Tag Operação Dízimo - Por dentro do RN

Operação Dízimo

Operação Dízimo: Rhalessa de Clênio e Professor Ítalo obtêm vitória no TRE e continuam com mandatos

Operação Dízimo: Rhalessa de Clênio e Professor Ítalo obtêm vitória no TRE e continuam com mandatos

A Operação Dízimo foi deflagrada pelo Ministério Público Federal no dia 18 de junho de 2021, com o objetivo de investigar supostos crimes de falsidade ideológica eleitoral, lavagem de dinheiro, peculato e associação criminosa em Parnamirim

Por maioria de votos, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte concedeu a segurança pedida pelos vereadores de Parnamirim Professor Ítalo e Rhalessa de Clênio, em mandados de segurança julgados nesta terça-feira (5). A medida anulou uma decisão judicial que suspendeu os mandatos dos dois na Câmara Municipal.

Os vereadores são investigados pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte dentro da Operação Dízimo, que apura supostos crimes de falsidade ideológica eleitoral, lavagem de dinheiro, peculato e associação criminosa. Eles chegaram a ser presos, foram liberados, mas se tornaram réus na Justiça.

O Juiz da 1ª Zona Eleitoral de Natal, Kennedi de Oliveira Braga, suspendeu os mandatos afirmando que, por exercerem função de poder no município, os vereadores poderiam influenciar servidores da Câmara Municipal e cidadãos, interferindo nas investigações.

Porém, o retorno aos mandatos foi deferido em decisão liminar pela juíza Adriana Magalhães, relatora dos Mandados de Segurança movidos pelos parlamentares no TRE. A magistrada entendeu que a decisão da primeira instância foi tomada sem “concretude fática”, resultando em afronta ao princípio da proporcionalidade.

No dia 28 de setembro, o colegiado do TRE-RN iniciou o julgamento dos mandados de segurança. A relatora foi acompanhada pelos juízes Geraldo da Mota e Fernando Jales, mas houve divergência do desembargador Cláudio Santos e dos juízes José Carlos Dantas e Érika Paiva, que eram favoráveis ao afastamento dos parlamentares.

Com os empates, o presidente da corte, desembargador Gilson Barbosa, pediu vista dos processos para dar os votos de desempate. Na sessão desta terça-feira (5), o magistrado votou em consonância com a relatora, concedendo a segurança requerida pelos parlamentares municipais.

“Penso ser este o melhor caminho, eis que a determinação de afastamento de representante eleito pela vontade popular é extrema, cuja decisão deve ser fundamentada em fatos concretos e graves o suficiente para justificar a aplicação da medida”, destacou.

Sobre a Operação Dízimo

A Operação Dízimo foi deflagrada pelo Ministério Público Federal no dia 18 de junho de 2021, com o objetivo de investigar supostos crimes de falsidade ideológica eleitoral, lavagem de dinheiro, peculato e associação criminosa em Parnamirim. A Operação Dízimo cumpriu mandados de prisão temporária e de busca e apreensão, alguns deles em endereços ligados aos vereadores Professor Ítalo e  Rhalessa de Clênio.

Foto: Reprodução

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Operação Dízimo

Operação Dízimo: vereadores Professor Ítalo e Rhalessa de Clênio reassumem mandatos

Após 30 dias de afastamento pela Operação Dízimo, vereadores Professor Ítalo e Rhalessa de Clênio foram reconduzidos aos cargos pelo presidente da Câmara de Parnamirim, o vereador Wolney França.

Os vereadores Professor Ítalo (PSD) e Rhalessa de Clênio (PTB) foram convocados pela Câmara Municipal de Parnamirim para reassumirem seus mandatos. Eles estavam afastados desde o dia 18 de junho, por ordem da Justiça, quando foram presos na Operação Dízimo. O retorno aos mandatos dos vereadores foi determinado hoje (19) pelo presidente da Câmara, vereador Wolney França (PSC), em ato publicado no Diário Oficial do Município.

Ítalo e Rhalessa foram presos e liberados no dia seguinte, após serem beneficiados com um habeas corpus; mas precisaram ficar afastados dos mandatos por um mês. Deflagrada no dia 18 de junho pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte, a Operação Dízimo tem como objetivo investigar supostos crimes de falsidade ideológica eleitoral, lavagem de dinheiro, peculato e associação criminosa em Parnamirim.

Foto: Divulgação/Câmara Municipal de Parnamirim

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Professor Ítalo Siqueira

Parnamirim: vereador professor Ítalo Siqueira emite nota

Alvo da Operação Dízimo, do Ministério Público, o vereador de Professor Ítalo Siqueira também emitiu uma nota de esclarecimento sobre os fatos. Ítalo é vereador no município de Parnamirim. Ele foi preso na manhã de ontem (18).

A Operação tem como objetivo investigar o cometimento dos crimes de falsidade ideológica eleitoral, lavagem de dinheiro, peculato e associação criminosa.

Leia a nota abaixo:

Nota oficial do vereador Professor Ítalo Siqueira

A justiça concedeu, em menos de 24 horas, a liberdade do vereador de Parnamirim, Professor Ítalo Siqueira, por entender que não houve motivo para decretar tão severa punição ao processo de investigação.

A trajetória do Professor Ítalo sempre foi pautada na ética, no compromisso com as pessoas e com a verdade, condições reafirmadas neste momento com transparência para todos.

A defesa do Professor Ítalo reitera que não há ato ilícito praticado pelo parlamentar, ao mesmo tempo em que reafirma confiar na justiça e no esclarecimento dos fatos.

Todos os detalhes que o envolveram nesta operação serão esclarecidos para a grande mídia, para que todos continuem acreditando e sendo testemunhas do trabalho realizado; sempre acreditando em Deus, na Justiça e no trabalho.

Assessoria do vereador Ítalo Siqueira

Foto: Reprodução/Instagram

Professor Ítalo e Rhalessa de Clênio

Vereadores Professor Ítalo e Rhalessa de Clênio estão entre os presos em Parnamirim

Parlamentares ‘Professor Ítalo‘ e ‘Rhalessa de Clênio’ foram presos na manhão desta sexta-feira, 18 de junho.

O Ministério Público do Rio Grande do Norte pediu para que a Justiça potiguar expedisse mandados de prisão, busca e apreensão em endereços vinculados ao Professor Ítalo, à vereadora Rhalessa de Clênio e ao ex-vereador Pastor Alex. O pedido foi atendido e a prisão ocorreu na manhã desta sexta-feira (18).

Conforme veiculado por este portal, a Operação Dízimo foi deflagrada com o objetivo de investigar crimes de falsidade ideológica eleitoral, lavagem de dinheiro, peculato e associação criminosa em Parnamirim. Participam da Operação Dízimo um total de 15 promotores de justiça, 17 servidores do Ministério Público e 68 policiais militares.

Operação Dízimo

Operação Dízimo investiga falsidade ideológica eleitoral, lavagem de dinheiro e outros crimes em Parnamirim

Operação Dízimo: foi deflagrada na manha desta sexta-feira (18) uma operação do Ministério Público Eleitoral que visa investigar supostos crimes de falsidade ideológica eleitoral, lavagem de dinheiro, peculato e associação criminosa em Parnamirim, município da grande Natal. Denominada “Operação Dízimo”, a ação está cumprindo mandados de prisão temporária e de busca e apreensão no município.

De acordo com o MP, as identidades e cargos dos presos e investigados não foram divulgados pois os mandados ainda estão sendo cumpridos. A ação conta com a participação de 15 promotores de Justiça, 17 servidores do MP e 68 policiais militares.

Foto: Reprodução

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Morre Marília Mendonça após acidente aéreo; veja fotos CINCO deputados do RN votam pelo furo do teto de gastos Após rompimento de parceria com o Flow Podcast, hackers invadem iFood, trocam nome de restaurantes e dão apoio a Bolsonaro Azul mira compra da Latam Airlines e visa à criação de gigante sul-americana Homem se dá mal após tentar jogar drogas pela janela em Mossoró Adolescente de 16 anos é suspeito de matar os próprios irmãos, de 2 e 4 anos, no Rio de Janeiro Preço da gasolina sobe 47% em 2021 e já custa R$ 7,29 em Natal após novo reajuste Cidade faz ‘recall’ de vacinação após enfermeira da Cruz Vermelha injetar água e sal na população Mulher dá à luz dentro de elevador de condomínio na Grande Natal Operação Falsos Heróis: Polícia Federal deflagra 2ª fase de operação contra contrabando de cigarros; um policial foi preso e outro afastado Vulcão Cumbre Vieja em La Palma não dá sinais de abrandamento Cocaína no Ceará tem tudo, menos o princípio ativo da droga