Cães e gatos podem ter Covid-19, mas não transmitem a doença, indica pesquisa

Cães e gatos podem ter Covid-19, mas não transmitem a doença, indica pesquisa

De acordo com uma pesquisa realizada pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), apenas 11% dos cães e gatos que habitam casas de pessoas que tiveram Covid-19 apresentam o vírus nas vias aéreas. Esses animais, porém, não desenvolvem a doença. Segundo a pesquisa, os animais apresentam exames moleculares positivos para SARS-CoV-2, mas não têm sinais clínicos da doença.

De acordo com o médico veterinário Marconi Rodrigues de Farias, professor da Escola de Ciências da Vida da PUC-PR e um dos responsáveis pelo estudo, até o momento, foram avaliados 55 animais, sendo 45 cães e dez gatos. Os animais foram divididos em dois grupos: aqueles que tiveram contato com pessoas com diagnóstico de covid-19 e os que não tiveram.

A pesquisa tem o propósito de analisar se os animais que coabitam com pessoas com covid-19 têm sintomas respiratórios semelhantes aos dos tutores, se sentem dificuldade para respirar ou apresentam secreção nasal ou ocular.

Segundo o médico, foram feitos testes PCR, que são os testes moleculares, baseados na pesquisa do material genético do vírus (RNA) em amostras coletadas por swab (cotonete longo e estéril) da nasofaringe dos animais e também coletas de sangue, com o objetivo de ver se os cães e gatos domésticos tinham o vírus. “Eles pegam o vírus, mas este não replica nos cães e gatos. Eles não conseguem transmitir”, explicou Farias.

De acordo com o pesquisador, a possibilidade de cães e gatos transmitirem a doença é muito pequena. O estudo conclui ainda que em torno de 90% dos animais, mesmo tendo contato com pessoas positivadas, não têm o vírus nas vias aéreas.

Foto: Everson Bressan/SMCS

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.