Coletivo CIDA (RN) apresenta “Corpos Turvos” em São Paulo de forma gratuita

Coletivo CIDA (RN) apresenta "Corpos Turvos" em São Paulo de forma gratuita

“Corpos Turvos” teve sua pesquisa iniciada em 2019, a partir de uma residência artística na Odisha Biennale, na Índia

O Coletivo CIDA (RN) chega a São Paulo neste sábado, 29 de outubro, para apresentar o espetáculo “CORPOS TURVOS” de forma gratuita. A apresentação faz parte da programação da Mostra de Dança Itaú Cultural, que reúne espetáculos na sede e na calçada do Itaú Cultural, além de bate-papos e oficinas.

Fundado em 2016 por Arthur Moura, René Loui e Rozeane Oliveira, artistas e produtores radicados no Rio Grande do Norte, o Coletivo CIDA é um núcleo artístico conhecido por sua produção contemporânea que incorpora recursos de Comunicação Assistiva, como audiodescrição e LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais).

“Corpos Turvos” teve sua pesquisa iniciada em 2019, a partir de uma residência artística na Odisha Biennale, na Índia. Inicialmente pensada como um espetáculo solo para apresentações presenciais, e a partir de outra residência artística virtual entre René Loui (MG/RN) e Jussara Belchior (SC), dois pesquisadores das diferenças na dança, se concretizou como uma obra de dança contemporânea.

Esta é a primeira obra da trilogia em dança-tragédia criada pelo Coletivo CIDA. A peça coreográfica explora, por meio da dança, temáticas relacionadas à estigmatização, desumanização, extermínio e invisibilidade que afetam pessoas negras, a comunidade LGBTQIAPN+, indivíduos com deficiência, mulheres, povos originários e aqueles que convivem com o HIV ou AIDS. É um grito de socorro para que esses corpos deixem de ser números.

“Estamos muito honrados com o convite do Itaú Cultural para fazermos parte de mais uma edição da Mostra. Na última edição tivemos a honra de participar virtualmente com o lançamento do Livro-Dança Residências Artísticas e Composição em Tempo Real e agora, temos o prazer de estar presencialmente com o espetáculo Corpos Turvos, trabalho que deu origem à nossa trilogia em dança-tragédia. Além disso, estamos felizes com a possibilidade de dançar pela primeira vez em território paulista”, comenta René Loui, coreógrafo, intérprete e fundador do Coletivo CIDA.

Para Arthur Moura, produtor e fundador do Coletivo CIDA, integrar a programação da Mostra de Dança Itaú Cultural é muito importante. “Se fazer presente neste evento tão relevante para a dança no país é muito importante para nós do Coletivo CIDA, principalmente nessa edição que possui como tema questões tão necessárias para a sociedade e que conversam diretamente com nossas metodologias de dança e com nossa percepção de mundo. Será uma passagem muito linda por SP”

A programação da 6ª Mostra de Dança do Itaú Cultural inicia no dia 26 de outubro e segue até o dia 5 de novembro. No dia 26 de outubro, ocorre a apresentação de “Tudo o que é imaginário existe e tem”, de Eliana de Santana (SP), e “DeCor”, de Denise Stutz (RJ).

No dia 27 de outubro, é a vez de “Entre o corte da navalha e o sangue da rosa”, de Alice Casagrande (BA), e “Bruta”, da Compañía Amateur (CL). No sábado, dia 29, às 19h ocorre a apresentação de “Corpos Turvos”, do Coletivo CIDA (RN). Os Ingressos podem ser retirados através do link: https://itaucultural-eventos.byinti.com/#/event/mostra-de-danca-3 A programação continua até o dia 5 com outros espetáculos e oficinas.

Residência na França

Após a participação na Mostra de Dança Itaú Cultural, o Coletivo CIDA segue para a França para realizar a segunda etapa da residência artística com a ATeKa Compagnie, que visa a construção de um novo espetáculo chamado “Sucre: Si Proche du Paradis” (Açúcar: Tão Perto do Paraíso).

Essa ação faz parte da Residência Artística Sucre, uma iniciativa da ATeKa Compagnie e do Coletivo CIDA, apoiada pela “La Fabrique des Résidences” do Instituto Francês e pelo programa “Cruzamentos” da Villa Tijuca. É uma colaboração entre as Alliances Françaises, o Chaillot – Teatro Nacional da Dança – Paris, o MC2: Casa de Cultura de Grenoble na França, em cooperação com a Fundação Nacional de Artes (Funarte), Ministério da Cultura e Governo do Brasil. O projeto também tem apoio institucional do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, através da Fundação José Augusto e da Aliança Francesa de Natal.

Nessa segunda etapa, realizada na cidade de Grenoble, na França, os dois grupos ocuparão a MC2: Casa de Cultura de Grenoble para a finalização da montagem, realização de laboratórios artísticos e uma temporada de estreia.

Ainda na França, o Coletivo CIDA exibirá o espetáculo “Corpos Turvos” como grupo convidado para a Table Ronde: Spectacle Vivant et Handicap, evento sobre Artes Cênicas e Inclusão e Acessibilidade.

Todas as informações sobre o CIDA podem ser acompanhadas através dos canais de comunicação do coletivo. Acesse: www.coletivocida.com.br ou acompanhe o Coletivo no Instagram em: @coletivocida.

SERVIÇO:

COLETIVO CIDA NA 6ª MOSTRA DE DANÇA DO ITAÚ CULTURAL

Local: Av. Paulista, 149 – Bela Vista, São Paulo – SP
Dia: 29 de outubro
Horário: 19h
Acessibilidade: Tradução para Língua Brasileira de Sinais e Audiodescrição
Classificação indicativa: Autoclassificação – 16 anos
Capacidade : 224 lugares

Foto: Brunno Martins

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Neoenergia Cosern é criticada por quedas de energia no Réveillon Festival MADA 2023 terá o ‘Baile da Amada’ Cosern é condenada a indenizar cliente por cobrança indevida por falha em medidor Influencer trans Flávia Big Big morre vítima de câncer Ambulância das drogas: Motorista do SAMU preso usava o veículo para transportar e vender maconha e cocaína Prefeitura de Natal lança concurso para procurador Lei Seca: Idoso é preso pela terceira vez dirigindo bêbado em Natal PRF realizará leilão de veículos retidos no RN Concurso do TJRN tem mais de 54 mil inscrições Prefeito de São José do Campestre é morto a tiros em casa Governo do RN abre concurso para a Polícia Militar Bolsas da Capes e do CNPq: ministro afirma que reajustes devem ocorrer ainda este mês