Psicóloga Luma Praxedes dá dicas de como diferenciar e diagnosticar Transtorno de Ansiedade

Image

Quase 19 milhões de pessoas sofrem com os sintomas de ansiedade no Brasil

O Brasil se tornou o país mais ansioso do mundo. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), quase 19 milhões de pessoas no país sofrem com os sintomas de ansiedade, quase 10% da população brasileira. O número é alto, mas plausível quando pensamos que é praticamente impossível não sentir ansiedade nos tempos modernos, como afirma a psicóloga especialista em Terapia Cognitivo Comportamental, Luma Praxedes.

Segundo Luma, existe a ansiedade “normal”, uma vez que é uma emoção inerente ao ser humano em certos momentos mais decisivos da vida, e a ansiedade “patológica”, quando passa a atrapalhar o bom funcionamento das rotinas e, de certa forma, começa a impactar em outras áreas da vida da pessoa.

“A ansiedade é uma emoção adaptativa, ou seja, serve como um alerta para possíveis perigos. É como um sistema de alarme do nosso corpo e é essencial para a nossa sobrevivência. Em casos extremos, a ansiedade nos ajuda a evitar situações que colocam a nossa vida em perigo. Já em situações menos extremas, a ansiedade nos ajuda a nos prepararmos para algo com o qual nos importamos. Ela é problemática quando interfere no seu funcionamento ou causa mais estresse do que a situação justifica”, explica.

Ainda de acordo com a psicóloga, nem toda ansiedade problemática é transtorno de ansiedade. “Para ser considerado transtorno, precisa haver frequência e intensidade. No caso do TAG (transtorno de ansiedade generalizada), é precisa haver uma intensidade dos sintomas por um período de 6 meses, segundo o Manual diagnóstico e estatístico dos transtornos mentais (DSM). É importante lembrar que na maioria dos casos, a ansiedade não será patológica. A prevalência no mundo é de 4,3%. Para ser considerado transtorno, precisar haver frequência, intensidade e sofrimento clinicamente significativo”, acrescenta.

E de que forma se pode fazer diferenciação, da ansiedade que é transtorno e da que não é transtorno? Luma enumera: 1) As preocupações associadas ao TAG são excessivas e geralmente interferem de forma significativa no funcionamento psicossocial. Enquanto as preocupações da vida diária não são excessivas e são percebidas como mais manejáveis; 2) As preocupações associadas ao TAG são mais disseminadas, intensas e angustiantes; tem maior duração; e frequentemente ocorrem sem precipitantes e 3) As preocupações diárias são muito menos prováveis de ser acompanhadas por sintomas físicos (por exemplo, inquietação e sensação de estar com os nervos a flor da pele).

As características principais para diagnosticar o transtorno de ansiedade generalizada, revela Luma, são ansiedade e preocupação excessivas; dificuldade em controlar essa preocupação ; ansiedade ou preocupação associada a sintomas como inquietação, fadiga, dificuldade de concentração ou sensação de branco na mente, irritabilidade, tensão muscular e perturbação do sono; a ansiedade, a preocupação ou os sintomas físicos causam sofrimento clinicamente significativo ou prejuízo no funcionamento social, profissional ou em outras áreas importantes da vida e esses sintomas não podem estar associados aos efeitos de substâncias.

“É importante ressaltar que a intensidade, duração ou frequência da ansiedade e preocupação é desproporcional à probabilidade real ou ao impacto do evento antecipado. Quando a gente fala de prejuízo no funcionamento, a gente pode falar sobre o indivíduo ter muita dificuldade de controlar a preocupação e de evitar que os pensamentos preocupantes interfiram na atividade em questão”, finaliza.

Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter

Neoenergia Cosern é criticada por quedas de energia no Réveillon Festival MADA 2023 terá o ‘Baile da Amada’ Cosern é condenada a indenizar cliente por cobrança indevida por falha em medidor Influencer trans Flávia Big Big morre vítima de câncer Ambulância das drogas: Motorista do SAMU preso usava o veículo para transportar e vender maconha e cocaína Prefeitura de Natal lança concurso para procurador Lei Seca: Idoso é preso pela terceira vez dirigindo bêbado em Natal PRF realizará leilão de veículos retidos no RN Concurso do TJRN tem mais de 54 mil inscrições Prefeito de São José do Campestre é morto a tiros em casa Governo do RN abre concurso para a Polícia Militar Bolsas da Capes e do CNPq: ministro afirma que reajustes devem ocorrer ainda este mês