Reajuste de 3,62% para professores do RN é aprovado na Assembleia

Reajuste de 3,62% para professores do RN é aprovado na Assembleia

Governadora Fátima Bezerra sanciona lei nesta quarta-feira e reajuste será pago em abril

Os deputados estaduais do Rio Grande do Norte aprovaram por unanimidade, nesta terça-feira (2.abr.2024), o projeto de lei que reajusta os salários dos professores da rede estadual em 3,62%. O novo piso salarial nacional para 2024 é de R$ 4.580,57.

O reajuste deve beneficiar mais de 18,8 mil profissionais da ativa, aposentados e pensionistas. O pagamento do retroativo aos meses de janeiro, fevereiro e março ainda vai ser negociado entre o governo e a categoria. O estado ainda paga de forma parcelada os reajustes dos anos de 2022 e 2023.

Após a aprovação na Assembleia, o projeto seguiu para sanção da governadora Fátima Bezerra (PT), que confirmou nas redes sociais que a sanção ocorrerá nesta quarta-feira (3.abr). O reajuste será implementado na folha de salarial de abril.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (Sinte), os professores cujos rendimentos estavam abaixo do valor do piso no começo de 2024 já receberam o reajuste de 3,62% e o retroativo em março.

Foto: João Gilberto/ALRN/Ilustração

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Neoenergia Cosern é criticada por quedas de energia no Réveillon Festival MADA 2023 terá o ‘Baile da Amada’ Cosern é condenada a indenizar cliente por cobrança indevida por falha em medidor Influencer trans Flávia Big Big morre vítima de câncer Ambulância das drogas: Motorista do SAMU preso usava o veículo para transportar e vender maconha e cocaína Prefeitura de Natal lança concurso para procurador Lei Seca: Idoso é preso pela terceira vez dirigindo bêbado em Natal PRF realizará leilão de veículos retidos no RN Concurso do TJRN tem mais de 54 mil inscrições Prefeito de São José do Campestre é morto a tiros em casa Governo do RN abre concurso para a Polícia Militar Bolsas da Capes e do CNPq: ministro afirma que reajustes devem ocorrer ainda este mês