“O transporte é a solução, mas os gestores precisam entender isso”, defende presidente da FETRONOR

“O transporte é a solução, mas os gestores precisam entender isso”, defende presidente da FETRONOR

Eudo Laranjeiras participou do 1º Seminário de Mobilidade Urbana em Aracaju (SE). Sua fala ocorreu durante a mesa redonda “Financiamento do Transporte Público para garantia da sua sustentabilidade”

Durante participação no 1º Seminário de Mobilidade Urbana em Aracaju (SE), nesta quarta e quinta-feira (17 e 18 de maio), o presidente da Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Nordeste – FETRONOR, Eudo Laranjeiras, defendeu a importância de investimentos que garantam a melhoria do transporte público em todo o Brasil. Eudo participou da mesa redonda “Financiamento do Transporte Público para garantia da sua sustentabilidade”, ao lado de Francisco Christovam – Presidente executivo da Associação Nacional de Transportes Urbanos (NTU); Renato Telles – Presidente Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes de Mobilidade; e Alberto Almeida – Presidente da FETRALSE.

“A gente ouve muito sobre ‘o problema do transporte’. Eu vejo o transporte diferente. Vejo como solução. O que está faltando é a capacidade dos gestores em entender dessa forma e desenvolver ações que contribuam para isso. O transporte está na Constituição como serviço essencial, então precisa de investimentos mais significativos, não apenas para as melhorias que podem e precisam ser feitas, mas para a mudança de uma realidade que hoje envolve a falta de prioridade nas vias, frotas antigas, superlotação dos veículos, entre tantos outros pontos que quem utiliza o ônibus, infelizmente conhece bem”, apontou.

Ainda durante o evento, promovido pela Federação das Empresas de Transporte de Passageiros de Alagoas e Sergipe (FETRALSE), Eudo abordou a importância de que o transporte esteja contemplado nos orçamentos das prefeituras e governos. “O transporte é um serviço público – ainda que operado por empresas privadas. Mas, como eu disse, é um serviço público, e isso requer orçamento, de modo a garantir subsídios para os passageiros, melhorando o serviço prestado a eles. Isso é o que acontece no mundo inteiro há muito tempo, e é por isso que há um transporte de melhor qualidade em lugares da Europa e dos Estados Unidos, por exemplo”.

O presidente da NTU, Francisco Christovam, concordou com a fala de Eudo, destacando os subsídios – na média de R$ 7 bilhões neste ano – para manter a tarifa de ônibus em São Paulo no valor de R$ 4,40, aliado a uma boa prestação de serviços – com ônibus com ar-condicionado, piso baixo e motor traseiro, por exemplo.

Foto: Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Assine nossa Newsletter

Neoenergia Cosern é criticada por quedas de energia no Réveillon Festival MADA 2023 terá o ‘Baile da Amada’ Cosern é condenada a indenizar cliente por cobrança indevida por falha em medidor Influencer trans Flávia Big Big morre vítima de câncer Ambulância das drogas: Motorista do SAMU preso usava o veículo para transportar e vender maconha e cocaína Prefeitura de Natal lança concurso para procurador Lei Seca: Idoso é preso pela terceira vez dirigindo bêbado em Natal PRF realizará leilão de veículos retidos no RN Concurso do TJRN tem mais de 54 mil inscrições Prefeito de São José do Campestre é morto a tiros em casa Governo do RN abre concurso para a Polícia Militar Bolsas da Capes e do CNPq: ministro afirma que reajustes devem ocorrer ainda este mês