Faceponto expande serviços que otimizam processos e permitem maior lucratividade

Faceponto expande serviços que otimizam processos e permitem maior lucratividade

Nos últimos anos, a empresa evoluiu a sua oferta de serviços e hoje almeja ser hub trabalhista para empresas e funcionários

Recentemente, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) apresentou o resultado de uma pesquisa sobre tecnologia nas empresas que mostrou a relação de crescimento com investimento. A equação mostrou que marcas que apostam em tecnologia, em um período de dois anos, com apenas 1% de investimento, conseguem uma média de 7% de lucro apurado.

Presença no mercado de tecnologia nacional e internacional, e especializada em oferecer soluções para a gestão de pessoas no ambiente corporativo, a Faceponto tem trabalhado com uma sólida estrutura tecnológica abrangente, que atua automatizando uma série de processos essenciais para as empresas. O que antes era um software para ponto eletrônico, atualmente tem se expandindo para oferecer aos cliente uma gama mais completa de serviços.

Essa ampliação e otimização dos serviços inclui a gestão de entrega de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), o manejo do módulo de Serviços Especializados em Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT), a assinatura digital de documentação de folha de pagamento, supervisão remota de colaboradores durante o horário de trabalho, entre outras funcionalidades essenciais para qualquer setor de Recursos Humanos.

De acordo com o CEO e um dos fundadores da Faceponto, Cássio Leandro, essas mudanças visam a melhor oferta de serviços aos clientes, bem como visam conquistar ainda mais espaço em mercados fora do estado e até do Brasil. “Tudo vem sendo feito com tecnologia própria e é fruto de muito trabalho. A Faceponto vem se estabelecendo como uma das principais plataformas de seu segmento, oferecendo uma gama de serviços cada vez maior aos usuários”, explica.

O realinhamento da proposta de valor da empresa resultou em um mix de serviços robusto, acelerando o processo que reconhece a Faceponto como um hub (ou centro de operações) do trabalhador. “Essa mudança já está sendo percebida pelos clientes, que se beneficiam dos novos recursos oferecidos e não pagam a mais por isso”, lembra Cássio.

O reposicionamento da empresa também está sendo refletido em seu branding, com um discurso alinhado e perceptível pelos investidores. Essa nova abordagem abriu portas para a participação em grandes eventos internacionais nos últimos anos, destacando a Faceponto como uma solução completa para o departamento pessoal de uma empresa pequena, média ou grande.

A Faceponto ainda visa oferecer redução de custos na gestão de equipes, independentemente do aporte do negócio, oferecendo ganhos para as empresas e funcionários.

Foto: Divulgação

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Neoenergia Cosern é criticada por quedas de energia no Réveillon Festival MADA 2023 terá o ‘Baile da Amada’ Cosern é condenada a indenizar cliente por cobrança indevida por falha em medidor Influencer trans Flávia Big Big morre vítima de câncer Ambulância das drogas: Motorista do SAMU preso usava o veículo para transportar e vender maconha e cocaína Prefeitura de Natal lança concurso para procurador Lei Seca: Idoso é preso pela terceira vez dirigindo bêbado em Natal PRF realizará leilão de veículos retidos no RN Concurso do TJRN tem mais de 54 mil inscrições Prefeito de São José do Campestre é morto a tiros em casa Governo do RN abre concurso para a Polícia Militar Bolsas da Capes e do CNPq: ministro afirma que reajustes devem ocorrer ainda este mês