Potiguar desenvolve pesquisa inédita sobre representatividade nordestina

Potiguar desenvolve pesquisa inédita sobre representatividade nordestina

“Meu Nordeste Todo” aponta caminhos para a criação de ações de publicidade

“Qual a percepção do Nordeste pelos próprios habitantes da região?” Para responder a essa pergunta, a pesquisadora potiguar Juliana Freitas desenvolveu um estudo inédito em parceria com a jornalista Thaís Ribeiro. “Meu Nordeste Todo” aponta caminhos para a criação de ações de publicidade e foi elaborado através da plataforma v-tracker, uma importante ferramenta de monitoramento de dados ou social listening.

Realizada nos dias dois e três de outubro com pessoas que declararam residir em um dos nove estados da região Nordeste (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Sergipe), a análise teve a participação de mais de 265 pessoas de todas as faixas etárias.

“Costumo dizer que o dado zero também é um dado. E na posição de profissional e pesquisadora de comunicação, eu procurei e não encontrei os dados do Nordeste sobre ele mesmo. Pode até existir muito conteúdo, mas raramente sobre o que ele pensa de si mesmo. O time v-tracker concordou em expandir a pesquisa por todo o Brasil e forneceu sua ferramenta v-ask para investigar, o que foi rico e proporcionou uma base para o lançamento do estudo”, declara Juliana Freitas.

O levantamento apresenta, além do perfil demográfico, percepções sobre a preservação e valorização da cultura nordestina, divulgação nos meios de comunicação, consumo de programação cultural e comentários negativos sobre a região.

“Por meio das informações coletadas, conseguimos comprovar que ‘A Invenção do Nordeste’ é real. Dentro da amostra de entrevistados, constatamos que nem tudo o que se fala sobre o Nordeste é verdadeiro e, como diz o historiador Durval Muniz de Albuquerque Jr., há uma construção de uma imagem da região que nem sempre corresponde à realidade. São anos de história e estereótipos. Contudo, o Nordeste atual é bem diferente. Enquanto o povo da região nordestina é frequentemente estereotipado como desaculturado, ignorante e carente de referências, ele, na verdade, consome e promove a cultura local. Cerca de 95% das pessoas participam de eventos culturais”, destaca a pesquisadora potiguar.

“Em outras palavras, há uma discrepância entre o que o Nordeste é e o que dizem sobre ele – pelo menos dentro de nossa amostra de 269 pessoas em 9 estados. O Brasil desconhece as diversas realidades existentes. E é crucial conhecê-las. E, acima de tudo, não se trata do Nordeste como um bloco homogêneo, mas sim do Nordeste composto por estados e dialetos diferentes, basicamente um mosaico. Que esta pesquisa possa abrir mentes, assim como abriu as nossas”, conclui a pesquisadora.

O estudo completo pode ser acessado de forma gratuita através do link: https://dataismo.com.br/

Sobre as autoras:

Juliana Freitas

Formada em Marketing, pós graduanda em Digital Business na USP/ESALQ. Trabalha no mercado e na academia de comunicação desde 2008. Tem passagem pela Artplan, Grupo Abril Digital e Accenture, atuando como Team Lead em projetos de consumo e e-commerce no Brasil e América do Sul. Selecionada no Programas Editoriais do LinkedIn (Linkedin Creators Editorial Program Set/23). Idealizadora e criadora de conteúdo no projeto de conteúdo Dataísmo – Histórias Guiadas por Dados, atualmente com mais de agora tem 25 mil visitas por mês, de acordo com o Similar Web (dados de outubro de 2023), e um dos 5 maiores portais sobre dados e consumo no Brasil (Similar Web, 2023). Já publicou o capítulo Brand awareness e monitoramento de redes sociais no livro do Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados (2017). Sobre cultura nordestina, escreveu “A presidência democrática em cordel: comunicações e representações” (2010) e “O sistema do cordel: a literatura da comunicação (2009)”, ambas monografias.

Thais Ribeiro

Jornalista e videomaker. Atualmente é Marketing na ferramenta de dados e pesquisas de mercado v-tracker e passagem também na ferramenta brasileira mLabs, além de experiência em redação na BKW. No seu portfólio, têm os estudos nas redes sociais sobre”A Pequena Sereia: live action”, “Racismo: Vini Jr.”, “Análise de Acidentes do Trabalho”.

Foto: Acervo pessoal

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Neoenergia Cosern é criticada por quedas de energia no Réveillon Festival MADA 2023 terá o ‘Baile da Amada’ Cosern é condenada a indenizar cliente por cobrança indevida por falha em medidor Influencer trans Flávia Big Big morre vítima de câncer Ambulância das drogas: Motorista do SAMU preso usava o veículo para transportar e vender maconha e cocaína Prefeitura de Natal lança concurso para procurador Lei Seca: Idoso é preso pela terceira vez dirigindo bêbado em Natal PRF realizará leilão de veículos retidos no RN Concurso do TJRN tem mais de 54 mil inscrições Prefeito de São José do Campestre é morto a tiros em casa Governo do RN abre concurso para a Polícia Militar Bolsas da Capes e do CNPq: ministro afirma que reajustes devem ocorrer ainda este mês