Restauração da Ponte de Igapó terá 18 meses de duração

Restauração da Ponte de Igapó terá 18 meses de duração

Interdição total da ponte sentido Igapó-Centro começa nesta quinta-feira (14)

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) confirmou nesta quinta-feira (14.set.2023) que os serviços de restauração na Ponte de Igapó, em Natal, terão prazo estimado de 18 meses. A autarquia federal explicou que o bloqueio iniciado esta semana, no sentido Zona Norte/Centro, deve durar cerca de 12 meses e, em seguida, outros seis meses serão utilizados para a interdição no sentido contrário.

A necessidade de restauração das pontes ocorre em função do desgaste natural em decorrência do tempo, bem como dos danos causados por eventos extremos, e sobrecarga de tráfego, dentre outros fatores. Sendo assim, a intervenção permitirá que as referidas estruturas tenham um desempenho próximo a suas condições iniciais de operação.

As obras iniciaram na terça-feira (12.set), na ponte sentido Igapó-Centro, após a implantação de toda a sinalização necessária para alertar sobre a alteração no tráfego. As equipes do DNIT já estão atuando na execução das escavações e nas inspeções para verificar se há redes de concessionárias de serviços públicos.

Além disso, foi iniciada a demolição das lajes do passeio público. Nos próximos dias será dada continuidade dessas atividades, bem como serão iniciados os trabalhos de adequação e recuperação das barreiras de concreto (New Jersey), demolição dos guarda-corpos e tratamento das juntas de dilatação.

Com o objetivo de garantir a segurança dos usuários e dos trabalhadores e com base nos estudos realizados preliminarmente, os técnicos do DNIT entenderam que era necessário fazer a interdição das pontes em momentos distintos. Inicialmente o bloqueio total acontece na ponte sentido Igapó/Centro e os trabalhos nesta travessia devem durar cerca de 12 meses. Nesse tempo, o tráfego permanecerá desviado para a ponte que faz o sentido oposto, que passa a operar em ambos os sentidos.

Quando concluídos os serviços na primeira ponte, os trabalhos na travessia sentido Centro-Igapó serão iniciados, com o tráfego desviado para a estrutura completamente reabilitada. Neste caso, os trabalhos devem durar seis meses. Serviços específicos e de acordo com a necessidade das obras podem exigir bloqueios totais temporários das duas travessias, mas os usuários os serão oportunamente informados.

Por se tratar de uma recuperação de extrema relevância para garantir a segurança dos usuários e por ser em uma OAE sob responsabilidade do DNIT, a autarquia atendeu ao que rege o artigo 95 do Código de Trânsito Brasileiro, que é o de avisar a comunidade por intermédio dos meios de comunicação social, com 48 horas de antecedência, qualquer interdição, indicando os caminhos alternativos.

Foto: Arquivo/POR DENTRO DO RN/Ilustração

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Assine nossa Newsletter

Midway Mall comemora 19 anos com sorteio de três BYD zero quilômetro e desfile de moda Neoenergia Cosern é criticada por quedas de energia no Réveillon Festival MADA 2023 terá o ‘Baile da Amada’ Cosern é condenada a indenizar cliente por cobrança indevida por falha em medidor Influencer trans Flávia Big Big morre vítima de câncer Ambulância das drogas: Motorista do SAMU preso usava o veículo para transportar e vender maconha e cocaína Prefeitura de Natal lança concurso para procurador Lei Seca: Idoso é preso pela terceira vez dirigindo bêbado em Natal PRF realizará leilão de veículos retidos no RN Concurso do TJRN tem mais de 54 mil inscrições Prefeito de São José do Campestre é morto a tiros em casa Governo do RN abre concurso para a Polícia Militar