Tag Marcelo Queiroga - Por dentro do RN

Marcelo Queiroga

Ministro da Saúde diz que governo trabalha para que pais vacinem seus filhos

Ministro da Saúde diz que governo trabalha para que pais vacinem seus filhos

Segundo o ministro da Saúde, o governo federal vem se empenhando para garantir que os pais optem pela vacinação de seus filhos e filhas.

Cinquenta e cinco dias após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ter aprovado a primeira vacina de uso infantil contra o novo coronavírus, o percentual de crianças de 5 a 11 anos que tomaram a primeira dose de imunizantes contra a covid-19 não passa de 15%.

O resultado foi informado pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, na manhã do último dia 8 de fevereiro. Segundo ele, o governo federal vem se empenhando não só para garantir que as vacinas cheguem a estados e municípios, mas também para tranquilizar os pais a respeito da eficácia e da segurança dos medicamentos.

“O ministério tem trabalhando fortemente para levar vacinas para o povo brasileiro […] para que os pais possam exercer o direito de vacinar seus filhos e o direito das crianças de serem vacinadas”, disse Queiroga a jornalistas.

Para o ministro da Saúde, é natural que a imunização de crianças não avance na mesma velocidade que a de adultos. “Vacinar uma criança, não é como vacinar um adulto. Às vezes, você tem que convencê-las. Ninguém vai pegar uma criança à força e vaciná-la com ela chorando”. Irritado com perguntas que sugeriam que o ministério retardou o início da vacinação infantil ao realizar consulta e audiência públicas, Queiroga cobrou mais empenho por parte dos estados e municípios.

“A posição do governo [federal] foi clara no sentido de ofertar as vacinas, que estão disponíveis”, disse o ministro. “E o ritmo heterogêneo [da aplicação dos imunizantes] mostra que é necessário haver o empenho de estados e municípios”, comentou Queiroga, citando, como exemplo, o caso do estado de São Paulo, onde 50% das crianças de 5 a 11 anos já tomaram a primeira dose da vacina.

Perguntado sobre o temor de alguns pais, Queiroga disse que seria preciso ouvi-los para entender o porquê da resistência em levar os filhos para serem imunizados, conforme recomendam as autoridades sanitárias e as entidades médicas.

“Temos procurado fazer a nossa parte, esclarecendo a população acerca de todas as implicações relativas à vacinação em todas as faixas etárias, acompanhando eventos adversos”, acrescentou o ministro. Ele não detalhou a que eventos adversos se referia.

Com informações da Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério da Saúde afirma que vacina pediátrica da Pfizer será 'prontamente distribuída' aos estados

Ministério da Saúde afirma que vacina pediátrica da Pfizer será ‘prontamente distribuída’ aos estados

A previsão é de que o primeiro lote da vacina pediátrica da Pfizer chegue nesta quinta-feira (13.jan.2022) e já seja distribuída aos estados.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta terça-feira (11.jan.2022) que as vacinas conta a covid-19 voltadas ao público infantil serão “prontamente distribuídas aos estados”, assim que chegarem ao país. A previsão é de que o primeiro lote chegue nesta quinta-feira (13.jan.2022).

Ontem (10), o ministro anunciou que a empresa Pfizer antecipará a entrega de 600 mil, das 4,3 milhões de doses da vacina pediátrica contra a covid-19. Hoje, ao chegar no ministério, Queiroga disse que “a primeira remessa de doses da indústria farmacêutica chegará dia 13 e será prontamente distribuída aos estados, para que possam fazer a distribuição para os municípios”; e que a vacina pediátrica desenvolvida pela Pfizer estará disponível para “os pais que desejarem vacinar seus filhos”.

Segundo o ministro, “com a capacidade do nosso sistema de saúde, em breve vamos liderar o ranking desse tipo de vacinação, como estamos liderando a vacina de forma geral”.

Perguntado sobre a possibilidade de uso também da vacina CoronaVac para crianças e adolescentes com idade entre 3 e 17 anos, o ministro disse que isso depende da aprovação da vacina pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A agência já está analisando o pedido feito pelo Instituto Butantan, que é fabricante da CoronaVac no Brasil. “Todas as vacinas aprovadas pela Anvisa podem ser consideradas para o plano de vacinação nacional contra a covid-19”, garantiu o ministro.

Queiroga reiterou a expectativa de que o impacto da variante Ômicron no sistema de saúde não seja relevante. “A expectativa é que não haja impacto em hospitalização e óbitos porque nossos grandes centros urbanos já estão vacinados”, disse o ministro da Saúde.

“Temos distribuído vacinas para estados. É fundamental que sejam aplicadas na população”, acrescentou ao lembrar que a aquisição de testes “não é responsabilidade apenas do ministério”, explicou o ministro.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Pfizer vai antecipar 600 mil doses da vacina contra a covid-19 para crianças

Pfizer vai antecipar 600 mil doses da vacina contra a covid-19 para crianças

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta segunda-feira (10.jan.2022) ter conseguido antecipar 600 mil doses da vacina da Pfizer contra a covid-19 para crianças. Ao defender a forma como o governo tem conduzido o combate à pandemia, Queiroga disse que a fabricação ou a importação de doses de vacina só podem ser feitas após a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Caso contrário, a situação configuraria crime sanitário, disse o ministro.

“Conseguimos antecipar com a Pfizer mais 600 mil doses da vacina para crianças agora no mês de janeiro. Então serão 4,3 milhões de doses de vacina”, informou Queiroga nesta manhã ao passar pela portaria do ministério.

Segundo ele, o trâmite para aquisição e distribuição de vacinas no país é satisfatório, se comparado a outros países. “A indústria farmacêutica só pode deflagrar produção de doses após o aval da agência regulatória [Anvisa]. Então doses não aprovadas pela agência regulatória não podem adentrar no país, sob pena de caracterizar até mesmo crime sanitário”, argumentou o ministro.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Paul Hennessy / SOPA Images/Sipa USA

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério da Saúde detalha vacinação contra a covid-19 para crianças de 5 a 11 anos; prescrição médica está dispensada

Ministério da Saúde detalha vacinação contra a covid-19 para crianças de 5 a 11 anos; prescrição médica está dispensada

O ministério da Saúde divulgou as regras para a vacinação das crianças de 5 a 11 anos. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (5.jan.2022). A pasta dispensou a obrigatoriedade de prescrição médica para a imunização dessa faixa etária. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem cerca de 20,5 milhões de crianças entre 5 e 11 anos.

De acordo com ministério da Saúde, a vacinação se dará da seguinte maneira:

  • a vacinação será feita em ordem decrescente de idade (das crianças mais velhas para as mais novas), com prioridade para quem tem comorbidade ou deficiência permanente;
  • a autorização por escrito só será necessária se não houver pai, mãe ou responsável presente no momento em que a criança for vacinada;
  • o Ministério da Saúde orienta que os pais “procurem a recomendação prévia de um médico antes da imunização” – mas não exigirá prescrição médica para aplicar a vacina;
  • a primeira e a segunda dose serão aplicadas com intervalo de oito semanas.

O responsável pela pasta, Marcelo Queiroga, afirmou que a vacina é segura e falou sobre a eficácia da vacina pediátrica da Pfizer. O imunizante é aplicado em dose menor que a dos adultos. Segundo Queiroga, a vacina já foi testada por agências internacionais.

“Isso foi testado através de ensaios clínicos e já logrou aprovação em agências sanitárias respeitáveis, a exemplo do FDA [agência dos Estados Unidos], da Agência Europeia de Medicamentos, e agora teve o aval da Anvisa. Portanto, a Anvisa atestou a segurança regulatória”, afirmou o ministro.

Foto: Reprodução/Sumaia Villela/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério da Saúde já confirmou cinco casos da variante Ômicron no Brasil

Ministério da Saúde já confirmou cinco casos da variante Ômicron no Brasil

O Ministério da Saúde (MS) já confirmou cinco casos da variante Ômicron no Brasil: três estão em São Paulo e dois no Distrito Federal. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (2.dez.2021) pela pasta, que informou que se tratam de quatro homens e uma mulher, todos vacinados contra a covid-19. Segundo o MS, eles estão isolados e pelo menos um apresenta sintomas leves. A maioria está assintomática.

O MS informou ainda que investiga mais oito casos suspeitos da variante Ômicron no Brasil, sendo um em Minas Gerais, um no Rio de Janeiro e seis no Distrito Federal.

Em nota, o ministro Marcelo Queiroga informou que a pasta está atenta a situação: “Hoje, temos uma situação sanitária bem mais equilibrada, mas lidamos com a imprevisibilidade biológica desse vírus, que sofre mutações. A vigilância em saúde está atenta e atuante pra que essas variantes sejam identificadas e pra que se avalie o potencial dessa variante complicar o cenário pandêmico”, afirmou.

Foto: NIAID

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministro da Saúde reconhece seriedade da variante Ômicron e pede que brasileiros mantenham cuidados

Ministro da Saúde reconhece seriedade da variante Ômicron e pede que brasileiros mantenham cuidados

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, reafirmou no último domingo (28.nov.2021) que a principal arma contra a covid-19 é a vacinação. Mais cedo, o ministro realizou uma transmissão ao vivo nas redes sociais durante reunião de trabalho sobre a variante Ômicron do novo coronavírus.

Segundo Queiroga, o cenário epidemiológico no Brasil é de maior tranquilidade em função da campanha de vacinação. Até o momento, foram distribuídas aos estados 372 milhões de doses, sendo que 308 milhões já foram aplicadas na população. “Gostaria de tranquilizar todos os brasileiros, porque os cuidados com essa variante são os mesmos cuidados com as outras variantes. A principal arma que nós temos para enfrentar essas situações é a nossa campanha de imunização”, afirmou.

De acordo com o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, as medidas de proteção contra a covid-19 devem ser mantidas. “É extremamente importante que mantenhamos foco na campanha de vacinação e que mantenhamos as medidas chamadas não farmacológicas [uso de máscaras], evitarmos aglomerações públicas, higienização das mãos, álcool em gel e etiqueta respiratória”, disse.

Na semana passada, o surgimento de uma variante do novo coronavírus foi confirmado em regiões da África. Batizada de variante Ômicron – letra grega correspondente à letra “o” do alfabeto -, a cepa B.1.1.529 foi identificada em Botsuana, país vizinho à África do Sul, em meados de novembro.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a variante pode se tornar responsável pela maior parte de novos registros de infecção pelo novo coronavírus em províncias sul-africanas.

No Brasil, ainda não foi registrado nenhum caso da variante Ômicron. Por medida de precaução, a partir de amanhã (29), o governo federal decidiu restringir e entrada de passageiros oriundos da África do Sul, Botsuana, Lesoto, Namíbia, Zimbábue, Eswatini (ex-Suazilândia), Angola, Malawi, Moçambique e Zâmbia.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério da Saúde anuncia segunda dose para quem se imunizou com Janssen

Ministério da Saúde anuncia segunda dose para quem se imunizou com Janssen

As pessoas que tomaram a vacina da Janssen, da farmacêutica Johnson & Johnson, precisarão tomar uma segunda dose do imunizante. O anúncio foi feito nesta terça-feira (16.nov.2021) pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Segundo Queiroga, a aplicação deverá ser feita dois meses após a primeira dose e o reforço para as pessoas que já tomaram o imunizante será feito cinco meses após o esquema vacinal completo.

Ainda de acordo com Queiroga, a quantidade de vacinas da Janssen aplicadas no Brasil foi pequena e há imunizantes suficientes para a segunda dose de todos. “No início, a recomendação era que essa vacina fosse de dose única. Hoje, nós sabemos que é necessária essa proteção adicional. Esses que tomaram a vacina da Janssen vão tomar a segunda dose do mesmo imunizante. “Lá na frente, a sequência é: completou 5 meses da segunda dose, receberá uma dose de reforço, preferencialmente, com a vacina diferente, uma vacinação heteróloga”, explicou o ministro.

Foto: Reprodução/Miva Filho

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

SOS de Ponta Ministério da Saúde anuncia investimento de R$ 14 milhões para qualificar atendimentos de urgência

SOS de Ponta: Ministério da Saúde anuncia investimento de R$ 14 milhões para qualificar atendimentos de urgência

O Ministério da Saúde anunciou hoje (18.out.2021) o investimento de R$ 14 milhões na criação de 10 mil vagas para o Programa SOS de Ponta. De acordo com a pasta, o investimento será para à qualificação de profissionais da saúde para realizarem atendimentos de urgência e emergência em suas unidades de saúde.

“Vivemos hoje situação de emergência na saúde pública internacional. Nosso país teve mais de 600 mil óbitos decorrentes da covid-19. A grande lição dessa pandemia é o fortalecimento do sistema de saúde no Brasil”, disse o ministro Marcelo Queiroga durante a cerimônia de lançamento do Programa.

Na avaliação de Queiroga, o sistema de saúde tem, atualmente, “posição confortável” para atender aqueles que, com síndrome respiratória grave, necessitam de unidades de terapia intensiva (UTIs). “Hoje trazemos essa ação SOS de Ponta porque sabemos que, nas urgências e emergências, é que existe o risco maior de morte, e precisamos qualificar melhor aqueles que estão na ponta para atende a essas situações”, considera o ministro.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministro da Saúde faz gestos obscenos a manifestantes em Nova York

Ministro da Saúde faz gestos obscenos a manifestantes em Nova York

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, fez gestos obscenos a manifestantes contrários ao governo federal em Nova York, nos Estados Unidos. O vídeo viralizou nas redes sociais. Na ocasião, Queiroga passa dentro de uma van pelos manifestantes que criticam o governo, e faz gestos obscenos, estirando os dedos médios das mãos em direção a eles.

O caso aconteceu nesta segunda-feira (20), véspera do início da participação da comitiva brasileira na 76ª Assembleia Geral da ONU, que ocorre nos EUA. No vídeo, os manifestantes protestam contra os integrantes do governo, os chamando de “vermes”, “entreguistas” e afirmando que “estão vendendo o Brasil”.

Foto: Reprodução/Twitter

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

'O senhor precisa se vacinar', diz ministro da Saúde a Bolsonaro

‘O senhor precisa se vacinar’, diz Marcelo Queiroga a Bolsonaro

Durante live na última quinta-feira (16), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, cobrou que o presidente Jair Bolsonaro se vacine contra a Covid-19. A live era transmitida pelas redes sociais, e, na ocasião, Bolsonaro falava que tem uma boa imunidade contra o vírus causador da doença. Mesmo assim, ele ouviu de Queiroga que não pode dispensar a vacinação.

“O senhor precisa se vacinar”, disse o ministro. Queiroga explicou que a imunização é necessária para que o presidente amplie a quantidade de anticorpos neutralizantes, capazes de impedir a entrada do vírus nas células e gerar mais proteção ao organismo.

Ainda assim, o ministro deixou a decisão para Bolsonaro. “O presidente defende a autonomia do médico. Eu não sou o médico dele, mas eu defendo que o presidente deve tomar a decisão na hora certa. Ele diz que e imorrível. Não sei se é invacinável. Mas aí vou falar com a dona Michelle (Bolsonaro)”, complementou.

Foto: Myke Sena/MS

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministério da Saúde anuncia ampliação do Programa Saúde na Hora

Ministério da Saúde anuncia ampliação do Programa Saúde na Hora e Unidades de Saúde terão horário de funcionamento estendido

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou no último sábado (28) a ampliação do Programa Saúde na Hora, que viabiliza o custeio aos municípios e Distrito Federal para a implantação do horário estendido de funcionamento das Unidades de Saúde da Família (USF) e Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Segundo a pasta, mais 373 unidades de saúde em 211 municípios brasileiros poderão funcionar com horário estendido. As unidades de saúde habilitadas vão receber, até dezembro de 2022, mais de R$ 110 milhões para garantir atendimento à população durante um período maior.

O anúncio foi feito sábado (28) pelo ministro Queiroga e pelo secretário de Atenção Primária da pasta, Raphael Câmara, ao participarem da inauguração da Unidade Básica de Saúde Bairro Floresta, em Gramado, no Rio Grande do Sul. O local recebeu R$ 408 mil de recursos federais.

“Temos apoiado fortemente a atenção primária. Eu sou cardiologista e especialista em cateterismo cardíaco. Portanto, sou um médico que atua na atenção especializada à saúde. Mas não vai ser implantando stents que nós vamos mudar os indicadores de saúde pública que nós precisamos”, disse Queiroga.

O Programa Saúde na Hora amplia o horário de atendimento nas Unidades de Saúde da Família e Unidades Básicas de Saúde durante a noite, horário de almoço e fim de semana. O objetivo é aumentar o acesso aos serviços de saúde em horários mais flexíveis.

Com informações da Agência Brasil

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Queiroga critica exigência de passaporte sanitário para comprovar vacinação

Queiroga critica exigência de passaporte sanitário para comprovar vacinação

Na avaliação do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a exigência de passaporte sanitário que comprove a imunização contra Covid-19 para que pessoas possam acessar determinados eventos ou locais ‘é descabida’. Para Queiroga, o mais importante é garantir a vacinação das pessoas, como vem fazendo o governo federal.

“A Constituição, no artigo 5°, tem como princípio fundamental a liberdade. A vacinação é uma política do governo federal que visa combater o caráter pandêmico da Covid-19. Agora mesmo, nós temos a vacina na primeira dose e na segunda dose. Então eles têm a vacina completa. E aí resolvemos fazer um reforço. Qual é o passaporte? Eu acho uma exigência descabida, na minha opinião. Totalmente descabida”, afirmou o ministro.

As declarações foram dadas durante visita do ministro com o presidente da República da Guiné-Bissau, general Umaro Sissoco Embalô, a uma clínica que trata doentes renais, no Rio de Janeiro. A declaração foi dada na saída do local a jornalistas. Segundo o ministro, o importante é haver protocolos de segurança para a população e realizar campanhas de vacinação.

“Agora no mês de agosto serão distribuídas 80 milhões de doses. No mês de setembro, no mínimo, 60 milhões de doses. No mês de setembro receberemos 50 milhões de doses da vacina Pfizer. Mais de 220 milhões de doses distribuídas à nossa população. Queda de 60% dos casos em dois meses. Queda de 58% dos óbitos em dois meses. Por que nós conseguimos isso? Porque nós atuamos de maneira conjunta com estados e municípios. De tal maneira que essas medidas pontuais que municípios lançam pouco ajudam ao enfrentamento à pandemia da Covid-19”, considerou Queiroga.

Perguntado como fazer para incentivar a população a se vacinar, Queiroga respondeu que uma das formas é aumentar a informação e não através de exigências de um passaporte sanitário.

“A população brasileira quer se vacinar. Uma das maneiras é a imprensa nos ajudar, como tem feito, informando bem a população. Passaporte não ajuda em nada. Tudo que é imposição, que é lei, o Brasil já tem um regulamento sanitário que é um dos mais avançados do mundo. Se você começar a restringir a liberdade das pessoas exigindo passaporte, carimbo, querer impor por lei uso de máscara, para estar multando as pessoas, indústria de multas, nós somos contra isso”, afirmou.

Segundo o ministro, o povo é livre e as pessoas devem fazer as coisas de acordo com sua consciência.

“Eu uso a máscara porque entendo que é importante, não é porque tem uma lei que se você não usar máscara vai lhe multar. A gente tem trabalhado fortemente para que as medidas não-farmacológicas sejam adotadas. Mas o principal aliado para por fim à pandemia é a vacinação. Não tem dúvida disso”, finalizou Queiroga.

Durante a visita, o ministro ofereceu apoio à Guiné-Bissau para implantar por lá a assistência para doentes renais crônicos com equipes, equipamentos e a expertise do SUS.

Com informações da Agência Brasil


Foto: Reprodução

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Primeira dose da Vacina

Primeira dose da vacina já foi aplicada em 70% da população adulta, diz Marcelo Queiroga

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, informou ontem (11) que mais de 70% da população maior de 18 anos recebeu a primeira dose da vacina.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, informou ontem (11) que mais de 70% da população com mais de 18 anos recebeu a primeira dose da vacina contra a Covid-19 no Brasil. No caso da segunda dose, a aplicação foi feita em mais 30% dos brasileiros com idades acima dos 18 anos.

A confirmação de Queiroga ocorreu durante cerimônia de inauguração de uma Unidade Básica de Saúde na região do Paranoá, no Distrito Federal. Segundo o ministro, o Brasil está próximo de chegar à distribuição de mais de 200 milhões de doses de vacinas. O ministro ressaltou que os efeitos positivos já estão sendo sentidos. No mês de julho, continuou, mais de 30% dos municípios do país não registraram óbitos em decorrência da campanha de imunização.

Foto: Amanda Perobelli/Reuters

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Segunda Dose

Ministro da Saúde faz novo apelo para que brasileiros se imunizem com a segunda dose

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, fez um novo apelo nesta terça-feira (3) para que os brasileiros se imunizem com a segunda dose das vacinas, como forma de garantirem proteção efetiva, inclusive contra o avanço da variante delta da Covid-19. O ministro participou do balanço da ação de vacinação em massa contra a doença, no Complexo da Maré, zona norte do Rio de Janeiro.

“Sistemas de saúde mais consolidados do que o nosso, a exemplo do inglês, não conseguiram conter a propagação comunitária da variante delta. Os Estados Unidos também enfrentam o problema. Nós estamos assistindo, e isso acontece sobretudo com aqueles que não estão vacinados. As nossas vacinas funcionam contra essa variante. Aproveito para lembrar às pessoas que ainda não tomaram a segunda dose que voltem às unidades básicas de saúde. Para ter a proteção, é necessário [tomar] as duas doses”, disse Queiroga.

Foto: Ilustração/Prefeitura de Uberlândia

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Ministro da Saúde promete 100 milhões de doses

Ministro da Saúde promete 100 milhões de doses até agosto

Em reunião virtual com governadores nesta terça-feira (13), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que no mês de julho o Brasil receberá cerca de 41 milhões de doses e, em agosto, a previsão é de 60 milhões. Segundo Queiroga, os imunizantes serão distribuídas de forma igualitária aos Estados. “Até setembro, iremos vacinar toda população maior de 18 anos”, garantiu o ministro.

O anúncio foi feito pelas redes sociais logo após a reunião. No encontro, os governadores pediram o cronograma de vacinação e pleito para a antecipação da segunda dose. Pelo Twitter, Queiroga reforçou que trabalho conjunto e políticas públicas alinhadas são fundamentais para colocarmos fim à pandemia no País. “Com apoio de todos, iremos potencializar ainda mais o andamento da vacinação no Brasil. É o que precisamos agora: prosseguir com a vacinação e retorno seguro às atividades para não retrocedermos”, declarou o ministro.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Fátima BEzerra 3

Fátima Bezerra pede agilidade ao ministro da Saúde no envio de doses de vacinas para o RN

Em reunião do Fórum de Governadores do Brasil, nesta terça-feira (13), Fátima Bezerra solicitou a Marcelo Queiroga calendário com data de entrega e quantidade de vacinas.

Durante a reunião realizada no Fórum de Governadores do Brasil, a governadora Fátima Bezerra cobrou ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a necessidade de se definir e cumprir um calendário semanal para a entrega dos imunizantes ao Rio Grande do Norte.

O pedido da governadora se deu devido à necessidade dos estados e municípios honrarem os compromissos e cumprirem as regras do Programa Nacional de Imunização, cujo objetivo é vacinar as pessoas maiores de 18 anos até o mês de setembro. “Solicitamos um calendário objetivo — quantas vacinas cada Estado vai receber e as datas —, para que possamos chegar em setembro vacinando todas as pessoas acima de 18 anos”, afirmou Fátima Bezerra.

Foto: Divulgação/Governo do RN/Elisa Elsie

A chefe do Executivo potiguar também destacou que a existência de um calendário permitirá que estados e municípios programem a distribuição e aplicação das vacinas sem interrupções. “É importantíssimo os estados saberem quando e a quantidade de vacinas que vai chegar. Colocamos isso ao ministro e ele se comprometeu a enviar estas informações aos governadores. Agilizar e garantir a entrega das vacinas é fundamental para que possamos imunizar a população, voltarmos às atividades normais e à retomada plena da economia”, apontou Fátima Bezerra.

No Rio Grande do Norte, o Governo Federal reduziu as remessas enviadas para o Estado na semana passada. A informação foi confirmada pela subsecretária de Planejamento e Gestão da Sesap, Lyane Ramalho. E, por causa dessa redução, a vacinação da população natalense que ainda não tomou a primeira dose teve de ser suspensa nesta terça-feira, conforme veiculado neste site e você pode ler a matéria aqui. Além de Natal, há a previsão de que, em Mossoró, a vacinação também seja suspensa na tarde de hoje.

Foto: Divulgação/Governo do RN/Elisa Elsie

Marcelo Queiroga disse que o Ministério vai fazer o cronograma por semana e deliberar no PNI sobre a reivindicação de antecipação da segunda dose para os vacinados com AstraZeneca Oxford e Pfizer. O ministro informou que a previsão é de entregar, a todos os estados, 41 milhões de doses de vacinas neste mês de julho e de 60 milhões no mês de agosto.

Ao reivindicar medidas imediatas ao Ministério da Saúde, dentro do PNI, a governadora do Rio Grande do Norte registrou que as aulas na rede pública do Estado estão previstas para reiniciar de forma híbrida no próximo dia 19.

“Certamente com a antecipação da segunda dose e com o cumprimento das medidas protetivas, estaremos dando mais segurança aos alunos e trabalhadores que atuam na Educação. As medidas de definição do calendário de entrega e normas nacionais para a retomada da educação, respeitando especificidades de estados e municípios, precisa ser rápida por parte do Ministério para que possamos proporcionar mais segurança à população como um todo e evitar retrocessos no combate à pandemia”, defendeu Fátima Bezerra.

Na reunião virtual do Fórum dos Governadores do Brasil com o ministro da Saúde, a governadora esteve acompanhada do vice-governador Antenor Roberto e da subsecretária de Planejamento e Gestão da Sesap, Lyane Ramalho.

Foto: Divulgação/Governo do RN/Elisa Elsie

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

Dose vencida

Ministério da Saúde afirma que ‘nenhuma dose vencida é repassada aos estados’

“Nenhuma dose vencida contra a Covid-19 é repassada aos estados e ao Distrito Federal”. A afirmação é do Ministério da Saúde e foi realizada na última sexta-feira (2). A pasta ainda afirma que o prazo de validade dos imunizantes é rigorosamente acompanhado desde o recebimento até a distribuição, o que permitiria perceber alguma dose vencida. A pasta divulgou as informações após publicação de uma matéria do jornal Folha de São Paulo.

De acordo com a publicação, cerca de 26 mil doses de vacinas da AstraZeneca teriam sido aplicadas após o vencimento em 1.532 municípios. Segundo o ministério, os estados são orientados a distribuírem imediatamente os imunizantes recebidos, sendo obrigação dos gestores locais do Sistema Único de Saúde (SUS) fazer o armazenamento correto e a aplicação das doses dentro do prazo de validade.

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado.

US$ 1 por dose

CPI ouvirá representante que recebeu proposta de propina de US$ 1 por dose

Representante da Davati Medical Supply, Luiz Paulo Dominguetti Pereira, diz que diretor Ministério Saúde pediu propina de US$ 1 por dose de vacina

Após a Folha de São Paulo divulgar entrevista com o diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias, na qual ele diz que o representante do Ministério teria pedido propina por vacinas, no valor de US$ 1 por dose, os senadores Omar Aziz e Randolfe Rodrigues divulgaram que irão convocar Dominguetti para depor na CPI da Covid no Senado. O depoimento já foi aprovado pelos outros integrantes da Comissão e está marcado, segundo Omar Aziz, para a próxima sexta-feira (2).

A Folha de São Paulo aponta que o representante da Davati Medical Supply, Luiz Paulo Dominguetti Pereira, tentou negociar cerca de 400 milhões de doses do imunizante produzido pela Oxford e AstraZeneca e teria ouvido do diretor do Ministério da Saúde que, para fechar o contrato, “teria que compor o grupo”. O encontro entre o representante da Davati e o diretor do Ministério teria acontecido em um jantar ainda em 25 de fevereiro, em Brasília. Ao perguntar que tipo de grupo seria esse, teria ouvido de Roberto que se ele “não compusesse o grupo, o acordo não iria pra frente”. Dominguetti diz não ter aceito a proposta.

Roberto Ferreira Dias foi diretamente indicado por Ricardo Barros (PP-RR) ainda durante o governo de Michel Temer. Barros é o atual líder do governo Bolsonaro na Câmara dos Deputados. Dias assumiu a diretoria de Logística do Ministério da Saúde quando Luiz Henrique Mandetta ainda era ministro da Saúde, em 2019.

O Ministério da Saúde informou hoje que irá exonerar Roberto Ferreira Dias. Ontem à noite, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou a decisão de exonerar o diretor de Logística do Ministério após a revelação do escândalo da propina.

Conforme divulgado pelo Por Dentro do RN, o deputado Luis Miranda afirmou em CPI que o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros, também teria facilitado as negociações com laboratório que produz a vacina Covaxin, o indiano Bharat Biotech. A Covaxin está no centro de um escândalo de corrupção, por supostamente ter vendido as doses por um valor 1000% acima do normal.

Foto: Anderson Riedel/PR

Siga o Por Dentro do RN também no Instagram e mantenha-se informado

Ministro da Saude por Fábio Rodrigues Pozzebom

Ministro da Saúde estuda revacinação ou reforço para a Covid-19 no ano que vem

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, diz que governo vem traçando panorama para 2022 e estuda a possibilidade da realização de um reforço vacinal em 2022

Em declaração dada hoje, 21 de junho, o Ministro da Saúde diz que está discutindo com o governo a viabilização de um reforço vacinal ou até mesmo uma revacinação total da população em 2022.

O sucesso do projeto depende da negociação entre o governo e as farmacêuticas fabricantes de vacinas, como é o caso da Pfizer e da Moderna. Além disso, Marcelo Queiroga ainda diz que a Fundação Oswaldo Cruz tem plena condição de fabricar os imunizantes com o ‘ingrediente farmacêutico ativo’ produzido no Brasil, o IFA.

Ministro da Saúde estimula o desenvolvimento de vacinas nacionais

Queiroga ainda reforça a importância de se estimular o desenvolvimento de vacinas brasileiras, como é o caso da Butanvac, desenvolvida pelo Instituti Butantan, em São Paulo; e a Versamune, que está em desenvolvimento na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da USP.

Ministro da Saúde Marcelo Queiroga
Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

“Imunizaremos todos os maiores de 18 anos até o final de 2021”, garante Queiroga

A projeção do Ministério da Saúde para a vacinação é baseada nas 600 milhões de doses disponíveis. De acordo com o ministro, pelo ritmo avançado da campanha nas últimas semanas, é seguro dizer que a população maior de 18 anos estará vacinada até o final do ano.

“Em relação à nossa campanha de vacinação, estamos muito seguros que vai caminhar com celeridade, tanto que os estados já tratam uma certa ‘disputa’, no bom sentido, para verificar quem está vacinando mais”, conclui Queiroga.

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Ministro lamenta a morte de 500 mil brasileiros pela covid-19

Através de uma nota no Twitter, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, lamentou a morte de meio milhão de brasileiros por conta da covid-19. Queiroga afirmou prestar solidariedade a cada pai, mãe, amigos e parentes, que perderam seus entes queridos: “500 mil vidas perdidas pela pandemia que afeta o nosso Brasil e todo o mundo. Trabalho incansavelmente para vacinar todos os brasileiros no menor tempo possível e mudar esse cenário que nos assola há mais de um ano”, afirmou o ministro.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

É #FAKE que o Midway Mall vai cobrar pelo estacionamento Como consultar valores a receber com o Banco Central Morre Marília Mendonça após acidente aéreo; veja fotos CINCO deputados do RN votam pelo furo do teto de gastos Após rompimento de parceria com o Flow Podcast, hackers invadem iFood, trocam nome de restaurantes e dão apoio a Bolsonaro Azul mira compra da Latam Airlines e visa à criação de gigante sul-americana Homem se dá mal após tentar jogar drogas pela janela em Mossoró Adolescente de 16 anos é suspeito de matar os próprios irmãos, de 2 e 4 anos, no Rio de Janeiro Preço da gasolina sobe 47% em 2021 e já custa R$ 7,29 em Natal após novo reajuste Cidade faz ‘recall’ de vacinação após enfermeira da Cruz Vermelha injetar água e sal na população Mulher dá à luz dentro de elevador de condomínio na Grande Natal Operação Falsos Heróis: Polícia Federal deflagra 2ª fase de operação contra contrabando de cigarros; um policial foi preso e outro afastado