Novembro roxo: pré-natal é principal aliado contra prematuridade

Novembro roxo: pré-natal é principal aliado contra prematuridade

O nascimento do bebê antes do previsto pode gerar risco tanto para o bebê quanto para a gestante

No Brasil, 340 mil bebês nascem prematuros todo ano, número que equivale a pelo menos 930 por dia ou 6 nascimentos pré-termo a cada 10 minutos, segundo dados do Sistema de Informações Sobre Nascidos Vivos (Sinasc) e do Ministério da Saúde (MS). Tal cenário faz com que o País seja o 10º colocado no ranking mundial de prematuridade. Por isso, a campanha mundial Novembro Roxo acende o alerta à população sobre o crescente número de partos prematuros, visando conscientizar sobre como preveni-los e informar a respeito das consequências do nascimento antecipado para o bebê, para sua família e sociedade.

São considerados prematuros (ou pré-termos), os bebês que nascem antes de completar 37 semanas de gestação (36 semanas e 6 dias). De acordo com Robinson Dias, ginecologista obstetra presidente da Associação de Ginecologia e Obstetrícia do RN (Sogorn), são diversos os fatores de saúde que podem ocasionar o nascimento do bebê antes do tempo previsto. Porém, a não realização de um pré-natal de qualidade é um dos principais.

De acordo com o médico, algumas das mais frequentes dificuldades na gravidez que podem levar à prematuridade são: o tabagismo, o alcoolismo, o uso de entorpecentes, o alto índice de estresse, as infecções urinárias, o sangramento vaginal, o diabetes, a obesidade, a hipertensão e a gravidez gemelar. “Contudo, pode-se evitar a prematuridade até mesmo antes da gestação, quando a mulher tem a sua saúde monitorada por um profissional e segue com um acompanhamento pré-natal na gravidez, para contornar os fatores de risco à gestação”, relata o obstetra.

Os benefícios destes cuidados se estendem de mãe a filho. Pois, o parto antecipado, dependendo do momento em que ocorre, pode gerar risco tanto para o bebê quanto para a gestante. “Além disto, crianças prematuras têm maior probabilidade para dificuldades de aprendizagem e comportamentais, deficiências motoras, infecções respiratórias crônicas e doenças cardiovasculares ou diabetes, em comparação com bebês nascidos a termo”, esclarece.

Portanto, o indicado é que a mulher realize um planejamento familiar adequado e, na confirmação de uma gestação, tenha o acompanhamento pré-natal disciplinado, com os exames em dia. Assim, poderá desenvolver uma gravidez segura e com mais chances de um parto de recém-nascido saudável.

Foto: Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Assine nossa Newsletter

Neoenergia Cosern é criticada por quedas de energia no Réveillon Festival MADA 2023 terá o ‘Baile da Amada’ Cosern é condenada a indenizar cliente por cobrança indevida por falha em medidor Influencer trans Flávia Big Big morre vítima de câncer Ambulância das drogas: Motorista do SAMU preso usava o veículo para transportar e vender maconha e cocaína Prefeitura de Natal lança concurso para procurador Lei Seca: Idoso é preso pela terceira vez dirigindo bêbado em Natal PRF realizará leilão de veículos retidos no RN Concurso do TJRN tem mais de 54 mil inscrições Prefeito de São José do Campestre é morto a tiros em casa Governo do RN abre concurso para a Polícia Militar Bolsas da Capes e do CNPq: ministro afirma que reajustes devem ocorrer ainda este mês