribuir parte desse fluxo que vem pela Hermes”, acrescenta.

Com informações da Tribuna do Norte
Foto: Alex Régis

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

É #FAKE que o Midway Mall vai cobrar pelo estacionamento Como consultar valores a receber com o Banco Central Morre Marília Mendonça após acidente aéreo; veja fotos CINCO deputados do RN votam pelo furo do teto de gastos Após rompimento de parceria com o Flow Podcast, hackers invadem iFood, trocam nome de restaurantes e dão apoio a Bolsonaro Azul mira compra da Latam Airlines e visa à criação de gigante sul-americana Homem se dá mal após tentar jogar drogas pela janela em Mossoró Adolescente de 16 anos é suspeito de matar os próprios irmãos, de 2 e 4 anos, no Rio de Janeiro Preço da gasolina sobe 47% em 2021 e já custa R$ 7,29 em Natal após novo reajuste Cidade faz ‘recall’ de vacinação após enfermeira da Cruz Vermelha injetar água e sal na população Mulher dá à luz dentro de elevador de condomínio na Grande Natal Operação Falsos Heróis: Polícia Federal deflagra 2ª fase de operação contra contrabando de cigarros; um policial foi preso e outro afastado