Natal pode ficar sem atendimento médico a partir da próxima quarta-feira (23)

Natal pode ficar sem atendimento médico a partir da próxima quarta-feira (23)

Os serviços prestados a Upas, Hospitais, Maternidades, Ambulatórios e Alta/média complexidade devem funcionar apenas com 30% dos atendimentos

Médicos das unidades hospitalares da Prefeitura Municipal de Natal, após atraso salarial que chegam até três meses, já sinalizam que devem realizar uma paralisação dos serviços a partir da próxima quarta-feira (23).

Os profissionais são contratados por meio de um contrato que envolve a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e a Cooperativa Médica do RN – Coopmed-RN. Por nota, a Coopmed informou que caso não haja nenhuma previsão para os pagamentos em abertos, os serviços prestados a Upas, Hospitais, Maternidades, Ambulatórios e Alta/média complexidade devem funcionar apenas com 30% dos serviços médicos.

Disse, ainda, que a SMS já foi notificada quanto ao atraso e aguarda um posicionamento do munícipio para regularizar a situação junto aos profissionais até a próxima terça-feira (22).

A Secretaria Municipal de Saúde foi procurada, mas não respondeu até a publicação desta matéria.

Foto: Elpídio Júnior/Ilustração
Com informações do Novo Notícias

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Assine nossa Newsletter

Neoenergia Cosern é criticada por quedas de energia no Réveillon Festival MADA 2023 terá o ‘Baile da Amada’ Cosern é condenada a indenizar cliente por cobrança indevida por falha em medidor Influencer trans Flávia Big Big morre vítima de câncer Ambulância das drogas: Motorista do SAMU preso usava o veículo para transportar e vender maconha e cocaína Prefeitura de Natal lança concurso para procurador Lei Seca: Idoso é preso pela terceira vez dirigindo bêbado em Natal PRF realizará leilão de veículos retidos no RN Concurso do TJRN tem mais de 54 mil inscrições Prefeito de São José do Campestre é morto a tiros em casa Governo do RN abre concurso para a Polícia Militar Bolsas da Capes e do CNPq: ministro afirma que reajustes devem ocorrer ainda este mês