Petrobras anuncia reajuste nos preços de gasolina e diesel a partir de amanhã

Petrobras anuncia reajuste nos preços de gasolina e diesel a partir de amanhã

Gasolina terá aumento de 16%, enquanto diesel terá reajuste de 26%; Empresa esclarece detalhes sobre impacto no consumidor

A Petrobras divulgou hoje (15.ago.2023)o reajuste dos preços da gasolina e do diesel, com efeito a partir de amanhã (16.ago). A gasolina do tipo A, produzida diretamente pelas refinarias e fornecida às distribuidoras, sofrerá um aumento médio de R$ 0,41 por litro, elevando seu preço para R$ 2,93 nas bombas das distribuidoras. O reajuste representa um acréscimo de aproximadamente 16%.

Em comunicado oficial, a companhia destacou que considerando a composição da gasolina comercializada nos postos, que é obrigatoriamente composta por 73% de gasolina A e 27% de etanol anidro, a parcela da empresa no preço final ao consumidor será, em média, de R$ 2,14 para cada litro vendido. Mesmo com esse reajuste, ao longo do ano, o preço da gasolina vendida às distribuidoras acumulou uma redução de R$ 0,15 por litro.

Quanto ao diesel, a Petrobras informou que o preço médio de venda para as distribuidoras terá um aumento de R$ 0,78 por litro, atingindo R$ 3,80. Esse reajuste representa um aumento significativo de 26%. Levando em consideração a mistura obrigatória de 88% de diesel A, produzido nas refinarias, e 12% de biodiesel, para a formação do diesel comercializado nos postos, a parte da Petrobras no preço final ao consumidor será, em média, R$ 3,34 por litro. No entanto, é importante notar que, ao longo do ano, o preço de venda do diesel pela Petrobras para as distribuidoras apresentou uma redução acumulada de R$ 0,69 por litro.

A Petrobras ressalta que sua parcela no preço dos combustíveis não reflete o valor definitivo para o consumidor final, uma vez que os cálculos ainda incluem impostos e margens de lucro de distribuidoras e postos de combustível. A empresa enfatiza que está comprometida em manter a transparência e em fornecer informações claras sobre os ajustes nos preços dos combustíveis.

Nova política de preços

A Petrobras afirmou que a nova política de preços da empresa “incorpora parâmetros que refletem as melhores condições de refino e logística da Petrobras na sua precificação”.

Segundo a empresa, “em um primeiro momento, isso permitiu que a empresa reduzisse seus preços de gasolina e diesel e, nas últimas semanas, mitigasse os efeitos da volatilidade e da alta abrupta dos preços externos, propiciando período de estabilidade de preços aos seus clientes”.

A companhia ressalta que, “no entanto, a consolidação dos preços de petróleo em outro patamar, e estando a Petrobras no limite da sua otimização operacional, incluindo a realização de importações complementares, torna necessário realizar ajustes de preços para ambos os combustíveis, dentro dos parâmetros da estratégia comercial, visando reequilíbrio com o mercado e com os valores marginais para a Petrobras”.

Na avaliação da companhia, a nova política de preços evita repassar aos consumidores a volatilidade conjuntural do mercado internacional e da taxa de câmbio, ao mesmo tempo em que preserva um “ambiente competitivo salutar nos termos da legislação vigente”.

Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Assine nossa Newsletter

Neoenergia Cosern é criticada por quedas de energia no Réveillon Festival MADA 2023 terá o ‘Baile da Amada’ Cosern é condenada a indenizar cliente por cobrança indevida por falha em medidor Influencer trans Flávia Big Big morre vítima de câncer Ambulância das drogas: Motorista do SAMU preso usava o veículo para transportar e vender maconha e cocaína Prefeitura de Natal lança concurso para procurador Lei Seca: Idoso é preso pela terceira vez dirigindo bêbado em Natal PRF realizará leilão de veículos retidos no RN Concurso do TJRN tem mais de 54 mil inscrições Prefeito de São José do Campestre é morto a tiros em casa Governo do RN abre concurso para a Polícia Militar Bolsas da Capes e do CNPq: ministro afirma que reajustes devem ocorrer ainda este mês