Ex-marqueteiro do PT, publicitário Duda Mendonça morre aos 77 anos

Morreu nesta segunda-feira (16), aos 77 anos, o publicitário Duda Mendonça. Ele teve a carreira marcada por grandes trabalhos em eleições no Brasil, entre elas, a que elegeu o ex-presidente Lula (PT) em 2002. Coube a ele a criação do slogan “Lulinha, Paz e Amor”, que elegeu o petista naquele ano. Duda também trabalhou com nomes como Paulo Maluf, Miguel Arraes, Ciro Gomes, e Paulo Skaf.

O publicitário estava internado em São Paulo, no Hospital Sírio Libanês. Ele tratava um câncer no cérebro e fazia quimioterapia. Em junho, ele foi diagnosticado com a Covid-19, teve o quadro de saúde agravado e precisou ser intubado. O corpo de Duda será cremado, e os detalhes sobre o local estão sendo definidos pelos familiares.

José Eduardo Cavalcanti de Mendonça, o Duda, nasceu em 10 de agosto de 1944, em Salvador. O empresário era casado com Aline Mendonça, e deixa quatro filhos.

Escândalos de corrupção

No ano de 2005, o publicitário confessou à CPI dos Correios que recebeu R$ 10,5 milhões pela campanha à eleição de Lula de 2002 via caixa 2. Ele chegou a virar réu no processo do Mensalão, mas foi absolvido em 2012 pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Os ministros concluíram que Mendonça não teria como saber se era ilícita a origem de R$ 10,3 milhões que recebeu naquela campanha.

Já em 2016, Duda teve seu nome envolvido na Operação Lava Jato, sob suspeita de ter recebido R$ 10 milhões para o grupo político do presidente Michel Temer delatado por executivos da Odebrecht.

No ano seguinte, em 2017, seguiu o mesmo caminho de outros dois publicitários do PT, João Santana e Mônica Moura, e assinou um acordo de delação premiada com a Polícia Federal.

Foto: Celso Junior/Estadão Conteúdo/Arquivo