STF tem placar de 7 a 0 para tornar réus mais 200 envolvidos nos atos de 8 de janeiro

STF tem placar de 7 a 0 para tornar réus mais 200 envolvidos nos atos de 8 de janeiro

Na quinta-feira (27), foi formada a maioria de votos favoráveis

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), votou nesta sexta-feira (28.abr.2023) a favor do recebimento das denúncias contra mais 200 envolvidos nos atos golpistas de 8 de janeiro. Com isso, o placar do julgamento está em 7 a 0 pela aceitação das denúncias.

Na quinta-feira (27.abr), foi formada a maioria de votos favoráveis, com os votos do relator, Alexandre de Moraes, e outros ministros. A votação virtual vai até a próxima terça-feira (2.mai), e os acusados se tornarão réus no processo e responderão a uma ação penal.

Os acusados que ainda permanecem detidos terão a manutenção da prisão analisada por Moraes após o fim do julgamento. Na semana passada, a Corte aceitou a denúncia e tornou réus os primeiros 100 investigados pela participação nos atos.

A modalidade virtual permite que os ministros depositem os votos no sistema eletrônico, sem deliberação presencial. Ainda faltam os votos de Rosa Weber, André Mendonça e Nunes Marques.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Assine nossa Newsletter

Neoenergia Cosern é criticada por quedas de energia no Réveillon Festival MADA 2023 terá o ‘Baile da Amada’ Cosern é condenada a indenizar cliente por cobrança indevida por falha em medidor Influencer trans Flávia Big Big morre vítima de câncer Ambulância das drogas: Motorista do SAMU preso usava o veículo para transportar e vender maconha e cocaína Prefeitura de Natal lança concurso para procurador Lei Seca: Idoso é preso pela terceira vez dirigindo bêbado em Natal PRF realizará leilão de veículos retidos no RN Concurso do TJRN tem mais de 54 mil inscrições Prefeito de São José do Campestre é morto a tiros em casa Governo do RN abre concurso para a Polícia Militar Bolsas da Capes e do CNPq: ministro afirma que reajustes devem ocorrer ainda este mês