Albert Dickson é condenado a 21 anos de prisão por desvio de verba pública

Albert Dickson é condenado a 21 anos de prisão por desvio de verba pública

Ex-vereador de Natal e ex-deputado estadual e mais quatro pessoas foram condenadas por peculato, falsidade ideológica e associação criminosa

O ex-vereador de Natal e ex-deputado estadual Albert Dickson (PSDB) foi condenado a 21 anos de prisão por desvio de verba pública. A sentença foi proferida pelo juiz Raimundo Carlyle, da 4ª Vara Criminal da capital potiguar, nesta quarta-feira (29.nov.2023).

Além de Dickson, outras quatro pessoas foram condenadas no mesmo processo: o assessor parlamentar Paulo Henrique Barbosa Xavier, a contadora Aurenísia Celestino Figueiredo, o advogado Cid Celestino Figueiredo e o empresário Sidney Rodrigues dos Santos.

Os réus foram condenados por peculato (desvio de recursos públicos), uso de documentos públicos ideologicamente falsos e associação criminosa.

De acordo com a denúncia do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), Dickson desviou R$ 576.219,60 da verba de gabinete que recebia como vereador. O dinheiro foi usado para pagar despesas pessoais, como alimentação, viagens e até mesmo serviços de saúde.

Para ocultar o desvio, Dickson contratou os serviços fraudulentos da contadora Aurenísia. Ela disponibilizou suas empresas para o esquema e emitiu notas fiscais “frias” para justificar o uso dos recursos públicos.

O assessor parlamentar Paulo Henrique Barbosa Xavier também teve um papel importante no esquema. Ele era responsável por gerenciar os recursos da verba de gabinete e apresentar prestações de contas fraudadas.

O advogado Cid Celestino Figueiredo também foi condenado por participar do esquema. Ele emitiu cheques falsos para favorecer o desvio de recursos.

O empresário Sidney Rodrigues dos Santos também foi condenado, mas sua pena foi reduzida para quatro anos de reclusão, substituída por duas penas restritivas de direitos, consistentes na prestação de serviços à comunidade e na apresentação periódica ao juízo.

O juiz Raimundo Carlyle determinou ainda que os réus paguem R$ 576.219,60 de indenização ao Município de Natal.

Foto: João Gilberto/ALRN/Ilustração

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Assine nossa Newsletter

Neoenergia Cosern é criticada por quedas de energia no Réveillon Festival MADA 2023 terá o ‘Baile da Amada’ Cosern é condenada a indenizar cliente por cobrança indevida por falha em medidor Influencer trans Flávia Big Big morre vítima de câncer Ambulância das drogas: Motorista do SAMU preso usava o veículo para transportar e vender maconha e cocaína Prefeitura de Natal lança concurso para procurador Lei Seca: Idoso é preso pela terceira vez dirigindo bêbado em Natal PRF realizará leilão de veículos retidos no RN Concurso do TJRN tem mais de 54 mil inscrições Prefeito de São José do Campestre é morto a tiros em casa Governo do RN abre concurso para a Polícia Militar Bolsas da Capes e do CNPq: ministro afirma que reajustes devem ocorrer ainda este mês