Chuvas causam destruição em diversos pontos de Natal

As chuvas que caem em Natal desde a noite do sábado (5.mar.2022) causaram destruição em diversos pontos da capital potiguar, como a abertura de cratera no bairro das Quintas, queda de árvores e muros, além de alagamento em diversos pontos da cidade.

De acordo com o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), alguns pontos chegaram a registrar o acúmulo de 256 milímetros de chuva em 24h.

Dados da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), através do monitoramento registrado no Campus Central da UFRN, apontam que Natal registrou 103 mm de chuvas. Segundo o órgão, também foram contabilizados 100 milímetros em Parnamirim (136 mm) e Extremoz (129 mm).

Cratera se abriu no bairro das Quintas

Uma cratera se abriu na Rua Mário Negócio, no bairro das Quintas. O local é um dos principais corredores para a zona Norte da capital. O chão cedeu no trecho próximo à LIGA Norte Rio-grandense contra o Câncer durante à madrugada. O local está interditado, e o transporte público segue operando com desvio de rota. Não há informações de feridos.

Parte do muro do colégio Marista caiu

Parte do muro do colégio Marista, no centro da Cidade, não resistiu a chuva e cedeu. O acidente aconteceu próximo a esquina entre as ruas Ceará-Mirim e José de Alencar. Uma van que estava estacionada no local foi atingida, e a região ficou suja de lama. Não houve feridos.

Hospital Santa Catarina alagado

Imagens divulgadas nas redes sociais mostram que os corredores do Hospital Dr. José Pedro Bezerra (Hospital Santa Catarina), na zona Norte, foram alagados após as fortes chuvas que caíram ao longo da madrugada.

Por meio de nota, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap-RN) afirmou que a água das ruas no entorno do hospital desaguou na entrada da unidade, alagando os corredores, estacionamento e parte das instalações. A pasta esclareceu que, “imediatamente as equipes de manutenção e de limpeza foram acionadas, contornando a situação sem prejuízo aos pacientes“, diz a nota.

Ainda segundo a Sesap-RN, “o hospital foi construído, há 38 anos, numa parte baixa do bairro, sem escoamento. E, no decorrer dos anos, já foram feitas várias intervenções para minimizar o peso da água sobre o HJPB. Ações como: elevação dos níveis dos portões da recepção e da entrada das duas guaritas, barreiras de terra ao redor dos muros, entre outras intervenções. No entanto, quando a chuva é forte e duradora ocorre situações como a desta madrugada“, complementa.

Fotos: Divulgação/Reprodução/Facebook – Veridiano Leocádio

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.