Dono de padaria é condenado a 8 anos de prisão por matar padeiro por chegar atrasado

Dono de padaria é condenado a 8 anos de prisão por matar padeiro por chegar atrasado

Crime aconteceu em João Câmara, no RN, em junho de 2022

Um júri popular condenou, nesta quinta-feira (9.nov.2023), o dono de uma padaria em João Câmara, no Agreste potiguar, a 8 anos de prisão por matar o padeiro do estabelecimento a facadas. O crime aconteceu em 27 de junho de 2022, após o funcionário chegar atrasado ao trabalho.

José Pereira Sobrinho, de 65 anos, foi acusado de cometer homicídio duplamente qualificado, mas os jurados reconheceram apenas a qualificadora de impossibilidade de defesa da vítima. O empresário poderá recorrer da decisão em liberdade.

De acordo com a Polícia Militar (PM), o patrão e o funcionário teriam se desentendido por causa do atraso. O empresário fugiu após o crime, mas foi preso dias depois.

Durante o julgamento, seis testemunhas foram ouvidas e houve o interrogatório do réu. O conselho de votação reconheceu que José Pereira Sobrinho praticou o crime de homicídio privilegiado qualificado por impossibilidade de defesa da vítima.

“Considerando a existência de circunstâncias judiciais favoráveis, bem como o reconhecimento do privilégio pelo conselho de sentença, o juiz Rainel Batista Pereira Filho concedeu ao réu o direito de recorrer em liberdade”, informou o Tribunal de Justiça.

Segundo a Justiça estadual, foram consideradas questões como o fato de o empresário ser réu primário; sua conduta social e personalidade; os motivos, circunstâncias e consequências do crime, além do comportamento da vítima.

“A pena ficou no patamar de oito anos porque os jurados, embora tenham reconhecido uma qualificadora, reconheceram o privilégio do réu ter agido impelido por forte emoção, após injusta provocação da vítima. A pena mínima do homicídio qualificado é de 12 anos. Mas, ao se reconhecer o privilégio, a lei impõe uma diminuição de 1/3. Por isso a pena ficou em oito anos”, informou o Judiciário.

O proprietário da padaria também foi condenado a pagar as custas e despesas do processo, teve o nome lançado no rol dos culpados e decretada a suspensão dos seus direitos políticos.

Foto: TJRN/Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Neoenergia Cosern é criticada por quedas de energia no Réveillon Festival MADA 2023 terá o ‘Baile da Amada’ Cosern é condenada a indenizar cliente por cobrança indevida por falha em medidor Influencer trans Flávia Big Big morre vítima de câncer Ambulância das drogas: Motorista do SAMU preso usava o veículo para transportar e vender maconha e cocaína Prefeitura de Natal lança concurso para procurador Lei Seca: Idoso é preso pela terceira vez dirigindo bêbado em Natal PRF realizará leilão de veículos retidos no RN Concurso do TJRN tem mais de 54 mil inscrições Prefeito de São José do Campestre é morto a tiros em casa Governo do RN abre concurso para a Polícia Militar Bolsas da Capes e do CNPq: ministro afirma que reajustes devem ocorrer ainda este mês