Morre Doyle Brunson, o pai poker mundial

Morre Doyle Brunson, o pai poker mundial

Por Heloísa Lemos
Do físico ao e-sports

No dia 14 de maio, a comunidade mundial do poker recebeu uma triste notícia ao saber do falecimento de Doyle Brunson, aos 89 anos. Brunson, conhecido como “Texas Dolly”, foi uma das maiores lendas na história do esporte da mente, encerrando sua carreira com dez braceletes da World Series of Poker (WSOP). Ele conquistou dois títulos consecutivos de Main Event em 1976 e 1977, uma marca compartilhada apenas por outros grandes jogadores, como Johnny Moss, Stu Ungar e Johnny Chan.

Minutos após a notícia, Todd Brunson, filho de Doyle, confirmou a informação através do Twitter, pedindo privacidade para a família durante esse momento difícil. A morte de Brunson deixou um vazio na comunidade do poker, onde ele era altamente respeitado e admirado.

Doyle Brunson entrou para o Hall da Fama do Poker em 1988 e foi o primeiro jogador a alcançar ganhos de US$ 1 milhão em torneios. Durante sua carreira, ele conquistou um total de dez braceletes da WSOP, entre os anos de 1976 e 2005, acumulando impressionantes US$ 6.176.737 em prêmios, nas competições ao vivo, de acordo com o Hendon Mob. Seus títulos na Copa do Mundo de Poker abrangiam várias modalidades, como No-Limit Hold’em, 2-7 Lowball Draw, 7-Card Stud, Razz e HORSE. Mesmo com o passar dos anos, Brunson continuou participando do evento em Las Vegas até o fim de sua vida.

Nascido em Longworth, Texas, em 10 de agosto de 1933, Brunson iniciou sua trajetória esportiva como um jogador de basquete promissor na universidade. No entanto, devido a uma grave lesão no joelho, ele decidiu abandonar o basquete e se dedicar ao poker, um jogo com o qual já tinha familiaridade. Brunson continuou seus estudos em administração na Universidade Hardin-Simmons, onde obteve o título de Mestre em Negócios. Ele compartilhou sua sabedoria no poker através de seus icônicos livros, como o Super/System e o Super/System 2.

A história de Brunson era tão inspiradora e marcante para o universo do poker que várias obras sobre sua vida estavam programadas para serem publicadas. Projetos como um audiolivro, um documentário e um filme biográfico estavam em andamento, retratando suas conquistas e até mesmo suas experiências com incidentes perigosos, envolvendo tiros, mortes e fugas. Além disso, havia planos para relatar sua festa de 90 anos em outra obra. A popularidade de Brunson era tamanha que ele costumava receber itens pelo correio para dar autógrafos, mas decidiu interromper essa prática ao perceber que muitos deles estavam sendo vendidos no mercado de revenda.

Ao longo dos anos, Doyle Brunson enfrentou problemas de saúde, superando o câncer quatro vezes, incluindo um melanoma no final de 2020.

Foto: World Poker Tour/Visualhunt/Ilustração

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Heloísa Lemos

Sobre Heloísa Lemos, colunista do Por Dentro do RN

Formada em Comunicação Social/Jornalismo e Rádio e TV pela UFRN, Heloísa Lemos já atuou em diversas assessorias de imprensa, além de ter expertise com redes sociais. Em 2020, concluí a especialização em marketing também pela Universidade Federal. Contudo, os (e-) esportes sempre foram, além de um hobby, uma paixão.

Assine nossa Newsletter

Neoenergia Cosern é criticada por quedas de energia no Réveillon Festival MADA 2023 terá o ‘Baile da Amada’ Cosern é condenada a indenizar cliente por cobrança indevida por falha em medidor Influencer trans Flávia Big Big morre vítima de câncer Ambulância das drogas: Motorista do SAMU preso usava o veículo para transportar e vender maconha e cocaína Prefeitura de Natal lança concurso para procurador Lei Seca: Idoso é preso pela terceira vez dirigindo bêbado em Natal PRF realizará leilão de veículos retidos no RN Concurso do TJRN tem mais de 54 mil inscrições Prefeito de São José do Campestre é morto a tiros em casa Governo do RN abre concurso para a Polícia Militar Bolsas da Capes e do CNPq: ministro afirma que reajustes devem ocorrer ainda este mês