Veterinário dá dicas para proteger pets de fogos de artifício

Veterinário dá dicas para proteger pets de fogos de artifício

Cães são os mais suscetíveis ao barulho

Com a chegada das festas de fim de ano, especialmente o Réveillon, muitas pessoas utilizam os fogos de artifício para celebrar e expressar sua alegria com a chegada de um novo ano. Apesar de ser uma tradição, este hábito afeta diretamente a saúde de animais de estimação e, segundo especialistas, precisa ser revisto.

De acordo com Johnatan Henrique dos Santos, tutor de Práticas Veterinárias do curso de Medicina Veterinária da UnP (Universidade Potiguar), integrante do maior e mais inovador ecossistema de qualidade do Brasil: o Ecossistema Ânima, o barulho é um agente causador de problemas.

Estudos apontam que os cães, por exemplo, conseguem ouvir frequências de até 40.000 Hz, enquanto os humanos têm a capacidade de captar frequências de até 20.000Hz. “Isso significa que, para esses animais, o ruído dos fogos é bem mais potente do que para nós. Se para algumas pessoas já é assustador uma frequência nessa intensidade, imagine com essa maior sensibilidade que é natural dos cães”, explica Johnatan.

Ainda de acordo com Santos, pets que possuem alguma comorbidade, como doenças cardíacas, estão mais suscetíveis. “Pacientes portadores de cardiopatias podem descompensar e vir a óbito por causa da crise de pânico”, frisa.

O médico veterinário ainda alerta que não existe um padrão na forma como esse barulho excessivo afeta os pets. “Isso varia de acordo com cada animal, idade e fatores pré-existentes que desencadeiam desde uma reação de fuga dentro de casa, até mesmo uma fuga para vias públicas, que pode acarretar em um acidente por atropelamento ou choque em muros, móveis e outras superfícies”, alerta o especialista.

Diminuindo o impacto dos fogos

Organizar um local seguro dentro de casa, onde o animal possa se refugiar; retirar móveis que possam servir de obstáculos e causar traumas em situações de fuga; ligar a TV ou rádio em volume moderado para abafar os ruídos; fechar portas e janelas para minimizar o barulho; e optar por fogos que não emitam sons estão entre as estratégias que os tutores podem adotar para diminuir o impacto dos fogos de artifício.

“No mercado, é possível adquirir algumas bandagens como a tellington touch que podem ajudar a acalmar os pets. O tutor pode colocar tampões nos ouvidos, como gaze ou algodão, para reduzir o volume do ruído e até se utilizar de calmantes naturais e fitoterápicos, como florais. Em caso de dúvidas, o tutor deve consultar o animal com o médico veterinário”, aconselha Johnatan Henrique dos Santos.

Foto: Freepik

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Neoenergia Cosern é criticada por quedas de energia no Réveillon Festival MADA 2023 terá o ‘Baile da Amada’ Cosern é condenada a indenizar cliente por cobrança indevida por falha em medidor Influencer trans Flávia Big Big morre vítima de câncer Ambulância das drogas: Motorista do SAMU preso usava o veículo para transportar e vender maconha e cocaína Prefeitura de Natal lança concurso para procurador Lei Seca: Idoso é preso pela terceira vez dirigindo bêbado em Natal PRF realizará leilão de veículos retidos no RN Concurso do TJRN tem mais de 54 mil inscrições Prefeito de São José do Campestre é morto a tiros em casa Governo do RN abre concurso para a Polícia Militar Bolsas da Capes e do CNPq: ministro afirma que reajustes devem ocorrer ainda este mês