Arquidiocese de Natal estabelece ouvidoria para denúncias de abuso

Arquidiocese de Natal estabelece ouvidoria para denúncias de abuso

Nova medida visa proteger menores e adultos vulneráveis e segue diretrizes do Papa Francisco

A Arquidiocese de Natal tomou uma iniciativa para lidar com denúncias de abuso físico ou psicológico, direcionadas a menores de idade ou adultos vulneráveis. O novo arcebispo metropolitano de Natal, Dom João Santos Cardoso, assinou um decreto que estabelece uma ouvidoria dedicada a receber tais denúncias.

As normas de conduta foram publicadas na última sexta-feira (3.nov.2023), em conformidade com a Carta Apostólica “Vos estis lux mundi”, do Papa Francisco, que orienta as ações da Igreja no combate aos abusos sexuais.

A criação da ouvidoria ocorreu após uma reunião do arcebispo com a comissão arquidiocesana de tutela para menores e adultos vulneráveis, realizada na manhã da última quarta-feira (1º.nov). A Arquidiocese informou que o objetivo é prevenir e combater o fenômeno dos abusos sexuais no âmbito da Igreja.

O atendimento às denúncias será realizado no Centro Pastoral Pio X, localizado no subsolo da Catedral Metropolitana de Natal, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h. As denúncias podem ser enviadas para o e-mail [email protected] ou através do telefone (84) 98131-0883. O decreto estabelece que todas as acusações verbais devem ser acompanhadas por declarações escritas, contendo detalhes dos fatos e das pessoas envolvidas, e devem ser assinadas. Denúncias anônimas serão investigadas somente se acompanhadas de documentação que indique indícios verossímeis de comportamento delituoso.

O decreto, composto por 17 artigos, também estabelece regras para a proteção de menores de idade. É proibida a presença de menores desacompanhados de seus responsáveis em escritórios, casas paroquiais, secretarias paroquiais, veículos pertencentes à Arquidiocese de Natal ou em veículos pessoais que transportem clérigos e pessoas ligadas à Igreja. Além disso, atividades organizadas por entidades ligadas à Arquidiocese não poderão oferecer alojamento a menores desacompanhados pelos responsáveis, especialmente à noite e em casas particulares.

O documento também destaca a importância de realizar atendimentos a menores de idade, como o Sacramento da Reconciliação, em locais que garantam segurança e visibilidade, incluindo salas com portas ou janelas de vidro transparente e ambientes onde outras pessoas circulem, sempre respeitando o sigilo obrigatório e inviolável no caso do Sacramento.

Foto: Arquivo/POR DENTRO DO RN/Ilustração

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

MAIS LIDAS DO DIA

Casas Bahia abre vagas para PCD no Nordeste São João em Natal: Edição 2024 será mais modesta, diz prefeito Pesquisa Prefeitura de Natal 2024: Carlos Eduardo lidera levantamento do Instituto Seta MPRN recomenda que governo do RN não aumente salários nem faça concursos para evitar colapso fiscal Midway Mall comemora 19 anos com sorteio de três BYD zero quilômetro e desfile de moda Neoenergia Cosern é criticada por quedas de energia no Réveillon Festival MADA 2023 terá o ‘Baile da Amada’ Cosern é condenada a indenizar cliente por cobrança indevida por falha em medidor Influencer trans Flávia Big Big morre vítima de câncer Ambulância das drogas: Motorista do SAMU preso usava o veículo para transportar e vender maconha e cocaína Prefeitura de Natal lança concurso para procurador Lei Seca: Idoso é preso pela terceira vez dirigindo bêbado em Natal